PAPER LOVE

Disclaimer da ManneVanNecker: Os personagens não me pertencen, eles são criação de Stephenie Meyer. A história é minha pelo o qual fica proibida sua reprodução parcial ou total sem meu consentimento.

Disclaimer: A história pertence a ManneVanNecker, que me autorizou traduzi-la para vocês.

Sinopse: Edward é um garoto tímido que sobre de tartamudez, sua gêmea Rosalie o defende diante dos valentões do colégio. Ele se surpreendeu diante da chegada de uma garota que rompe as expectativas do resto e decide conversar, superando o medo do exílio social.


Capítulo 16 O Show

Edward e Emmett passaram bastante tempo juntos, esse último apesar do que havia dito sua namorada, evitava que Edward passasse muito tempo sozinho com Charlie. Emmett sabia que seu pai poderia ser um pouco insistente em certos temas, especialmente quando se trata de Bella já que era extremamente mais protetor com ela.

Rose e Bella foram inúmeras vezes ao Shopping, as meninas não poderiam assistir a um show do Muse sem a camisa oficial da turnê The Resistance, por isso foram ao shopping para fazer todas as rompas necessárias.

— Você acha que Emmett vai gostar disso? — disse Rose ao ver que Bella buscava mais camisas do Muse.

A morena observou a camisa azul que Rose segurava, no centro desta tinha o sinal da banda e além do mais vinha com uma linda munhequeira que certamente Emmett gostaria.

— É lindo! Além do mais essa cor lhe favorece e meu irmão gosta — Bella sorriu.

Rose queria falar sobre Edward, sabia que Bella tinha notado o interesse de Charlie em ter uma longa conversa com ele e havia notado a insistência da namorada de seu irmão para desviar a atenção de seu pai sobre Edward.

Continuaram procurando acessórios, Rose se entreteve vendo camisas com o rosto do vocalista, Matthew Bellamy, enquanto Bella olhava alguns albúns da banda, todos e cada um deles os tinha, assim que não foi mais que confirmar o que eu já tinha.

Então, quando iam voltar para o carro, Rose encontrou que era o momento propício para trazer à tona o assunto.

— Bella... sei que...

— Não tem que dizer algo que já sei... Edward tem estado muito incomodo e também notei — disse a morena enquanto sentava no assento do passageiro e fechava o cinto.

— Eu sei, mas acho que o melhor seria não intervir, deixe que ele seja capaz, por si mesmo, de enfrentar o seu pai e que gere a ideia que Edward deseja mostrar para ele – disse Rose uma vez que deu o arranque no motor do carro que Charlie lhes havia emprestado.

— Sei que deve ser assim – respondeu Bella – mas ao meu favor deve admitir que não é fácil quando parece tão complicado – sussurrou.

Rose compreendeu, aquele amor que Bella professava por seu irmão incluía também a faceta maternal ao vê-lo naquele estado, algo que frequentemente acontecia com Emmett, assim também com seu irmão.

— Eu sei, sei o quanto é difícil, só espero que seja capaz de controlar um pouco mais. Seu pai não conhece Edward por vontade própria, certamente vai terminar criando uma ideia errada sobre meu irmão e pelo o que se vê, Charlie é desses homens que uma vez que forma a imagem de alguém é difícil mudar, não é assim? – perguntou a loira.

Bella somente respondeu com um leve movimento de cabeça que indicava um claro "sim".

As garotas não demoraram para chegar. Edward, Emmett e Charlie estavam terminando o jantar.

Charlie aproveitou o tempo que tinha enquanto Rose e Bella tinham ido as compras, tentando falar com Edward e assim estudar um pouco mais sua forma de ser.

Para Charlie, como parte da polícia inteligente e além do maior protetor da autoridade nacional mais importante, sabia perfeitamente que algo estava errado. Primeiro de tudo, Bella jamais desejava falar dela e ultimamente buscava qualquer desculpa para fazê-lo e segundo, as poucas vezes que Edward lhe havia falado sempre eram sussurros atropelados... O que esse garoto escondia?, essa era a pergunta que rodava a cabeça de Charlie.

Escondia, talvez, um delito grave? Alguma obstrução da justiça? Conduzir em bêbado, por exemplo? Ou melhor, tinha algum vício em drogas...

As perguntas enchiam a mente de Charlie, pelo o que decidiu começar por um tema suave.

— O que acha da escola Emmett? – disse enquanto arrumava parte da louca.

— Bom pai, muito bom – Emmett riu ao ver o rosto atônico de seu pai diante sua resposta.

— Acho que já era hora de ter juízo – sorriu – E para você? – se dirigiu a Edward.

A garoto de cabelos cor de cobre, olhou fixamente para Charlie, pois sabia que isso passava confiança e que se não o fizesse provavelmente acharia que ele esconde algo, se obrigou a sentir coragem e respondeu o melhor que pode.

— B-bom, também – sussurrou.

— Algum passatempo a que dedique o tempo? – Charlie insistiu ao ver que a resposta de Edward havia sido muito pouco.

— S-Sim – gaguejou – T-Toco o-o p-piano.

— Vamos garoto! Não fique nervoso comigo, não precisa gaguejar, não mordo, sabe? – disse tentando lhe dar confiança, evidentemente não tinha ideia de que Edward não gaguejava de nervoso, mas que o fazia frequentemente.

Emmett se sentiu muito incomodo, não sabia como avisar ao seu pai com respeito ao tema, por isso decidiu ver como Edward reagiria.

O mencionado, o namorado de Bella, se sentiu extremamente desconfortável, sabia que o pai de sua namorada não tinha a menor ideia de sua dificuldade com a fluência ao falar, mas ainda decidiu abordar o assunto e deixar de ser o pobrezinho que detestava ser.

— N-Não é-é q-que s-seja a-apenas n-nervosismo – respondeu – S-Se t-trata d-de u-uma g-gagueira q-que e-estou t-tratando c-com p-psicólogo, a-ainda q-que r-reconheço q-que o-o n-nervosismo e-está a-aqui – sorriu enquanto seu lábio inferior tremia.

Charlie engoliu saliva para tentar dissimular o nó na garganta, sentia que havia sido grosseiro sem querer e não sabia como desculpar-se.

— E-Edward, e-eu – gaguejou Charlie.

Emmett observava em silêncio o que acontecia, pois lembrava bem que Rose lhe havia pedido que interferisse só se era necessário.

— I-Isso... fi-ilho n-não era minha...

— Senhor S-Swan, o-o g-gago a-aqui s-sou eu, p-por favor – sorriu Edward.

Para Charlie foi engraçado que o garoto tomasse com humor sua situação e se decidiu para não continuar com o interrogatório para não incomodar Edward, algo que o garoto notou.

— M-Mas n-não s-se s-sinta i-incomodo e-em f-falar c-comigo – sorriu o jovem – E-Estou a-acostumado a e-esta s-situação.

Charlie agradeceu a Edward tudo o que havia expressado, ainda que evidentemente com dificuldade, e continuaram preparando o jantar antes que os garotos fossem ao show.

Emmett sentiu aliviado quando Bella e Rose apareceram com na porta principal, pois não se sentia incomodo entre Charlie e Edward.

A conversa durante o jantar foi muito agradável para todos, de alguma forma Bella que via desenvolver-se de uma maneira natural para seu namorado, mais ainda para seu pai que ria e conversava gratamente com ele.

A vontade se fazia notar na sala de estar.

Emmett colocou a camisa que Rose lhe deu já que além de ter estampa de Muse era uma das suas cores favoritas, assim como Edward colocou a própria que Bella tinha lhe dado.

As garotas ainda não tinham descido, algo natural que sempre acontecia se saiam com elas, demoravam mais do que o de costume.

— Tinha esquecido o quanto uma mulher demora a se arrumar para sair – Charlie riu enquanto esperavam Rose e Bella.

— Estou ficando acostumado com isso – respondeu Emmett.

Rose e Bella sorriram cumplices antes de descer, usando suas camisas usavam um moletom preto com capuz e zíper, na mão levavam seus casacos e suas bolsas.

— Tão agasalhadas? – disse Charlie notando algo estranho nas garotas.

Essas riram diante a pergunta e não emitiram comentários.

— Compraram camisas também? – disse Emmett enquanto arqueava a sobrancelha com curiosidade.

Bella olhou para Edward e sorriu ternamente enquanto lhe abraçava.

— Q-Quero v-ver s-sua c-camisa, Bella – exigiu Edward.

Rose e Bella se separaram de seus respectivos namorados, deslizaram o zíper do moletom e sorriram com muito ânimo ao mostrarem suas camisas.

Em ambas havia uma foto central de Matt Bellamy e a estampa dizia: Matt te amamos. Muse é ótimo!

Ambos meninos ficaram olhando, enquanto Charlie ria abertamente.

— Isso não é justo! – reclamou Emmett – Vão ás compras e se desbandam.

— Não pode deixar as mulheres sozinhas, filho – Charlie riu – Muito menos quando vão às compras.

Edward não emitiu comentários a respeito, simplesmente segurou a mão de Bella e todos subiram no carro de Charlie, que os levaria para outra entrada do estádio para ingressar diretamente para primeira fila.

O pai de Bella e Emmett, despediu os garotos e lhes disse que ele estaria lá fora os esperando, esses agradeceram mais uma vez e entraram por um túnel.

— Estou morrendo de nervoso! – gritou Rose enquanto segurava a mão de Emmett e Bella.

— Eu estou tremendo! – acrescentou Bella.

— É pelo show ou por Matt? – disse Emmett para ambas.

— Para os dois – responderam juntas.

Edward segurou a cintura de Bella antes de entrar na quadra.

O show seria em um dos maiores estádios e com a maior capacidade de Washington, tudo estava arrumado, então os garotos procuraram os garotos buscaram seus assentos na primeira fila e deixaram suas coisas ali.

Todos se mantiveram de pé pela animação de logo ver seu grupo favorito.

— B-Bella e e-eu iremos b-buscar b-bebidas a-agora a-antes q-que i-isso f-fique c-cheio – Edward sorriu.

Uma vez longe dos garotos e do barulhento publico, Bella tentou entender a atitude do seu namorado.

— Você gostou da minha camisa? – sorriu.

— M-Muito e-esclarecedora – Edward sorriu meio de lado.

— Esclarecedora? – disse sem compreender.

— O-O m-motivo p-pelo q-que m-me t-trouxe são os c-ciúmes, não? – explicou Edward enquanto pedia a dona do quiosque duas Coca-cola e duas Sprite.

— Não, de jeito nenhum – disse Bella aproximando-se e beijando-lhe suavemente nos lábios.

— Então?

— Queria compartilhar esse momento tão especial com você, amor – piscou rapidamente.

Edward apenas sorriu e a abraçou ainda mais perto, aproximou seus lábios dos dela, sentindo a respiração de sua namorada mais acelerada do que de costume, então desfruto da reação fisiológica que ele produzia nela. Arrumou uma mecha que escapou do cabelo da garota e colocou seus lábios no lóbulo da orelha de Bella, ficou ali e exalou com impaciência, buscando ainda mais o nervosismo da garota, continuou deslizando sobre o pescoço e acariciou a suave e quente pele.

A morena estremeceu nos braços de Edward, a sensação de calor, nervosismo e a pressão de seu ventre, era ensurdecedor.

— Che-garemos t-tarde e não poderá hip-per v-ventilar por M-Matt, d-desculpe por Muse – sorriu triunfante.

Bella ficou surpresa diante a reação do seu namorado, mas ainda assim achou engraçado o seu senso de humor. Ambos chegaram abraçados até onde estavam Rose e Emmett que ao parecer haviam tido o mesmo tipo de conversa.

A espera se resumiu em longos quarenta e cinco minutos, já que as garotas haviam decidido chegar com muita antecedência.

Quando as luzes apagaram, se escutou imediatamente o grito dos fãs, gritos que foram seguidos pelos garotos. O público não demorou para começar a chamar a sua banda favorita com um claro: "muse, muse, muse".

O primeiro som claro, foi o baixo, instrumento que era tocado por Christopher Wolstenholme. Emmett gritou eufórico ao ouvir a banda, isso foi seguido pelo resto do público.

— Realmente esses lugares são divinos! – gritou Rose para Emmett.

Esse assentiu enquanto escutava atento a voz feminina que dava a introdução ao concerto.

As baquetas foram o primeiro som que escutou, baquetas que eram comandadas por Dominic Howard e assim se deu começo ao show.

A música que tocava era Uprising, seguida pela voz de Matt Bellamy, voz que deleitou os ouvidos das garotas e produziu um grito ensurdecedor dos fãs que assistiam ao show.

No palco Matt Bellamy, levava um casaco de couro roxo com preto e extravagantes óculos, a presença do jovem vocalista a tão poucos metros de Rose e Bella lhes despertou a vontade de gritar que não foram reprimidas por seus namorados que olhavam atônicos a forma que suas namoradas agiam.

Com a facilidade que caracteriza o vocalista do Muse, esse assumiu o microfone e uma distância imperceptível começou para desenvolver aquela melodiosa voz que provocava a euforia coletiva.

As imagens projetadas claramente eram alucinantes, em cada telão era refletido Matt e as meninas não sabiam onde olhar para obter a melhor performance de seu cantor favorito.

Edward e Emmett desfrutavam do show e cantavam juntos o refrão de Uprising enquanto Bella e Rose se aproximaram dar grades entre o palco e a primeira fila, ali estavam cantando a música.

Então algo que não esperavam simplesmente aconteceu, Matt jogou seus extravagantes óculos ao público, em uma tentativa desesperada, Rose saltou mais alto para poder pegar, mas isso foi impossível, decepcionadas olharam quem tinha sido a pessoa sortuda a pegar os óculos de sua super estrela favorita e ficaram impactadas ao ver que Edward tinha pegado.

Bella correu até ele e o abraçou muito feliz, então seu namorado colocou-os nela.

— Agora v-voc~e g-gosta d-de m-mim u-um p-pouco mais? – gritou para que ela escutasse.

— Não seja bobo, que gosto de você como é – lhe beijou ternamente.

Edward colocou os óculos sobre a testa de Bella e assim finalizou a primeira música, os garotos se aproximaram da grade da primeira fila e ali ficaram junto com suas namoradas.

O baixista seu suspense e ritmo ao show em cada intervalo entre as músicas, os garotos pareciam animados e todas gritaram ao escutar que Resistance estava sendo tocada pela banda ao vivo e que o áudio era muito mais espetacular assim que quando gravaram em estúdio.

Edward decidiu beber um pouco de seu suco e continuar cantando, para Bella não havia passado despercebido que cada vez que escutava a voz de seu namorado essa não tremia nem vacilava ao cantar as músicas, mas então Emmett ficou paralisado ao ouvir o que estavam tocando naqueles momentos era sua música favorita, pegou Rose em seus braços e a subiu nos seus ombros, enquanto girava em seu próprio eixo fazendo que a loira ficasse tonta.

Edward fez o mesmo com Bella, a colocou em seus ombros. Matt cumprimentou todo o estádio e então era indiscutível que o que se ouvia era: Supermassive Black Hole.

Emmett saltava com Rose em seus ombros e a loira estava histérica por ver ainda mais de perto Matt e escutar a banda.

A aguda voz de Bellamy inundou todo o estádio produzindo uma quantidade de gritos que ovacionavam sua excelente qualidade vocal.

— Muse te amamos! – gritou Rose em uma pausa, então foi audível para todo o público o que irmã de Edward havia gritado.

Rose e Bella se olharam e compreenderam imediatamente o que a outra pensava, aguardaram que tivesse outra pausa e que pudessem entre o silencioso público gritar novamente, então assim ocorreu e âmbar gritaram juntas a todo o pulmão.

— Matt te amamos! – e depois disso riram com vontade.

A adrenalina percorreu as veias das meninas, enquanto Edward e Emmett rodavam os olhos ao ver a atitude de suas namoradas.

Uma vez mais Matt Bellamy sorriu até onde estavam os garotos, algo que nenhuma das garotas poderiam acreditar, se olhavam atônicas e voltavam a olhar-se sem acreditar nisso.

Assim continuaram um sem fim de canções, cada uma melhor interpretada que a anterior, cada uma mais aplaudida e mais desejada que a anterior e assim sucessivamente foram percorrendo o repertório dessa consagrada banda, dando lugar a certos momentos que seriam inesquecíveis para o público, em especial para os garotos.

Então os violinos começaram a soar, Matt irou sua jaqueta, para a tristeza de Bella a deixou cair no palco, esta esperava consegui-la como presente, mas sabia que pedia demais, Edward a desceu suavemente de seus braços.

A bateria fez companhia aos violinos e logo Bella escutou algo mais que a boz de Matt, Edward estava cantando para ela.

"I know you've suffered
But I don't want you to hide..."
"Eu sei que você sofreu
Mas eu não quero que você esconda..."

Bella sorriu timidamente, já que essa música muitas vezes lhe fez lembrar de Edward, por isso quando escutou o refrão, o silêncio com um beijo e aproximou seus lábios no ouvido de Edward e lhe cantou o refrão, a parte que ela sinceramente sentia como se fosse criado para eles...

"I want to reconcile the violence in your heart
I want to recognize your beauty's not just a mask
I want to exorcise the demons from your past
I want to satisfy the undisclosed desires in your heart"
"Eu quero reconciliar a violência no seu coração
Eu quero reconhecer a sua beleza, não só uma máscara
Eu quero exorcizar os demônios do seu passado
Eu quero satisfazer os desejos secretos do seu coração"

Edward estremeceu ao sentir a proximidade dos lábios de Bella, o simples e suave som que esta depositava em seu lóbulo, fazendo-lhe sentir desejado, pois todo aquilo que expressava a música lhes permitia desconectar-se do mundo, reconhecer neles o objeto do amor pelo o que tanto haviam lutado, aquele ser humano que simplesmente com um olhar podia dizer que o amor sim existe e que estava ali para eles. Nem Edward, nem Bella precisavam de mais confirmação de seu amor, era puro e integro, algo que ultrapassava barreiras e que fazia com que esquecessem que estavam em um show com uma quantidade exagerada de pessoas ao seu redor, pois sem pensar duas vezes se abraçaram e beijaram até que a voz de Matt desapareceu, até que simplesmente os desejos e ânsias dos seus corações refletiram em cada toque de seus lábios, em cada toque de seus rostos, em cada batida de seu coração.

Emmett e Rose viviam algo muito parecido, os garotos se encontravam abraçados, muito juntos, desfrutando do vai e vem da música, sentindo também como se a música se encaixasse neles, pois Emmett sabia bem por tudo o que sua namorada teve que passar e não pode evitar sussurrar no seu ouvido pedaços da música e ainda que sua voz não era a mais melodiosa, se era a adequada para Rose que sem duvidas se virou e o beijou ternamente enquanto desfrutavam da cena que a banda propunha.

Os momentos mágicos continuaram, as canções que seguiram foram ainda mais intensas, Feeling Good era uma das favoritas e todos cantavam com grande encanto e decisão. Emmett aproveitou a situação e começou a dançar com Rose ali, lhe deu suavemente um par de voltas, admirando a sua linda namorada e a apertou contra si, depositando um terno beijo.

Edward estava ansioso por continuar cantando junto a Bella, os gritos do público e os aplausos eram permanentes, então começou a soar Time is running out, e se o público tivesse possuído compostura durante o show, agora haviam perdido completamente.

Vozes fortes cantavam desde o começo ao fim da música, muitas garotas gritavam desesperadas e lançavam objetos aos pés de Matt.

Ao terminar a música, nem Rose, Bella ou Emmett tinham voz suficiente para continuar, enquanto que Edward fazia seus esforços bebendo todo a bebida possível.

Matt se aproximou do microfone novamente, dessa vez havia deixado de lado sua guitarra e olhou diretamente onde os garotos estavam, novamente Rose e Bella sentiram calafrios percorrer suas respectivas costas e a ansiedade as voltou a inundar.

— Tenho um recado especial, em uma noite muito especial – Matt sorriu enquanto que o público gritava ainda mais – Um amigo pessoal me pediu um grande favor e estou aqui cumprindo – se deu uma pausa e continuou – Essa música é um single novo e será dedicado especialmente a dois casais que estão aqui essa noite, meu amigo me pediu que lhes faça lembrar os especiais que são – disse enquanto se sentava no piano.

O silêncio inundou o estádio.

— Bella e Edward, junto com Rose e Emmett, essa é para vocês – Matt sorriu enquanto deslizou suas mãos pelo piano deixando escapar a melodia de uma música desconhecida.

Bella sentiu como se seu coração estivesse na garganta e os tremores dominavam seu corpo, igual Rose que não podia se manter em pé e todo o nervosismo se apoderava de seu equilíbrio.

Emmett estava tão surpreso como Edward, mas ambos não puderam demonstrar sua surpresa ao ver que Bella e Rose estavam a ponto de desmaiar.

A música começou com a agradável voz de Matt que parecia um sussurro suave no ouvido de cada uma das pessoas do público.

"I was searching
You were on a mission
Then our hearts combined like
A neutron star collision"
"Eu estava procurando
Você estava em uma missão
Depois nossos corações combinaram
Como uma colisão de estrelas de nêutrons"

O silêncio atento do público diante a nova música jamais ouvida não se deixou esperar, todos estavam atentos à linda letra e excelente interpretação do vocalista da Banda, assim como também os certeiros movimentos de Dominic, enquanto que Christopher fazia o seu com o baixo.

Uma vez que chegaram ao refrão, Bella e Rose não suportaram mais emoção, a música era muito bonita para ter sido dedicada a eles, é que sem dúvida isso era estupendo e magnífico, algo que realmente jamais voltaram a viver e que era para elas, porque seu grupo de música favorito os estava dedicando uma música ao vivo.

Emmett segurava firmemente Rose que parecia que a qualquer momento não poderia mais, pois a cada instante gritava eufórica e logo se abraçava com força o peito do seu namorado como se não pudesse acreditar que isso lhe estava acontecendo.

Então voltou a soar o refrão da música e Edward havia estado muito atento a este e seu hesitar duas vezes, segurou sua namorada pela cintura, a olhou diretamente nos olhos, como se sua vida dependesse disso e a beijou pouco antes que Matt começasse a cantar o refrão. Depositou seus lábios no lóbulo da sua amada e cantou serenamente e sem erros, com a mais perfeita entonação o refrão da nova linda música.

"Love is forever and we'll die, we'll die together
and lie, I say never because our love could be forever
O amor é para sempre e morreremos, morreremos juntos
E mentira, eu nunca digo porque o nosso amor poderia ser para sempre

Now I've got nothing left to lose
You take your time to choose
I can tell you now without a trace of fear
Agora eu não tenho nada a perder
Não tenha pressa pra escolher
Eu posso te dizer agora, sem um rastro de medo

That my love will be forever,and we'll die, we'll die together
Lie, I will never, because our love will be forever"
Que meu amor será para sempre e morreremos, morreremos juntos
Mentir, eu nunca irei porque o nosso amor será para sempre.

Bella estremecia diante o sussurro perfeito de seu namorado, diante cada palavra que saia daquela boca, sem palavras simplesmente se abraçou a ele e escutou cada segundo do que ele expressava com aquela linda letra.

Ao terminar Edward, quase sem ar, respirou em seu ouvido e beijou sua testa. Voltou a olhar para a perfeição do rosto de sua amada, cada feição que havia sido sem duvidas esculpida para que ele a admirasse, cada detalhe de Bella que a fazia, para ele, simplesmente perfeita, ainda sabendo que naquela perfeição existiam defeitos que para ele não faziam mais do que enaltecer suas virtudes. Suspirou uma vez mais e antes que terminassem de soar as teclas do piano que Matt tocava, lhe sussurrou.

— Eu te amo, Isabella Swan, mais do que sou capaz de expressar com estas simples palavras, mais do que eu quero demonstrar em atos e ainda que nunca seja suficiente, terei uma vida em vida inteira para viver demonstrando que meu amor por você é para sempre – sussurrou perfeitamente no seu ouvido, sem sinais de gagueira, já que dessa vez não era Edward que havia falado, mas sim sua alma que havia se expressado com essas simples palavras, era sua alma a que tinha a nitidez e claridade para fazia que a boca de Edward fosse um mediador, pois novamente ele voltava a abrir sua alma e seus sentimentos para aquela mulher que lhe havia roubado sua essência sem saber como nem quando.

Uma vez que voltaram a se olhar, a união magnética voltou a se apoderar deles e selaram aquele lindo momento com um suave e terno beijo que novamente lhes fazia voltar a perder a razão e a noção do espaço e tempo.


Muito amor esse capítulo! Muse é vida, amo demais =D

Esse Edward lindo falando sem gaguejar no final awwwn *-* Ele é um amor!

Bem eu posto o 17 no sábado que vem!

Beijos

xx