OPPOSTI

Título: Opposti
Autor(a): Leili Pattz
Shipper: Bella/Edward
Gênero: Romance, Humor
Censura: R-18
Sinopse: Bella não é tão fútil quanto parece e cabe ao Edward descobrir que por trás daquela fachada de garota esnobe, existe um coração machucado que só deseja conforto e amor.

Disclaimer: A história pertence a mim, Twilight e seus personagens pertencem a Stephenie Meyer.


"Estou voltando para New York. Ainda sou Isabella Swan filha do grande cirugião Carlisle, e que tem o sonho de ser uma grande estilista, formada em Harvard. Mas uma coisa mudou..."

"Voltando para New York. Sou ainda o mesmo Edward Cullen, com um conceito sobre o mundo que ninguém mudara, e que quer fazer medicina em Harvard. Mas algo está diferente."

B&E: ''Meu coração e minha vida não pertencem mais a mim."


Capitulo 1 – Vidas e Mentes Diferentes


Bella PDV

Máscara de hortelã esfoliante. Unhas vermelhas. Hidratação a base de morango nos cabelos. Um evento. Ficar perfeita exige tempo, dinheiro e acima de tudo, uma genética que tenha lhe abençoado com beleza e isso eu tinha de sobra.

Sou Isabella Marie Swan, tenho 17 anos, estou passando um dia no Spa, e depois de amanhã é o casamento do meu pai. Carlisle Swan de 42 anos é pai de três filhos, eu, Alice Brandon Swan de 19 anos, e Emmett Swan de 22 anos. Onze anos depois após a morte de Elizabeth Swan, ele decidiu se casar. Sua futura esposa? Esme Hale Cullen, 38 anos, mãe de três filhos. Jasper Cullen de 19 anos, Rosalie Hale Cullen, 18 anos e Edward Masen Cullen, 21 anos.

Eu ainda não conhecia seus filhos, e não me interessava muito saber quem eles eram. Eu passei oito anos morando em um internato na Suíça, por minha escolha. Lá eu me tornei o que sou. Voltei tem seis meses, e vivo em colunas sociais, graças a fama do meu pai.

Conheci Esme no começo do ano, onde Carlisle optou que eu fosse para Roma passar uma semana com ele, Esme, Alice e Emmett. Ela era legal, mas me incomodava o fato dela ter sido pobre a vida toda e se interessar por um milionário assim de repente depois de 15 anos após a morte de seu marido. Mas o que eu pensava sobre ela não me importava, porque o que me importava mesmo era a felicidade do meu pai.

Carlisle era um cirurgião plástico. Como cirurgião ele era famoso em quase todo o mundo. Nunca teve um erro médico, o sucesso era garantido em todas as suas cirurgias. Artistas de todo o mundo, mulheres belas e impecáveis, e até mesmo vários homens, sempre procuraram Carlisle ou suas clínicas espalhadas pelo mundo, atrás de um retoque em sua perfeição. Ele durante nove anos trabalhou para dar tudo do bom e do melhor para mim e meus irmãos, apesar de sermos milionários por herança de família, ele sempre quis mais. E eu não reclamo.

Estou no Spa a umas 5 horas, já fiz massagem, banho de chocolate, e ainda tenho que estar com Esme a tira colo, sorte que Alice está comigo e não preciso aguentar muito tempo do ataque materno dela, mas eu tentava ser simpática, não iria ser grossa com ela sem motivos.

"Bella, querida essa cor do esmalte fica perfeita em contraste com a sua pele" disse Esme quando meu tratamento de pele já havia terminado, e a manicure terminava de fazer minhas unhas.

"Obrigada Esme, esse tom claro também está ótimo em você. Quando seus filhos vão chegar?" Sim fingir que quero conhecer meus novos 'irmãozinhos' fazia parte do meu esquema 'Bella-simpática-e-fofa' o que eu definitivamente não sou com qualquer pessoa.

"Hoje a noite, mas creio que vocês só vão se ver no café da manhã. Pois eles vão chegar bem tarde."

"Ah com certeza, eu não deixo de ter minhas 8 horas de sono nem sob um decreto" 8 horas de sono era o aconselhável, como as pessoas acham que eu mantenho minha pele perfeita?

"Você sempre vaidosa, acho que ira se dar bem com minha filha Rosalie, vocês são muito parecidas na personalidade," ela disse sorrindo. Eu acho que não, pensei, garotas parecidas comigo eram motivos para guerra.

"Bella, Esme, eu já terminei de fazer tudo o que tinha pra fazer, papai ligou e disse que ele e Emmett, iam nos encontrar no Majesty para almoçarmos." Alice estava já com seu vestido floral, cabelo arrumado, e unhas impecáveis. Eu poderia odiar todas as garotas do mundo, por tentarem ser melhor do que eu, posso chegar a ser bastante fútil pra isso, mas Alice era diferente. Minha irmãzinha não era minha inimiga.

"Tudo bem, só falta à manicure terminar, e Bella e eu vamos trocar de roupa."

"Ok vou esperar vocês no carro" disse Alice saindo e me deixando com minha futura madrasta doce e fofa que me deixava à beira de uma diabetes.

Depois de uns 15 minutos a manicure terminou as minhas unhas e em seguida as da Esme. Fomos para o vestiário, coloquei minha regata branca, meu short jeans, minha sandália rasteira e um óculos escuro. Esme estava com uma league preta, uma camisa de algodão branca, sandália rasteira e só. Meu Deus, ela realmente não ligava pra marcas, boa aparência, essa mulher precisa de ajuda.

"Esme, não é querendo ser chata, mas você se veste muito... simples." Eu arrumava meus cabelos impecáveis na frente do espelho.

"Bella, você sabe, eu nunca tive muito dinheiro, sempre fui básica." Ela quis dizer pobre.

"Você está a 24 horas de se tornar uma milionária dos EUA, e quer ser básica?" eu soltei uma gargalhada que a fez corar. "Já que vai se tornar a nova senhora Swan você precisa de umas dicas." Aproximei dela e dei um nó em sua camisa de algodão levantando um pouco. Peguei meus óculos e coloquei nela, arrumei seus cabelos um pouco mais selvagens, tirei outro óculos da bolsa e coloquei em mim. "Esme, pode deixar que vou te dar dicas de como se vestir, junto com Alice, ela ama essas coisas, e se você seguir os nossos conselhos, irá estampar colunas sociais como uma das mulheres mais elegantes dos EUA."

"Ai Bella, só você mesmo pra fazer isso comigo" Ela riu e eu também. "Vamos que seu pai e Emmett estão nos esperando"

"Vamos mesmo, Emmett deve estar faminto, e quando ele está com fome me assusta."

O SPA era do meu pai, porque ele além de criar a beleza, ele quis que suas clientes tivessem o melhor tratamento estético. Alice nos esperava em seu Porshe GT2 vermelho, ela destravou as portas, Esme entru atrás e eu no bando do passageiro. Fomos direto para o Majesty, no caminho contei do meu acordo com Esme para Alice, que ficou radiante.

"Ai Esme, você vai ficar divina, claro muito mais do que já é" Alice estava animada, se pudesse estaria quicando de alegria.

"Ai meninas, olha o que vocês fazem comigo."

"Meu pai já vai preceber a primeira mudança agora no Majesty, vamos ver como ele reage ao seu visual pré-montado" eu disse sorrindo.

"Ele vai ficar impressionado com certeza" disse Alice.

"Será que ele vai gostar?" Esme era insegura demais, meu Deus, ela estava nas mão de Isabella e Alice Swan, não tinha o que temer.

"Relaxa Esme, ele vai gostar."

"Chegamos," disse Alice entrando no estacionamento da Majesty, que era subterrâneo . Subimos de elevador, e eu estava com saudades daquele lugar. Majesty era o melhor restaurante da cidade e o meu preferido. Demos nossos nomes na entrada, e indicaram a nossa mesa.

"Nossa finalmente as madames resolveram aparecer," disse Emmett, jogando as mãos pro alto.

"Cale a boca Emmett, você acha que ficar perfeita é rápido?" Eu disse me sentando ao lado dele.

"Eu estou faminto Belinha, estou em fase de crescimento." Eu odiava quando ele me chamava de Belinha, mas ele não parava.

"Crescimento pra onde Emmett? Pros lados? Mas olha se for crescimento do cérebro, por favor coma bastante. E pare de me chamar de Belinha"

"Eu gosto de te chamar de Belinha. Mas eu não entendi o crescimento do cérebro, você está insinuando algo Belinha?"

"Ai Emmett, esquece." Notei que meu pai estava olhando pra Esme, e percebeu a mudança básica em seu visual. "Obra minha pai."

"Hã?"

"Esme, de óculos escuros, cabelo selvagem, tudo pelas mãos de Isabella Swan." Eu sorri, e Esme corou. Deus ela era pior do que eu.

"Tinha que ser você não é Isabella. Mas você ficou lindam Esme", ele disse, dando um selinho nela.

"Argh, vocês vão tirar meu apetite." Emmett grunhiu.

"Emm, nada tira o seu apetite." Alice estava retocando seu gloss e sorriu para Emmett.

"Isso é verdade, o que me lembra que temos que chamar o garçom." Emmett levantou sua mão chamando o garçom que estava mais próximo.

Eu pedi um risoto de frutos do mar com um suco de abacaxi. Comemos e falamos de algumas coisas sobre o casamento. Depois eu e Alice fomos para o Shopping comprar algumas coisas, nada específico. Alice foi no banheiro e eu estava esperando ela do lado de fora.

"Bella, ai meu Deus É você mesmo?" a voz veio uma moça loira, mais ou menos da minha altura de salto, e eu não fazia ideia de quem era, ao menos não a primeira vista.

"Eu te conheço?"

"Bella, sou eu Jéssica Stanley." Oh claro, como poderia esquecer. Jéssica Stanley, a garota mais insuportável que eu já conheci. Ela era pior do que chiclete no asfalto quente. Estudei com ela no internato até os 14 anos quando ela decidiu sair. Ela acreditava que era minha melhor amiga, na verdade só ficava perto de mim por causa das minhas coisas. Depois descobri que ela falava mal de mim em todo o internato.

"Oh Jéssica querida quanto tempo" Se é pra ser falsa, eu também sei ser.

"Bella, que saudade de você amiga, quase 4 anos sem a gente se ver, e aí o que faz na cidade?"

"Eu já sai do internato a 6 meses e depois de amanhã é o casamento do meu pai."

"Claro, Carlisle Swan, ele mandou um convite para meus pais."

"Mandou é?" Desde quando meu pai conhece os Stanley? Vou falar pra ele procurar companhias melhores.

"Sim, e meus pais não poderão ir, mas eu vou representando a família." Claro essa sugadora de popularidade nunca ia deixar de estar em uma festa com milhares de paparazzis e pessoas famosas e ricas.

"Ah que maravilha, então nos vemos na festa, agora tenho que ir a Alice está me esperando."

"Foi um prazer lhe encontrar aqui, até o casamento Bella."

Isso só pode ser brincadeira.

Jéssica Stanley, parece uma praga na minha vida. Tomara que ela não grude em mim, ninguém merece.

"Pronto Bella… nossa que cara é essa?" disse Alice ao me encontrar.

"Adivinha quem eu encontrei no shopping? Ou melhor, que me encontrou?"

"Um dos seus ex-namorados? Algum famoso gostoso?" Ri das suas perguntas e neguei.

"Jéssica Stanley aquela garota que eu falei, que era grudada em mim no internato. E que não me deixava em paz, quando ela saiu eu descobri que ela falava mal de mim pra todos. Mas essa não é a pior parte," eu disse olhando umas vitrines de joias.

"Nossa, mas qual é a pior parte?"

"Carlisle convidou os pais dela pro casamento, e a sugadora de popularidade vai."

"Mentira, me amarrota que eu to passada."

"Pois é, ai quero esquecer isso, olhe esse colar que lindo, venha quero comprar."

Passamos a tarde no Shopping, chegamos em casa por volta das 6 da tarde, fui direto para meu quarto, coloquei um DVD com diversos clipes que eu tinha montado, dei play e começou a tocar Beep - Pussycat Dolls.

Resolvi tomar um banho, eu nunca tranco a porta do meu quarto para tomar banho, às vezes pode ocorrer um acidente e tudo fica mais simples. Coloquei o volume do som no último volume, peguei um par de lingerie vermelha e meu roupão, entrei no banheiro cantando a música.

~xXx~

Edward PDV

Cabelo cor de bronze. Olhos verdes. Nascido e criado em uma pequena cidade de Washigton, Forks. Sou Edward Masen Cullen, tenho 21 anos, e estou em New York pro casamento da minha mãe, Esme Cullen. Eu e meus irmãos, Jasper e Rosalie, íamos chegar somente às 23 horas, mas conseguimos um vôo mais cedo, faríamos uma surpresa para Esme.

"Será que ela está em casa?" perguntou Rosalie quando pegamos nossas malas no aeroporto.

"Não sei mas vamos arriscar. Ela me deu o endereço, parece que é em um setor de Mansões."

"É esse Swan é realmente rico." Jasper falou enquanto tentávamos um táxi.

"Muito, ele está sempre nessas revistas com seus filhos." Rose fez sinal pra um táxi parar. Ele abriu o porta malas e eu fui colocando tudo la dentro.

"Pessoas com dinheiro demais costumam ser arrogantes."

"Nós já conhecemos o Carlisle, Edward e ele é muito simpático você sabe." Disse Rose entrando no táxi.

"É eu sei, só quero que ele faça Esme feliz. Por favor nos leve a esse endereço."

"Mansão dos Swan," murmurou o taxista

"Sim é o que está escrito ai não é? Então vamos logo." Rose levava jeito pra ser rica. Era esnobe e arrogante. Meu Deus.

Trinta minutos depois entramos em um condomínio mais do que luxuoso, nossos nomes estavam na portaria então não tivemos problemas para passar. Só tinha mansões por todo o canto, os olhos de Rose brilhavam, Jasper jogava no celular e pra mim aquilo era tortura.

Em cinco minutos depois chegamos na propriedade dos Swan, era quase um quarteirão de Forks. Não entendo por que 4 pessoas precisam de tanto espaço. Pagamos o taxista, e pegamos nossa bagagem. Na entrada demos nossos nomes, eles confirmaram, e entramos na enorme propriedade.

"Isso parece um sonho" murmurou Rose.

E realmente parecia. Na frente havia uma fonte iluminada, com os nomes Swan's Mansion em dourado, um jardim enorme, que circundava a casa. E a casa? Bem me senti um anão perto dela. Sua fachada era branca, com grandes janelas pretas. Três andares e dezenas de janelas.

"Cara isso daqui é enorme" Jasper disse quando nos aproximávamos mais da casa.

"Vamos entrar logo antes que nos vejam babando pela mansão do senhor Swan" disse apressando Rose e Jasper que estavam como dois embasbacados olhando.

Toquei a campainha.

Uma empregada atendeu.

"Olá, posso ajudar?"

"Somos os filhos da Esme."

"Oh sim, entrem."

Quando entramos o impacto foi maior do que do lado de fora. A casa era como um verdadeiro palácio, um lustre enorme no meio do hall de entrada com um piano de calda branco à esquerda. A escada parecia sair de dentro de um filme das princesas que a Rose assistia quando criança. As paredes em um tom de creme, com detalhes em dourado. Quadros, de valores inestimáveis, enfeitavam o ambiente.

"Quem é Martina?" escutei a voz de Carlisle vir do meu lado direito. Ele saiu de uma sala, seguido por minha mãe e mais duas pessoas.

"Meus filhos" minha mãe disse e veio ao nosso encontro. "Que surpresa maravilhosa achei que vocês só chegariam mais tarde."

"Edward conseguiu um vôo mais cedo" disse Rose abraçando-a.

"Oh venham, deixa eu apresentar os filhos do Carlisle. Bem pelo menos dois deles. Venham" ela nos puxou alguns metros onde estavam o Carlisle, uma garota de cabelos longos e pretos, e um cara alto e loiro. "Estes são Alice e Emmett."

"Prazer em conhecer vocês" eu disse dando um abraço em Alice e um aperto de mão em Emmett. Meus irmãos fizeram o mesmo.

"Agora a família está completa" disse Alice, que me parecia muito simpática.

"Vocês devem estar cansados da viagem, os empregados levam suas coisas pro quarto."

"Mãe eu queria levar a minha mala, onde fica o quarto" eu disse, não gostava de depender das pessoas pra nada.

"Certo, se você prefere assim. No primeiro andar, no corredor da direita, na 2º porta a esquerda."

"Vou levar já desço."

"Vamos estar ali na sala de TV", disse Carlisle.

Peguei minhas malas e subi as escadas, o corredor era largo e só tinha quatro portas, duas do lado direito e 2 do lado esquerdo. Não foi isso que chamou minha atenção, mas sim uma música que ecoava no corredor. Rose vivia escutando, era When I Grow Up das Pussycat Dolls, mas havia outra voz misturada.

Curioso como sou, deixei minha mala em um canto e fui ver de onde vinha. Encontrei uma porta entreaberta e foi a primeira vez que a vi. Cabelos lisos com um leve tom avermelhado, o corpo coberto por nada além de uma calcinha e sutiã vermelho. Um short jeans subia pelas suas pernas torneadas, o qual acompanhei com o meu olhar, sua barriga era lisa e perfeita, sua pele branca como a neve. Mas quando subi mais o olhar, a música parou, e ela também olhou.

"Oh Meu Deus, quem é você?" E então gritou.

Merda.

~xXx~

Bella PDV

Depois do meu banho relaxante eu fui passar meu hidratante corporal a base de rosas brancas e leite, que era feita especialmente para o meu tipo de pele.

Terminei de hidratar minha pele e peguei meu short jeans que estava em cima da cama. Começou a tocar When I Grow Up, ainda de roupão e sutiã comecei a cantar.

Alice falava que essa era a trilha da minha vida, mas diferente da música eu não precisei fazer esforço para sair em revistas e ter paparazzis me fotografando por aí. Só que um dia eu serei conhecida não por ser a filha do Carlisle Cullen, mas sim como Isabella Marie Swan, a estilista mais bombástica dos EUA e quem sabe do Mundo, certo?

A música estava acabando quando me virei para pegar minha blusa na cama.

Essa foi a primeira vez que o vi.

Alto, corpo não muito malhado pelo o que dava pra perceber, o queixo com traços firmes, lábios levemente rosados e não muito grossos, e os olhos verdes.

Olhos que estavam me fitando. Olhos que refletiam meu corpo coberto por um short jeans e sutiã.

Espera.

Olhando?

Tem um tarado no meu quarto?

"Oh Meu Deus, quem é você?" dei um grito a pleno pulmões fechando meu roupão.

"Desculpa, desculpa" ele falava nervoso com a palma das mãos pra cima.

"Ai Meu Deus" eu gritava feito uma doida "Tem um tarado na porta do meu quarto. Pai socorro."

"Tarado?" ele disse espantado. "Eu não sou um tarado Isabella."

"É sim, está ai todo paradão me secando e… espera, como você sabe meu nome? Você é um tarado perseguidor que quer me sequestrar? Eu olhei o taco de baseball de Emmett que estava no canto da parede, corri até la e peguei correndo atras do tarado.

"Você é maluca" ele gritou, correndo em direção a escada ao me ver atrás dele.

"Volte aqui seu pervertido." A minha família já estava, ao pé da escada com um loiro até que bonitinho, e uma loira que poderia ser considerada uma Barbie. "Agora você corre." Gritei, descendo as escadas atrás dele.

Jesus esse stress vai me dar rugas.

"Meu Deus o que aconteceu Bella?" meu pai perguntou enquanto eu tentava achar uma forma de matar o tarado, talvez um golpe bem na nuca. Acabei o encurralando na parede atrás do piano.

"Esse tarado estava me espiando."

"Eu não estava espiando, eu estava passando." Ele se defendeu.

"Passando parado na minha porta," eu avancei calculando onde bater com o taco.

"Isabella, larga esse taco," disse meu pai, na verdade ele gritou.

"Mas pai..." eu choraminguei vendo que não poderia cometer um assassinato aos 17 anos. Uma pena.

"Mas nada Isabella, larga isso isso" eu soltei e olhei para o tarado na minha frente com os olhos semi-serrados.

"Agora Edward explique o que aconteceu" disse Esme com a voz um tanto que assustada.

"Pede pra ela sair da minha frente mãe, ela me assusta." Oh o tarado era o filhinho da mamãe. Epa, espera um segundo.

"Mãe? Então quer dizer que a Esme tem um filho tarado é? E ninguém me avisa. Falta de consideração dessa família," eu ainda o encarava e percebi que ele estava realmente se assustando.

"Bella, por favor, pare de assustar o Edward," Alice falou calma. "Você vai ficar com cabelos brancos e vai estragar suas unhas."

Dei um passo pra trás deixando a coisa passar.

"Covarde," murmurei pra ele.

"Vamos pra sala e vocês explicam isso melhor, mas antes, Bella vai colocar uma blusa," meu pai disse e foi que eu me toquei que eu estava só de short e sutiã. Corei subindo as escadas. Coloquei a blusa que estava em cima da cama, e voltei. Quando estava chegando na sala, Alice me puxou da porta.

"Mas que diabos aconteceu?"

"Espere que o tarado vai contar."

Meu pai, o tarado Edward, Esme e o carinha bonitinho se sentaram no sofá grande, eu e Alice no pequeno, Emmett ficou em pé e a loira Miss Universo, sentou na poltrona de lado.

"Então Edward, conte o que aconteceu para minha filha querer te matar com um taco de baseball."

"Meu taco de baseball," murmurou Emmett.

"Cale a boca Emm deixa o tarado falar" eu disse jogando uma almofada em meu irmão intrometido.

"Eu estava indo para o quarto, e escutei a Isabella cantando, e eu só parei pra ver quem era, não sabia que ela estava de sutiã e short. A porta estava entreaberta eu só olhei e quando ela me viu, ela gritou, foi muito rápido."

"Isso é verdade Isabella?"

"É, entre termos, quem me garante que ele não estava la a mais tempo?"

"Eles chegaram tem 15 minutos Bella," disse Alice revirando os olhos.

"Ah eu não tinha como adivinhar okay? Eu estava no meu quarto, cuidando da minha vida e vejo um cara totalmente desconhecido me olhando, o que vocês queriam que eu pensasse?" eu disse mexendo com uma mecha de cabelo.

"Não tentasse me matar pelo menos" Edward murmurou. "Sua patricinha psicopata."

"Psicopata é a..."

"Chega vocês dois" disse meu pai me interrompendo.

"Olha eu não vou me rebaixar ao seu nível, por isso pouparei xingamentos a você," me levantei e fui batendo os pés até a porta. "Da próxima vez quem sabe eu tenha sorte, não esqueça que você dorme, queridinho."

Fui bufando para o meu quarto.

Aquele idiota pensa que era quem para falar assim com Isabella Marie Swan?

Ele vai pagar por isso a se vai.

~xXx~

Edward PDV

Agora a patricinha estava me ameaçando.

Certo, isso me assustou um pouco, mas a vida não é assim.

"Não se preocupe Edward, ela só fala, não vai fazer nada" disse Alice.

"Ela é um pouco pirada assim, às vezes ela também me assusta cara, mas não faz nada, é o jeito dela" Emmett deu de ombros.

"Jeito dela? Atacar as pessoas com um taco de baseball?"

"Relaxa Edward, ela é assim."

"Já to vendo que os dois não vão se dar bem, não queria causar problemas a Bella" disse minha mãe que parecia realmente preocupada.

"Não se preocupe meu amor, Bella é assim, você está ao lado dela a dois meses mas eu a conheço desde sempre e isso é só um pequeno ataque dela. Isso vai passar, ela vai se dar conta de que exagerou" Carlisle acalmou Esme e mais uma fala cheia de gritos começou.

"Tarado estúpido. TIra essas porcarias do meio do corredor, ou eu vou tacar fogo nesse lixo que você chama de roupa." Isabella gritou do andar de cima e eu respirei fundo, enquanto todos riram. Não era engraçado.

Se existe uma coisa que eu não suporto são garotas mimadas e achando que são donas do mundo, e Isabella é assim.

Já percebi que viver nessa família vai ser mais difícil do que eu imaginava.

"Vou la tirar minhas malas do corredor, antes que ela pire."

Quando cheguei lá a porta do quarto dela estava fechada, respirei fundo e levei as malas para o quarto.

Era espaçoso, bem grande na verdade. Uma cama de casal no meio, um closet na parede da direita, uma porta que creio eu que seja o banheiro, uma TV de plasma de frente para a cama, um pequeno sofá de couro preto no canto ao lado de um Home Theater e um telefone ao lado da cama.

Meu Deus quanta coisa.

Coloquei minhas malas ao lado da cama, e resolvi tomar um banho. Havia umas toalhas brancas em cima da cama, peguei uma e uma boxer na mala.

Fechei a porta do quarto, e tomei meu banho pra acalmar meus nervos da patricinha doida.

Como uma garota tão bonita pode ser tão insuportável? Ela ganhava da Rosalie nesse quesito.

Dinheiro, essa era a resposta. Quem tem dinheiro demais acha que tem o mundo nas mãos. Não vejo a hora de ir pra minha casa, esperar o começo das aulas na Universidade.

Terminei meu banho, coloquei uma bermuda, uma camisa branca e arrumei, ou tentei, os meus cabelos. Decidi que ia pedir desculpas a patricinha doida, eu realmente devo ter assustado ela.

Quando sai do quarto, Isabella estava saindo do seu. Ela estava com a roupa de antes, os cabelos presos em um rabo de cavalo, seus olhos cor de chocolate me encaram e eu juro que tinha um brilho ali, mas em segundos ela virou a cara e saiu rebolando em direção a escada. Posso ou não ter olhado para sua bunda bonita.

"Isabella, espera" ela parou no topo da escada.

"O que você quer?" ela ficou de costas para mim, batendo os dedos no corrimão da escada.

"Eu quero te pedir desculpas pelo incidente, não queria te assustar de maneira alguma. Eu tava passando e escutei sua voz, achei muito… bonita e só quis saber quem era."

"Você..." ela virou de frente pra mim. "Achou minha voz bonita?"

"Sim, você canta bem" abri um meio sorriso e ela parou por alguns segundos.

"Hum, bem eu te desculpo e obrigada pelo elogio, agora com licença, eu esqueci uma coisa no meu quarto, pode ir pra sala. Até daqui a pouco, Edward" ela saiu em disparada para o seu quarto como um foguete. Eu não entendi nada, mas quem entende as mulheres?


Eu tenho essa fic a um tempo, espero que gostem dela :)

Deixem Reviews se puderem

Beijos. xx