PAPER LOVE

Disclaimer da ManneVanNecker: Os personagens não me pertencen, eles são criação de Stephenie Meyer. A história é minha pelo o qual fica proibida sua reprodução parcial ou total sem meu consentimento.

Disclaimer: A história pertence a ManneVanNecker, que me autorizou traduzi-la para vocês.

Sinopse: Edward é um garoto tímido que sobre de tartamudez, sua gêmea Rosalie o defende diante dos valentões do colégio. Ele se surpreendeu diante da chegada de uma garota que rompe as expectativas do resto e decide conversar, superando o medo do exílio social.


Epílogo

— Edward anda logo ou chegaremos tarde – disse Bella enquanto terminava de maquiar suas bochechas.

Bella Swan, formada em direito na Universidade de Harvard, junto ao seu namorado bem sucedido, Edward Cullen iria à reunião da geração dos formandos de 2003 do Instituto de Forks.

Edward tinha optado pela medicina, por isso tinha ido para Harvard junto ao resto dos seus amigos. Emmett decidiu estudar Engenharia Civil Industrial, enquanto que Rosalie junto com Bella foram para a Escola de Direito de Harvard. Alice tinha optado por Design, por todos terem escolhido a tal universidade e viajavam com certa frequência para Forks.

Essa noite todos haviam viajado de algum lugar para ir à reunião dos seus ex-colegas, como sempre viam a garota popular ser mãe e o jogador de sucesso da escola era o professor de ginástica, esse tipo de coisas era o que esperavam encontrar, quem sabe os que os surpreenderiam seriam aqueles que não tinham saído de Forks e tinham ficado estáticos no ritmo da pequena cidade.

— Edward! Anda amor, já vamos sair muito atrasados – Bella sorriu.

Seu marido pegou as chaves, beijou sua amada mulher e saiu para ligar o carro, enquanto que Bella lhe seguia atrás ligando para sua sócia e amiga.

— Rose? Oi querida, você já está na recepção? – disse um pouco agitada enquanto seguia os passos do seu marido.

Não, Emmett esqueceu as chaves do seu carro, assim que estou pegando as minhas — respondeu à loira, que estava irritada com seu marido por perder a cabeça.

— Homens! – disse Bella.

Diga-me, vocês já saíram? – sorriu ao encontrar as chaves. Pegou seu marido pela mão e saíram para a casa dos pais de Rosalie.

— Não, estamos entrando no carro agora – respondeu – Na segunda teremos que voltar a Washington, tenho que apresentar uns recursos do magistrado, acha que esse caso seja favorável?

Não sei, suponho que as provas são conscientes, mas devemos reconhecer que a contrapartida em armado seu plano e não dará o braço a torcer, não acho que haja mediação – disse Rose olhando em sua bolsa para buscar o seu batom.

— Já ligou para a Alice? – perguntou Bella enquanto sorria para seu marido.

Não, nem adianta. Alice desapareceu com Jasper logo que chegamos e dali não apareceu mais – riu.

— Certamente estão fazendo os pezinhos para esse menino – acrescentou Bella.

Alice tinha oito meses de gravidez e a barriga mais bonita que suas amigas haviam visto. Era a primeira a ficar grávida e a mais obsessiva com o tema, por isso todas as suas amigas estavam muito atentas ao garoto que Alice teria. Jasper por sua parte tinha se acostumado à ideia, ele reconhecia que lhe havia tomado de surpresa, mas estava tão feliz quanto sua mulher.

Edward olhou para sua esposa meio irritado. Ele compreendia que era uma mulher de negócios e múltiplos casos para resolver. Seu casamento não tinha sido nada fácil, é que as coisas de adultos já não eram tão simples como quando estavam no Ensino Médio. Na universidade tiveram que acostumar a estar menos tempo juntos, mas o sacrifício valia a pena quando se formaram. Isso era o que ambos pensavam, mas ao se formar se deram conta que de não era assim. Bella estava quase todo o dia no escritório de advocacia mais movimentada do país, trabalhava sem descanso buscando soluções para casa caso, enquanto que Edward estava no hospital na maior parte do tempo, ocupado na zona de pediatria e principalmente nas urgências. Em mais de uma noite, em que ambos tinham planos, o telefone os tinha atrapalhado anunciando que Edward era esperado por uma operação de suma urgência. Então Bella lhe compreendia e ainda que estivesse cansada de ver que seu marido era um homem ocupado, sabia que ela também devia apoiá-lo naqueles momentos.

Edward olhou para Bella com reprovação então está desligou o telefone.

— Desculpe amor, não posso evitar – sorriu.

Mike Newton estava conversando com seus amigos quando Alice e Jasper entraram no salão. Mike não conseguiu reconhecer a mulher que tinha a sua frente, na realidade era difícil reconhecer seus colegas que não tinha visto em anos.

— Ai! – queixou-se Alice – Jasper Junior acabou de me dar um chute.

— Alice? – disse Jessica se aproximando da mulher grávida.

— Jessica, oi – sorriu.

Nem Alice nem Jessica tinha sido grandes amigas na escola, mas agora era diferente, quem sabe haviam amadurecido o suficiente, além do mais ver uma mulher grávida sempre causava certa adoração no resto das mulheres.

Um grupo de garotas ficou ao redor de Alice, perguntando com quantos meses ela estava se era menino ou menina e que nome teria.

Jasper ficou de lado e foi na mesa pegar um ponche. Na verdade ele simplesmente havia acompanhado sua esposa, não conhecia ninguém ali, só esperava que seus amigos chegassem logo para não se sentir fora do lugar. Tinha praticamente dez anos a mais que a media de idade dos que estavam ali e isso o fazia sentir muito incomodo.

— Jasper! – Emmett sorriu ao ver seu amigo – Quanto tempo! – ironizou.

— Idiota – riu – Se chegarmos a conversar entre nós que vemos a cara um do outro todo o tempo, acho que essa reunião não teria sentido.

— Na verdade – Emmett sussurrou – Eu vim porque Rosalie me obrigou.

— Eu vim pelo mesmo – Jasper sorriu.

Rose se reuniu com o grupo de mulheres que estava ao redor de Alice.

— Meu Deus! – acrescentou Jessica – Rosalie Cullen, você não mudou nada!

— Rosalie Swan – corrigiu Rose – Eu me casei com Emmett.

— Valha-me Deus! – disse outra menina – Vocês realmente ficaram juntos.

— Sim – Rose sorriu sentindo-se estranha ao ver que a maioria das meninas que estavam ali estavam cansadas, como se a cidade tivesse absorvido suas energias.

— E como vai a sua vida? – Rose perguntou a Jessica.

O resto das garotas ficaram tensas diante a pergunta, sem duvidas não era a mais adequada.

— Me casei com Mike Newton e tenho dois filhos lindos – sorriu.

— Nossa! – acrescentou Rose, fingindo surpresa.

Alice se desculpou e foi se sentar por uns instantes, as meninas foram fazer companhia.

Todas começaram a falar das suas vidas, muitas haviam estudado, mas agora não exerciam para a maternidade, outras não haviam terminado suas carreiras universitárias e poucas eram mulheres felizes com o que tinham na vida e haviam saído da cidade de Forks.

Alice pediu a Alice que a acompanhasse ao banheiro e ambas foram se afastando do grupo de mulheres.

— Perceberam o quão gorda a Rosalie está? – disse Jessica rindo.

— Não acho que ela esteja gorda – acrescentou Lauren Mallory que tinha acabado de chegar.

Jessica ficou tensa ao ouvir a voz da sua antiga amiga.

O resto das garotas se mantiveram expectantes diante a tensão que provocava as ver reunidas depois de três anos nas quais haviam sido as melhores amigas de Forks, mas que haviam cortado relações depois que a verdade apareceu.

Lauren e Jessica tinham mantido a amizade depois da escola e haviam ido para a universidade juntas. A última abandonou os estudos porque ficou grávida no terceiro ano e dois meses depois terminou com seu namorado: Ben, nessa data Lauren e Mike estavam namorando e iam para a mesma universidade.

Por mais que Lauren pedisse a Jessica para contar ao Ben que ele era pai, o único que essa disse foi que seria capaz de criar aquele pequeno sozinha.

Lauren e Mike se casaram poucos antes de sair da Universidade e Jessica foi à madrinha do casamento junto com seu ex-namorado, Ben.

A vida de Jessica foi bastante sacrificada, logo depois fracassar em seu casamento com Tyler, decidiu que era melhor ficar sozinha e ficou em Forks trabalhando no negocio de seus pais e vivendo em um pequeno apartamento.

No batizado do segundo filho de Lauren e Mike foi quando soube tudo, no quarto do casal o filho mais velho descobriu seu pai com sua madrinha em uma situação muito comprometedora.

Lauren então compreendeu que havia sido enganada por sua melhor amiga e única confidente e pior ainda, seu filho de apenas 10 anos tinha visto tudo. Sem mais, Lauren começou a analisar tudo, as frequentes idas de seu marido para Forks e a recente gravidez de sua amiga.

Mike reconheceu que os filhos de Jessica eram dele e que não se arrependia do que havia feito que simplesmente estava com Lauren pela estabilidade nos negócios que lhe proporcionava o pai dela, e que agora que era livre da companhia de seu sofro não ficava mais que ir com sua amante a quem realmente amava.

Assim terminou o batizado, em um grande escândalo e quem sabe o evento mais comentado na pequena cidade de Forks.

Desde ali, três anos atrás, nem Jessica nem Lauren haviam voltado a se encontrar. Até agora.

— Hey! Reencontro de ex-mulheres? – Tyler riu, havia superado o tema Jessica e Mike, e mantinha uma agradável amizade com ambos.

— Cale-se! – disse Mike deixando seu copo e observando como se desenvolvia a conversa entre as mulheres.

A tensão em todo o salão se fez notar com o silêncio.

Emmett e Jasper encontraram com suas esposas e Ben se aproximou para contar toda a fofoca e compreenderam o que estava acontecendo.

— Nossa não foi fácil para Lauren e eu que pensei que seria insuportável ouvi-la falar da sua maravilhosa vida – disse Rose.

— Mas ela está maravilhosa – Alice sorriu.

Jessica olhou dos pés a cabeça quem tinha tido inveja desde que tinha uso da razão. Lauren a perfeita, a aluna modelo, a líder de torcida exemplar e namorada do homem que ela tinha amado por toda a vida, se apresentava diante ela. Jessica a olhou com grande menosprezo e sorriu ao pensar que Lauren podia ter êxito na sua nova vida, podia ter sido superior a ela em tudo, mas o que não tinha era Mike, porque esse lhe pertencia há anos.

— Olá Jéssica – Lauren sorriu sem apreensão, nem rancor.

— Você está dirigindo a palavra a mim? – a loira respondeu.

— Claro, faz tanto tempo, como você está?

As garotas que estavam ao redor não se atreveram a interromper a conversa.

— Estupendamente bem. Casada e feliz – acrescentou tentando ferir sua ex-amiga.

— Fico feliz em saber disso. Que tal a monotonia? Também te faz feliz? – riu.

Lauren sabia perfeitamente como era viver com Mike Newton e sabia com cada detalhe que a vida de casada com aquele homem não era nada mais do que uma fachada de perfeição.

— Que nada, acredite que seu ex-marido me rende muito mais do que rendia a você – sorriu.

— Claro, claro, pois fico feliz que tenha tirado ele de mim – sorriu. – E ainda que ele tenha me ligado várias vezes à noite para pedir a minha companhia, acho que não sou das que tropeçam duas vezes na mesma pedra e tampouco ando pegando o marido de ninguém, além do mais não gosto de carne já usada – olhou para onde estava Mike, sorriu, piscou para ele e lhe mandou um beijo – Acredite seu marido para mim já não tem nada de novo.

Então Lauren decidiu se aproximar para falar com Alice e Rosalie, junto com seus companheiros. Jessica ficou sem palavras, olhou para seu marido e sentiu como o sangue fervia, se supunha que Lauren não iria porque estava fora do país, de fato Jessica tinha coordenado tudo para que ela não pudesse ir, mas sem duvidas ela ainda a tinha como pedra no sapato.

— Olá Alice – disse Lauren – Olá Rose.

As garotas lhe devolveram o cumprimento e Emmett junto a Jasper lhe cumprimentaram também, mas logo foram conversar com o grupo de homens que estava ali.

— Já devem saber tudo o que aconteceu entre Jessica e eu – acrescentou Lauren uma vez que ficaram sozinhas.

— Bom, ficamos sabendo agora pouco – lhe respondeu Rose.

— Bem nunca se sabe não? – disse Alice.

— Mas bem, que tal esse bebê? – Lauren sorriu mudando de tema.

Para Alice e Rose era estranho falar com alguém que jamais tiveram nem estima, era estranho conhecer a nova faceta de Lauren, não havia orgulho nem rancor nela, era uma pessoa muito natural e nada arrogante.

— Uff! Crescendo de uma maneira, sinto que esta barriga vai explodir – sorriu Alice.

— Você teve enjoos? – acrescentou enquanto passava a mão suavemente no proeminente estomago de Alice.

— Sim, pobre Jasper teve que suportar essa faceta com tanta paciência.

Jessica se juntou ás três mulheres observavam a conversa de Alice, Rosalie e Lauren de maneira depreciativa, o resto não tomava partido e haviam formado um grupo a parte.

Então Bella e Edward fizeram sua aparição no salão, todo o resto virou para olhar quem estavam entrando, poucos reconheceram quem era.

— Essa é Isabella Swan? – disse Jessica tão forte que todos no salão escutaram.

Isabella olhou para um lado e se deparou com uma loira sardenta, com os quadris largos, pela voz um pouco gritada se deu conta que era Jessica Stanley.

— Jéssica – disse como cumprimento, mas manteve a distancia.

— Quem é o homem que a acompanha? – disse uma das acompanhantes de Jessica.

— Será Edward Cullen?

— Você acha?

— Não, não pode ser ele... olha que homem!

— Mas ele não era gago? – disse uma garota que não havia falado a noite toda.

— E quem disse que ainda não é? Ainda não falou nem meia palavra – acrescentou Jessica.

A mulher caminhou decidida até onde Isabella estava junto com seu acompanhante, que eram recebidos por um grupo de garçons que ofereceram bebidas e canapés.

— Que tal Isabella? – Jessica sorriu.

— Olá – Bella respondeu – Bem, obrigada e você?

— Muito bem – disse sem tirar os olhos de Edward.

— Este... – Bella notou como Jessica olhava seu marido – Lembra-se de Edward, bom está é Jessica – disse ao seu marido que estava distraído olhando que copo escolhia.

— Edward Cullen? – acrescentou meio confusa.

— Olá Jessica, como você está? – disse Edward com seu característico tom de voz grave e interessante.

Jessica e todos aqueles que estavam prestando atenção na conversa não podiam acreditar, haviam escutado Edward falar de maneira corrida e com uma voz realmente sensual.

Mike Newton se aproximou da conversa e tomou a esposa pela cintura. O orgulho de macho floresceu naquele instante.

— Newton? – disse Edward.

— Cullen como você está? – respondeu meio tenso.

— Bem, muito bem, obrigado. E você?

— Perfeitamente bem, você se casou com Isabella?

— Sim, nos casamos depois da Universidade – sorriu.

— Fiquei sabendo que você estudou Direito – disse Jessica para Bella.

— Sim, em Harvard, Rosalie também estudou comigo, agora temos um negocio juntas – Bella sorriu.

— E você Cullen? – acrescentou Mike.

— Sou médico – Edward sorriu – Sou pediatra e trabalho no Hospital de Washington.

Depois de comprovar que não poderia se vangloriar da sua vida diante a bem-sucedida vida que os Cullen levavam, decidiu que o melhor seria deixa-los em paz, apesar de que Edward havia captado completamente sua atenção.

O grupo de amigos se reuniu logo depois que Bella e Edward cumprimentaram a todos no salão.

— Lauren? – disse Bella surpreendida ao vê-la conversando com Alice e Rose.

— Bella, como você está?

A conversa estava bastante incomoda no inicio, mas logo depois de Rose afastar Bella e no banheiro lhe contar tudo o que tinha acontecido, Bella se sentiu muito penalizada e atuou com mais naturalidade.

— Uff! Tenho tanto para dizer – disse Lauren.

— Se você fala pelo passado, esqueça – lhe disse Edward.

— Não, Edward, é que de verdade eu fui muito cruel e uma péssima pessoa com você, você jamais me incomodou e sempre te chateei, de verdade não tinha motivos, diria que foram descaradas – acrescentou um tanto envergonhada – Na verdade é que se vim aqui foi porque precisava pedir algumas desculpas por tudo o que fiz.

Todos estavam bastante surpreendidos ao ouvir tudo o que Lauren expressou e logo saldaram os erros do passado.

— E o que fez depois de todo esse drama que viveu?

— Segui em frente graças a minha família, agora estou começando meu próprio negocio, assim que decidi que tinha que exercer uma profissão, estou trabalhando em uma associação que ajuda menores, como sou assistente social – explicou Lauren.

Bella e Rosalie se interessaram especialmente no assunto e ficaram falando de trabalhar juntas pela causa.

— Assim que é médico – disse uma voz feminina nas suas costas.

Edward virou-se para olhar quem falava com ele. Sua esposa e seus amigos tinham se afastado deixando-o sozinho, então aquela mulher se aproximou.

— Sim – respondeu friamente.

— Não se lembra de mim? – sorriu à morena.

Edward tentou captar a imagem que tinha em frente a ele com alguém do passado, mas não conseguiu adivinhar quem era a estupenda mulher que se apresentava a ele com segurança.

— A verdade é que não – acrescentou Edward.

— Que pena e eu que não deixei de pensar em vocês – sorriu flertando.

Edward se sentia incomodo diante do evidente flerte que esta mulher estava fazendo.

— Edward Cullen, o meu amor da escola primária esqueceu quem eu sou – sussurrou. – Que horror!

— Desculpe, mas... – então Edward reconheceu aquela mulher – Angela Weber?

— Bom, já não sou mais Weber, sou Angela Wright – sorriu.

— Nossa, e seu marido? – Edward sorriu.

— Allen vai chegar com atraso, mas já deve estar chegando – Angela riu – É incrível como você não mudou.

— Pois você mudou muito – disse Edward – Demorei em te reconhecer... Allen, seu marido, é o produtor de cinema certo?

— Sim, estou trabalhando em uma produtora e ali eu o conheci, estamos casados há dois anos – sorriu Angela.

— Fico feliz, realmente feliz. Quando criança fomos muito próximos e foi estranho deixar de saber sobre você, só sabia que tinha ido para o Canadá – acrescentou Edward.

Bella observava a conversa do seu marido com uma estranha mulher de má vontade.

— Relaxe, é uma velha conhecida – certamente nada importante – riu Lauren ao ver que Bella estava quase rosa de raiva.

— É que olha como está flertando – Bella reclamou.

— Não está flertando, Edward está falando com ela – corrigiu Rose.

— Não defenda o seu irmão! – Bella sibilou – Além do mais, ela parece que vai se oferecer em uma bandeja.

— Essa é a desvantagem dele ter deixado de ser gago – Alice riu.

— Vou dizer ao seu maldito marido que quero que me devolva o meu Edward tímido e gago, assim vou me assegurar que as mulherzinhas não se aproximem – disse Bella à beira de um ataque de ciúmes.

As garotas riram.

— E se vou perguntar quem é?

— Seria muito nítido, é melhor que espere – disse Lauren – Não deve ficar com ciúmes, você é uma mulher maravilhosa, suportou todas as etapas de Edward, ele sabe e com certeza dá valor a isso – Lauren sorriu.

Bella se tranquilizou um pouco, porque viu que um homem alto e robusto se aproximar da mulher que falava com seu marido, a beijou e esta o abraçou muito feliz.

— Edward eu te apresentou o Allan, meu marido – Angela sorriu.

— É um prazer – Edward lhe estendeu a mão.

— O prazer é meu, não sabe quanto Angela falou de você pra mim – riu.

— Acho que, Angela, quer ver suas amigas, não? – acrescentou Edward.

— Oh claro! Não sei nada sobre Rose nem Alice desde que sai da escola, por certo você sabe algo sobre Bella?

— Ela é a minha esposa – Edward riu.

— Nossa, estou feliz com isso – Angela sorriu.

Edward, Allan e Angela se aproximaram do grupo de garotas que estava ali. Bella tentou acalmar sua ira ao ver que seu marido se aproximava.

— Garotas, lembram-se da Angela? – disse Edward.

Só bastou isso para que Alice e Rose soltarem um gritinho monumental.

— Angela! Meu Deus – disse Rose – Quantos anos ficamos sem saber de você, por Deus que ingratas temos sido – disse abraçando a morena.

O reencontrou foi bastante louvado e ainda eu Bella não tenha se tranquilizado com a ideia de saber que a mulher com a qual seu marido falava era Angela tentou ser o mais amável possível, depois de tudo estava casada com Allan Wright, não podia pensar em Edward mais do que um ex-amor, porque ela sabia que durante a escola Angela estava apaixonada por seu marido.

Não demoraram em começar a dançar, os primeiros na pista foram Emmett e Rose, e assim pouco a pouco os casais foram se juntando.

Edward então estendeu a mão para sua esposa e se uniram na pista de dança.

Deixaram-se levar pelo vai e vem de seus corpos e seguiram o ritmo da musica enquanto Edward apertou-se ainda mais na sua mulher e ela se sentiu nervosa ao estar tão grudada, como se fosse a primeira vez que dançavam.

— Aconteceu algo? – disse Edward notando que Bella estava muito estranha.

— Não. Por quê? – Bella fingiu.

— Eu te conheço, o que aconteceu? – Edward sussurrou no ouvido da sua esposa.

— Nada, Edward, nada – respondeu apertando-se no peito do seu marido.

— Talvez está incomodada por causa de Angela, estou errado?

Bella mordeu as bochechas de pura raiva ao pensar em sua imatura atitude enquanto seu marido falava com a morena, mas é que já não era tudo como antes, Edward era um homem estupendo, qualquer mulher queria estar com ele, médico bem-sucedido e já não era tímido nem gago, e Angela sempre havia estado apaixonada por ele. Nada era tão fácil como era antes.

— Acho que acertei em cheio – Edward sussurrou, então parou.

Bella o olhou nos olhos pela primeira vez e seu marido a pegou pela mão e tirou do Salão.

Caminharam até o campo que havia do lado de fora, as árvores estavam florescendo e pareciam realmente lindas.

Edward pegou sua mulher pela cintura e a sentou em uma pequena mureta, naquela posição Bella era da mesma altura que Edward, ainda que ela estivesse sentada.

— Você realmente ficou com ciúmes de Angela?

Bella só pode responder com um bico, enquanto seu olhar ia para seus sapatos.

Seu marido a pegou pelo queixo e levantou. Os olhos achocolatados de Bella estavam lacrimejantes e Edward beijou ambas as lagrimas que saiam pelos cantos.

— Amor, você não pode ficar com ciúmes de cada mulher com quem eu encontro, seja no hospital ou na rua, menos se é a Angela, a conheço faz anos, que não pode me pedir que não fique emocionado ao vê-la – disse com ternura.

— Mas é que... – rebateu com voz tremula.

— Mas é que nada, minha coisinha, não pode ficar assim amor. Passamos por tantas coisas juntos e desde que te conheci não houve outra mulher nesse mundo para mim, não percebe? – Edward sorriu voltando a levantas os olhos de sua esposa.

— Sim, mas...

Bella já não podia rebater o seu marido, não sabia como, mas pensar em Edward olhando para outra mulher que não fosse ela lhe partia a alma. Mas o estranho era que aquela comoção e vontade de chorar não passava, sentia-se extremamente sensível e com um terrível medo de perdê-lo.

— Amor, eu te amo, te amo tanto e mais do que te amava dois segundos atrás, não tenho olhos para ninguém que não seja você e se disse, em frente ao altar, que aceitava todas as condições do matrimonio é que porque a aceitei de coração e por você, não há mais ninguém para mim e não haverá – sentenciou Edward com doçura beijando a testa da sua mulher.

Bella não tinha palavras e abraçou ao seu marido chorando desconsolada.

— Minha menina, como os papéis mudaram, agora você é a insegura. Quem era que me dizia que eu valia mais do que acreditava? Quem me fez ser o que sou agora? Amor, nada do que sou teria sido se você não estivesse comigo, você é tudo o que tenho e tudo o que sou e se tivesse que fazer de novo e viver tudo o que vivi tudo o que sofri, o faria, porque sei que teve que passar por tudo isso para que estivesse em minha vida, para que você me desse um novo motivo para viver.

Dito isso, Edward se apoderou dos lábios de sua esposa, que estavam salgados pelas lagrimas que caiam pelas bochechas de Bella, se deixou guiar como tantas vezes por cada batida de seu coração, e acariciou sua mulher tendo-a entre seus braços e entregando-lhe segurança.

Então escutaram uns gritos lancinantes que vinha do salão.

Bella limpou as lágrimas e Edward a desceu daquela mureta. Ambos caminharam de mãos dadas até o lugar desde onde vinha o grito.

Ainda que não chegaram quando viram Alice sair carregada por Jasper e Alice. Edward correu até onde eles estava Alice gritava de maneira ensurdecedora, todo o salão tinha saído para seguir a mulher que estava em trabalho de parto.

— Nem pense Jasper Hale! Não vou ao hospital, ali ninguém sabe quem fará o meu parto – Alice gritava pressionando com força os braços de seu marido e de Emmett.

— Se acalme – lhe dizia Rose. – Inala e Exala não esqueça que tudo isso afeta o bebê.

— Inala e Exala o caralho! – gritou enquanto sentia outra contração.

Nesse mesmo instante sua bolsa rompeu e Edward pode ver a poça de água que se formava no chão.

— Edward! Você – disse Alice – Você vai trazer meu filho ao mundo – gritou – Nenhum outro, me ouviu?

— Sim, Alice, se acalme pequeno demônio ou seu bebê vai sair em pé por tanto que você se move – Edward riu.

Enquanto Jasper e Emmett continham a Alice e Edward lhe dava tranquilidade, Rose foi buscar o carro, colocaram Alice e todos saíram apressados para o hospital, incluindo a maioria das pessoas do salão.

— Edward! – Alice gritou ao ver seu amigo.

— Eu estou aqui mulher – Edward riu enquanto tomava o seu pulso.

— Por que está atrás da minha cabeça ao invés de estar lá embaixo checando se tudo está bem? – disse irritada.

— Porque seu marido está olhando se o seu bebê aparece – Edward respondeu.

— Mas Jasper é psicólogo, não ginecologista! – Alice gritou no meio da uma contração.

— Deixa de rebater, leva anos conhecendo essa parte da sua anatomia e sabe perfeitamente o que fazer – Edward riu.

Chegaram a tempo no hospital, tal e como previa Alice não havia ginecologista nesse turno, por isso Edward e Jasper entraram na ala acompanhados de uma senhora.

Bella, Rose e Emmett esperaram fora da ala.

— Lembre-me de não ter filhos – disse Bella para Rose.

— E você lembre a mim – respondeu Rose.

— Como que não teremos filhos? – disse Emmett – Eu quero ter no mínimo quatro.

— Se ficar nove meses com eles e der a luz, se quiser teremos dez, do contrário vamos adotar – disse Rose.

Bella começou a se sentir fraca e sentou-se, a ideia de estar em um hospital não era a sua favorita, odiava aquele cheiro.

O parto não foi nada complicado, a enfermeira manejava tudo muito bem e Edward com toda naturalidade ajudou no parto, que foi normal, para sua amiga.

Um lindo menino grande e sadio foi entregue nos braços de sua mãe, Alice beijou e abraçou o pequeno que logo devia ser levado para os exames correspondentes.

Edward tirou as luvas e seu avental sujo e saiu para dar as boas novas.

— É um menino lindo – riu ao ver que a maioria das pessoas do salão estava ali.

Jasper saiu vitorioso gritando que era pais e que teriam que ir tomar algo em uma semana.

Desde dentro da ala se ouviu uma cansada Alice.

— Nem pense Jasper! Você tem uma mulher e um filho para cuidar – lhe gritou.

A enfermeira lhe deu um calmante e Alice foi levada para um quarto do pós-operatório.

Bella abraçou o seu marido, para lhe cumprimentar por seu estupendo trabalho, mas o cheiro de sangue e das roupas do hospital a fizeram desmaiar e por sorte Edward a pode segurar.

Não demorou em voltar a si, logo depois de ser colocada no chão com as pernas levantadas.

— Edward – Bella sussurrou.

— Sim, amor, estou aqui – sorriu.

Edward ajudou a sua esposa a ficar de pé, mas então Bella não pode se conter mais e diante as náuseas vomitou na roupa de seu marido.

— Sei que não gosta da minha roupa de trabalho, mas isso já é demais – Edward riu.

Uma enfermeira se aproximou e Edward lhe pediu para que fizesse exames de sangue em sua esposa. Levaram Bella ao laboratório, ainda que ela se opôs todo o tempo, detestava as agulhas e mais ainda o sangue.

Jasper e o resto foram à maternidade para olhar por aquela enorme janela os bebês expostos, todos os presentes elogiaram o pequeno Jasper que pesava três quilos e novecentas gramas, e era um bebê saudável que havia nascido com oito meses e meio.

— Os exames que pediu estão prontos, Doutor Cullen – disse a enfermeira.

— Obrigado – respondeu Edward lendo o que dizia ali.

Então leio e releu uma e outra vez o que via ali.

Não podia ser!

— O que foi? – disse Bella ainda tonta.

Edward engoliu saliva, tentou relaxar e sentou-se ao lado da sua esposa.

— Edward aconteceu algo? Fala logo! – reclamou.

— Já sei o que lhe deu tonturas – riu.

— O que diabos eu tenho?

— Vamos ser pais – Edward acrescentou.

— O que!?

— Você está grávida.

Bella não sabia como tomar isso, se ficar feliz ou assustada, depois de tudo o que havia visto com Alice e o cheio de hospital que não gostava...

— Não é incrível? – Edward sorriu. – Vamos ter uma pequena Bella ou um pequeno Edward.

Bella sorriu ao ver os olhos brilhantes do seu marido e pegou a mão dele e a beijou. Não podia ter medo nesse momento, tinha uma vida em seu interior e nada a fazia mais feliz do que vê-la crescer saudável e cheia de amor. Esse pequeno que vinha a caminho era a união e a testemunha do verdadeiro amor que ela sentia por Edward, era o selo de toda aquela promessa que fizeram uma vez quando só eram adolescentes.

— Eu te amo – Bella sussurrou enquanto abraçava seu marido.

Edward a abraçou com delicadeza e a beijou com paixão.

— Eu te amo – respondeu, então se aproximou do ventre da sua mulher e voltou a sussurrar – Eu te amo, pequeno bebê.

Ficou ali por um longo tempo, abraçando o ventre de sua mulher, pensando que agora uma vida mais dependia dele, uma vida que seria completamente feliz e daria sua vida por ele.

*~FIM~*


Aqui está o fim de Paper Love, mas não o fim da história desse casal. Essa fic tem uma continuação, chamada "Love: Beyond the Paper", mas eu não vou postar ela esse mês, só em junho. Então fique de olho no meu perfil, coloque-me como 'follow write' para receber o alerta quando for postada. Quero concluir as fic que tenho para o fazer esse mês e tentar adiantar a continuação ok? A continuação tem 16 capítulos e aborda a fase deles na Universidade, então é BEEEM antes desse e Epílogo, já sabem que o final é feliz, mas o caminho não foi fácil.

Obrigada por acompanharem essa fic tão linda s2

Beijos

xx