Sequestro Express

Disclaimer: A história pertence a HanaPoison, que me autorizou a traduzir, e os personagens a Stephenie Meyer.

Sinopse: Edward é o melhor sequestrador e fraudador. Seus planos são claros e perfeitos, mas quando um dos "fatores" falha… está tudo arruinado. — É o plano perfeito! Ainda que Edward… não contava com um último fator chamado Isabella Swan. UA +18


(Traduzido por LucianaM)

Quinta Parte

Capítulo XIII

Um encontro

.

Edward POV

Bem. Isso não pode ser tão difícil? Ou pode?

Estava deitado na minha cama com um livro em minhas mãos. Sim, muito incomum. Na verdade, não é incomum que eu esteja lendo, pois eu faço isso muito, mas o que eu estou lendo é que é muito incomum.

Faz dois dias que meu estatus mudou de solteiro para algo. É ainda mais raro, eu nunca tive namorada... tão pouco saí com alguém de forma estável, então eu não sei o que esperar de qualquer tipo de relação que envolva sentimentos e uma garota, especialmente se a menina é chorona e é a Bella. Por que eu aceitei? De qualquer forma, Bella não é como as garotas com quem costumo sair, Bella eu não podemos simplesmente largar depois de uma noite. Eu estou ferrado.

Como convidá-la para um encontro? Sim, isso soa brega e estranho, mas eu estava lendo os dez passos para convidar alguém para um encontro. Supõe-se que sejamos algo, mas quando você está em um relacionamento que, mesmo que ele seja algo... Vocês saem, têm encontros, riem, você se preocupar com o que acontece com o outro... E fazem algo.

Bem Edward... Você já fez coisas piores, é apenas um encontro estúpido. Nada mais.

Primeiro passo - dizia a menina que tinha escrito o livro- lembre-se do que disse Deepak Chopra: "O poder da atração é o segredo, tudo que você pensar em sua mente, só deseje e o atrairá até você." Portanto, não pense negativo, bom homem que quer o melhor para a sua garota, olhe-se no espelho e pense enquanto repete em voz alta... "Eu sou o melhor e ela vai comigo nesse encontro."

Fui para o meu banheiro e me olhei no espelho.

- Sou o melhor - sorri - E Bella vai comigo nesse encontro.

Com essa ideia, entrei no chuveiro e relaxei meus músculos com a água quente, enquanto recordava os passos seguintes.

Segundo passo, lembre-se que nós garotas, não vemos só o físico, mas é muito importante não se descuidar, seja cavalheiro, doce e gentil, não a moleste, só seja você, o melhor cara para ela.

Ok. Coloquei algo confortável e alegre, que me caia bem. Ha! Meu ego estava fazendo das suas.

Andei pelo corredor até que cheguei na cozinha, ao fundo. Bella estava preparando o café da manhã, quando ela me viu, sorriu.

- Olá Edward - ela disse tão alegre como sempre - Eu estou fazendo o café da manhã.

Terceiro passo, diga-lhe algo amável quando você a ver pela manhã, as garotas amam elogios.

- Você está muito bonita Bella - disse e ela corou. Bem, Edward, você está indo bem.

Quarto passo, preparar o pedido. Pode começar falarando sobre algo trivial com ela, dar-lhe espaço, deixar que te conte coisas.

Me aproximei do balcão a observava enquanto trabalhava fazendo alguns Hot Cakes.

- Posso ajudá-la? - Eu perguntei.

- Bem - ela disse - Coloque a mesa enquanto arrumo a cozinha.

- Deixe tudo aí Bella- eu disse enquanto colocava os copos e levava a comida do café da manhã até a mesa - Só está um pouco desordenado, você pode continuar mais tarde.

Bem, eu estava sendo cavalheiro. Vamos Edward!

- Um pouco desordenado? - Ela gritou e eu soube que algo estava errado. Dê-lhe espaço, deixe que te conte as coisas, repeti - Os complexos números de Mandelbrot são um pouco confusos, isso está um caos!

Ok. Ela estava citando Sheldon Cooper de The Big Bang Theory, seu sentimento de simpatia estava baixo hoje. Você escolheu o dia perfeito, Edward.

Quinto passo, lembre-se que há dias em que as garotas estão sensíveis, se ela quer gritar e tiver uma discussão antes do pedido do encontro... Não se preocupe, será ideal para a reconciliação.

Sim, talvez Bella estivesse menstruada.

Ou sofria de Bipolaridade.

- Eu também gosto dessa série - disse e me olhou com os olhos apertados- The Big Bang Theory - sorri e ela sorriu. Sim, Bipolaridade.

- Eu amo Sheldon - ela disse.

Sentamos à mesa e Bella pegou minhas mãos enquanto comíamos. Eu fiquei tenso, mas eu relaxei de imediato, ao me lembrar o que dizia o meu livro.

Sexto passo, cada vez mais próximo galã. Você tem que saber que as garotas são demonstrativas e positivas, não tenha medo de gestos de carinho, é a nossa maneira de dizer que tudo ficará bem.

- Sabe? - começou Bella, enquanto comia algumas frutas - Encontrei um trabalho.

- Onde? - Perguntei interessado.

- Em uma biblioteca, é meio período, mas o salário é bom - agora sorria mais amplo - Eu estava pensando em dar aulas de piano ou de línguas em casa - disse olhando para mim, de lado.

Sétimo passo, pegue as indiretas. Ela quer algo de você e você pode dar.

- Claro - eu concordei - Podemos comprar um piano.

Deus! Um Piano... Isso vai me custar muito, mas lembre-se Edward... É pelo Algo. Minha mente me repetia que tudo ficaria bem.

- Sério? – disse feliz - Te adoro Edward- me plantou um beijo nos lábios. - Você é o melhor Algo que eu já tive - eu sorri sinceramente, a pirralha era terna.

Oitavo passo, quase conseguindo. Você mencionou o cinema? O parque? O que você está esperando? Diga.

- Bella - eu disse e ela me olhou por trás desses longos cílios cor de café - Você sabia que estão passando filmes muito bons no cinema? Há até mesmo um parque- deixei o comentário no ar e a vi sorrir.

- Que filmes? - perguntou.

Lembre-se... Se você levá-la para ver um filme de ação, se entreterá assistindo o cara sem camisa e você passara para o segundo plano. Não seja bobo! Filmes de ficção científica têm um monte de diálogo... E palavras difíceis. Uma de terror... Você pode tê-la todo o tempo abraçado... Mas e se Freddy ou Jason saem apenas para matar alguém? Adeus beijo ou uma carícia! Ela vai gritar e quebrar a bolha. Sem Drama no primeiro encontro, não quer ver ela chorar... Sim, uma Comédia Romântica! A demonstrará que você tem sentimentos e poderão desconectar-se sem perder nada do filme, serão parte dele.

- É uma comédia - respondi - É Te amarei para sempre.

Sua boca abriu um grande O de emoção e viria o passo que tanto esperava.

Nono passo... Você ainda não convidou? Faça isso! É a sua hora!

- Você quer assir ele - disse Bella.

- Bem, eu estava pensando que desde que somos Algo - disse - Que temos um relacionamento, ainda não saimos. Você quer sair? - Perguntei.

- Claro! - Ah Que emoção - Vamos ter um encontro.

- Exatamente - disse - Um encontro.

Décimo passo, se você chegou até aqui e conseguiu o encontro, parabéns! Só trate de passar por ele e fazê-la feliz, porque se ela é feliz, você também será.

Te devo a minha vida Tanya Denali! Eu disse em minha mente, era a autora do livro e, aparentemente, um especialista em namoro.

Depois que meu plano foi realizado com sucesso, nós concordamos que seria um encontro durante todo o dia, assim Bella não teria que cozinhar e se salvaria de um dia metida entre pratos e comidas, pois em poucos dias teria que preparar o Grande Jantar para a reunião de amigos. Que ternura, observe o meu sarcasmo.

Coloquei apenas uma jaqueta sobre minha camisa, e fui para seu quarto para encontrá-la. Bati na porta, mas não respondeu então eu entrei. Ele estava com as pernas cruzadas sobre a cama como índio, enquanto escrevia algo em um caderno.

- Vamos - disse e me ignorou.

- Espere - disse ela. Me aproximei para ver o que tinha nas mãos.

Era uma caderno ou um livro... sei lá. Estava forrado com papel de flores em tons suaves. Com um lápis roxo estava terminando de escrever algo que eu não quiz ler para não ser intrusivo.

- O que é isso? Eu perguntei.

- Um Diário, você não pode ler - ela disse.

- Oh! O que você escreve? - Eu perguntei.

Fiquei curioso agora que ela havia mencionado Diário.

- Eu escrevo sobre a nossa primeira saída como Algo - disse - Eu conto para Kitty.

- Quem é Kitty? Por que você conta para ela? -Perguntei confuso.

- Kitty é o diário e conto porque é isso que as garotas fazem- respondeu com um encolher de ombros.

- Bella - disse rindo - O Diário de Anne Frank se chamava Kitty - eu disse tentando não ferir seus sentimentos.

Ela fulminou-me com o olhar e seu lábio inferior tremeu novamente.

- Sim, eu sei- disse enquanto desenhava um coração ao lado de nossos nomes e ao lado colocava Algo para sempre.

Merda! Detesto o para sempre... Essa é a palavra que mais soa quando você terminar o relacionamento de Algo com Alguém.

- Bem, vamos lá - disse, finalmente fechando o Diário e tomando a minha mão.

.

- Você pode colocar mais caramelo na pipoca? - Bella perguntou enquanto eu olhava enojado o que ela estava comendo. Ela não se importava que estas coisas fossem prejudiciais a sua saúde?

Claro que não! Me alimenta a base de legumes para depois se encher de doces... O que Edward deve carregar.

- Bella, é suficiente - eu disse - Por favor, não coloque mais caramelo- pedi à moça que nos atendia.

- Mas eu gosto com caramelo! - Bella reclamou.

- Vamos lá, o filme já começou - a puxei para levá-la à sala do cinema.

Entramos e estava cheia, havia muitos poucos lugares vazios. Nos sentamos no meio da sala, parecia bom.

O filme era triste. Bella chorou como todas as outras meninas

Eu a abracei e lhe disse que era apenas um filme, que entendesse a mensagem que transmitia e a consolei, dizendo que lhe compraria o livro do filme, se parasse de chorar.

Estava quase terminando, quando começaram a cair pipocas vindas da parte traseira. No início deixamos passar, mas depois se tornou irritante.

- É o grandão - sussurrou Bella - Eu posso fazer alguma coisa? - perguntou enquanto beijava meu pescoço.

Harpia! Isso era jogar sujo.

- Só não se meta em apuros Bella, está quase no fim - disse e ela concordou.

Mas como para Bella, dizer não, na realidade é um sim... Quando o filme terminou, ela se levantou e jogou, na cabeça do grandão, o balde com toda a pipoca. As pipocas tinham muito caramelo. Muito caramelo.

O cara começou a rosnar e eu queria fazer um buraco no chão e me enfiar nele, mas como um bom cavalheiro, me aproximei de Bella e tentei relaxar a postura prepotente e petulante que tinha. Todo mundo estava assistindo.

- Fedelha estúpida! - Gritou o tipo e eu me irritei, só eu a chamava assim - Vai me pagar - sussurrou.

- Ei! - Eu disse - Calma cara, você começou, e podemos concertar isso.

O cara relaxou e estávamos conversando, quando Bella abriu a boca.

- Você vê o Edward? –Perguntou olhando para o cara que a olhava confuso - Ele é o Edward! – Me apontou e eu senti muitos olhos em mim - Somos Algo e não vai deixar que você me ofenda nem que isso fique assim, Edward-me chamou - Diga alguma coisa! Me chamou de estúpida! E você sabe o quê?- disse ao grandão - Eu sou faixa preta e Edward tem uma arma, então você está ferrado - disse de forma macabra. Ou assim pensava ela.

O quê? Deus me diga que não acaba de ameaçar o grandão de quase dois metros que parece fisiculturista? Sim... Ela o ameaçou... Uma arma? Eu nunca a carrego! Deus me diz o que eu te fiz!

O cara virou o pescoço para ambos os lados e seus ossos estralaram. Bella tinha um sorriso de superioridade em seu rosto e eu só queria correr.

.

- Bem, diga-me como a luta começou - disse o polícial.

- Ela me jogou seu balde de pipoca - o grandão acusou Bella que estava com um bico enorme enquanto me revistavam para saber se a história da arma era verdadeira ou não.

- Eu me defendia! - Bella alegou.

- É verdade sobre a arma? - me perguntou o policial.

Apenas revirei os olhos e me apoiei contra a parede. Meu corpo todo doía por causa da surra que recebi do mastodonte com quem Bella se pôs a discutir, e, claro, ela só interveio quando viu que ele estava apertando minha garganta, deu-lhe uma chave e não sei o que mais e o que deixou inconsciente. De acordo com ela... Defesa Pessoal para paralisar o adversário.

Quando perguntei por que ela não me ajudou antes, disse algo como... Você tinha que marcar o seu território como macho, não poderia intervir.

- Olha, Oficial - disse - Ela - apontei Bella que estava tomando água para se refrescar ao lado de uma oficial mulher - Sofre de transtorno de realidade, não lhe diga nada, pelo amor de Deus- eu implorei.

Ele apenas olhou para mim e balançou a cabeça.

.

Uma multa mais tarde e muita dor no meu corpo depois... Nos deixaram ir. Bella levava a culpa declarada em seu rosto. Entramos no carro e suspirei, ela se encolheu em seu assento.

- Está tudo bem - acariciei a mão dela e relaxou.

- Agora é quando você grita comigo - ela lembrou em um sussurro.

- Só... reagiu - disse e me coloquei a caminho do parque.

No livro de Tanya Denali não mencionava essas coisas.

- Para onde vamos? - Perguntou quando passamos a estrada que nos levava para casa.

- Ao parque - disse.

- Você deveria me amarrar, eu sou uma ameaça pública - disse - Deveria estar chateado e você não está, ao contrário, me leva para o Parque. Por quê? - Ela perguntou sem respirar.

- Eu sei que você não fez com má intenção - respondi - Além do mas, o encontro ainda não acababou e seria injusto que por um inconveniente, fossemos irritados para casa- era tão simples como isso, não iria permitir que um par de socos fossem foder as mais de cento e cinqüenta páginas que tive de ler.

- Não te mereço como Algo - Bella disse - Mas tudo bem, obrigada Edward - sorriu. Seu riso era contagiante.

Eu tinha certeza de que Bella tinha um tipo de problema psicológico, não era normal ser como ela, mas eu gostava disso. A fedelha tinha estilo.

Chegamos ao parque igualmente quando fui com Emmet, tivemos que entrar na fila para comprar o bilhete. Desta vez, eu não cometi o mesmo erro e pedi um para todos os brinquedos. Eu sorri triunfante, eu não sei, mas esses bilhetes te faziam se sentir poderoso... E como uma criança.

Entramos nos carrinho de bate- bate, na montanha russa, compramos comida nas barracas, comemos lotes de doces e quando eu fui para pegar o maior urso de um dos jogos, saí ganhando cachorrinho pequeno.

- Você tem tão má pontaria - Bella ria.

- Não se preocupe, foi azar, também estou certo que estas latinhas de refrigerantes estão coladas e, por isso não caem quando você joga a bola - eu disse muito seguro e também com o ego doído.

- Por que então esse senhor derrubou todas? - Ela começou a rir novamente.

- Certamente é um amigo do dono do lugar - disse irritado.

- Não fique com raiva e vamos aos patinhos - apontou.

- O que? Não eram Cisnes? - Eu perguntei.

- Aqui são patos - respondeu.

Entramos em um vermelho, parecia um pato disposto a se prostituir. Era tão embaraçoso, mas o que me deu força foi ver que não era o único idiota que sofria com isso. Em cada um dos barcos tinha um rapaz com cara de sofrimento. Somos machos. Isso afeta a nossa masculinidade.

- É tão bonito aqui - disse Bella de repente.

- Você gosta?- perguntei.

- Sim, é que mais aconchegante, não sei- respondeu olhando pra mim-Eu sempre pedi aos meus pais para nós írmos para Chicago, mas nunca pareciam se importar- eu sorri.

Continuamos o passeio no maldito pato, quando de repente algumas folhas estranhas e diferentes começaram a flutuar quase sobre nossas cabeças.

- Visco*! - gritou Bella.

**Em espanhol se chama Muérdago, por isso o trocadilho de Edward na frase seguinte.

- Parece merda misturado com Dagoberto - disse e me olhou feio.

- Não sabe o que é visco? - perguntou ofendida.

- É uma planta Natalina, Bella - disse com um sorriso chateado.

- É mais do que isso, se você beijar a pessoa que você gosta sob o visco, concede-lhe amor eterno e boa sorte - sorriu.

- Diga-me que não acredita nisso - disse rindo.

- Eu não sei, é só cooperar, não mate a magia- pediu sorrindo.

- Mas se é assim, isso se faz no Natal- disse chamando sua atenção a terra.

- Vamos Edward - disse - Jasper não impôs tanta dificuldade.

Eu franzi o cenho porque isso era jogar sujo.

Bella se aproximou e me beijou na mais doce forma que qualquer garota já havia feito. Eu me sentia bem. Sim. Não foi nada apressado e nem como os beijos selvagens que lhe havia dado antes, era apenas um beijo, tão simples e sutil.

Ela se separou e inclinou a cabeça como se quizesse saber que o pensava.

- Nunca tinha sido beijado assim - disse como um idiota e seu sorriso cresceu.

- É porque você não conhecia Bella Swan - reuniu novamente os nossos lábios agarrando-se ao meu pescoço.

Eu acho que eu poderia me acostumar com esse novo Algo...

.

Tomei um banho, que em vez de ser relaxante, apenas acabou aumentando a sensibilidade dos meus músculos e a dor estava me matando. Esse grandão tinha me pegado bem forte. Bella tinha preparado um jantar leve, porque depois de comer tantos doces não estavamos com fome de verdade.

Eu coloquei minhas calças de pijama e deitei na cama.

- Licença - ouvi a voz de Bella chamando.

Levantei a cabeça para olhar para ela e desejei que não tivesse feito, já que não era a única parte do meu corpo que se levantou.

Bella entrou e só vestia seu pijama demoniacamente sexy que consistia em uma das minhas camisetas velhas e longas, tinha mangas compridas. Cortou sua gola para torná-la mais confortável nessa área e descobriu os ombros,segundo ela, a fazia parecer mais feminina. Chegava muito acima dos joelhos e o cabelo solto de leoa lhe dava uma aparência selvagem.

- Vá em frente - disse como pude.

- Eu te trouxe isto - ela mostrou-me uma bolsa de gelo- É para que não fique roxo a... a bochecha, você sabe.

Ela se sentou na beirada da cama e colocou a bolsa na minha bochecha direita. Onde tinha me acertado o grandão.

- Dói - me queixei quando pressionou mais forte.

- Desculpe - disse pesarosa - Existe alguma coisa que eu posso fazer? - Ela perguntou.

- Um beijo - respondi com um dos meus sorrisos, que segundo todas, era matador. Mas em Bella não produzia nada.

- Você sabe que esse sorriso de Don Juan petulante que você está usando não me provoca nada além da vontade de te bater até te arrancar os dentes, então apague ele - ordenou. Essa era a minha menina.

Eu me movi e ela se sentou ao meu lado e me beijou.

Tudo começou como um simples beijo, mas é bem sabido que me chamam de mãozinhas longas... Assim que pude, coloquei Bella em cima de mim enquanto acariciava o contorno de seu corpo e ela me beijava. Entediado, eu gostava de estar sobre a garota,além do mais Bella já havia despertado o melhor amigo do homem e não, eu não estou falando do cão, mas do pênis.

Me dediquei a beijar seu pescoço,em algumas partes suguei mais do que devia,isso ficaria feio, mas tamparíamos.

- Deixará marca - se queixou Bella que estava com os olhos fechados segurando meu cabelo.

- Desculpe - disse, sem culpa.

Cheguei até seus seios e mordi seus mamilos através do tecido. Eu poderia apostar minha vida que Bella já estava mais do que excitada, seus montinhos eram duas pedrinhas redondas dentro da minha boca.

Abri suas pernas e me deixei cair sobre seu sexo. Acho que foi o maior gemido que arranquei dos lábios de Bella, e logo percebi o porquê. Quando cheguei a seu traseiro e os acariciei, percebi que ela não estava usando calcinha. Merda da porra!

- Não está usando nada - gemi contra um travesseiro no lado do seu pescoço.

- Tão pouco em cima - disse de maneira minha ereção começar a latejar.

- Por quê? - Eu perguntei, ainda acariciando seu traseiro e chegando ao interior das suas coxas.

- Eu… - já quase não formava uma frase coerente- me incomoda, me aperta.

- Bendita seja - disse beijando-a.

Cheguei ao seu lugar mais feliz e comecei a acariciar seus lábios vaginais. Estava bastante suavizinho e quentinho . Eu tentei pegar na minha boca todos os seus gemidos, mas era impossível, especialmente quando eu brincava com seu clitóris entre meus dedos e os apertava.

Briquei um pouco com meu dedo indicador m sua entrada enquanto beijava seu pescoço, logo o introduzi e Santa Mãe! A ela sim estava quente. A notei um pouco incômoda no início, mas quando comecei a bombear meu dedo e tocar suas paredes internas,nem reclamou. Coloquei outro dedo e arqueou as costas, se remexendo debaixo de mim.

- Santo Cristo! - Ela gritou.

- Se supõe que grite Edward - lhe disse e só suspirou em resposta.

Toda vez que movia meus dedos, eles saiam mais úmidos. Bella se movia lentamente contra minha mão, mas se notava que estava gostando. Quando senti que os meus dedos eram apertados por suas paredes, sabia que seu orgasmo estava chegando, e demorou apenas mais alguns movimentos para que convulsionasse todo o seu corpo.

Se meus dedos se sentiram bem, como será estar dentro dela, eu pensei de forma suja.
Seu peito subia e descia ritmadamente, então aproveitei e levei minhas mãos sob sua blusa e acariciei seus seios. Outra rodada de suspiros para os meus ouvidos.

Senti quando sua mão foi até minhas calças, mas parou a meio caminho e mordeu o lábio. Certamente ela tinha vergonha, por isso, pensando rápido, eu mesma as desci e parei em sua entrada. Suspirou de surpresa quando sentiu a minha ponta em sua entrada. Beijei-a e eu juro que íamos ao melhor, quando ela fechou as pernas e me proibiu o acesso.

Foi muito rápida em rodar para o lado contrário de meu corpo. E eu fiquei lá,fudendo o colchão. Estava entre chocado e confuso. Não podia estar chateado, mas eu pensei que fossemos Algo, ainda que não a tivesse perguntado se queria. Eu tentei melhorar em alguma coisa minha respiração, já que a parte de baixo não teria conserto.

Quando me acalmei, olhei para Bella, que estava com a cabeça enterrada entre os joelhos e ... Adivinha? Sim, ela estava chorando em silêncio.

Eu coloquei minhas calças e caminhei até onde ela estava.

- Bella - a chamei, mas eu fui completamente ignorado.

- Não - disse .

- Bella, olha para mim - pedi.

- Desculpe! Mas é que vai doer! - Gritou enquanto duas lágrimas rolavam pelo seu rosto - Eu sei que não deveria ter te deixado assim - apontou, vermelha de vergonha, a minha virilha - Mas... Eu não sei se dói, me disseram que doía e eu... Eu não quero que doa!

Voltou a enterrar a cabeça entre os joelhos. Agora eu entendi tudo. Ela é virgem. Por isso toda a história de dor e o medo, e é óbvio... Ou seja que sim, fui seu primeiro beijo. Eu sorri diante disso e a tirei da posição que estava para acomodá-la em meu colo.

- Vamos conversar - ordenei e negou com a cabeça.

- Eu me sinto tão envergonhada - ela admitiu.

Eu sequei as suas lágrimas de menina tola e a fiz olhar para mim.

- Você é virgem? - Eu perguntei.

- O que você acha? - Ela disse com sarcasmo carregado na voz.

- Por que você mentiu, então? - Eu queria saber.

- Porque eu não tinha porque lhe dizer, você não era nada meu - ela disse.

- Somos Algo - me queixei de volta.

- Agora - disse olhando para baixo. Eu levantei seu queixo de novo.

- Desculpe, eu deveria ter sido mais cuidadoso... o fato que fui seu primeiro beijo e seu primeiro orgasmo, se não mentiu, dizendo que você nunca se masturbou - eu ri.

- Eu nunca o fiz - disse envergonhada, eu adorava quando ficava corada como um tomate, com raiva.

- Hoje eu acabei de fazer - disse arrogante e bateu no meu braço.

- Foi bom - disse e a beijei - além do mais, somos Algo...

- Mas não é obrigação por ser Algo - expliquei.

- Obrigada, ainda não... Não poss ...

- Entendo - eu beijei o topo de sua cabeça - Mas Bella... Por que tanto estardalhaço sobre a dor? - Perguntei rindo.

- Porque eu sempre ouvi que dói e eu... Mamãe e eu nunca falamos sobre essas coisas, na escola de freiras nem nos falavam sobre sexo, Rose e Alice são tão ou mais virgens do que eu... e eu não tenho amigas, então eu fico com o mito, e até que para de acreditar nele,pensarei que dói e muito- explicou.

- Não dói - disse recordando das vezes que amigas e minha mãe me comentaram que se sentia mais como uma pressão e queimava um pouco no início, era mais desconforto, desde que não estivesse nervosa. E claramente Bella não é um exemplo de alguém relaxado.

- Fácil de dizer quando você está do lado da picada- me olhou com raiva.

Deixei-a na cama enquanto eu estava indo tomar uma chuverada. Sim, a minha mão, a nova melhor amiga do homem.

Cheguei à cama e Bella estava quase dormindo. Se acomodou em meu peito e quando foi colocar a sua perna sobre meu corpo a afastei um pouco.

- Não é uma boa ideia, você não dorme com roupa de baixo - recordei.

- Marilyn Monroe dormia nua e com apenas cinco gotas de Chanel nº 5 em seu corpo - ela murmurou.

- Com certeza o fazia estando sozinha - assegurei e assentiu.

Esperei que ela dormisse para sorrir. Afinal, a ideia de ser Algo, não parecia tão ruim.


Ai esses dois me matam de rir, primeiro Edward segue passos de um livro para chamar Bella para sair e depois a Bella o faz apanhar lol Tadinha, ela não fez com más intenções e o Edward coitado, só se lasca haha... Esse final foi até fofo, ele todo paciente com ela xD

Ele ainda vai passar por umas coisas... =XXX

Obrigada pelas reviews e comentem que eu volto xD

Beijos

xx