SexCall... Qual é a sua maior fantasia sexual?

Disclaimer: Essa história pertence à Joha, que me autorizou traduzir. E os personagens são da Stephenie Meyer.

Sinopse: Por que o céu me odeia? Justo no meu ultimo dia de trabalho esse inferno se converteu em meu paraíso.


Capítulo 57

Edward PDV

Os últimos dias tinham sido pura felicidade, junto a Bella e nosso filho éramos praticamente a família perfeita diante os olhos dos outros, quase não brigava com minha esposa e tínhamos um lindo e bem comportado filho, ainda que na realidade é que em casa éramos um completo caos, Lucas já caminha e falava um pouco, assim que passava o dia indo para todos os lados e bagunçando o que Bella arrumava e nós, bom, nós ultimamente somos uns animais e não podíamos tirar as mãos um do outro, mais de alguma vez não tivemos que ficar com vontade por ter iniciado algo que não podíamos acabar bom, também quem pensa em beijar sua esposa ardentemente quando tem uma sala cheia de gente, sim, só a mim e ninguém mais.

Bom, pelo menos as coisas iam bem, com Bella éramos uns viciados em sexo e Lucas era todo um malcriado, por isso mesmo é que queríamos lhe dar um irmãozinho e agora eu penso que é Lucas que nos deixou viciados no sexo, depois de tudo é por ele que estamos todo o dia fazendo amor... não, mentira, o fazemos porque nos amamos.

E sim, pode ser que não sejamos o protótipo de família perfeita e recatada, mas somos malditamente felizes.

- Olha, pegue esse pacote – apontei pela enésima vez o pacote de presente – caminha até onde mamãe está e da para ela – suspirei olhando os olhinhos do meu filho que me olhavam expectantes – entendido?

- Shim – assentiu muitas vezes enquanto chupada sua mãozinha.

- Repete o que tem que fazer.

- Mamãe... pacote e... – virou seus olhos tentando lembrar, mas parece que nada vinha a sua cabecinha.

- Tem que dizer, feliz dia das mães – não sabia se meu filho de dois anos iria lembrar em seu escasso vocabulário das palavras corretas, mas tinha que tentar.

- Mamãe! – gritou levantando os braços, ao mesmo tempo em que eu me dei por vencido.

- Isso mesmo – sorri bagunçando seu cabelo enquanto lhe entregava o presente e o girava até o quarto onde estava minha esposa ainda dormindo – vai e cumprimente a sua mãe.

- Mamãe.

Voltou a repetir ao mesmo tempo em que seguia minhas instruções, fiquei uns segundos mais fora do quarto espiando como meu pequeno Lucas parava a uns centímetros de sua mãe adormecida, conhecendo tanto meu filho que posso jurar que estava procurando as palavras que tantas vezes repeti, sei que podia lembrar, mas ainda era pequenino e apesar de sua pouca idade era bastante inteligente quando se propunha.

- MAMÃE!

De onde eu estava eu pude escutar com perfeição o sonoro grito do meu filho. Queria que o momento fosse sentimental e se isso lhe somava a um par de lágrimas da minha esposa e filho, poderia ficar satisfeito já que lhes tinha dado de presente o primeiro dia das mães que lembrariam, bom e se a memória falhar com o tempo é que estava com meu celular gravando, mas parece que meu filho não quis ser emotivo e lhe deu seu toque, porque agora diante minha câmera estava minha esposa com os cabelos para todo o lado, os olhos abertos e meu filho saltando enquanto queria abrir o pacote de presente que lhe entreguei.

Logo a cena mudou e Bella percebeu tudo, pegou Lucas e o subiu na cama para abraça-lo como nunca, sim, agora estavam chorando e eu o tinha feito, lhes tinha dado o primeiro dia das mães.

- Oh amor – ela soluçou sobre o ombro do nosso pequeno bebê – é todo um amor... o que é?

Mas antes que Bella pudesse tomar o pacote, Lucas pegou e terminou de abrir.

Dentro da caixinha tinha um desenho que meu filho tinha feito seguindo as minhas instruções e debaixo dele tinha uns lindos brincos de aro com cristais swarovski que minha esposa havia amado quando os viu, estava claro que o último presente era meu, mas tampouco queria ser desses pais que só compram algo para que seus filhos deem a suas mãos, não, meu filho tinha que participar disso, depois de tudo esse dia é para eles dois.

Quando vi que Bella tirava os brincos da caixa, dei por encerrado e pressionei o 'stop' para que meu telefone deixasse de gravar. Minha esposa quando sentiu a minha presença esticou sua mão e me deu um dos seus adoráveis sorrisos, claro que não hesitei nenhum só segundo para ir até eles.

- Obrigada – quase não falou, só murmurou.

- Papai! – gritou meu pequeno em minha direção – pacote – levantou o que restava do presente e apontou.

- Sim filho – cheguei ao seu lado e acariciei seus cabelos tão iguais para os de seu pai – o fez perfeito – o peguei nos braços para sentar em seu lugar e o coloquei sobre minhas pernas.

- Filmei vocês – falei antes que Bella dissesse algo – sei que algum dia vão querer ver isso juntos.

- Muito obrigada – logo minha esposa estava segurando a minha camisa chorando – muito obrigada por tudo isso.

- Obrigado a você – beijei seus cabelos e imediatamente se separou de mim.

- Agora – de um só salto já estava em pé – vocês dois – apontou para nós dois – vistam-se que temos que ir até a sua mãe – me apontou com seu dedo.

Era verdade, hoje iriamos comer na casa dos meus pais, os pais de Bella logo depois de pensarem um pouco, decidiram se mudar para LA, diziam que quando já estivessem mais velhos o frio de Forks seria ruim e não poderia se mover, que queriam ficar onde tem sol e estar perto da família, assim que desde algum tempo nos domingos eram quase sempre na casa dos meus pais ou dos meus sogros, bom, hoje iria ser nos meus pais.

Enquanto Bella se arrumava, e me preocupei em dar banho no Lucas, ele gostava pouco da água e por isso fiquei bastante molhado, mas consegui deixa-lo como o bonequinho que é, quando terminei com meu filho, o coloquei para ver desenhos, enquanto eu ia tomar banho, no quarto Bella já estava se vestindo assim que depois de beijar seus lábios, entrei no banheiro e me encontrei com algo que não esperava sobre a pia, havia um teste de gravidez e estava positivo, o peguei entre minhas mãos e ainda um pouco assustado sai e vi como Bella terminou de colocar os sapatos, levantei o pequeno bastão, e ela sorriu, não precisava de palavras.

- É verdade? – minha voz saiu como se não fosse minha, tinha as lágrimas acumuladas lutando para sair.

- Sim amor – levantou-se e caminhou até a mim, pegou minhas mãos e a colocou em sua barriga – seremos pais de novo.

- Oh amor – me seguei com força nela – não posso acreditar... pois acredite porque aqui – acariciei com nossas mãos únicas agora onde descansava nosso segundo filho – está crescendo o nosso bebê.

Não podia acreditar, ia ser pai de novo, depois que a impressão passou um pouco, pensei nos sintomas que senti com Lucas e esperei senti-los novamente, a verdade é que isso me fez me aproximar mais de Bella e do meu filho.

Quando chegamos na casa dos meus pais lhes demos a notícia e todos ficaram mais do que felizes por serem avós novamente, dessa vez estávamos só nós, Tanya e Emmett estavam com os pais do meu amigos e além dos mais, lhes complicava muito sair já que Annie só tinha dois meses e não queriam arriscar a sair muito, ainda que sempre que faziam calor eles eram uns exagerados nesse sentido e eu preferia não opinar porque eu era pior do que eles.

Jasper finalmente tinha começado uma relação com uma garota chamada Rosalie, parece que a conheceu em uma de suas viagens e ainda que só levavam uns meses conhecendo-se, eles estavam felizes, mas a verdade é que no fundo eu sabia que ele continuava apaixonado pela minha esposa, era desses amores que nunca iam acabar, ele ia amá-la para sempre, mas eu estava feliz, e Bella ainda mais, que finalmente estava refazendo sua vida.

Finalmente todos estávamos felizes, as coisas que passamos no passado ali ficaram, agora era pura felicidade e loucuras, nada de ameaças nem maus entendidos, brigas e birras sim, mas isso nos tornava normais, depois de tudo... em que família não tem briga? Em nenhuma, não?

Bom, tinha uma família única e uma fabulosa esposa doce que me esperava.

O que mais queria?

Bella PDV

- Edward! – estava estressada, logo os garotos chegariam e Edward ainda não descia.

- O que? – chegou correndo e um pouco agitado, além do mais ainda estava colocando a gravata – estou pronto – esticou seus braços para me mostrar como estava, perfeito como sempre.

- Bem, agora ajude-me a colocar a mesa porque logo garotos vão chegar e faz muito tempo que não os vejo.

- Amor... só faz um mês que vieram, além do mais – ficou calado quando viu meu olhar assassino.

- Além do mais...?

- Nada – beijou minha testa e correu para colocar a mesa.

Sei que faz só um mês que nos via e que falávamos todos os dias, mas era muito difícil tê-los longe, quando Lucas foi para a universidade não afetou tanto porque Ethan ficou com a gente, mas nesse ano ele também foi e fiquei sozinha com Edward, ainda que devo reconhecer que esse tempo tinha nos servido, nos tinha feito bem reafirmar nossa relação mais além de ser pais, já criamos os nossos filhos e como ainda éramos jovens podíamos fazer coisas com nosso tempo, Edward ficou com a Almost Angels e tínhamos uma boa situação econômica, assim que podíamos ficar sem trabalhar em excesso, eu continuava escrevendo, mas agora o fazia em casa. Além do mais, nossos filhos estavam seguindo nossos passos, Lucas está a um passo de receber o diploma de jornalista e Ethan de Administração de Empresas, assim que já tínhamos quem se encarregar disso quando Edward já não pudesse.

Esses anos passaram tão rápido que me dói o peito, temos sido imensamente felizes, claro que também tínhamos tido nossos altos e baixos, mas superamos as crises e hoje podemos dizer que não faltava nada, além de claro, sermos avós.

Jasper finalmente casou com Rosalie e eram muito felizes, ainda que nunca deixou de me olhar com esses olhos apaixonados, soube deixar seus sentimentos de lado e ser feliz com suas esposa e seus filhos. Emmett e Tanya eram outro caso, esses dois não mudaram com o tempo, sua filha lhes saiu completamente o oposto, Annie era mas madura que eles dois juntos, mas isso divertia muito a todos.

No caso de nossos pais, nos víamos cada vez menos, eram todo um caso, passavam os dias viajando e isso nos deixava muito felizes, desfrutavam a vida completamente, ainda já estivessem mais velhinhos, gostavam dos grandes benefícios que a terceira idade lhes dava.

- Amor – sai dos meus pensamentos para olhar Edward – os garotos chegaram.

Tirei o pano que tinha entre minhas mãos e corri para encontrar meus filhos, ali estavam meus dois pequenos, Lucas já tinha 22 anos, já estava em seu último ano e Ethan com seus 18, quase 19, estava apenas começando, ambos eram lindos e tão parecidos com seu pai como comigo.

- Amor – corri e me segurei no pescoço de ambos.

Logo me senti muito abraçada por meus três homens, sim eu era a rainha da casa e amava isso.

- Vamos comer – disse Edward.

Havia passado toda a tarde cozinhando, havia sido uma surpresa que os garotos viessem nos visitas, poucas vezes o faziam se não tinha festas, porque a viagem era bem longa, assim que no fundo sabia que essa visita tinha segundas intenções.

- Bem – já havíamos terminado de comer e Edward começou a falar – sabemos que algo acontece e é melhor que falem agora.

Me encantava ver Edward em sua posição de macho alfa, era excepcional vê-lo sério e tão paternal.

- Bom – Lucas começou a falar – Sabem que estou com Annie né?

Sim, disso sabíamos há um ano quando nos contava que estavam juntos, claro que Emm não gostou muito que sua pequena já tivesse namorado, ainda que sua pequena já era toda uma mulher igualmente linda como a minha amiga.

- Sabemos – suspirei e esperei pelo o que vinha, não queria ter ideias antes do tempo.

- Bem – conhecia muito bem o meu filho para saber quando estava nervoso e agora o estava, e muito – Annie está grávida.

Um sentimento que não conhecia me tomou por dentro, sentia uma felicidade que não havia sentido antes, era totalmente diferente de quando descobri as minhas gravidezes, mas igualmente emocionante, meu filho estava terminando seus estudos, era todo um homem responsável e conhecia Annie a vida toda, claro que isso era perfeito.

- Agora eu – nem sequer pude abrir a boca quando Ethan falou, olhei para Edward e estava igualmente contido – sou gay... tenho um namorado e o amo.

Agora sim fiquei meio muda, não sabia o que pensar sobre o último, além do mais, amo o meu filho com a minha alma e sua condição sexual não fazia nenhuma diferença.

- Bem – meu filho mais novo suspirou – isso era tudo... o que tem para nos dizer?

- Vocês são felizes? – perguntei aos dois ao mesmo tempo.

- Sim, muito felizes – Lucas sorriu.

- Mais do que nunca, agora que vocês sabem – acrescentou Ethan.

Com esse último me doeu o peito ao pensar pelo o que teria passado, meu pequeno escondendo-se do mundo e de nós mesmos, mas não precisava mais disso.

- Bem – Edward tomou a palavra – são felizes e isso é o mais importante para nós – tomou minhas mãos sobre a mesa e sorrimos – agora vão dormir que amanhã teremos muito o que conversar, começando por descobrir como vamos esconder seu cadáver – apontou para Lucas – quando Emm souber que você engravidou sua pequena.

- Amamos vocês – Lucas soltou do nosso pescoço e correi para seu quarto que continuava igual como sempre.

- Eu – ambos nos levantamos e nos encontramos com Ethan – muito obrigado – corri para abraçar meu filho que estava chorando, mas sabia que era de alegria – muito obrigado por me aceitar como sou.

- Hey – segurei seu rosto e o fiz me olhar – sempre será o meu bebê, ok?

- Ok.

- E para mim sempre será meu filho sem importar mais – Edward o tirou dos meus braços e o abraçou – agora vá dormir que amanhã falaremos sobre algumas coisas também – piscou um olho brincalhão para ele e preferi não perguntar mais.

Quando ficamos sozinhos, meu marido segurou minha mão e me levou até nosso quarto, que ficava longe dos nossos filhos, quando chegamos só ficamos nos olhando.

- Você está bem com tudo isso? Foi muita informação.

- Estou mais feliz do que nunca... criamos os filhos que temos, são responsáveis e sinceros com o que sentem... fizemos um excelente trabalho.

- Bem –acariciou minha bochecha – porque eu também me sinto muito satisfeito – logo seu olhar mudou para um que conhecia perfeitamente – agora... acho que me deve algo.

- O que? – me fiz de boba enquanto sorri.

- Uma fantasia sexual.

Sem mais, segurou-me em seus braços e começou a me beijar ao mesmo tempo que minhas costas chocavam com o colchão, nossa roupa pouco a pouco deixou de estar presente em nossos corpos, os anos juntos não tinham diminuído a nossa libido, seguíamos desejando-nos igual o primeiro dia.

- Abri as pernas – murmurou sobre meu ventre.

O fiz e esperei que sua língua encontrasse meu clitóris, claro que não demorou em fazê-lo, tive que me segurar em seus cabelos e puxar para não perder a cabeça pelo prazer que estava dando.

- Oh Edward.

- Continua igualmente deliciosa – olhei para baixo e vi como um de seus dedos estava agora penetrando-me.

Fechei os olhos e deixei descansar minha cabeça na cama, queria muito mais do que isso, estava para terminar, mas queria que o fizéssemos juntos.

- Amor... eu...

- O que quer? – quando me dei conta já o tinha sobre mim – diga qual é a sua maior fantasia sexual.

- Você – o agarrei pelos cabelos e o obriguei a me olhar – quero seu enorme pau dentro da minha boceta... penetrando-me sem parar, quero que me foda duro e rápido.

Oh Deus, amava falar assim na cama, me fazia sentir jovem e os caminhos das personalidades, mais vadia, mais inocente, mais terna, ou o que fosse, é o que nos havia permitido seguir ativos sexualmente como antes.

Claro que Edward cumpriu tudo o que lhe pedi, me virou e me fez ficar de quatro, sabia que ambos amávamos fazê-lo dessa forma porque a penetrava se sentia ainda mais no fundo e de vez em quando uma palmadinha dava seu toque no momento, e claro, meu amado marido me doeu como nunca antes, esses momentos eram para foder sem parar, depois faríamos amor, agora queria duro e bem dentro.

- EDWARD!

Senti como seu sêmen se derramava em meu interior e se misturava com meus sucos, a mistura perfeita que só nós dois fazíamos.

- BELLA!

Deu uma última estocada para terminar e finalmente caiu sobre meu corpo, o rodeei com meus braços e ele descansou sua testa no meu peito, mas rapidamente a levantou e ficou me olhando.

- Então – murmurou ainda agitado – Qual é a sua maior fantasia sexual?

- Qualquer uma que tenha você.

Beijei seus lábios e nos aconchegamos para dormir, tinha tudo e mais o que podia desejar, estava claro que era felizes... muito feliz.

*~FIM~*


Adorei esse final! Espero que tenham gostado dela, e desse casal maluco.

Obrigada por me acompanharem nessa fic, vocês são demais.

Tenham um Feliz Natal e Ano Novo.

Beijos, nos encontramos por ai.

xx