Capitulo 05½:

POV: NARUTO

Posso dizer que o jantar foi engraçado demais, Mei e Kushina acabaram bebendo demais, as duas começaram a contar piadas, serio elas realmente começaram a contar piada, e eu me acabei de tanto rir. Conversamos e rimos até ambas cair no sono, peguei Mei no colo e a levei até sua cama, beijei seus lábios em despedida e depois peguei Kushina no colo a levando para nosso quarto, a deitei na cama e fiquei observando ela dormindo, era tão linda e perfeita que me deixava até meio sonso.

"Que imoral" levei um susto ao ouvir uma voz feminina em minha cabeça.

"Quem é você e o que fez com a Kyuubi" pensei assustado.

"Bakaaa, sou eu, to usando essa voz por que você só me chama no feminino mesmo" Kyuubi respondia irritada.

"Que merda avisa antes quase morri de susto"

"CALADOOO" ela gritava em minha mente, fazendo em ter outra dor de cabeça.

Me sentei na cama, minha cabeça ainda doía, me lembrei que Kushina tinha dito que odiava dormir de roupa, então comecei a tirar a roupa que ela usava, posso dizer que ela estava vestindo uma roupa bem sexy, tirei sua blusa e quase saltei de susto ao notar que ela estava sem sutiã, meu corpo voltou a ficar acima da temperatura normal, comecei minhas caricias pela a barriga magra a sarada dela e fui subindo, sabia que isso era errado, deitei minha cabeça em meio aos seus vantajosos e cheirosos seios, ela abraçou minha cabeça com força me pressionando ainda mais em seus seios.

"Eu te amo tanto" ela dizia sonhando "Minato, eu te amo"

Confesso que foi um choque, não podia identificar nesse estante o que eu estava sentindo, dei um sorriso sem alegria e com cuidado para não acordar ela sai de seu abraço, desabotoei sua calça e a puxei pra baixo a tirando a deixando só de calcinha, consegui sorrir ao ver a calcinha dela, era branca de algodão com pequenos desenhos de sapinhos, tinha certeza que esse tipo de calcinha era usada por garotinhas de onze anos, nela tinha ficado extremamente fofo e sexy ao mesmo tempo, puxei o lençol cobrindo parte do seu corpo, depois dei um beijo na testa dela.

"Boa noite" sussurrei "Juro que amanhã farei nossa relação ser normal, como deve ser"

Peguei meu travesseiro e dois lençóis, fiz uma espécie de cama no chão, tirei minha camisa e calça ficando de cueca, já ia me deitar quando escutei uma batida na porta, fui até a porta e abri, no momento que abri senti um puxão em minha nuca quando me dei conta Mei já estava me beijando, não resisti nem por um segundo a aquele beijo, eu realmente precisava dele, precisava dos sentimentos que ele me trazia.

"Vem" ela dizia já me puxando.

Andamos quase que corremos pelo o corredor até chegar ao quarto dela, nos beijávamos em um ritmo intenso, as mãos delas deslizavam pelo o meu corpo de uma maneira muita atrevida, passava pelo o meu peitoral a onde ela arranhava sem dó, depois desceu para dentro de minha cueca, senti meu corpo inteiro se enrijecer quando ela começou a acariciar o meu pau intensamente, movimentando sua mão por toda a extensão em alta velocidade, pra cima pra baixo, circularmente, apertando, realmente queria me enlouquecer.

Ela me jogou na cama fazendo eu cair sentado depois com um único puxão rasgou seu próprio vestido ficando apenas de calcinha e sutiã, rapidamente ela tirou o sutiã fazendo seus imensos seios saltarem para fora em seguida veio até mim e se sentou no meu colo, a gente voltou a se beijar, um beijo louco, insano e cheio de tesão, minhas mãos pararam em seu quadril a onde apertei sua bunda com força, ela parou o beijo e me segurou pelo o cabelo, em seguida forçou meu rosto contra seus seios.

"Chupa eles vai" Mei-chan dizia com a voz cheia de desejo.

Não esperei ela dizer duas vezes e comecei a chupar os seios dela, coloquei um dos biquinhos em minha boca o chupando com força passando minha língua nele enquanto chupava, enquanto isso usava minha mão para massagear o outro seio, esfregando o outro biquinho com meus dedos, ela gemia alto, pulando em meu colo, rebolando, fazendo meu pau roçar em sua bucetinha, a única coisa que estava impedindo a penetração era o tecido de nossas roupas de baixo. Ela continuava pulando e rebolando enquanto eu chupava seus seios, eu estava quase explodindo de tanto prazer.

"Ai...delicia...to quase lá" ela dizia em meio aos gemidos "Aii...vou gozarr"

Ela gritou e se esticou todinha, senti o biquinho do seio dela ficar ainda mais dura e sua calcinha ficar encharcada, depois de algum segundos ela relaxou, puxou minha cabeça e me deu um beijo carinhoso.

"Você me fez gozar apenas chupando meus seios" ela falou sorrindo.

"È as reboladas não contam?" falei sorrindo também.

"Com certeza contam" ela dizia voltando a enfiar a mão pra dentro de minha cueca "Você ta tão animadinho, pena que por hoje é só"

"Para sem chances" falei indignado "Se fizer isso vai ser mega injusta"

"Juro recompensar em dobro em nossa lua de mel" ela dizia já saindo de cima de mim "Vai dormir meu docinho"

Pensei em levantar e sair sem nem olhar pra ela, eu realmente estava puto, mas ela não deixou, antes de eu abrir a porta ela veio e me puxou para mais um beijo apaixonado e só deixou eu sair depois de dizer boa noite para ela.

Corri que nem um louco no corredor até chegar no quarto, tinha certeza se fosse visto, estando de cueca e ainda com o pau duro, com certeza iriam me chamar de tarado ou coisa pior. Entrei correndo e fechei a porta, meu corpo estava em chamas, eu ainda estava completamente excitado, decidi cuidar disso sozinho e fui para o banheiro, tirei minha cueca e me sentei no banquinho de madeira, que sempre me sentava quando esfregava minhas costas, me sentei de costa para a porta e comecei eu mesmo a me satisfazer.

"Ohhhhhhhhh" a porta se abriu com um estrondo. "Que gracinha, que bom que acordei com o barulho da porta"

Tinha levado o maior susto da minha vida "Poderia voltar a dormir?" falei em um tom frio.

Ela ignorou o que eu dizia e vinha em minha direção. "Quero te ajudar"

"Você é louca?" falei irritado. "Você é minha..."

Minha fala foi interrompida pelo abraço dela, ela se ajoelhou e me abraçou por trás com força, senti seus seios gostosos apertarem em minhas costas. "Eu te amo, te amo muito" ela dizia com os lábios colados em minha orelha me trazendo um arrepio gostoso. "Não é o amor que você ta pensando, me sinto suja por isso, mais eu te amo como homem, eu te desejo como homem, nunca vou deixar de amar Minato, mas isso não quer dizer que eu não possa te amar, deixa eu te amar?" ela nunca tinha falado tão seriamente comigo.

Estava em choque, literalmente petrificado, senti a mão dela alisar minha coxa subindo bem gostoso. "Deixo, eu deixo" sussurrei.

Ela segurou meu pau com jeito, me arrepiei inteiro enquanto a mão dela o envolvia todo, ela se movimentou e ficou de frente pra mim, seu sorriso mais travesso estava dançando em seus lábios, tão linda que quase fez eu perder o fôlego, ela começou com os movimentos subindo e descendo sua mão nele, acariciando a cabecinha com o dedão enquanto a outra mão acariciava meu peitoral, ela curvou pra frente e deslizou sua língua pelo os meus lábios e depois encaixou nossas bocas em nosso primeiro beijo de verdade, era incrível o sabor da boca dela, a língua dela se movia dentro da minha boca com uma urgência incrível, seus chupões e minha língua e lábios fez eu ir a loucura completamente, ela descia os beijos pelo o meu pescoço a onde chupou com força até deixar uma marca, continuou descendo o beijo por meu peitoral, me arrepiei inteiro quanto ela deslizou a língua por um dos meus mamilos e depois foi para o outro fazendo o mesmo, a mão dela não movimentava muito rápido, subia e descia devagar, circularmente, ela colocou um dos meus mamilos na boca e começou a chupar com força enquanto aumentava o ritmo da masturbação, subindo em descendo sua mão em alta velocidade agora, bombando bem gostoso, era tesão demais pra mim agüentar, urrei de tesão quando gozei, ela colocou a mão na frente recebendo todo o gozo em sua mão.

"Prontinho querido" ela dizia me dando um selinho em seguida já se levantava.

"O que?" perguntava ainda sem ar. "A onde vai?"

"Dormir" ela respondeu já se apressando até a porta "Tome um banho bem demorado tá"

"Dormir com isso em sua mão?" perguntei intrigado.

"Sim...faz bem pra pele" ela dizia sorrindo.

"Sem chances, lave a mão" falei me levantando.

"CHATOOO" ela gritou "Por que só você pode se divertir?"

Fiquei vermelho novamente mais tomei coragem para falar. "Deixa eu ver?"

Ela ficou ainda mais linda vermelhinha, mordeu seu próprio lábio antes de responder. "Deixo"

Kushina se virou, notei que a parte da frente da calcinha dela estava molhadinha, ela sorrio ainda com a face corada e logo em seguida tirou a calcinha, fiquei louco ao observá-la pelada, os traços do seu corpo, sua sensualidade, sua bucetinha linda toda depilada na parte de baixo e só com um risco de cabelo na parte de cima, tinha a mesma cor dos seus cabelos, era linda demais, eu estava completamente apaixonado por ela, mesmo sabendo que isso era errado e impuro, eu a desejava mais do qualquer outra garota do mundo.

Ela andou até a banheira vazia e se deitou com as pernas bem abertas, me trazendo uma visão mega sexy, os lábios de sua bucetinha abriu bem gostosinho e eu me deliciei observando aquela linda bucetinha rosada que parecia ser tão macia, meu pau respondeu em seguida ficando durinho novamente, em seguida ela ergueu a mão que estava completamente melada com meu gozo, colocou um dos dedos na boca e começou a chupar bem gostoso.

"Seu gosto é tão bom" ela dizia olhando para mim.

Depois ela esfregar sua mão melada em sua bucetinha e misturando meu gozo com a excitação dela que a deixava extremamente molhada, ela apertou a bucetinha com força, depois começou a se acariciar, gemendo baixinho, eu não agüentei e pulei pra dentro da banheira ficando entre as pernas dela, ela me lançou um olhar surpreso e um sorriso animado.

"Você me quer?" ela perguntou já segurando meu pau com sua mão, o esfregando em sua bucetinha.

"Quero demais" respondi.

Ela sorrio e foi enfiando meu pau bem devagarzinho para dentro dela, senti sua bucetinha o envolver por inteiro, seu calor me envolver inteiro, meu pau pulsou dentro dela, ela sorrio passando seus braços ao redor do meu pescoço me puxando pra junto dela, seu olhar me transmitia calma e amor, me senti tão seguro com ela.

"Eu te amo" sussurrei.

"Eu te amo mais" ela falou sorrindo. "Agora mete, bem fundo, fode sua mulher"

Movimentei meu corpo inteiro pra frente estocando fundo, ela gritou alto, e eu continuei forçando, criando um ritmo rápido e forte, movimentando meu quadril pra frente e pra trás, meu pau bombando dentro dela, entrando e quase saindo, não parávamos de nos beijar enquanto isso, pela a primeira vez na vida eu estava fazendo amor, não era só sexo, estava transando com uma mulher que me ama e eu amo ela, isso era diferente, não menos gostoso mas mais intenso. Não consegui segurar por muito tempo, logo já estava gozando novamente, enchendo a bucetinha dela com meu gozo, ela se contraiu todinha enquanto eu gozava e depois relaxou gostoso em meus braços.

Foram dois minutos que ficamos apenas deitados um em cima do outro apenas se recuperando, logo depois ela saiu de cima de mim e começou a levantar.

"Vem Naruto, quero desse jeito agora" ela dizia ficando quatro já empinando aquela bunda gostosa.

Olhei aquela bucetinha toda melada, delirei passando minha mão na buceta molhada dela melando toda minha mão em seguida esfregava essa mão no meu pau o deixando todo melado do gozo dela, fiquei em pé em cima da banheira, segurei meu pau com a mão direita e comecei a esfregar na bucetinha dela, esfregando a cabecinha em seu clitóris, a provocando, ela gemia alto e pedia pra mim enfiar logo, eu fiz o que ela pediu e enfiei inteiro de uma só fez já estocando fundo, comecei a estocar sem parar dando fortes tapas na bunda dela "Que bucetinha gostosa...aii delicia...rebola no meu pau" dizia para ela, ela obedecia na hora começando a rebolar bem gostoso fazendo meu pau se mexer dentro dela.

"Ainnn...mete vai...mete fundo e com força" ela gritava ensandecida. "Come essa sua safada"

Isso fazia dessa transa ser muito mais sexo do que amor, era incrível como ela conseguia isso, tínhamos acabado de transar de maneira carinhosa e apaixonada, agora estava transando de maneira quente e selvagem, e estava muitoooo...muitoooo gostoso mesmo.

Continuamos, as reboladas dela me deixava ainda mais louco, eu estava quase no meu limite, socava meu pau com tudo e com toda força pra dentro dela, o som do meu cacete penetrando aquela buceta melada e das minhas bolas batendo contra sua pele estava me deixando louco, descia um tapa forte em sua bunda deixando as marcas dos meus cinco dedos, arrombava aquela bucetinha gostosa penetrando bem gostoso, sentia aquela sensação perfeita me invadir e gozava bem gostoso, despejando vários jatos de porra pra dentro da bucetinha dela, dava as ultimas bombadas e tirava meu cacete de dentro dela fazendo a minha porra escorrer pra fora de sua bucetinha, escorrendo por suas pernas.

Perdi as forças sobre minhas pernas e meu corpo caiu sobre o dela, abracei ela com força por trás e ficamos assim deitados tentando recuperar o fôlego, apertava meu corpo contra o dela adorando sentir nossos corpos assim juntinhos, como se fosse um.

"Você é perfeito" ela falou com a voz fraquinha.

"Você que é perfeita" falei sorrindo "Isso é de família"

"Com certeza" ela falou caindo na gargalhada. "Então já descansou? Quero mais...muitooo mais"

Sorri para ela, eu também queria mais, sabia que nessa noite eu não iria dormir, iria virar ela aqui, dentro dessa banheira fazendo amor bem gostoso, e também transando de maneira bem quente e selvagem, tudo isso com ela, minha musa de cabelos vermelhos.