I Hate You, Kiss Me

Sinopse: Bella desistiu de namoros, mas tem uma noite com o misterioso Edward Cullen. Ambos são surpreendidos quando ele consegue um emprego em seu escritório de advocacia! Os Colegas de trabalho Alice e Jasper, seu melhor amigo Emmett e a chefe sensual Rose, desempenham um papel na vida amorosa de Bella.

Disclaimer: A fanfic pertence a BittenBee que me autorizou a tradução. Os personagens em sua maioria pertencem a Stephenie Meyer. Não copie a tradução e nem a história, tudo é da BittenBee.


Música do Capítulo: Stick Sweet – Erin McCarley


"Ordem não é a pressão imposta pela sociedade ao indivíduo, mas o equilíbrio que ele consegue estabelecer dentro de si mesmo." – Jose Ortega y Gasset

"Ame o momento e a energia dele irá ultrapassar todas as suas fronteiras." – Corita Kent


Capítulo 19

A música alegre viajava alto através do ar, filtrando entre zumbidos, corpos rindo. Era um ambiente sazonal de máquinas oleadas, luzes brilhantes, e o cheiro de bolos fritos. Em cada turno, o os brinquedos giravam loucamente, barracas de jogos e prêmios chamavam, e barracas de comida vendiam os menos saudáveis , os mais deliciosos, lanches superfaturados. Multidões passeavam, pulavam e gritavam. Casais patinavam na pista improvisada ao lado da atividade principal. Tudo parecia ter um brilho quente e amarelo para isso, apesar do ar de inverno. Este era diferente de qualquer lugar que eu já tinha estado com Edward. Sem álcool e sem roupa extravagante. Este era o Carnaval de Inverno*.

*Carnaval é uma festa com barracas de comida, jogos, alguns com brinquedos de parque de diversão e etc.

Era uma das poucas vezes que eu tinha visto Edward vestido casualmente e era quase surreal estar com ele onde a maioria das pessoas consideravam uma atividade normal. Nós não estávamos em um banheiro ou um armário neste momento. Escapadas entre documentos voando, telefonemas, e goles de café foram trocados por uma noite casual. Nada sobre Edward e eu era fácil e normal, mas deixou o momento mais doce.

Gosto do Carnaval de Inverno e gostava de ir com o grupo a cada ano. Emmett em particular adora isso–competição e passeios rápidos marcavam sua adrenalina. Um ano Alice e eu tentamos ensiná-lo a patinar no gelo, o que acabou sendo um desastre bobo. Nós rimos com as tentativas de Emmett ser gracioso enquanto deslizava ao redor como um jogador de hóquei enorme. Eventualmente, ele se cansou da nossa instrução e dirigiu-se a uma velocidade ridiculamente rápida derrubando Jasper. Os dois homens adultos se tornaram uma massa enrolada e esparramada no chão, enquanto Alice e eu nos dobrávamos de tanto rir. Emmett se recusou a ir à patinação no gelo, depois disso, alegando que era "uma coisa garota" e Jasper ria entredentes.

Eu tinha originalmente descobri o Carnaval pelo jornal depois do meu primeiro ano vivendo em Seattle. Eu decidi dar uma olhada, sentindo saudades de casa e cansada com o ritmo e o barulho da cidade. Ao entrar neste evento sazonal senti se estivesse pisando em uma arena de luzes coloridas e maravilha, apesar das crianças correndo e hordas de pessoas altas.

No entanto, eu achava que não era o tipo de cena para Edward.

Como de costume, Edward me surpreendeu.

No começo, ele riu da minha escolha de local para encontro, aparentemente não estava apenas divertido, mas também surpreso que ele não tinha nem chegado perto de adivinhar. "Eu não fui a um carnaval em anos", e ele segurou minha mão, levando-nos mais para o meio.

Sentir sua mão sobre a minha me confortou maneiras que eu não estava esperando.

Estávamos um pouco estranhos no começo, quando eu o busquei. Meu rosto estava excessivamente aquecido nos primeiros minutos porque estávamos muito conscientes do motivo pelo qual eu não precisava de instruções para chegar ao seu apartamento.

Claro, eu tinha deixado anonimamente que fotografia do pato número seis antes do Natal, mas desta vez ele realmente sabia enquanto aproximou do meu carro parado lá na frente. A tensão rapidamente desapareceu quando ele sorriu e não tinha me atormentado com perguntas sobre onde eu estava nos levando, como eu tinha feito no nosso primeiro encontro. Foi difícil o suficiente me concentrar na estrada com sua presença enchendo o carro, mas eu ainda notava alguns sinais de impaciência. Ele frequentemente mexia as mãos em seu colo e ficava olhando pela janela no que eu assumi ser para manter o controle da direção estávamos indo. Eu tive que dar-lhe alguns pontinhos por ser um bom esportista.

Eu fiquei mais nervosa sobre sua reação quando eu estacionei na rua, ouvindo o barulho do carnaval não muito longe, escondido atrás das árvores.

Foi um alívio uma vez que ele viu o que nossos planos para as próximas horas eram, ele estava satisfeito com isso.

Com a sua mão ainda segurando a minha, ele foi até a maior, mais rápida, montanha-russa em toda a arena. Eu derrapei até parar, sua mão puxando meu braço no processo. "O que há de errado?"

Suas sobrancelhas grossas se juntaram pela minha hesitação.

Engoli em seco, a minha visão de viajar até o andaime de metal rígido que se erguia sobre nós. "Você não quer começar com algo pequeno?" Eu geralmente fazia alguns passeios de aquecimento antes de mergulhar nos grandes.

Ele soltou a minha mão, sorrindo, com uma sobrancelha levantada. "Está com medo?"

"Claro que não", eu disse imediatamente, levantando meu queixo. "Eu sou o tipo de garota que sabe lidar com isso."

"Bem, eu sou o tipo de cara que vai atrás do que quer", ele respondeu suavemente com uma leve sorriso.

Mantendo a minha dignidade, eu passei por ele, dando-lhe um olhar feio. Seus olhos brilhavam com diversão perversa enquanto lentamente seguia atrás de mim na fila.

Quando eu parei atrás da última pessoa, o senti. "Você não me assusta, Srta. Swan", ele sussurrou em meu ouvido. Fiquei chocada por um momento, enquanto sua respiração fazia cócegas em mim.

"Nem este passeio", eu respondi em um tom uniforme, olhando-o de lado. Eu brevemente me perguntei por que ele se dirigiu a mim tão formalmente.

Ele riu enquanto avançou para frente entre a massa de pessoas ansiosas.

Uma vez sentados na montanha-russa, eu ignorei o meu coração batendo enquanto o cinto era preso em torno de nós mesmos.

Nós brevemente trocaram sorrisos desafiadores antes de começar.

Vinte segundos de incoerência.

O grito construiu com a pressão e ficou preso na minha garganta. Meus olhos estavam arregalados, sem ver, e ardendo pelo vento. Eu ouvi os outros ao nosso redor gritando com a emoção da velocidade, o zumbido contra o meu cérebro congelado.

E então, acabou.

Eu me recuperei, finalmente percebendo que Edward estava desafivelando minhas tiras.

"Você está bem?" ele perguntou, tirando-me do meu assento com diversão.

"Tudo bem."

Ele me pegou antes que eu caísse.

Andamos um pouco e eu estava agradecida pelo tempo para me recuperar. Então eu vi para onde estávamos caminhando e o horror me inundou. Nós nos aproximamos da cabine de fotos do passeio de montanha russa. Fotos de casais piscavam na tela em um slide show. Eu olhei para a tela até que vi dois rostos familiares aparecerem.

Digite Bella e Edward. Nós não poderíamos estar mais diferentes na foto. Meu cabelo foi lançado para trás, os meus olhos esbugalhados em terror, boca congelada no meio do tremor. Edward parecia perfeitamente em paz e calmo com seus dentes brancos de comercial. Seus olhos estavam um pouco apertados, a alegria neles combinava com seus lábios que estavam espalhados em um sorriso vencedor. Eu pensei que até mesmo vi um brilho em um de seus dentes...

Estávamos mesmo no mesmo passeio?

Edward gargalhou e foi até a cabine de compra. "Vamos imprimir uma cópia do número 38", disse ele, já tirando a carteira do bolso de trás.

"Nós não vamos!" Exclamei, correndo na frente dele, esmagando a mão de dinheiro contra o seu peito com desgosto.

"Vamos", disse ao caixa educadamente, me ignorando.

Eu cerrei os dentes. "Edward."

"Bella." Ele suavizou seu sorriso em uma linha paciente.

"Por que você quer uma imagem tão horrível?"

"Tudo bem aqui vamos lá, isso será–"

"Nós não terminamos de falar," eu bati no caixa. O torso do homem côncavo silenciosamente deslizou a foto para frente sobre o balcão.

"Bem, isso já está impresso," Edward respondeu, sutilmente entregando ao caixa alguns dólares. Então ele se virou para mim com falsa preocupação. "Você não quer que isso vá para o lixo. Pense nos nossos recursos limitados e as árvores em declínio."

"Isso não é um problema, até mesmo em Washington." Peguei a foto para dar outra olhada para ele. Ainda era horrível.

Ele colocou o braço em volta dos meus ombros, rindo baixinho para si mesmo. "Não é tão ruim assim..."

"Pois bem, você mal pode conter o riso," eu resmunguei enquanto ele arrancou a foto de mim.

"Deixe-me compensar isso para você, então," sua voz ronronou quando ele me puxou para perto. "Vamos a qualquer passeio que você quiser."

"Eu gosto dos balanços."

Então nós fomos aos balanços. Foi divertido e alegre, girando-nos na brisa suave. Lembrou-me de ser criança novamente. Edward e eu roubamos olhares um do outro e, finalmente, nossos olhares se encontraram. Bateu-me outra vez o quão bonito ele era e quão estranho era que um homem tão formidável poderia estar nos balanços comigo. Seu cabelo explodiu ao redor e eu não pude deixar de sorrir ironicamente pela situação.

Depois disso eu estava de volta no meu bom humor pelo resto da noite. Eu continuei a deixar levar tudo na brincadeira. Edward e eu compartilhamos massa frita* e algodão doce, cada um de nós puxava uma parte e mastigava com sorrisos.

*Massa frita é um alimento norte-americano associada de barracas de comida ao ar livre em carnavais, parques de diversão, feiras, rodeios, e etc. Massa frita é o nome específico para uma determinada variedade de pão frito feito de uma massa de fermento.

Assim que nós terminamos o pacote, Edward me surpreendeu pegando no meu cabelo, levemente puxando alguns fios. "Eu não sei como você fez isso Bella Swan, mas você tem algodão doce em seu cabelo."

Seus dedos ficaram entre os fios, trazendo-os para o seu nariz, e levemente inalando. "Agora, o seu cabelo cheira a doce..."

Eu o surpreendi arqueando-me sobre as pontas dos meus pés e falei baixo, "Os meus lábios tem gosto de doce também." Pressionei minha boca contra a dele, eu o beijei docemente, chupando levemente em seus lábios.

Seu corpo sacudiu antes de relaxar e seus dedos fecharam em meu cabelo, trazendo-me para mais perto dele enquanto abriu a boca em resposta. Sua língua roçou o céu da minha boca um rastro de açúcar, a essência molhada enchendo meus sentidos. Meus braços envolveram em sua cintura, pressionando-me para mais perto dele. Isso foi delicioso em mais de um sentido. Ele gemia baixinho, sentindo o calor de nossos corpos e deslizando suas mãos ainda mais no meu cabelo.

Como os braços enrolado em volta de mim com mais firmeza, eu lutei contra o formigamento de luxúria e uma tontura. Se eu estava indo para provocar Edward, tinha que atraí-lo rápido, mas teria que controla a mim mesma ou as coisas iriam longe demais. Eu abruptamente interrompi o beijo e os seus braços caíram lentamente, confuso com a minha reação.

"Então faça o que quer fazer." Eu o deixei ir, sorrindo ligeiramente.

Ele sorriu para mim, parecendo confuso.

Sensação me deixou tonta – dos passeios, grandes quantidades de açúcar, e Edward – Eu sugeri que nos contentássemos nos estandes de jogos. Era uma faixa de mercado pequeno ocupado pela concorrência inocente e prêmios simples. Fizemos uns jogos de lançar, martelar o hipopótamo, e esguichar pistolas de água em uma roda de fiar. Então Edward ficou muito viciado em um jogo de tiro ao alvo.

"Edward, você foi a isso quatro vezes já", eu reclamei, inclinando para perto dele à beira da cabine.

"Eu sei, mas eu preciso de um resultado perfeito."

"Você já ganhou TODOS os jogos até agora." Eu estava um pouco cansada de que ele tinha me batido em cada jogo.

"E agora eu preciso ganhar esse" Sem olhar para mim, ele apertou os olhos e apontou o rifle falso na plataforma do alvo.

Olhando para a situação de fora, eu comecei a ver quão competitivo Edward realmente era.

Não era contra mim, era tudo. Imaginei que ele foi impulsionado por sua sede própria para o auto aperfeiçoamento. Observando-o mirar constante e cuidadoso, seu corpo enrolava com a tensão e concentração, eu realmente saber o que o tinha feito tão determinado na vida.

Ele finalmente tirava no alvo, algumas vezes, batendo o centro, completando sua quinta rodada. Ele sibilou com prazer e lutou contra um sorriso rápido quando devolveu a arma de brinquedo atrás da cabine.

"Tiro perfeito", ele disse, estendendo um braço em volta da minha cintura.

"Demorou bastante," eu murmurei, depois gritei quando ele alegremente me apertou em seu lado.

"Senhor?" A mulher atrás da cabine chamou.

Ela era magra e curvilínea com cachos vermelhos e os lábios pintados. Sua blusa da equipe do carnaval era propositadamente bem apertada e amarrada em seu quadril. Ela sorriu para ele, segurando um pinguim de pelúcia. "Gostaria do seu prêmio?"

Edward caminhou de volta para aceitar a bonita ave de pelúcia. Então ele parou, inclinando-se para a mulher por um momento. Ele estava de costas por isso eu não podia ver o que estava acontecendo.

Quando ele voltou para o meu lado, ele estava cuidadosamente inexpressivo. "O que foi aquilo?" Nós começamos a andar novamente pelo corredor das barracas.

"Nada", ele disse, amassando um pedaço de papel e jogando-o em uma lata de lixo próxima.

Sai do seu lado em um acesso de raiva, fazendo um caminho mais curto para recuperar o papel.

Edward agarrou meu braço. "Bella, não é nada importante." Ele me trouxe de volta para o seu lado, falando em voz baixa. "Não seja ridícula e vasculhando o lixo. Se você quer saber, essa mulher me deu o número dela e como você pode ver, eu não estou interessado."

Olhei para trás do ombro de Edward, vendo a ruiva ainda sorrindo em nossa direção. A raiva subiu rapidamente dentro de mim, tão poderosa que eu inalei com um silvo. Eu queria rasgar o seu sorriso.

"Calma." Os braços de Edward se apertaram em torno da minha forma tensa.

"Mas–" Meus dentes cerrados, mordendo de volta minhas palavras furiosas. Será que ela não viu que eu estava com ele? E ela teve a audácia de fazer um avanço para ele, comigo em pé a poucos metros de distância?

Com o pinguim debaixo do braço, ele me girou pelos ombros. "Bella. Por que você está zangada? Eu apenas lhe disse que não estava interessado nela."

Olhei em seus olhos fixamente. Eles estavam muito calmos, mas determinados e eu senti minha mente lentamente se limpando. O que diabos havia de errado comigo? Eu nunca tinha reagido dessa maneira antes. Quando um homem ficava atraído por outra mulher, isso me libertava. Não desta vez.

Exalando de forma longa e pesada, eu disse, "Malditamente certo, você não está", e coloquei minhas mãos em cada lado de seu rosto, puxando-o para perto enquanto dramaticamente coloquei-me sobre ele. O beijo foi áspero e dolorosamente lento. Os lábios de Edward começaram a se mover com os meus. Era muito fácil. Eu soltei um gemido de boa medida, esperando que a senhorita ruiva ainda estivesse nos observando de longe. Minha língua procurou a sua, deslizando sobre ela e em torno para sentir e saboreá-lo. Este homem estava comigo hoje à noite e eu não iria deixar ninguém interferir nisso. Minha boca fechada sugou o seu lábio inferior, beijando-o suavemente agora. Ele suspirou de prazer, serpenteando o braço livre em volta de mim.

Eu me pressionei contra ele e sussurrei em seu ouvido: "Você está satisfeito com o seu prêmio?"

"Sim". Sua voz estava rouca e ele pigarreou conscientemente.

"Bom", eu disse calmamente enquanto minha mão viajou para baixo na sua cintura fina e sobre o quadril da calça jeans. Um tremor passou por ele.

"Vamos voltar nas atrações agora?" Eu perguntei, sorrindo para ele.

Ele reorganizou sua expressão, tentando obter controle de si mesmo. Ele não estava acostumado comigo me comportando corajosa, ansiosa e me deu grande prazer vê-lo atrapalhado com as palavras. Eventualmente, ele apenas assentiu e me entregou o pinguim como um presente. Eu ri e guardei a pelúcia em minha bolsa.

Nós continuamos a caminhar e depois de um momento, senti o braço de Edward me segurar perto novamente.

Nós estávamos em muito equilíbrio através do toque, independente da nossa pouca conversa. Todas as perguntas e preocupações que eu tinha sobre onde isso ia com Edward, momentaneamente caíram enquanto contemplava a sua natureza competitiva. Vendo como ele era feroz no último estande de jogos me permitiu observar o seu comportamento fora do escritório e em uma nova luz. Eu suspeitei que essa sua qualidade estivesse mais profundamente enraizado, além de nossas brigas e golpes.

"Por que você se tornou um advogado?" Eu perguntei enquanto andávamos um pouco sem rumo pelas multidões dispersas.

A surpresa inicial atravessou seu rosto antes de se virar pensativo. "Eu queria ser dinâmico, fazer algo significativo... depois que me formei. Eu sabia que tinha certo carisma com a maioria das pessoas e um talento para ganhar debates na faculdade. Mas, principalmente, eu não queria ser um cidadão afundado pelo governo, por isso optei por aprender as regras e jogar o jogo. Acontece que, eu não só gosto disso, mas sou muito bom nisso."

"Você quer ajudar as pessoas também, certo?" Eu perguntei, preocupada quanto à sua resposta.

"Isso é doce da sua parte supor isso", ele disse com uma risada, sua implicação para a minha ignorância ligeiramente me irritando. "Eu acredito que nunca é suficiente apenas querer ajudar as pessoas. Eu também não quero gastar meu tempo em um tribunal para manipular o júri para atender esse fim. Prefiro a pesquisa e preparação, transformando uma situação em um caso que pode ganhar com base nos fatos. Fiz isso por Jenks e agora eu faço isso para os Lawrence."

Eu observei o quão meticuloso Edward realmente era em seu trabalho e me perguntei se ele aplicou essa ética de trabalho para outras coisas dentro de sua vista. "Você fez pesquisa sobre mim" Fiz uma pausa no nosso passeio para olhar para ele.

"Não Bella. Isso foi simples observação e dedução." Seu lábio subiu em um canto. "Embora, você tem tendência a ser imprevisível."

"Eu acho que você está acostumado a se sentir confiante em ler as pessoas, sozinho, alcançando seus desejos."

"Você esteve fazendo uma pesquisa sobre mim?"

"Simples observação e dedução", eu respondi com humor seco, continuando a direção da nossa caminhada lenta.

Paramos no final de uma fila para outra atração quando ele brincou: "Eu não sabia que você estava prestando tanta atenção em mim."

"Como eu não poderia?" Isso o fez sorrir. Era parte de seu plano, e eu não pude resistir...

"Às vezes eu me perguntava..." Ele falava tão baixinho, eu não tinha certeza se significava que eu tinha que ouvir isso.

Nós avançamos o nosso caminho na fila, o barulho e a música brevemente enchendo nosso silêncio.

Seus braços descansavam ao seu lado, balançando levemente à medida que nos aproximávamos da frente. Eu olhei para baixo, prestes a tomar sua mão. Eu não queria que ele pensasse mais. Eu pensei que minha mão sobre a dele iria consolá-lo da maneira que ele tinha me confortado antes. Mas ele me surpreendeu ao falar, sua voz rica cortando o zumbido de fundo.

"Estou feliz que você pode ver o passado do seu orgulho agora."

Meus olhos se encontraram com os dele quando olhou para mim, dando-me seu sorriso torto habitual.

Eu queria beijar aquele sorriso maldito. Mas não o fiz. "Isso é chamado de autopreservação."

Ele riu, me ajudando a entrar na cabine do passeio. Ele balançou um pouco enquanto nos sentamos e foi então que me dei conta de nós embarcamos na roda gigante.

"Você preservou-se muito bem", ele comentou, seu olhar baixando para o meu decote.

Compreender o seu jogo bem o suficiente por agora, eu me recusei a deixá-lo me irritar e, em seguida, me acalmo, apelando para a minha sexualidade. Eu viro para ele no meu lugar, olhando no fundo de seus olhos. "Eu acho que você tem um pouco de confiança demais em suas habilidades, Edward Cullen..."

Suas sobrancelhas subiram, levemente intrigado. Ele puxou fôlego para falar, mas eu rapidamente coloquei um dedo sobre os lábios, parando seu pensamento. "Você acha que pode ter tudo o quer, não é?" Eu perguntei em voz baixa, com uma vantagem, inclinando em direção a ele.

Enquanto eu o tinha calmo e toda a sua atenção, levei essa vantagem. O carrinho balançava quando o passeio começou e parou para mais alguns casais embarcarem. Ele estaria preso aqui comigo por algum tempo, enquanto eu virava as mesas. Perfeito.

"Você acha que se me provocar e insultar-me, você vai ganhar de mim com esse seu sorriso." Meu dedo levemente arrastou por seu lábio, queixo e na parte da frente do pescoço. Ele engoliu em seco enquanto me perdia mais em seu pomo de Adão. "Hum?"

Ele ficou mudo, observando cada movimento meu.

Inclinei-me, respirando a baunilha e sabão em seu pescoço. Então, eu beijei a pele lentamente no início, gentilmente o provocando por todas as vezes que ele me fez infeliz no trabalho. Ele respirou fundo como meus lábios entreabertos, permitindo que meus dentes pastassem por ele. Todas as vezes que ele brincou comigo, se aproveitou da minha posição inferior no escritório. Minha língua roçou a pele entre mordidas, na esperança de dar a ele esse grosseiro na borda do prazer.

"Você implora-me, mas você me manipula", murmurei em seu pescoço. Meus lábios finalmente descobriram essa pequena cavidade na base de sua garganta.

Ele deu um pequeno gemido. Levantei a cabeça ligeiramente, olhando para ele. Seus olhos estavam fechados, seu peito subindo e descendo mais pesado. Como a minha mão se movendo lentamente a camisa debaixo de sua jaqueta, senti as linhas duras do seu peito sob meus dedos.

Lentamente, seus olhos se abriram, revelando a sua opacidade e desejo. Não era feroz ou agressivo como eu tinha visto em outras ocasiões. Ele me queria, me desejava. Minhas defesas começaram a derreter. Este meu plano estava deixando os meus joelhos fracos...

Só então, eu notei nosso carrinho estava no topo da roda e fomos capazes de ver quilômetros de paisagem urbana. Era tão alto que uma emoção incontrolável de medo tremeu por mim. Altura não era uma coisa minha. A roda gigante deu uma sacudida final, oficialmente impulsionando o passeio, agora que todos já haviam embarcado. Perdendo o equilíbrio, caí contra o peito de Edward com um grito abafado.

Ele agarrou-me pelos ombros, deixando-me de pé para enfrentá-lo. Ainda olhando para mim com intensidade calma, ele trouxe meus lábios nos dele em um beijo muito lânguido.

"Você está certa", ele murmurou. "Eu não posso resistir a você mesmo por uma tarde."

Passando os braços ao redor de seu pescoço, eu respondi-lhe entre beijos, "Bem, eu não estou indo para baixo, a menos que eu estou levando comigo."

Suas mãos estavam em torno de minha cintura, seu corpo se moveu, trazendo-me para o seu colo. De repente eu me vi encaixada em Edward. Senti-me bem, acelerando meus impulsos. Passando meus dedos por seu cabelo espesso, eu gemi baixinho contra sua boca. Nossas línguas enroladas, nossos lábios puxando e sugando. Seu cabelo era suave entre meus dedos e da forma como ele me tocou, suas mãos arrastando para baixo os meus lados, a sensação era incrível.

Ele pousou as mãos levemente em meus quadris. "Mm... Bella."

"Eu sei...", sussurrei, beijando-o com mais urgência. Eu estava começando a sentir aquela dor bem novamente. Seus lábios estavam sempre tão quentes e macios.

"A... a roda está prestes a parar", ele gemeu, relutantemente se afastando de mim.

Ele estava abrandando, o ranger de metal. Rolei para longe dele, envergonhada, prendendo a respiração. A última coisa que eu queria era que a polícia nos escoltasse para fora da propriedade após a outra exibição pública. Eu deixei minha respiração lenta, inalando o ar fresco. Edward parecia tão desorientado, os olhos brilhando e as maçãs do rosto rosadas. Mas ele se recuperou rapidamente.

Nós cambaleamos da cabine, agarrados um ao outro, a fim de nos acalmar. À medida que cambaleamos alguns metros da roda-gigante, Edward começou a rir. Seu braço que estava em meus ombros me trouxe para mais perto e ele beijou o topo da minha cabeça.

"O que é engraçado?"

Ele continuou rindo enquanto eu olhei para cima. "Você… nós."

Nós estávamos flertando durante toda a noite, foi um passeio sensual, e era isso. Edward e eu não tínhamos nenhuma chance de estar separados. Nós simplesmente não podíamos nos controlar. Eu olhei para ele novamente, seu sorriso. Meu constrangimento desapareceu e eu encontrei-me rindo com ele. Toda a noite tinha sido ridiculamente divertida. Eu estava em harmonia com o homem mais arrogante, enfurecido e desagradável que eu já tinha conhecido.

As multidões estavam diminuindo quando ficava mais tarde. O tempo frio de Seattle tinha uma tendência para afastar a maioria das pessoas a partir de atividades ao ar livre.

Aninhei-me na curva do ombro de Edward em busca de calor enquanto caminhamos para o lugar onde estacionei em uma rua residencial.

"Nós somos bastante ridículo, não é?" Eu pensei alto.

"Só quando estamos juntos, eu acho."

"Isso é uma coisa boa?" Eu olhei para a terra de cascalho, meus sapatos esmagando-os.

"Sim, acho que sim." Ele inclinou a cabeça para baixo até o meu cabelo. "Você não está se divertindo?"

Sorri para sua incerteza. "Na verdade, sim."

Ele riu. "Você está surpresa?"

Virei à cabeça do seu ombro para olhar para ele. "Um pouco." Ele arqueou uma sobrancelha para mim. Revirei os olhos. "Certo, muito. Mas eu tive uma noite realmente boa."

Isso pareceu satisfazê-lo. Olhei por mais um momento em seu perfil esculpido.

Apesar de nossas diferenças, nós parecíamos mais solidificados do que nunca. Ainda era difícil de entender enquanto tentei pensar em tudo o que aconteceu nos últimos meses. Agora, ele era essa pessoa, acolhedora e familiar que deixava o meu interior em chamas, em um bom caminho.

Como a realidade definia assim como os outros. Eu sabia que teria que contar a ele sobre a entrega de flores de James. Eu não queria piedade nem quero preocupá-lo. Eu também não queria estragar a noite linda que estávamos tendo.

Soltei-me dele, eu pulei para o lado do motorista, ansiosa para ficar dentro do carro quente. Fazendo uma pausa, ele levantou meu limpador de janela, soltando um pedaço de papel que foi pego.

"O que é isso, um panfleto? Apenas jogue fora", eu disse distraidamente.

"Não, é uma fotografia", ele disse distraidamente, virando-a. Meus olhos foram para frente. Era uma cópia da nossa foto da montanha-russa que tínhamos imprimido anteriormente.

Edward lentamente leu em voz alta. "É bom que você goste de montanha-russa... seu passeio ainda não acabou... J."

Eu pensei que ia vomitar. Edward virou a cabeça para cima. "Por que essa nota está escrita na parte de trás de uma foto nossa?" Havia um tom perto do perigo na sua voz. "E quem é J?"

Eu vi a ficha dele caindo enquanto ele lia a culpa nos meus olhos.


PREVIEW DO CAPÍTULO 20

"Você nem mesmo confia em mim para me deixar a par da situação, porra!"

"Não é isso, é só que... você não pode fazer nada sobre isso", eu respondi, controlando a minha raiva na esperança de apelar para a sua lógica.

Inesperadamente, o temperamento queimou em seus olhos. "Eu pensei que nós", e ele fez um gesto com a mão entre nossos corpos, "que isso estava chegando a algum lugar, Bella".

"Nós somos. Nós estamos." Eu disse. "Eu..."

"Obviamente não estamos. Você ainda está constantemente repelindo relacionamentos, aparentemente feliz consigo mesma. Se segurando em suas crenças de que 'os homens são babacas mentirosos indignos de confiança', ele zombou. "Nada de bom pode vir de nós que não seja cumprir a sua satisfação temporária." Suas palavras me cortaram, a dor inundando a minha raiva.

"Bem, você não estava reclamando no início, quando me seduziu e me levou até o seu apartamento e depois me confundiu por meses. Você voluntariamente se tornou um produto das minhas teorias", Eu rigidamente o lembrei, por dentro ainda chocada com suas palavras. Eu não queria começar com isso, mas ele me instigou.

"Um produto? Outro resultado em seu livro de fatos destorcidos? Um maldito descartável para você?"

"Não, mas você não confia em mim. Uma escorregada minha e você está pronto para questionar tudo, inclusive o meu caráter. De repente, você não tem um pingo de fé em nós e está prestes a desistir. Você é um mentiroso, sem compromisso e imbecil quando confrontado com uma mulher imperfeita." Meus nervos estavam saltando de forma irregular por todo o interior do meu estômago.


Adorei o passeio deles, eles são uns lindos. A Bella com ciuminho, ele mostrando que só ela importa para ele. Como já disse outras vezes, eu amo o fato de que mesmo juntos eles não param de se provocar, haha é muito bom. Mas agora a coisa vai ficar séria... Edward vai descobrir sobre o que James andou fazendo e isso pode não ser bom, como está na nossa preview. Será que isso vai atrapalhar o relacionamento deles?

Esse capítulo foi um pouco menor do que os outros, mas o próximo tem mais do que o dobro desse. Vai acontecer coisas bem importantes.

Posto na semana que vem, ou até antes, tudo depende dos comentários!

Beijos

xx