I Hate You, Kiss Me

Sinopse: Bella desistiu de namoros, mas tem uma noite com o misterioso Edward Cullen. Ambos são surpreendidos quando ele consegue um emprego em seu escritório de advocacia! Os Colegas de trabalho Alice e Jasper, seu melhor amigo Emmett e a chefe sensual Rose, desempenham um papel na vida amorosa de Bella.

Disclaimer: A fanfic pertence a BittenBee que me autorizou a tradução. Os personagens em sua maioria pertencem a Stephenie Meyer. Não copie a tradução e nem a história, tudo é da BittenBee.


Música do Capítulo: Help, I'm Alive – Metric


"A dança é um poema em que cada movimento é uma palavra." – Mata Hari


Capítulo 17

Eu fiz o meu melhor para manter-me com os passos de Edward. Depois dele me guiar com os dedos descansando levemente sobre as minhas costas, isso não estava ajudando com o meu problema do joelho fraco.

Quando o manobrista trouxe o seu Jaguar elegante e entramos, Edward se virou para mim. "Bella eu..." Ele fez uma pausa, o rosto cuidadosamente solene. Ele limpou a garganta, não encontrando meu olhar imediatamente e pensei que talvez eu fiz algo errado. "Eu não sei o que deu em mim, lambendo você assim em público."

Meu próprio constrangimento começou a rastejar quando eu pensei mais sobre sua língua quente na minha pele, em vez da decência de tudo. "Se você não tivesse, eu provavelmente teria feito...", eu admiti com calor penetrando em meu rosto quando me lembrei como queria jogar sobre a mesa até ele não muito tempo atrás.

Ao ouvir minha confissão, seu olhar firme tomou conta de mim e interessadamente se inclinou para mais perto, contemplando a verdade das minhas palavras. Será que ele não acredita em como eu estava totalmente atraída para ele? Minha respiração engatou um pouco, os limites do carro se tornando mais perceptíveis enquanto Edward me sugou em sua bolha de novo, seus intensos olhos pensativos, deslumbrando-me.

Um carro buzinou atrás de nós e nós dois empurramos de volta para os nossos lugares, assustados com o barulho enquanto o embaraço inundou a tensão novamente. A expressão solene de Edward caiu de volta no lugar quando ele mudou de marcha e saiu do restaurante.

Seguimos por vários cruzamentos, cuidadosamente mantendo nossos olhos à frente na estrada. Eventualmente, a minha curiosidade venceu o silêncio. "Para onde vamos agora?" Eu perguntei timidamente, controlando minha ansiedade. Ele estava me levando para casa? Eu não queria que o nosso encontro terminasse, a menos que ele passasse a noite comigo...

"Bem, eu originalmente planejei este jantar para sexta-feira, mas eu também gostaria de celebrar Ano Novo com você esta noite. Se você quiser..."

Eu sorri, olhando-o pelo canto do meu olho. "Eu não gostaria de acabar com os seus planos."

"Vou levar isso como um sim."

Ele não respondeu a minha pergunta original, mas eu deixei isso ir. Ele fez muito e já estávamos em uma noite civilizada. Feliz. Ele estacionou na rua do nosso destino, deslizando o Jaguar no espaço apertado, sem esforço. É exibida uma confiança quieta dentro de si, de forma muito diferente de seu habitual arrogância. Talvez fosse a sua precisão e a maneira suave suas mãos se moviam sobre o volante e forte... Quem sabia que estacionamento paralelo poderia ser tão quente?

Edward abriu a porta para mim e fez um gesto para um arranha-céu de altura. Foi refinado e elegante e se projetava entre os edifícios da cidade. Luzes coloridas foram lançados do alto e baixo, iluminando os arcos geométricos de sua arquitetura estilizada. Meus olhos se arregalaram com a visão.

"Oh meu Deus, isso é..."

"Sim..." Ele sorriu, pretensioso e me aproximou para falar baixo perto da minha orelha. "É a Colômbia Tower Club, o edifício mais alto de Seattle. Não somente tem um lounge na cobertura, mas também dá uma visão de 360º de toda a cidade." Fiquei espantada em como Edward realmente pensa sobre esses detalhes e seus padrões eram altos.

Edward me manteve perto enquanto entramos no prédio. O lobby zumbia com entusiasmo e o calor caiu sobre nós, contrastando com o ar frio do exterior. Entregamos os nossos casacos e esprememos no elevador lotado, olhando um para o outro com sorrisos hesitantes. Com espaço suficiente como estava, um homem pequeno gorducho bateu em mim e eu caí em Edward, meu rosto preso contra seu peito. Incapaz de mexer livre, eu tentei manter meus tremores sob controle enquanto sentia as vibrações de sua risada e os músculos formidáveis de seu peito. Round Dois.

As portas se abriram para revelar a maior cobertura e mais enfeitada que eu já vi. Eu me endireitei e levantei na ponta dos pés a minha dica para dar uma olhada melhor, enquanto Edward continuou a olhar muito divertido.

Há dois bares em lados opostos da sala e um no pátio. Grandes, sofás de veludo e mesas em um marrom brilhante que eram recheados com grupos e uma série de luzes penduradas delineavam o pátio com lâmpadas de calor alternados. As pessoas se misturavam, pelos bares, sentados em sofás intimamente, e dançando do lado de fora com a sobrecarga de música.

"Isso é realmente maravilhoso, Edward. Você tem muito bom gosto..." Eu comentei empurrando para fora do elevador com outros casais.

"Você gostaria de dançar comigo?" Ele estendeu a mão, esperando que eu pegasse.

Seu rosto estava atento ao meu com nenhum sinal de provocação. Seu olhar genuíno parecia tão familiar, fazendo cócegas no meu cérebro. Quando eu não respondi as suas sobrancelhas subiram ligeiramente, de completar o quadro, a peça final solidificando na minha memória. Era a expressão dele me pedindo para jantar naquela noite em que nos conhecemos. Gostaria de jantar comigo em algum momento? Essa parte dele, o interesse doce e aberto apareceu por um momento através de sua costumeira máscara sorridente.

Ele parecia tão sincero como estava agora, mas eu pensei que era uma melhora da sua linha encantadora. Ver essa mesma expressão deslizando em um breve momento foi enervante. Por que ele me olha como há meses atrás, um estranho do Monty? O que parecia ser palavras vazias de bajulação, agora estavam cheias de desejo e carinho. E meu coração inchou e doeu com tudo de uma vez. Parte de mim queria que eu dissesse sim para ele meses atrás, mas eu também sabia que teria sido um erro. Eu teria saído e brincado com ele, dormido com ele e nunca ligado novamente. Mas eu o conhecia agora. Apesar de tudo o que ele pensava de mim naquela primeira noite, ele ainda me queria...

Peguei a mão dele sem dizer nada, ainda deixando isso afundar. Saímos para o pátio, enquanto minha mente entrou em revisão de perguntas e especulações. Edward não sabia nada sobre mim naquela primeira noite, mas... O que ele tinha visto em mim? Como ele se sentiu?

Ele me puxou para ele e nós dançamos de rosto colado. Bem, só em teoria. Mesmo com meus saltos, por cima da minha cabeça só via até o queixo de Edward. Eu inalei em seu pescoço, deixando o cheiro de baunilha, sabonete, e seu perfume masculino almiscarado cobrir os meus sentidos. Eu gostaria de poder de alguma forma engarrafar o cheiro dele e mantê-lo comigo para sempre. Então, novamente, por que não manter apenas Edward?

Apesar de sua natureza, arrogante argumentativa, ele era encantador. Eu continuei a observar como todas as mulheres no trabalho o queriam e alguns homens também. Casadas ou solteiras, não importava, todo mundo estava encantado por ele. Eu o vi por mais de sua aparência vistosa e lá estava muito mais para aprender. Eu me senti muito conectada com Edward em um monte de maneiras ainda estávamos em desacordo com o outro. Mas, talvez, a forma como entravamos em confronto mostrou o quão semelhante realmente éramos. Eu queria saber mais.

"O que é isso entre nós?" Eu perguntei para o colarinho de sua camisa.

Ele inclinou a cabeça, falando em direção a minha orelha. "Você sempre pergunta isso em primeiros encontros?" Eu ouvi o sorriso em sua voz.

"Por favor... não faça isso", eu ri baixinho.

Ele não respondeu de imediato, mas suspirou, sua respiração escovando a parte superior do meu cabelo. "Você é diferente de qualquer mulher que eu já conheci."

"Eu estou assumindo que é uma coisa boa, já que estamos aqui..." Eu não poderia evitar, mas algum sarcasmo escorreu em meu tom.

Ele me segurou com mais firmeza e meu coração acelerou. "Você se tornou para mim muito mais do que uma conquista", ele respondeu calmamente. Ele girou-me lentamente, olhando diretamente nos meus olhos. "Você não pode negar essa química entre nós por mais tempo..."

Ele gentilmente me girou de volta em seus braços eu me deixei ficar perto de sua presença calorosa, inclinando a cabeça contra seu peito. Um senso de equilíbrio estabelecido entre nós e ocorreu-me que esta era provavelmente a primeira vez que tínhamos estado tão relaxados um com o outro. Eu mantive minhas outras indagações na borda enquanto nós dançávamos lentamente em silêncio ao ritmo do jazz suave, deleitando com este novo sentimento.

"Posso interromper?" uma profunda voz familiar falou atrás de mim.

O braço de Edward ficou tenso na minha cintura.

Nós lentamente viramos para ver Emmett de pé ao nosso lado em um terno limpo e sorrindo. Ele nos deu uma piscadela e Edward relaxou um pouco. Será que ele se sentia ameaçado por Emmett ou algo assim? Eu pensei que o seu comportamento era estranho não só por ser um advogado quente, mas porque ele era... bem, Edward Cullen.

"Emmett! O que você está fazendo aqui?"

Uma voz alta gorjeou do meu ombro. "Você realmente acha que não iria vê-la na véspera de Ano Novo?"

Virei-me mais. "Alice! O que..." Emmett e Jasper começaram a rir da minha expressão completamente confusa. Todo mundo estava vestido para a ocasião e Jasper já estava cuidando de sua cerveja. Gostaria de saber a quanto tempo eles estão aqui e se observaram o quão íntimos Edward e eu estávamos dançando.

"Honestamente, eu não sabia o que estava acontecendo com todos vocês. Especialmente você, Alice." Eu olhei cética para a minha amiga.

"Sim, bem... nós queríamos que você tivesse uma noite agradável." Seus olhos brilharam para Edward, mas isso não passou despercebido por mim. Ela se virou para mim, sorrindo como o gato feliz. "Eu espero que não estejamos bombardeando em sua noite."

"Nem um pouco..." Eu disse sem certeza e olhei para Edward com as sobrancelhas levantadas.

Ele sorriu e se inclinou para sussurrar no meu ouvido. "Eles estavam determinados em ver você. Acho que posso lhe dar um pouco." Ele suspirou dramaticamente e Alice sorriu.

"Então, eu vou ter uma dança ou o quê?" Emmett gemeu impaciente mudando o peso nos pés.

Eu ri enquanto Emmett agarrou minha mão e me levou ainda mais para o pátio, assustando alguns casais que dançavam em nosso caminho. Ainda perplexa com as reservas de Edward, eu atirei-lhe um piscar de olhos por cima do meu ombro, na esperança de acalmá-lo. Ele fez uma pausa em sua conversa com Alice e me deu um pequeno sorriso torto.

Foi bom dançar com Emmett mesmo que ele não fosse tão gracioso como Edward, mas conseguimos balançar um pouco. "É realmente maravilhoso ver você hoje à noite Em," Eu comecei alegremente.

"Você também. Eu nunca pensei que eu ia te ver em um encontro que você goste. E você está fantástica esta noite."

"Você arrumou-se bem," o provoquei.

"Essa coisa velha?" ele brincou, referindo-se ao seu terno que eu assumi ser novo. Eu nunca tinha visto ele usá-lo antes.

"Eu acho que o refinamento de Rosalie está pegando em você."

Nós rimos junto.

"Bem, se você e eu não estivéssemos comprometidos esta noite, você sabe que seria meu par. É tradição."

Eu zombei. "Sim, logo depois da meia-noite você desaparece com uma coisa doce jovem e falaríamos sobre isso no café da manhã do Dia do Ano Novo."

Ele uivou rindo.

"E eu não estou comprometida...", acrescentei.

"Claro, com certeza." Ele revirou os olhos. "Qualquer cara teria a sorte de ter um pingo de sua atenção, mesmo que por apenas uma dança. Edward parece ser um cara bom... Claro, se ele ferir seus sentimentos de qualquer forma eu vou ter que bater nele." Apertei os olhos para ele. "O que? É meu direito como melhor amigo." E ele me mostrou os dentes num sorriso brilhante, covinhas e tudo. "Além disso, eu meio que já fiz..."

Bem, não é de admirar que Edward estava inquieto quando Emmett inicialmente se aproximou de nós. "Oh Meu Deus, o que foi que você disse?" Suspirei cansada, mas estava preocupada, mais uma vez através de métodos de Emmett Papai Urso.

"Nada que você precisa saber sobre. É uma coisa de caras." Ele riu e eu ri um pouco nervosamente, balançando a cabeça.

"Realmente agradável, Em." Nada do que eu tinha feito tinha assustou Edward, até agora, eu duvidava que Emmett poderia realizar isso apenas batendo no peito, a forma como os homens fazem. "Falando de seu comprometimento, onde Rosalie está?"

"Ela está por perto, socializando." Ele tem esse olhar suave nos olhos e suas covinhas se aprofundaram. "Eu já te disse sobre quando a levei para minha academia?" Eu balancei a cabeça. "Bem, isso foi parte do nosso namoro precoce, se assim poderia dizer. Pedi-lhe para vestir algo casual." Ele riu de novo. "Ela estava confusa por isso, provavelmente pensando que era um encontro no cinema ou algo assim."

"Parece que você só queria mostrá-la aos seus colegas de trabalho Emmett Chase." Ele sorriu com tristeza. "Oh, meu... você deu a ela uma de suas sessões de trabalho de treinamento também..."

"Malditamente certo. Eu lhe mostrei como trabalhar com uma máquina e a peguei olhando para mim. Isso não era o mais elegante dos encontros que eu tenho certeza que ela costuma ir, mas... nós realmente trabalhamos até suar naquele dia", acrescentou com uma risada.

"Uau, eu não posso imaginar Rosalie Lawrence laboriosamente trabalhando com pesos para você, mas eu tenho que dizer que estou impressionada com suas habilidades não convencionais de cortejar." Ele riu de novo e quase tropeçou em nossos pés.

"Sabe Em, eu meio que gosto quando você compartilha as coisas comigo sobre você e Rose... Eu não acho que eu iria, mas, bem, eu gosto de estar no circuito novamente com você..."

"Eu pensei que você não gostava de ouvir sobre sua chefe."

Eu observei o sorriso alegre e olhos brilhantes. Eu esperava que eu nunca olhasse ridiculamente doente de amor, mas estava feliz por ele. Ele não precisa da minha aprovação e eu não o queria na ponta dos pés perto de mim. Eu não queria ficar longe de Emmett, o pensamento me entristeceu muito.

"Bobagem. Você encontrou seu igual e estão condenados a ter uma expressão vidrada colada em seu rosto pelos próximos anos. Eu nunca iria culpar você por isso."

Rimos um pouco mais e eu tinha a sensação de que Emmett estava praticando suas habilidades na dança lenta comigo para uma dança futura com Rosalie, mas eu não me importava. Depois de um pouco mais de tempo, eu olhei para o meu relógio de pulso de um lado segurando o ombro largo de Emmett.

"Falta meia hora para meia-noite. Nós provavelmente devemos nos encontrar com os outros."

Nós encontramos o resto do grupo no bar do pátio conversando e bebendo. Edward estava falando com Jasper, mas encontrou meus olhos instantaneamente quando nos aproximávamos. Sentei-me ao lado de Alice, usando um pedido de minha bebida como desculpa.

"Qual é o seu plano esta noite..." Eu perguntei bruscamente sob a minha respiração.

Alice olhou para mim em toda sua glória inocente. "Realmente Bella, eu sempre faço o que é de seu interesse."

Eu mantive minha voz baixa. "Você poderia ter, pelo menos, me deixado entrar em seus planos. Pensei que estivesse festejando sem mim esta noite."

"Eu pensei que era melhor que você desfrutasse do seu encontro com Edward ao máximo. Se você confiasse em escapar mais tarde com seus amigos, você não poderia ter dado a noite uma chance. E, eu vejo que você ainda está aqui, o que significa que não tinha a intenção de pular para fora e ir para casa mais cedo."

"Hmm, você me conhece bem." Meus olhos dispararam ao redor da sala por alguns instantes. "Eu poderia tecnicamente ainda escapar. Há um buraco nesse seu plano."

"Mas você não vai. Falta 21 minutos para meia-noite e você não ousaria pular para fora de comemorar com seus amigos em qualquer caso." Porcaria, ela me pegou novamente. "Edward é nosso amigo também você sabe..."

"Você não o acha... presunçoso? Arrogante? Difícil?"

Ela riu alto. "Ah, claro, mas é tudo muito divertido e provocante. Realmente Bella, às vezes você é muito séria."

Eu olhei para ela com surpresa, ao ouvir Alice fez tudo isso parece completamente indiferente e despreocupado. Como eu poderia sequer começar a descrever o meu caminho de confronto com Edward e a sua comigo? Eu não podia. Eu não poderia explicar a química que tinha com ele. Não tinha sido sempre leve e divertido, mas era poderoso.

Ela me cutucou brincando nas costelas. "Estou feliz que você passou por essa noite Bella", ela comentou com um sorriso. "Você sabe que eu quero detalhes..."

"Aww Alice, não esta noite. Eu não sei nem por onde começar."

"Bem, vamos começar com o que você pediu, então."

"Umm, Edward pediu um caranguejo inteiro..." Eu senti meu rosto ficar quente.

Seu nariz franziu ligeiramente. "Sério? Que prato estranho para comer em um primeiro momento."

Lembrei-me dele lentamente puxando-o à parte e me alimentando. "Você não viu o modo como Edward come caranguejo. É... meio, bem, eu nunca vi nada como isso, Alice." Eu estava ficando nervosa e Alice não pareceu convencida.

"Bem, o que você pediu?"

Eu pensei de volta no nosso jantar de novo, mas tudo o que vi foram os dedos e os lábios de Edward piscando na minha mente. "Sabe, eu nem me lembro...", eu respondi distraidamente.

Alice riu de novo e olhou para o relógio. "Caramba! Faltam 12 minutos para meia-noite, é melhor ficar na pista de dança para esperar o Ano Novo!" Ela virou o resto de sua bebida e pulou do seu lugar, voando para o lado de Jasper. Sua conversa com Edward foi cortada quando ele foi arrastado pela exuberância de sua namorada.

Emmett e Rosalie já estavam dançando e eu me vi sozinha com Edward. De repente meu coração estava batendo forte no meu peito. Ele sorriu um pouco e nos juntamos a meio caminho antes de deslizar silenciosamente para a multidão de casais dançando bêbados e alegres. Edward me puxou para seu peito, um pouco rudemente, mas tudo o que eu notei foi uma vibração viajando através de mim com a força inesperada do impacto.

Ele inclinou a cabeça para baixo ao meu ouvido. "Você não está pensando em fugir antes da meia-noite, não é?"

"Isso não é um conto de fadas..." eu disse com a minha praticidade habitual, sentindo-me nervosa novamente. Ele riu baixinho e me abraçou. Em cerca de sete minutos eu estaria comemorando o Ano Novo com ele. Não com Emmett ou uma aventura. Edward Cullen. Era apenas um encontro, certo? Senti-me muito mais importante, como a subida final de um morro, oscilando à beira de uma ardósia fresca ou um novo amanhecer. Era assustador colocar o Ano Novo em que perspectiva.

"Qualquer resoluções de Ano Novo?" Edward perguntou como se estivesse lendo minha mente.

Eu pensei sobre isso por um momento, mas estava vazio. "Eu não contemplei muito isso."

"Eu consigo pensar em vários para você." Ouvi a provocação brilhar em sua voz que geralmente acompanhava seu sorriso.

Eu levantei meu rosto para olhar para ele com os olhos semicerrados. "Como o quê? Você acha que eu deveria sair pulando pela rua com você?" Espere, eu já tinha feito isso... "Andar na praia, piqueniques no parque, uma vida mundana fácil?"

Ele riu sem humor. "Eu certamente espero que não. Podemos jogar um piquenique assassino, mas se você já parou de discutir comigo, eu diria que você já se resignou a uma vida mundana."

Ele girou e girou-me de volta em seus braços energicamente, como que para provar como não convencional e emocionante a vida poder ser com ele. Ele impulsionou minha própria disposição resoluta.

"Você não pode simplesmente ser agradável?"

Ele me abraçou antes de me girar e mergulhando de novo comigo. Ele me segurou em seus braços precariamente enquanto se aproximou, equilibrando-me à sua mercê. "Você quer que eu simplesmente concorde com seus termos e não vou fazer isso."

Ele girou-me de pé, o movimento deixando a minha pele cada vez mais corada. "Você sabe qual é seu problema, Bella?"

"Eu não acho que apontar meus defeitos é a maneira de embelezar o encontro..." Eu estava ficando irritada com ele novamente.

Ignorando o meu comentário, ele disse, "Você não pode passar pelo seu próprio orgulho para ver o que realmente existe entre nós." Com um giro final, ele apertou-me no seu peito.

Meus seios estão esmagados contra ele, meu rosto ainda está quente. Eu estava confusa, tentando entender meus rolamentos e réplica. "Eu..." Seus olhos suavizaram, concentrando-se em cima de mim, e seu olhar vagou do meu peito para o meu rosto várias vezes. Eu não sabia o que dizer a ele, mas eu queria beijá-lo forte.

Ficamos assim, a multidão dança começando a engolir-nos com sua emoção. A área zumbiu alto e a contagem regressiva do Ano Novo começou do dez.

Dez!

"E o que dizer de suas resoluções?" Perguntei-lhe apressadamente.

Nove!

"Eu acho que você sabe o que é", ele simplesmente respondeu.

Oito!

"Eu ainda espero que você tente ser mais agradável..."

Sete!

"E onde estaria à graça nisso?"

Seis!

Ele se aproximou, a centímetros do meu rosto, e seus olhos escureceram com a necessidade.

Cinco!

"Você vai me beijar?"

Quatro!

"Você quer que eu te beije?" Ele passou seus dedos ao longo da minha mandíbula e minha respiração engatou.

Três!

"Você quer que eu queira que você me beije?"

Dois!

"Fique quieta Swan e deixe-me..."

UM!

Ele me puxou quando meu fôlego pegou, capturando a minha boca com a sua. Minhas pálpebras se fecharam quando os aplausos de FELIZ ANO NOVO! cresceram abafados como se nós tivéssemos subitamente sido submersos em água. Os lábios de Edward eram gentis, suaves e encaixavam contra o meu naturalmente. Eu senti sua outra mão deslizar até o lado oposto do meu rosto, levemente puxando-me para mais perto do seu calor.

Nossa química ampliou, apressando-se para a superfície dentro do nosso abraço. Era quase palpável.

Sua língua tocou levemente meus lábios, discretamente os abrindo. Ele varreu o meu de uma forma tão absolutamente sensual que um suave gemido escapou. Depois de um momento ele se retirou preguiçosamente, e me beijou mais uma vez antes de se afastar.

Meus olhos se abriram enquanto os aplausos de felicitações, beijos, e gritos em torno de nós agrediram os meus ouvidos.

Cada beijo que eu já tinha compartilhado com Edward tinha sido diferente até agora. Áspero, desesperado, apaixonado, macio e sensual. Eu encontrei o olhar de Edward com os olhos arregalados, assustada com o barulho e pela magia que tinha sido tecida sobre mim segundos atrás. Quanto tempo realmente durou o beijo? Parecia muito mais do que alguns segundos.

Edward parecia um pouco atordoado e, em seguida, o menor sorriso torto enfeitou o canto de seus lábios quando ele olhou para mim. "Você é muito perigosa para mim quando você olha assim". Sua voz estava com o tom rouco.

"Como o quê...?" Eu perguntei, sem fôlego, inclinando-se para ele quando me pegou em seus braços para continuar a nossa dança lenta.

Ele apertou sua bochecha contra meu templo. "Seus olhos brilhando, sua pele está corada, e você está usando esse vestido..."

Minha respiração acelerou e cresceu mais pesada contra seu peito. Eu não acho que já me senti mais desejada por um homem.

"Mas isso é além do ponto...", ele murmurou no meu cabelo.

"É mesmo?" Eu guinchei e limpei a garganta. Como pode um homem pensar em outra coisa? Eu sabia que ele me queria mal...

"Sim." Ele agarrou minha mão e eu o segui em silêncio, deixando nos levar para fora. Eu estava consciente de cada pequeno toque dele e estremeci quando ele me ajudou com o meu casaco. Foi completamente ilógico tremer a partir do calor acrescentado, mas suas mãos demoraram um momento a mais em meus ombros.

Ficamos de conversa fiada no passeio de carro para cobrir a grossa energia crepitante no interior desse pequeno espaço. Cada tranquilo pedaço de pigarro e movimento das mãos só aumentava a atmosfera tensa que recusamos a admitir em voz alta.

Ele estacionou o carro na frente do meu prédio e caminhou até a porta, Edward em silêncio e eu tremendo logo abaixo da superfície. Ele iria me mostrar como eu era perigosa para ele? Reuni minha inteligência e fascínio, contemplando meu ângulo, a fim de levá-lo para cima. Se eu fosse muito óbvia ele iria me provocar, se eu não fosse bastante óbvia ele iria tentar me manipular. Talvez eu poderia me referir à nossa conversa anterior ao ir para o meu prédio e esperar que ele seguisse...

Eu finalmente olhei para ele quando parei em frente à porta principal. Nossos olhos imediatamente fixaram no outro. Seu cabelo estava soprando um pouco na brisa leve e as maçãs do rosto anguladas estavam coradas pelo ar frio. Eu perdi minha linha de pensamento.

Ele era tão ridiculamente atraente que era quase irritante. Eu desviei o olhar, meus pensamentos correndo para fechar em um assunto. Mas o que dizer em primeiro lugar? Eu poderia ir com o de costume, eu tive um bom tempo esta noite ou então, o meu vestido parece magnífico no chão?

Edward chegou antes de mim. "Seria clichê dizer que tive um bom tempo esta noite?"

"Sim. Isso é terrivelmente clichê para alguém tão criativo, a menos que você realmente queira dizer isso..." Olhei para ele através de meus cílios, sem saber o quanto ele seria sincero. Eu tive um tempo surpreendentemente maravilhoso e esperava que ele também.

Ele deu um passo para mais perto, testando o nosso espaço. "Eu quero dizer isso."

Eu soltei um suspiro. "Eu tive um bom tempo também...", eu admiti, torcendo minhas mãos nervosamente e os impedindo de correr até o peito de Edward.

Meu olhar demorou sobre seus atributos finos até chegar no seu sorriso. Tirei meus olhos de volta do seu, encontrar sua diversão mal escondida brilhando para mim. Fiz uma careta para ele, irritada que ele me pegou de novo, ou melhor, que eu me deixei ser pega.

"Do que mais você gostou?" ele perguntou, brincando comigo.

Eu intencionalmente dei de ombros casualmente e olhei para minhas unhas, concentrado na minha manicure inexistente. "A comida era muito boa."

Ele se moveu para mais perto. "E o que você mais gostou sobre a comida...?"

Continuei com a minha forma informal, eu disse: "O jantar foi muito agradável, mas devo admitir que eu estava esperando por algo mais... delicioso para a sobremesa." Eu olhei para ele incisivamente, esperando que ele pegasse o meu significado real.

Suas sobrancelhas se levantaram, o sorriso ainda fixo em seu rosto. "Você não gosta de melão?"

"Não tanto quanto você, aparentemente," eu disse, lembrando mais uma vez quando a sua língua se arrastou até o canto da minha boca.

Ele se inclinou para mais perto, seus olhos começando a arder como uma chama de gás em um fogão. "Eu tenho um carinho especial por melão. Ele é muito doce e fresco...", ele disse em um tom mais profundo, sua respiração enevoando o ar entre nós. "Mas eu sou muito exigente sobre melões." Ele fez uma varredura rápida de minha figura com os olhos.

Eu olhei para os meus melões por um momento e ele riu baixo. "Não esses melões Bella."

"Me desculpe o que?" Eu perguntei, confusa. "Então de que melões você gosta?" O meu decote não é bom o suficiente para ele ou algo assim?

"Eu não estou me referindo as suas curvas." Ele olhou para baixo para examinar os bens novamente com um lado de seu rosto sugado, lutando contra um sorriso.

Eu cruzei os braços sobre os melões não mais em questão. "Então o que? Que tipo de melão você gosta?" Decidi jogar junto com seu jogo.

Ele estendeu a mão para traçar ao longo do comprimento do meu braço.

"Mmm..." Seus dedos se moviam sobre o meu ombro com cuidado, brincando com uma mecha do meu cabelo.

Me movi para mais perto, colocando a mão sobre o seu peito e deixando meus dedos se moverem em suaves círculos precisos. "Com o tipo certo de atenção, o seu fruto pode florescer bem..." Eu disse, olhando em seus olhos. Eles estavam sérios, em chamas e esperando por mim. "Mas, se você não cuidar da sua fruta, isso pode ir mal." Eu audaciosamente o beijei rapidamente nos lábios, provocando-o. Sua expressão escureceu.

"Bem, eu não quero que a minha fruta estrague..." Sua voz era baixa e ele brevemente pressionou seus lábios nos meus, imitando o gesto.

"Você quer que ele fique firme... e doce..." Meus lábios tocaram os seus para mais um beijo e eu senti seus braços deslizando ao redor da minha cintura.

"Ainda estamos falando de fruta?" ele perguntou um sussurro, olhando para a minha boca.

"Bem, eu estou..." Eu menti, lentamente, lambendo meu lábio inferior, sabendo que o afetaria.

Rapidamente, a desorientação tomou conta de mim e eu tentei me equilibrar contra o corrimão das escadas, mas não havia necessidade. Edward tinha me segurado firmemente em seus braços, esmagando-me contra ele, como sua boca alcançando a minha. Sua língua ansiosamente escovou ao longo do meu lábio antes de urgentemente invadir a minha boca. Ele ainda tinha um gosto delicioso. Sua boca era macia e quente, mas não inteiramente áspera. Ele beijou-me não como se estivesse explorando, mas simplesmente sabia o que ia encontrar e como seria bom. Eu não conseguia recuperar o fôlego e depois de um momento meus lábios se moveram desajeitadamente com os seus até que eu fosse capaz de cair em sincronia com ele.

Quando eu deslizei minhas mãos ao longo da sua nuca, de repente me vi pressionada contra a porta da frente com o mínimo de impacto, e eu estava perdida nele... Os braços de Edward ainda estavam segurando-me, devorando meus lábios e língua febrilmente. Eu respirei, enrolando as mãos em seu cabelo, seu emaranhado no meu, me esmagando ainda mais em seu calor. Nossos lábios se mantiveram inclinados um para o outro, nossas línguas deslizando lentamente e se juntando. Seus dentes suavemente roçaram meu lábio antes de sugar e me beijar. Mal compreendendo essa corrida de necessidade, eu o agarrei mais firmemente contra mim, uma das minhas pernas urgentemente enrolando nas dele.

Ele gemia, sem fôlego e desceu isso em sua garganta, seus quadris inclinando-se para mim, como sua mão começando a deslizar para baixo da minha bunda. Nós gememos baixinho, o nevoeiro de nossas respirações escapando em suspiros pequenos.

Enquanto ele clamou os meus lábios entre sua outra vez, me segurando perto, eu o senti endurecer contra a minha parte inferior do estômago. Eu suspirei com um arrepio na sensação dele, percebendo o quanto eu o estava afetando. Eu ansiava por mais e angulava meus quadris nos dele. Ele respondeu imediatamente, balançando um pouco em mim e eu gemi baixinho em sua boca. Com ainda mais urgência, ele arrancou meu vestido até aproximadamente a metade da coxa, a respiração pesada e rápida. Minha outra perna amarrada em sua panturrilha e meus braços estavam em seu pescoço, mantendo-o preso a mim. Ele gemeu um suspiro, levemente moendo contra mim novamente.

Eu estava sobrecarregada com tanto de seu calor e paixão batendo em mim, o poço de mim mesma fermentando quente e voando com as sensações. Sabendo que tinha que entrar, mas sem a menor iniciativa das partes no momento, eu mordisquei seu lábio, sentindo a pele lisa entre meus dentes. Ele sibilou e balançou em mim novamente, seus lábios se movendo fortes e acaloradamente contra os meus. Minha mão viajou pelas suas costas e traçou em torno de seu quadril para a fivela do cinto, em silêncio, pedindo-lhe para subir com a promessa de mais.

Sua boca rompeu da minha quando ele agarrou minha mão, impedindo-o de tocar em sua cintura. O ar frio indesejável formigou em meus lábios, seu rosto não mais do que uma polegada do meu. Nossa respiração zumbiu alto, no silêncio da noite na minha esquina. Nossos pulsos estavam correndo enquanto nos olhamos com os olhos arregalados e desejo dirigindo um para o outro. A expressão de Edward quase parecia selvagem, seu cabelo espetado em todas as direções. Eu não poderia imaginar como eu parecia, mas eu me sentia confusa.

Ele se inclinou, pairando acima dos meus lábios com sua respiração irregular e sussurrou em uma voz arranhada, "Eu... Eu vou ver você amanhã, Bella." Ele me deu um rápido beijo suave em meus lábios que não responderam enquanto eu olhava para ele, completamente incapaz de pensar. "Feliz Ano Novo..." Suas bochechas ainda estavam coradas quando ele se virou, caminhando para seu carro com mais velocidade do que graça.

Eu não me lembro muito bem dele saindo até que o silêncio finalmente me bateu. Eu estava atordoada demais para me mover pelo elevado ataque de luxúria e o ar frio agora me envolvendo. Eu consegui tropeçar para trás, abrindo a porta e batendo para o ar da noite. Eu cai contra o outro lado da porta, com a cabeça pendendo para o lado enquanto eu mordi de volta o meu gemido e tentei acalmar a corrida do meu coração.

Tudo aconteceu tão rápido e eu ainda estava atordoada demais para processar a maior parte. Este foi o melhor encontro que já tive em toda minha vida e então eu fui e me joguei para ele. Ele deve ter vindo para me dar um beijo doce de boa noite quando eu o segurava, sufocando-o com o meu desespero. Isso não ia ser mais um caso de uma noite em que eu dormi com o cara no primeiro encontro. Eu só sabia que isso era incrivelmente bom e eu fechei meus olhos, tocando levemente meus lábios com a ponta dos dedos, lembrando da sensação dele em mim.

Seria possível doer fisicamente por alguém?

~x~

Acordei deitado de barriga para cima na minha cama e olhando para o teto. Minha mente se perdeu em um pensativo atordoamento, repetindo os eventos da noite anterior. Os sorrisos, os pequenos toques, o calor... Era tão não natural para mim me sentir tão cheia de alegria e ainda tão fisicamente insatisfeita. A "manhã seguinte" foi totalmente ao contrário do meu habitual pulando pela rua depois de receber o chute sem a intimidade.

Sabendo que o feriado seria de curta duração, eu aproveitei a oportunidade para relaxar na minha morada confortável tentando manter minha mente de vaguear longe demais. Falei no telefone com Ang, Renée e Charlie um pouco e, em seguida, deitei no meu sofá, satisfeita por finalmente ter tempo para mim. Eu encontrei-me inquieta depois de algum tempo, fechando um livro e passando os canais de TV.

O silêncio que eu geralmente me sentia confortável não me acompanhou mais no meu espaço pessoal. Enquanto eu refletia sobre o que fazer comigo, meu telefone tocou com uma mensagem de texto.

Feliz Ano Novo.

Eu não resisti responder e me senti só um pouco emocionada que Edward estava pensando em mim.

Você saiu rapidamente ontem à noite...

Se eu lhe desse tudo o que você queria, você não teria mais pelo o que ficar perto.

Eu pensei sobre isso. Talvez os seus jogos não eram simplesmente para me enfurecer? Enquanto eu estava testando a mim mesma, ele ainda estava me testando...

Igualmente. Por que você acha que eu nunca vou te dar o último pato...?

Um dia, eu vou encontrá-lo. Eu tenho meus métodos.

Nem mesmo as algemas cor de rosa vão me fazer confessar!

Ainda pensando sobre elas estão?

Era fácil imaginar o sorriso em seu rosto e a risada vinda de seus lábios.

Nem um pouco.

Ele não respondeu de imediato e eu olhava para a tela do meu telefone pelo que pareceu uma eternidade. Minha curiosidade duplicada a cada momento que passava, o tempo se movendo mais lento do que o melaço.

Não se esqueça de pensar sobre as suas resoluções Bella.

Um suspiro de alívio voou de meus lábios e eu apressadamente respondi.

Eu não sou a única a precisar de um ajuste.

Eu estou aqui no meio, esperando a minha fruta amadurecer.

Ha Ha. Feliz Ano Novo Edward.

Depois disso eu imaginei Edward relaxando ao meu lado no sofá, com o braço em volta dos meus ombros. Eu perguntaria se ele gostaria de assistir o History Channel, ou talvez um jogo de hóquei. Sorrindo, eu até pensei o quanto ele iria desfrutar de programação paga de um showroom de exibição dos mais novos carros no mercado.

Então eu fiz uma careta por que eu queria tanto ele comigo, só para fazer algo muito normal que eu poderia fazer por minha conta. O único homem que eu já sentei confortavelmente em um sofá, com o passar o tempo foi Emmett. Embora ele nunca tinha tido qualquer intimidade e eu encontrei-me com saudades de que como isso poderia ser com Edward...

~x~

A terça de manhã veio rapidamente e com uma rajada alegre de janeiro no ar.

Quando as postas do elevador se separaram, meu peito já estava leve e esvoaçante, nervosa para ver Edward e impaciente para voltar para o caso de Arthur Daniels. Como eu dobrava a esquina da minha porta do escritório, Edward já estava lá, sentado na minha cadeira com as pernas cruzadas nos tornozelos. Sua cabeça estava escondida atrás do jornal de hoje, a leitura do artigo mais recente das selvagens alegações de Arthur Daniels.

Ouvindo-me entrar, ele inclinou o jornal de lado e quase sorriu para mim, mas não fez nenhum movimento para sair. Ele segurou a caneca de café na outra mão e tomou um gole casual.

Meus sentidos foram atormentados pela visão de café e Edward e eu lentamente desviei para ele. Esta foi uma ótima maneira de começar o meu dia. Afaste a sonolência, a melhor parte de acordar, é Edward no meu copo!

"Oi..." eu o cumprimentei, colocando minha bolsa no chão ao lado de minha mesa.

Ele levemente joga o jornal de lado e se levantou da cadeira quando me aproximei.

"Você teve um bom dia de folga?" ele perguntou educadamente, olhando para mim com olhos suaves ainda aguardando.

Eu assenti, sorrindo e realmente não me importando com a sua pergunta, mas mais interessada em apenas estar em sua presença. Eu ia perguntar-lhe o mesmo, exceto que só ficamos olhando um para o outro em um silêncio paralisado com sorrisos leves. Parecia ser mais um daqueles momentos equilibrados. Nós dois éramos tão obstinados ainda... incertos agora.

"Bom dia!" A voz cantante de Alice gritou um pouco antes dela bombardear o nosso espaço de escritório. Edward e eu endurecemos e saltamos afastados. Bom aviso Alice. "Que dia bom esse vai ser!" Ela suspirou alto e jogou suas coisas em sua cadeira em um montão. Ela continuou a conversa, aparentemente ignorando que a sua entrada normal foi uma interrupção nesta manhã.

Meus lábios apertaram, tentando não rir ao ver aborrecimento recente de Edward com Alice. Ele silenciosamente flutua de volta para mim com a expressão séria fixada no lugar e levemente traçando o dedo ao longo da minha mandíbula. Assim que quando minhas pálpebras estavam prestes a fechar como um gato malhado contente, ele rapidamente sai do meu escritório.

Alice sai pela porta, chamando por cima do ombro: "Vamos Bella! Reunião no escritório de Rose esta manhã", e desapareceu também. Ainda suspirando e sorrindo ao toque persistente de Edward, eu mal ouvi uma palavra enquanto peguei minhas notas.

Uma batida forte na minha porta interrompeu minha suave neblina sonhadora eu virei com uma carranca de ver o homem da entrega de flores com um buquê em seus braços.

"Bella Swan?"

"Sim, sou eu", eu respondi em confusão, fazendo sinal para que ele colocasse o vaso sobre a mesa. Será que Edward me mandou flores? Meu coração começou a inchar como uma menina da escola.

Depois de colocar na minha mesa, ele comentou: "Alguém deve gostar muito de você. Lírios e cravos novamente. Divirta-se!" Ele tirou o chapéu e saiu me deixando com o cartão com as sobrancelhas franzidas.

Lírios e cravos de novo? Não, não podia ser...

Meu coração batia forte enquanto escorreguei a nota fora do pequeno envelope e abri.

Você não deve demorar fora do seu apartamento, os esquilos não são a única coisa que sai à noite. Estou ansioso para vê-la novamente.

Não estava assinado, mas eu sabia quem era pela última frase familiar e minha mente cambaleou. As palavras ecoavam o primeiro buquê de James. Deixei o cartão como se tivesse queimado minhas mãos, abalada. Por que ele iria entrar em contato comigo depois de todo esse tempo? O choque ainda estava formigando meus sentidos, mas horror inundando dentro de mim. Ou se ele tivesse me observando mais do que esse reaparecimento repentino?

Eu me encolhi com o pensamento inquietante e fiz o meu melhor para controlar o meu pulso acelerado, olhando para as belas flores que agora pareciam cuspir veneno. Elas envenenaram a minha nova alegria e eu só tinha de me livrar delas. Hesitante, eu agarrei o vaso pela borda e calmamente enfiei o arranjo na minha lixeira. Lutando com o pânico, eu os empurrei com mais ruídos e amarrei o saco de lixo com os dedos trêmulos.

Ainda não satisfeita, eu peguei meu telefone e liguei para o serviço de limpeza do nosso andar para descartarem o saco. Eu não sabia o que fazer sobre isso ainda, mas eu não queria que ninguém descobrisse, especialmente Edward.


PREVIEW DO 18

"Bella, trabalhe", ele disse, sem olhar pra mim.

"Como posso trabalhar com a sua presença me distraindo?" Eu perguntei, sentando-me para realmente focar nele agora.

"Seus olhares estão me distraindo. Você não é muito sutil." Seu lábio enrolou enquanto ele começou a destacar algumas linhas do texto.

"Eu... Hmph." Eu me abaixei pra trás nos meus trabalhos com uma careta.

Depois de um momento eu ouvi a mudança do seu peso corporal e o amassar de papéis.

"Bella."

"Sim?" Eu perguntei levemente, olhando para os parágrafos intermináveis de jurisdição do Tribunal do Estado. Recusei-me a olhar pra ele.

Então eu senti ele se aproximar. "Olha pra mim." Foi um pedido bastante simples.

"Não. Você está certo, temos muito trabalho pra fazer", eu disse casualmente, destapando o meu marcador.

Ele riu ao meu lado e eu olhei pra cima, curiosamente, apenas para encontrar seus lábios. Imediatamente, minhas pálpebras se fecharam. Foi um simples beijo, levemente pressionado. Durou apenas um momento, antes dele se afastar, mas foi tempo suficiente para agitar algo de bom em mim.

"O que..."

"Seus lábios são irresistíveis quando você faz beicinho", ele disse suavemente.


O relacionamento deles está evoluindo, aos poucos eles chegam lá lol E sobre o final, lembram do capítulo 13 onde a Bella sente que tem alguém a seguindo? Pois não descartem isso, porque é uma peça do que James está fazendo. E quem não entendeu a piada por trás do melão, volto a repetir, leiam o Outtake aqui (www(PONTO)fanfiction(PONTO)net/ s/ 6658806/ 1/) é algo que o Edward pensa quando está com a Bella pela primeira vez.

Comenta gente, o capítulo anterior teve só 10 reviews, já o 15 teve 24, e o número de leitores continuou o mesmo :(

O próximo capítulo está pronto, então depende de vocês quando ele será postado ;)

Beijos

xx