Oi Pessoas :)

Bom, essa fic eu ja tinha escrito há muito tempo (está publicada no nyah) e foi pensada incialmente para o casal itasaku.

Agora, decide criar uma Versão SakuSasu.

Essa história foi baseada em fatos reais e empíricos... Baseada na vida da autora *louca* que vos fala ;)

Aproveitem :D


Terceira One-shot da coleção

Eu odeio dias de chuva!

...

A versão de Sakura.

...

Sabe aquele dia horrível, em que tudo dá errado? Pois é, eu estou vivendo esse dia hoje. Meu chefe me demitiu por causa daquela loura chata que fingia ser minha amiga, mas quando teve a primeira oportunidade roubou meu cargo como paramédica-assistente.

Ai que ódio daquela barbie!

Ok, mas minha história triste não acaba por aí...

Saí correndo do hospital para tentar falar com meu professor/orientador sobre a minha tese de mestrado que será defendida na semana que vem (e eu não faço a menor idéia de como vou arrumar tempo para digitar 50 páginas em apenas seis dias!). Mas, tudo bem. Não fosse pelo simples fato do meu querido professor ter viajado para Europa (porque ele é chato e ganhou uma bolsa de pós-doc pra estudar na Áustra!). Agora, estou sem orientador para terminar meu trabalho!

Mas que DROGA!

O dia poderia piorar? Foi isso que me perguntei...

Por que é que a gente tem sempre que se perguntar coisas inúteis quando está na cara a resposta: é claro que podia!

Sabe quando o céu fica preto do nada e começa a chover aos montes no cabelo que você acabou de fazer chapinha? Pois é, aconteceu comigo! Ódio! Ai que raiva, agora meu cabelo está uma droga completa, assim como todo o resto da minha vida...

E para completar é justamente naquele maldito dia em que você esqueceu de colocar a droga do guarda-chuva novo dentro da bolsa. E por falar em bolsa... bolsa... Ai meu Deus! Minha bolsa está toda molhada! Que droga! Meu pen drive com mais de 80 páginas de tese foi literalmente por água abaixo!

Inferno!

Será que a droga do meu dia ainda poderia piorar?

Para que você foi perguntar isso, dona Sakura? É claro que pode...

Ahhhhh que raiva! Moço! Olha por onde passa com essa PORCARIA!

Ah estou toda encharcada! É, um moço que ironicamente não me viu perto do sinal passou com tudo numa poça d'água e o resultado é um vestido de 8.668,50 ienes* totalmente destruído.

Sério, se isso piorar eu me mato!

Ah Sakura, cala essa droga de boca! Sim gente, eu estou falando comigo mesma, será que dá pra entender, eu não estou legal!

É como se eu tivesse sido escolhida a dedo para sofrer naquele dia, como se alguém lá no céu olhasse pra baixo e dissesse bem sarcástico: é isso aí, vamos detonar essa testuda de cabelo rosa!

Pois é, eu fui a escolhida, porque só isso explica meu azar!

Eu estou um lixo, minha chapinha foi embora, meu pen drive com a minha tese vai precisar mais de secador do que o meu cabelo (que eu já disse que está uma droga!), minhas roupas estão todas molhadas, estou toda suja de lama e ainda por cima falando sozinha... ( estou parecendo fugitiva de manicômio).

Ah... finalmente um pouquinho de sorte!

E essa frase eu tive que gritar bem alto, eu não queria chamar atenção de ninguém, mas acho que a essa altura era inevitável. Só notar meu estado deplorável... Mas, acho que alguém lá de cima intercedeu por mim...

Um guarda-chuva!

Encontrei lá no fundinho da bolsa (sabe, naquele lugar super estratégico que a gente guarda de tudo que não se pode perder, mas que acaba perdendo, dinheiro, documento, identidade, camisinha, guarda-chuva...).

Tirei com dificuldade aquela coisa velha e caquética do fundo da bolsa, imaginando que fosse me adiantar a vida.

Que nada!

A droga estava tão velha que quase se desfez na minha mão. Sabe quando aquelas partes de metal ficam todas tortas e se desprendem do tecido? Aham! É isso aí, meu guarda-chuva vermelho tava assim mesmo!

Bom, eu até que tentei usar, mas quem disse que consegui. Aquele treco parecia até uma arma voando contra a direção do vento, ameaçando matar o primeiro que passasse na minha frente. Juro que não era eu que tava fazendo aquilo (ok, talvez fosse!). Mas o treco ficou louco, parecia ter vida própria, voando de um lado para o outro, me carregando ao longo da rua (que por sinal eu nem sabia qual era...).

Quando eu pensei que meu pesadelo estava para acabar, porque afinal eu estava só a uns sei lá, 15 minutos de casa, tombei em alguma coisa que juro que apareceu do nada, como se tivesse brotado do chão!

Caí no chão tão feio, que ainda sinto meu bumbum doer! (ah todo mundo sabe que cair de bun*& no chão é o pior tombo que se pode tomar!).

Mas voltando... Quando eu levantei minha cabeça para olhar o imbecil que tinha entrado do nada na minha frente me fazendo cair, fiquei surpresa. – Sasuke...?

Sim... era ele.

Tinha que ser ele?

ELE?

Ah meu Deus! O carinha mais gatinho do universo. Meu vizinho recém-chegado, com quem nunca consegui conversar. Ok, porque ele não gosta muito de falar e eu também não tenho muito tempo para ficar do lado de fora de casa esperando-o chegar às 20h da noite quando ele volta do trabalho ou às 8:35 quando ele sai para para a faculdade de Direito, onde faz mestrado também. (ta como eu sei disso? ah gente fala sério, já disse que ele é o maior gatinho?)

Então meu inferno estava completo, com o demônio bem ali na minha frente, me encarando com aquela expressão de nada, mas que eu sabia que ele devia estar me achando a pessoa mais anormal do mundo (quem não acharia?).

Agora é a hora em que eu arregalo os olhos, porque não acreditei no que estava acontecendo. – Vem... – Ele estendeu a mão (e que mão!) na minha direção. – Deixa que eu te ajudo.

Nessa hora eu esqueci tudo...

Mestrado em colapso,

emprego perdido,

chapinha detonada,

vestido destruído,

bolsa encharcada...

Sinceramente, quem é que em perfeitas condições mentais (não que seja o meu caso hoje, mas...) ficaria perdendo tempo com aquelas bobagens pequenas, quando se tem um gatinho como ele segurando sua mão para te levar de carona no guarda-chuva até a porta de casa?

..

..

.

.

.

Pensando bem... Dias de chuva podem ser muito, muito interessantes!


A versão de Sasuke sobre o dito dia de chuva:

Que dia esquisito...

Tudo dizia para eu ficar em casa, mas não daria certo. Já que aquele cara irritante pediu para ficar uns dias no meu apartamento, porque a casa dele está em obras.

Me pergunto o que eu tenho a ver com isso.

Pois é: nada!

No entanto, minha adorada mãe é ótima em chantagem emocional. Uma expert!

Não que eu caia facilmente, na verdade eu nem me importo muito porque sei que é tudo fingimento, mas quando ela começa a falar... ih sai de perto.

Ela sempre vence.

Pelo cansaço, é claro. (não há pessoa no mundo que consiga vencer a própria mãe num "debate amigável").

E foi em um desses combates, que ela me convenceu a deixar aquele pentelho morar comigo por uns tempos.

Acho que deve ser por isso que eu estou tão mal-humorado, não agüento mais aquele mané deixando um monte de cuecas espalhadas pelo chão da casa, comendo toda minha comida e quando eu finalmente chego cansado do trabalho lá está ele com aquela namorada irritante.

Oh ruiva chata. Tão oferecida que se eu realmente quisesse, já a teria pego há muito tempo...

...

Que ótimo, me perdi... Qual é o assunto principal mesmo?

Ah sim, o Itachi, meu irmão mais velho. Ele está me tirando do sério. Não sei como consigo agüentar aquele cara no mesmo ambiente que eu, ele é tão irritante...

Deve ser por isso que eu estou aqui fora, no meio da chuva, com um guarda-chuva que nem consegue me proteger direito contra esse monte de água que vem de todas as direções.

Maldição!

Onde eu estava com a cabeça quando disse: - Sim, mãe, tudo bem, ele pode vir pra cá...

Eu sou um otário...

Me privando do conforto do meu próprio apartamento por causa dele...

É, eu com certeza sou um otário!

Bom, mas pensando bem até que valeu a pena.

Sim, valeu muito a pena.

Porque eu a encontrei...

Ela, aquela garota estranha que ficava espiando pela janela quando eu saía e chegava em casa. Muito esquisita mesmo. Eu já disse que o cabelo dela é rosa? Pois é, inusitado não?

Mas adorável... (Ok agora eu realmente me perdi nos meus pensamentos porque nem mesmo havia notado aquela arma se aproximando rapidamente de mim...).

Juro, tentei desviar, mas foi inútil. Ela era rápida e estava cega pelo guarda-chuva voador em sua mão.

Quando caiu no chão na minha frente, fiquei assustado de início, com medo dela ter se machucado. E de início, bem no iniciozinho, eu juro que não tinha percebido como engraçada ela estava.

Se fosse em qualquer outro ser, eu acharia patético, mas nela tudo era adorável (relaxa, eu não to falando isso em voz alta, em pensamento pode, neh?).

Aquele cabelo rosa todo molhado, parecia um gato encharcado. O vestido horrível, pensei que ela tivesse tirado aquilo do lixo. E aquela arma esmigalhada nas mãos ameaçando todo mundo ao seu redor.

Acho que nunca vou esquecer da expressão dela naquele momento. Os olhos verdes arregalados, sentada no chão molhado com aquele sorriso sem graça por ter sido surpreendida naquele estado patético.

Mal sabia ela que eu gostei. (ah gosto é gosto! E ela estava linda...).

Pode-se dizer que gosto de mulheres indefesas (oh faz bem para o ego de qualquer homem, ué pode perguntar!).

Indefesa...

Assim ela estava.

E eu não resisti.

Ergui a mão para ela e a ajudei a se levantar.

Se eu disser que aquele momento foi mágico vocês vão achar muito colorido da minha parte? (bom, Fugaku sempre me ensinou uma baboseira sobre palavras que meninos não podem usar, porque foram feitas especialmente para meninas. Creio que "mágico" nesse contexto ficou meio colorido não é? ... ... .. .. Pensando bem, baboseira? Olha lá, o meu filho (porque o primeiro tem que ser menino e macho!), não vai sair por aí falando essas palavras coloridas!).

Mas no pensamento pode ne? Então está tudo bem...

Voltando à ela...

Minha vizinha, dos cabelos rosa e olhos verdes, das roupas sujas, bolsa encharcada, do sapato sem salto (eh o salto quebrou quando ela tentou distraída atravessar a rua e eu a impedi de ser atropelada por uma moto! Claro que foi impossível evitar uma risadinha abafada, que ela é claro, ouviu...).

Ela ficou com raiva, vocês precisavam ver a cara dela. Estava vermelha como um pimentão, mas e daí? Tenho certeza que depois do que eu fiz ela me perdoou, não é amor?

- Ahm...?

- Você me perdoou não é?

Sakura está me olhando brincalhona, repousando os cotovelos nas minhas costas enquanto brinca com meu cabelo.

Ela está revisando a nossa história nesse instante, está aqui atrás de mim, enquanto digito essas poucas palavras no Word.

- Se eu te perdoei? – Ela me pergunta, puxando violentamente meu cabelo para trás para que eu a fitasse nos olhos.

- Mas que droga, amor, você é muito bruta!

Ih gente, deixa eu sair correndo agora, porque ela está com aquela cara de que vai me matar. BRUTA é a característica que ela mais odeia!

- O que? – ih ela está furiosa... – Minha característica? Como você ousa?

...

.

.

.

.

.

Bom, agora que já passou da meia noite eu posso continuar.

Ela já dormiu e não vai me atrapalhar...

Pois é, graças aquele dia de chuva, que aquele mané do meu irmão ficou aqui em casa enchendo minha paciência me obrigando a me privar do meu próprio conforto, graças a esse dia (e aquele mané), Sakura e eu estamos juntos há um pouco mais de oito meses.

Não posso dizer que Itachi é tão mané assim, até que aquele cara serve para alguma coisa.

Já a Sakura acha o contrário.

Ela acha que o que colaborou para estarmos juntos hoje foi definitivamente o guarda-chuva (ela e seus papos femininos sobre objetos que aproximam pessoas... bobagem!).

Bom, talvez nem tanto assim...

Porque se não fosse aquele salto quebrado, eu provavelmente não teria um motivo para beijá-la...

(todo homem sabe que mulheres não tiram o sapato do pé, mesmo que o salto tenha quebrado! Incrível ne?)

Santo salto-alto!

FIM



E aí, o que acharam?

Como eu havia explicado aos leitores do nyah a long time ago, eu tive uma ajuda *machista* do meu mozão pra construir a fala do Uchiha. Verdade seja dita, a hime não compartilha dessa visão machista e tosca que o Sasuke esboça ok.

Beijinhos, espero que tenham apreciado. Reviews seriam legais ;D

Hime-chan ;)

PS: Por experiência própria, situações que parecem ir por água abaixo, sempre tem seu lado positivo ;D

PPS: Essa fic não faz qualquer meção aos desastres que estão acontecendo aqui no RJ recentemente... Por sinal, é lamentável essa situação neh mesmo... (torço de coração para que nehuma leitora esteja passando por algo do tipo...)

PPPS: Essa fic havia sido publicada incialmente como Two-shots, por isso há uma 'quebra' temporal e de foco (da saku pro sasuke). Resolvi trazê-la como one-shot porque .. sei lá hehe pq sim :D

PPPPS: Bom, eu postaria "em nove dias" e " Propostas Indecentes" hj, mas o movimento está um tanto fraco... esperarei até semana que vem ou o final do mês de janeiro até as leitoras chegarem de viagem...