PAPER LOVE

Disclaimer da ManneVanNecker: Os personagens não me pertencen, eles são criação de Stephenie Meyer. A história é minha pelo o qual fica proibida sua reprodução parcial ou total sem meu consentimento.

Disclaimer: A história pertence a ManneVanNecker, que me autorizou traduzi-la para vocês.

Sinopse: Edward é um garoto tímido que sobre de tartamudez, sua gêmea Rosalie o defende diante dos valentões do colégio. Ele se surpreendeu diante da chegada de uma garota que rompe as expectativas do resto e decide conversar, superando o medo do exílio social.


Capítulo 15 — Mais uma prova

(Tradução: Ju Martinhão)

Edward mais uma vez sentiu que tinha feito a coisa certa, pois os olhos da sua amada demonstravam que tinha sido assim e a alegria o fazia se sentir completo, ele se manteve abraçado a ela por alguns minutos e logo depois ele propôs retornarem à escola para se reintegrarem à próxima aula.

No caminho para a escola, Bella armou-se de coragem para enfrentar Edward mais uma vez. Ela inspirou, tentando chamar a atenção do seu namorado e reuniu forças, esperando que ele compreendesse sua preocupação.

— Edward. — Ela sussurrou.

O menino, que estava ciente da estrada, sorriu ao ouvir a voz de Bella, sinal suficiente para que ela continuasse.

— Eu sei que isso tudo tem sido muito difícil para você, também sei que provavelmente não seja apropriado fazê-lo voltar a lembrar o que você passou, mas eu quero que você saiba que eu estou preocupada com você e quero que tudo o que você viveu seja superado totalmente, e para isso você deve se consultar com Jasper. — Ela disse com uma voz determinada, embora tenha atropelado várias vezes certas palavras.

O jovem de cabelo cobre continuo olhando para a estrada e tentou não ficar tenso, ele deveria se acostumar com a ideia de que Bella estaria preocupada com ele e que tudo isso era uma nova parte do que estava descobrindo com sua namorada, ele tinha voltado a confiar pouco a pouco e era necessário lembrar que ela teria acesso a certas cenas íntimas da sua vida e tinha direito, pois somente aquilo a fazia valorizada pela sua existência.

— B-Bella. — Ele sussurrou. — N-Não p-pretendia v-voltar a ver n-nenhum m-médico d-depois d-de t-tudo o q-que p-passei, m-mas a-ainda a-assim sei q-que é n-necessário e p-provavelmente u-útil, m-mas p-preciso de t-tempo, n-na o-outra s-semana v-vou e-encontrar J-Jasper. — Ele sorriu para a morena, que o olhava com os olhos bem abertos ao ouvir sua resposta positiva.

Ao estacionar o Volvo na escola, Edward reparou que todo mundo voltava a focar sua atenção sobre ele, e parecia estranho que assim fosse, afinal de contas, desde que Bella e Emmett tinham chegado à Forks, os ataques contra ele haviam diminuído consideravelmente até chegarem a nada, até mesmo Mike e seu bando pararam de incomodá-lo.

Edward e Bella andaram de mãos dadas para a próxima aula, que era a aula de música.

Para qualquer pessoa na Forks High era desconhecido que Isabella e Emmett Swan eram os filhos do chefe de segurança do próprio Presidente dos EUA, assim como também era um segredo que eles tiveram uma infância muito diferente dos outros vivendo na Casa Branca, mas para Lauren Mallory isso havia superado todas as expectativas e ela realmente sentia-se frustrada ao ver que, mais uma vez, Isabella Swan roubou toda a atenção naquela manhã.

Enquanto Bella e Edward estiveram ausentes da escola, Emmett não perdeu seu tempo e, assim que foi possível ter um momento a sós com sua namorada, ele pediu para ela ir ao pátio da escola.

— O que aconteceu? — Rose disse um pouco assustada.

Ela sabia muito bem que os homens nunca diziam "precisamos conversar", porque essa, realmente, era a maldita frase que ninguém queria ouvir, mas a garota não sabia o que realmente disfarçava aquela inocente e supervalorizada frase.

— Daqui a duas semanas eu irei para Washington. — Emmett disse, sério.

— Você voltará? — Rose disse, surpresa.

Um mal-estar estranho tomou conta do seu peito, um aperto que ela nunca antes havia sentido a fez tremer enquanto ela continuava sentada e observando seu namorado, que estava de pé.

— Sim. — Ele respondeu secamente. — Mas eu quero que você venha comigo.

Os pensamentos de Rose estavam viajando na velocidade da luz, ela realmente não entendia o que Emmett queria dizer, ou, talvez, aquilo que ele dizia era completamente desprovido de sanidade mental e por isso era incompreensível para ela.

— Em... — Ela sussurrou enquanto suspirava para ordenar seus pensamentos. — Eu... realmente não...

— Eu quero que você venha comigo para vivermos um momento realmente especial, você já sabe que eu quero apresentá-la ao meu pai, mas não é só isso, eu tenho uma grande surpresa para você, um presente que nos foi dado e que...

— Pare aí, Emmett. — Rose disse, sem entender absolutamente nada.

O irmão de Isabella estava ansioso para contar à sua namorada o presente que seu pai tinha dado, mas Rose não o deixou continuar.

— Como é que você voltará para Washington? — Rosse disse, irritada.

Diante do elevado tom de voz da loira, um grupo de estudantes havia se aproximado para ouvir o que estava acontecendo ali, para todos era muito útil estar informado sobre os últimos acontecimentos entre os casais da escola, pois era divertido ter algo a comentar a cada manhã, mas Rose sabia bem e tinha percebido, pelo que sentiu-se ainda mais furiosa.

— Seus curiosos! — Ela gritou para o grupo que estava atrás de Emmett. — Vocês não têm nada melhor para fazer do que bisbilhotar onde ninguém precisa de vocês? — Ela disse realmente irritada.

O grupo que estava lá espalhou-se rapidamente, mas alguns ainda se mantiveram perto o suficiente para ver como a coisa toda acabava.

— Antes de continuar. — Emmett interrompeu. — Quero que você abra isto. — Ele entregou-lhe um envelope.

A loira nervosa, que não entendia o que estava acontecendo, pegou o envelope e olhou diretamente nos olhos dele.

Enquanto Rose desembrulhava o conteúdo, Emmett não pôde explicar a ela o susto que ele quis dar nela, mas então Rose soltou um grito realmente ensurdecedor quando viu que em suas mãos havia dois ingressos para ver o show do Muse em Washington, e ela ficou mais surpresa ao ver que as entradas eram de Platina, o que signifcava que eles estariam na fileira da frente para ouvir Matt Bellamy e a banda que tanto havia roubado o seu sono.

Ela abraçou Emmett sem restrições, pressionando-o tão forte que toda a ansiedade que ele tinha de explicar tudo desapareceu instantaneamente.

— Você é cruel! — Rose riu, depois de ter se acalmado um pouco mais. — Você me fez acreditar que você iria embora.

— Você nunca me deixou terminar. — Emmett riu. — Então, você vai comigo?

Rose o repreendeu com o olhar ao ver que a pergunta era supérflua.

— Claro! Obrigada, amor. — Ela beijou o canto dos belos lábios de Emmett.

Os curiosos que ficaram para assistir o que estava acontecendo desapareceram imediatamente ao ver que o casal entrava feliz no prédio e não demoraram em espalhar a notícia, até que chegou aos ouvidos de Mike e Lauren.

Diante dos olhos de Mallory, reaparecia Rosalie Cullen triunfante no braço do seu namorado, e pela outra porta entravam, para ela a gota que transbordava do copo, Isabella Swan e o gago, todos com seus respectivos ingressos Platina para ver o show de Muse.

— Pare de encará-los. — Disse Mike, tentando desviar a atenção de Lauren.

— O quê? Mas olhe para seus rostos de idiotas andando pela escola, se eu não tivesse sido castigada, eu também teria esses ingressos! O que eu mais odeio é que eles fingem que nada aconteceu, quando se fosse comigo, eu não estaria como se nada... — Ela disse cruzando os braços, enquanto um calor interno a envolvia.

— Eu realmente não me importo. — Disse Mike.

Newton tinha aprendido a lição, especialmente depois que seu pai e sua mãe tinha avisado que se ele continuasse incomodando o Cullen, ele terminaria de castigo e, ao invés de ir para a faculdade, eles o deixariam em um reformatório das Forças Armadas, depois disso, Mike não demorou a esquecer o problema e evitar seu desejo de se vingar de Edward.

— Não se presumia que você se vingaria da surra que você levou do Cullen? — Lauren disse.

— Foi Swan. — Mike sussurrou envergonhado.

— Emmett?

— Não, Isabella. — Ele respondeu, desconfortável.

— E você não fará nada? — Ela tentou conter a risada.

— Não sei, acho que já não me importo. — Ele disse, lembrando quando Emmett o encarou, sem dúvida um homem que inspirava o seu respeito.

Emmett e Rose se aproximaram de Edward e Bella, que não entendiam por que todos os encaravam com vontade de pular sobre eles.

— O que vocês fizeram? — Bella sussurrou para Rose.

Esta afastou-se um poucos dos garotos, assumindo que Edward ainda não sabia de nada.

— Metade da escola, digo, a esta hora todo a escola está ciente de que nós temos ingressos Platina para ver o show do Muse. — Ela sussurrou sorrindo.

Bella tinha esquecido completamente desse detalhe. Os ingressos que ela havia ganhado do seu pai estavam em sua carteira à espera de serem aceitos por Edward, então ela se aproximou do seu namorado, pegou sua mão e caminhou com ele, separando-se da multidão.

— O-o q-que a-aconteceu? — Edward disse sem entender.

— Como você tem um dom tão bonito e eu não sou boa na área musical, tenho um pequeno presente que espero que você aceite. — Ela sorriu, entragando a ele o envelope.

Edward franziu a testa confuso, mas recebeu o que sua namorada entregava, então ali estavam os ingressos brilhantes do show de Muse que seria em duas semanas.

Realmente tudo isso o pegou de surpresa e ele simplesmente ficou sem palavras, ele prendeu Bella ao seu corpo e a olhou fixamente.

— O-Obrigado. — Ele sussurrou antes de aplicar-lhe um beijo no meio do corredor, sem se importar que todo mundo estivesse olhando.

Os braços de Edward a prendiam contra o seu calor e uma sensação de instabilidade e prazer a inundou, impedindo-a de fazer mais do que responder àquele beijo requintado que a fez perder a noção do espaço e tempo, pois ela nem sequer era capaz de sentir seus pés no chão.

— Mas, você deve me prometer que verá Jasper o quanto antes. — Ela sussurrou assim que Edward separou-se dela.

— C-com c-certeza. — Seu namorado sorriu, segurando a cintura dela novamente para beijá-la suavemente.

Jasper tinha decidido que seria melhor que Edward tivesse uma pausa em suas consultas, então pediu a ele que viesse vê-lo depois da sua viagem para Washington, para que eles tivessem mais sobre o que falar e assim também evitar mais tensão entre eles.

Edward agradeceu-lhe sinceramente e pediu desculpas pelo seu comportamento passado, já que da última vez que esteve ali, ele não havia sido um cavalheiro.

— Espero então tê-lo logo de volta para começarmos com as regressões. — Jasper sorriu enquanto estendeu a mão para Edward.

— C-certo, d-dessa v-vez eu v-voltarei. — Edward sorriu novamente apertando a mão do seu médico.

Jasper havia oferecido ao jovem Cullen um tratamento menos invasivo e que permitiria que ele gradualmente assumisse seus traumas e lhe desse confiança para ir falando sobre isso sem ressentimento, algo que para Carlisle era ótimo e Edward entendia muito bem, então aceitou quase que instantaneamente.

A família de Edward estava extremamente grata pelo convite estendido aos seus filhos, não foi nenhuma surpresa que eles conseguiram esses ingressos gratuitamente, afinal de contas, o pai dos irmãos Swan era uma figura importante na Casa Branca e tinha sempre sido muito considerado, ainda assim, estar na primeira fila era para enlouquecer por um bom par de semanas.

Emmett e Bella já haviam avisado seu pai que eles o visitariam com dois dias de antecedência ao show, já que seria um momento especial para apresentarem seus respectivos namorados a Charlie.

Cada dia da semana na escola parecia que o desgosto do resto estava aumentando, em vez de esquecer, como tinha colocado Alice, o mundo parecia se lembrar ainda mais e a inveja parecia dominar o ar.

Bella e Rose tiveram que lidar com as garotas irritantes no banheiro, gritos e zombarias nas aulas de Educação Física e tudo parecia piorar cada vez que Lauren Mallory se atrevia a aproximar-se deles.

— Vamos, Rose. — Bella disse ao ver que Lauren entrava no vestiário feminino.

Rosalie não tinha vontade de dar o gosto à morena, afinal, foi ela quem começou o problema de arruinar a formação das líderes de torcida e ela não continuaria fingindo que aquilo não lhe importava.

— Ainda tenho que pentear meu cabelo. — Fingiu Rose.

Lauren e Jessica entraram em uma das cabines, enquanto a primeira exalava raiva por todo o lugar, ainda assim, Bella não tinha vontade de discutir com nenhuma delas.

— Por que ficamos? — Bella sussurrou para Rose.

— Você nunca sabe quando trocam o seu shampoo por descolorante. Você não acha? — Rosalie sorriu satisfeita.

— O quê? Você está louca, seria rebaixar ao nível delas. — Bella voltou a falar baixinho.

— Isto não é por tudo o que elas têm feito agora, mas pelo que fizeram com meu irmão e que não tive a oportunidade de me vingar. — Explicou Rose, enquanto pegava o shampoo que estava à vista e adicionava um pouco de descolorante que sua mãe usava para tingir o cabelo, claro que desta vez a quantidade era muito maior.

Lauren, que estava no chuveiro, não percebeu o menor ruído da tampa do shampoo e, confiante, procurou tateando no chão pelo recipiente dos seus produtos de higiente pessoal.

Confiante, a morena pressionou o frasco de shampoo e massageou seu cabelo escuro, esquecendo-se dos maus momentos que tinha passado por causa da Swan e da Cullen e, já que a última a tinha removido da equipe de líderes de torcida por não se adaptar à rotina imposta pela Treinadora, e isso não era tudo, sua substituta tinha sido Isabella Swan, uma novata no assunto.

Bella e Rose saíram correndo dali, pois hoje seria o último dia de aula antes da sua viagem.

A loira saiu rindo muito alto quando deixou o vestiário.

— O que você acha que vai acontecer? — Bella disse, tentando segurar-se e não cair na gargalhada.

— Não sei, acho que saberemos quando ela se olhar no espelho. — Disse Rose, enxugando uma lágrima que lhe escapou de tanto rir. — Quando Emmett souber disso, certamente estará rindo como eu.

— Claro, se é que Mallory não faça retaliações contra você. — Disse Bella.

— Acredite, ela não terá provas contra nós. — Ela sorriu triunfante.

— Por quê?

— Jessica disse a ela que sua tintura tinha ficado irregular antes do treino e Lauren ficou com muita raiva daquilo, ela ficou tão ofendida que certamente acreditará que foi Jessica. — Rose disse, enquanto colocava o espelho na sua bolsa.

Edward e Emmett tinha tido um longo dia de treinamento, já cansados de esperar pelas suas namoradas, eles decidiram adiantar-se e ir aos seus armários para deixar o peso das suas mochilas lá.

— Nervoso? — Emmett disse quando ficaram sozinhos.

— P-por q-quê? — Edward respondeu enquanto deixava seu armário organizado.

— Você conhecerá o meu pai e, bem, você sabe... é mais difícil para nós. — Disse Emmett.

— N-não, n-não e-estou n-nervoso, m-mas s-sim a-ansioso. — Acrescentou Edward.

Rosalie surpreendeu Emmett ao agarrar seu pescoço, delicadamente o virando para beijá-lo.

Bella fez o mesmo com Edward, mas foi muito mais gentil e carinhosa.

Enquanto deixavam tudo em seus armários, foi ouvido um grito ensurdecedor, um grito que Rose e Bella estavam esperando, as garotas começaram a rir, enquanto Edward e Emmett não entenderam nada.

— Puta! — Lauren gritou quando saiu enrolada com uma toalha em seu corpo e outra na cabeça. — Puta maldita! Eu arrancarei cada fio de cabelo da sua cabeça! — Ela gritava histericamente.

A cena no ginásio era muito engraçada, até mesmo o treinador se divertiu, e ele ficou admirado por um momento com a cena engraçada.

Jessica saiu correndo com suas calças e segurando uma toalha em volta do seu peito, enquanto Lauren a perseguia apenas em uma toalha. Em uma tentativa de que a toalha que não a envolvia caísse, ela deixou cair a que envolvia seu cabelo, deixando em plena vista de todo o público seu cabelo branco, produto do descolorante.

A equipe masculina e as garotas que estavam lá não puderam conter a risada e explodiram alto, em todo o ginásio, um conjunto de gargalhadas.

— O que aconteceu? — Emmett disse.

Rose colocou sua melhor cara de inocência, enquanto Bella explicava a Edward o que tinha acontecido.

Cada casal foi até seu respectivo carro e estavam comentando sobre a tarde agradável que haviam passado.

Para eles amanhã seria o grande dia. Eles estariam em Washington e, em poucas horas, ouviriam a sua banda favorita tocar ao vivo.

Ainda que para Bella tudo aquilo tivesse um significado mais especial do que ouvir Muse, pois ela desejava sinceramente formalizar tudo ao apresentar Edward ao seu pai.

Esme e Carlisle estavam esperando seus filhos, já que seria a primeira vez que iriam sozinhos para Washington e ambos se sentiam muito desconfortáveis com isso, mas eles viajariam com seus namorados e ainda mais com Rosalie.

— Liguem para nós quando chegarem. — Carlisle disse enquanto acompanhava sua esposa até a cozinha.

Edward e Rose sorriram ao vê-los tão tensos.

— Sim, papai. — Eles responderam em uníssono.

— E não se esqueçam que vão à casa do pai de Bella e Emmett, por favor, comportem-se. — Esme aconselhou.

— Sim, mamãe. — Eles voltaram a repetir.

— Se acontecer alguma coisa, liguem para nós e vamos buscá-los, ou vocês simplesmente vêm embora. — Disse Carlisle.

— Sim, papai. — Eles repetiram enquanto reviravam seus olhos.

— Cuide da sua irmã, Edward. — Pediu Esme.

— Sim, m-mamãe, e-eu c-cuidarei. — Edward disse, enquanto aceitava seu jantar.

— Mamãe! — Rose criticou. — Isso deveria ser amanhã, nem sequer viajamos hoje. — Ela reclamou.

— Eu sou sua mãe, Rosalie, é melhor você se acostumar com isso e se comportar por lá. — Esme disse carinhosamente.

Naquela noite, Edward e Rose não conseguiram dormir, a ansiedade e o nervosismo causaram uma insônia considerável, assim estavam sentados às quatro da manhã na cozinha, ambos com um copo de leite.

— Não tenho sono. — Rose disse fazendo beicinho. — O pior será o meu rosto amanhã e o pai de Emmett me verá assim e...

— N-Não e-exagere. — Edward riu. — V-você c-conhece b-bem os t-truques d-de m-maquiagem.

Os irmãos adormeceram profundamente no sofá, infelizmente para eles havia amanhecido. Esme e Carlisle os acordaram muito cedo para chegarem na hora, já que Emmett e Bella estavam esperando para irem juntos para o aeroporto.

Uma vez que garantiram pela quinta vez que pegaram tudo, Rosalie saiu de casa para se juntar à sua família no carro do seu pai.

Ambos voltaram a repetir a eles que se cuidassem e todo o sermão correspondente e os irmãos voltaram a repetir com monotonia que o fariam.

Eles passaram na casa dos Swan e eles se uniram ao carro dos Cullen.

A estrada para o aeroporto de Port Angeles estava bastante calma por ser quinta-feira, então a viagem foi bastante rápida.

Esme abraçou Edward e Rose repetidamente e não esqueceu de avisar Emmett para cuidar bem da sua filha. Este corou quando viu o que dizia a mãe da sua namorada e garantiu a ela que a traria sã e salva.

Alice ligou para Rose para dar os parabéns e desejar-lhe uma boa viagem.

Então os garotos entraram no avião e sentaram-se calmamente em suas respectivas cadeiras esperando que o avião decolasse logo para levá-los para esse momento inesquecível que viveriam.

Os quatro garotos estavam rindo e conversando muito animados e ansiosos, enquanto Edward não deixava de pensar o que diria ao pai de Bella ao ver que sua filha estava com alguém como ele.

Ele o discriminaria pela sua condição?

Sem dúvida foi a pergunta que ficou na mente de Edward, não havia dúvida de que ele era muito pouco para Bella e que essa era uma verdade bem conhecida, que seus amigos não reconhecessem isso era outra questão.

Bella percebeu o desconforto de Edward e tentou saber a que deveria ser, mas ele disse que estava cansado da noite passada.

A aeromoça disse que eles estavam chegando e não demorou muito. Eles pegaram suas malas e foram para a saída do desembarque.

Ali Bella viu Charlie, seu pai, que estava esperando com seus companheiros de sempre, Alec e Dimitri.

— Bella! — Charlie disse, abrançando-a com carinho. — Senti sua falta.

— Eu também, papai. — Ela riu um pouco constrangida, tentando soltar-se do abraço apertado do seu pai.

— Emmett! — Charlie repetiu o gesto, mas agora com seu filho. — Como está o meu campeão?

— Bem, papai. — Ele sorriu.

Uma vez que ele os tinha cumprimentado com tanta exuberância, ele se virou para observar os acompanhantes dos seus filhos. A garota loira era muito bonita e muito adequada para Emmett e ele não pôde deixar de pensar que seu filho tinha tido sorte de tê-la como namorada.

Ele mudou seu olhar para onde estava o garoto que acompanhava Bella, um rapaz alto de cabelos acobreados, um pouco despenteados, talvez demais para o seu gosto, com uma postura pouco atraente, como se tivesse vergonha de alguma coisa, ele devia reconhecer que suas feições eram corretas e muito semelhantes às da namorada de Emmett, eles eram bem parecidos, mas certamente ele estava muito tímido com a situação.

— Papai. — Disse Emmett. — Esta é Rosalie Cullen, minha namorada. — Emmett sorriu largamente.

Rose o cumprimentou segura e deu-lhe um dos seus melhores sorrisos, sem tentar ser muito efusiva.

— É um prazer, Rosalie, você é muito bonita. — Ele sorriu para ela.

— Obrigada. — Rose disse sem se sentir intimidada pelo elogio, já que estava acostumada a recebê-los.

— E eu apresento você a Edward Cullen. — Bella interrompeu. — Meu namorado e irmão de Rosalie.

Edward sentia como suas mãos tremiam e sua voz novamente escapava dos seus lábios, ele não sabia o que dizer ou fazer, não porque Bella segurava sua mão com força, talvez ele pudesse tê-la arrancado de tanta pressão, mas ainda assim ele tentou permanecer firme.

Charlie virou-se para encará-lo de novo, ele estava muito mais tímido e tenso, algo que não o incomodava, pois lembrou-se da primeira vez que ele apareceu diante do pai de Renée, ele tinha agido com a mesma timidez.

— Olá, Edward. — Ele disse, tentando dar a ele um pouco mais de confiança para conhecê-lo.

O namorado da sua filha não disse nada. Era possível sentir a tensão no ar, Rose e Emmett perceberam, mas não podiam fazer nada porque tudo dependia de Edward.

O garoto tentou fazer sua voz sair e só conseguiu um "Olá" instável.

Foi então que Edward percebeu que, por mais que ele tentasse, ele não serviria para Bella, mas seu amor por ela era mais forte que a sua rejeição da sociedade, por isso ele permaneceu ali parado tentando não pensar em fugir.

Bella abraçou-se a ele um pouco mais e tentou fazer com que os olhares desviassem de Edward, contando ao seu pai da sua nova vida em Forks.

Rose percebeu o olhar triste do seu irmão, ela não era indiferente a tudo o que acontecia a ele e não pôde evitar sentir pena dele.

— Edward não se sente confortável. — Rose sussurrou para o seu namorado.

— Eu sei, eu percebi. — Disse Emmett. — Embora seja normal, eu também não estava confortável com o seu pai.

— Mas é diferente, ele se sente incapaz de dizer uma palavra e eu sei que seu pai está muito interessado em fazê-lo falar. — Ela voltou a falar baixinho.

— Teremos que evitar isso então. — Ele se dispôs a ajudar.

— Não, se nós fizermos isso, seu pai acreditará que Edward está escondendo algo, ou talvez que ele seja muito pouco para Bella. — Rose analisou.

— Então?

— Não podemos fazer nada, esta será a prova de Edward, só ele poderá mostrar que por trás dessa gagueira há um grande homem. — Rose sussurrou, ainda com pena.


Lauren tomou o que merecia lol Adoro essa Rose! E tadinho do Edward no final, todo inseguro sobre como falar com o Charlie para não gaguejar... da vontade de colocar no colo!

No próximo capítulo tem mais Charlie e tem show do Muse!

Obrigada pelas reviews!

Beijos

xx