LovelyComplex não me pertence, mas Always All Hanshin-Kyojin, sim.


Epílogo

— Otaniii, aí não!

Otani olhou pra namorada com cara de poucos amigos e largou a caixa no chão, de qualquer jeito, deixando Risa furiosa.

— Não jogue a caixa assim! E se tiver algo que quebre?

— E onde eu vou colocar? Caramba, Risa, isso tá pesado, me diz logo onde quer que eu coloque pra eu poder ir pras outras! Ainda tem umas 10 caixas dessas no carro.

Risa fez um bico e Otani uma careta. Se encararam por um tempo até que ela bufou em rendição.

— Certo, certo. Coloque as caixas na sala enquanto eu arrumo a cozinha.

— E eu já não estava fazendo isso? — Otani murmurou, enquanto Risa voltava à cozinha e ele saía do apartamento, descendo pelo elevador pela milésima vez no dia para pegar as caixas restantes.

Tinham acabado de se mudar pra Tóquio, e estavam colocando suas coisas no lugar. Os móveis tinham chegado antes, e depois que arrumaram os móveis no lugar e cada um escolheu seu quarto, estavam trazendo as caixas com os outros aparelhos.

Otani insistira em trazer as caixas do carro para o apartamento sozinho, enquanto Risa arrumava os objetos nos seus lugares. "É coisa de homem", Otani dissera, quando Risa insistiu que o ajudaria. Ele bateu o pé, e agora estava trazendo tudo sozinho enquanto ela cantarolava e arrumava as coisas, numa boa. Ele resmungava consigo mesmo.

Uma hora depois, ele finalmente tinha subido com a última caixa, e enxugou o suor da testa com a manga da camiseta. Ele foi até a cozinha, vendo que Risa já tinha arrumado tudo por lá.

— Você foi rápida. — ele comentou.

Risa parou de cantarolar e virou-se pra ele. — Você que foi muito devagar pra trazer essas caixas, Otani.

Otani fez careta e Risa sorriu.

— Vamos, me ajude a colocar essas caixas nos seus lugares.

Ele foi conformado. Não adiantaria brigar com ela.

Depois de colocar as caixas nos lugares certos – coisas da sala, na sala; coisas do quarto, no quarto – Risa praticamente obrigou Otani a ajudá-la na arrumação da sala de TV.

Ele arrastou móveis, ligou os aparelhos, limpou, e quando ele achava que não precisaria mudar mais nada, Risa teve um ataque.

— Ah, não! — ela gritou — Aí não.

Otani revirou os olhos.

— Aonde, então?

— Do lado da estante fica melhor, não?

— Sinceramente? Pra mim tanto faz.

— Otani, eu estou pedindo sua opinião. — disse Risa, meio chateada.

— E eu estou dizendo que tanto faz! — ele levantou os braços, em rendição. — Sério, Risa, não é tão difícil assim.

— Poxa, Otani, tudo que eu queria era que nós fizéssemos isso juntos, mas parece que você não liga! Só me deixou fazer tudo sozinha desde que chegamos!

— Ei! Eu carreguei todo o peso da garagem até aqui! — ele protestou.

— É, mas só isso! Não deu nenhuma opinião, nem me ajudou a deixar esse apartamento mais confortável pra nós dois. Parece que estou fazendo tudo sozinha! E além do mais...

Otani percebeu, então, o que eles estavam fazendo. Risa queria a ajuda dele e por mais que ele estivesse ajudando, ela queria mais porque estava – assim como ele – empolgada com a perspectiva de morarem juntos.

E agora, tudo que eles estavam fazendo era brigar um com o outro pelos motivos mais bestas, como sempre fizeram. Percebendo isso, Otani começou a rir, e isso não deixou Risa muito feliz.

— E também tem... Otani, posso saber por que você está rindo? — Risa perguntou, ficando vermelha de irritação. Isso só fez Otani rir mais. — Não tem graça!

— Claro que tem — Otani riu, sem nenhum amor à vida — Estamos brigando por motivos absurdos, Risa!

Ele riu mais um pouco e Risa suspirou, percebendo que ele tinha razão. Ela lhe ofereceu um sorriso pequeno, que ele retribuiu.

— Estou sendo boba como sempre, não é?

— Está — Otani riu — É uma das coisas que eu mais amo em você.

— Sério? — perguntou Risa, mordendo o lábio inferior enquanto Otani se aproximava dela, só não ficando cara a cara porque ela era mais alta. Ela se sentou, e então pode olhar para ele sem que ele esticasse o pescoço.

— Claro. — Otani sorriu — Eu amo que você seja essa minha parceira de comédia. Boba, absurda e ridiculamente alta.

Ela riu com gosto enquanto ele segurava seu rosto com uma mão, fazendo carinho nela.

— Sempre All Hanshin-Kyojin, não é?

— Sempre — ele concordou — E quer saber? Eu não quero que isso mude nunca.

— Nem eu. — ela sussurrou.

Ele a beijou, e ela esqueceu completamente da arrumação por alguns minutos. O beijo foi calmo e suave, e eles riram um na boca do outro por simplesmente estarem felizes, compartilhando desse momento único e especial. Quando Otani se afastou, Risa se levantou de novo, empolgada.

— Agora vamos, bote o vaso do lado da estante e pronto!

Otani riu com vontade, mas fez o que ela pediu. Logo depois, ele a convenceu de darem uma parada para comer alguma coisa. Já tinha passado da hora do almoço e ele estava faminto.

Os dois saíram do apartamento entre risadas e demonstrações de afeto, mais felizes do que nunca. Eles já tinham desistido de lutar contra o apelido de dupla de comédia há muito tempo.

Aquilo era eles, e sempre seria. Eles tinham aprendido a conviver com aquilo. E gostavam. E queriam, mais do que tudo, que fosse para sempre assim.

Para sempre, All Hanshin-Kyojin.

FIM


*enxuga lagriminha*

Esse sim é o fim, gente. :) O que acharam? O epílogo era pra ser pequenininho mesmo, então não chiem, pls. kkk

Algumas pessoas (no Nyah) me pediram uns capítulos bônus ou one-shots sobre alguns detalhes da vida desses dois, depois do fim da fic. Tipo... a "primeira vez" dos dois e tudo mais. Bem, eu não prometo nada, mas se alguém aqui também estiver interessado em saber disso, basta dizer por review, que será mais um voto a favor. Quem sabe eu não escrevo? hehehe

No mais, muito obrigada a cada um que leu, favoritou e comentou. Eu, Otani e Risa agradecemos de coração. :) Se por acaso eu for postar algo mais desses dois, eu apareço por aqui pra avisar, ok? Por enquanto, esse é o fim da nossa duplinha. :)

Beijos, beijos.

Espero as reviews de vocês, e até!

Kessy, Otani e Risa.