Ambos éramos perfeitos para nossos semelhantes. Invejados pelo que podíamos fazer e temidos pelo mesmo motivo. Alvos de expectativas distintas, mas sempre grandes. A princesa e seu assassino...nós tínhamos tanto em comume éramos insanos como só um vampiroapode mal dormidos, desejando não enlouquecer, à procura de um vício que suprisse sua necessidade.

A necessidade de sugar-lhe todo sangue. E ele o meu.

A lembrança constante vinha com a queimação, a sensação de ter a garganta arranhada por vidro. Odessejo que ele me usasse da mesma maneira que eu o usaria. Um instrumentocom o único propósito de satisfazer. Faria com que eu mordesse os lábios diversas vezes para que eu me lembrasse de como se mantém o controle. Apertaria minhas mãos até que sangrassempara que não me esquecessede quem eu era. Do sangue que corria por minhas veias.

O mesmo que ele desejava tomar. E eu dar-lhe.

Apesar da distância, eu podia sentir o cheiro. E era tudo que eu esperava, nem mais nem menos. Apenas o que eu conhecia

Entre todas as pessoas naquele baile vi Zero apertar as mãos, como eu mesma fazia. Ele estava se contendo para não me segurar pelos ombros e retirar as madeixas que caíam pelo pescoço, deixando todo espaço livre para fazer sua arte. Zero iria tornar o momento torturante e, por fim, me daria o que queria. Mas não ali.

Zero sabia que era impossível no meio de tanto a vampiros de estirpe. Não quando ele era o presidente da associação de caçadores. Não com Kaname ao meu lado.

Meu caçador me olhou com seu rosto cheio de ressentimento. Será que estaríamos melhor se eu permanecesse no colégio Cross? Será que ele me mostraria seu sorriso carinhoso e discreto? Será que eu me sentiria mais completa?

Queria correr até ele e falar sobre todo o silêncio que lhe guardei por um ano. E ele me responderia. Mas nossa felicidade só duraria alguns instantes, até nos darmos conta de novo que aquilo o que sentíamos um pelo outro era depressivamente mútuo. Como uma canção que nunca cantaríamos juntos. Fora de sintonia, ele não iria me acompanhar. Nossa melodia doentia que iria nos atormentará noite e embalar nossa mentes pouco lúcidas

N/A: o próximo capítulo sai na semana que vem!

Adoro a indecisão da Yuuki. É tudo!

Se você leu e gostou- ou não dessa –fic deixe uma review. Eu juro que eu respondo.