Estava de frente para o "Rei" o grande homem das chaves. O dono de qualquer mundo que fosse - Humanos, Shinigamis, Hollows. - Aquele que se encontrava em qualquer dimensão se curvava a ele e se rendia ao poder do grande Deus de todos.

A última coisa da qual se lembrava antes de chegar naquele lugar era de uma dor alucinante e de sua tentativa, em vão, de fazer com que seu corpo e seus órgãos se regenerassem e do toque que sentiu das mãos daquela mulher, por um breve momento, antes de se desfazer em pó e sentir seu espírito se distanciar.

Não sabia descrever o "Rei" a sua frente. Sempre imaginava que o rei fosse como Aizen, forte, poderoso, alguém que causaria medo. Mas sentia paz, embora não pudesse ver. Talvez fosse um grande borrão para seus olhos esmeraldinos que não eram dignos de ver a quem ele se colocava diante. Também não se podia ouvir, mas sentia as palavras de uma maneira estranhamente forte, mas inaudível. Como um pensamento, mas que não era seu ou seria um delírio?

-Está preparado para o outro mundo Schiffer? – Ele sentiu a voz lhe perguntar.

-Estou. – Disse convicto.

-Tem certeza? – Sentiu uma força que lhe pressionava a dúvida. – Não há nada que queira fazer?

O moreno apenas olhou para a mão pálida.

-"O toque." -pensou.

-Não há nada que queira descobrir ou sentir? – A voz o pressionou mais uma vez. – Sua missão no mundo está feita? Darei-lhe uma chance de escolher, se assim achar que deve ser feito.

-Eu... – Hesitou em responder, mas a vontade de saber o que realmente tinha na palma daquela mão era maior. Pensou realmente estar louco e xingou a si mesmo de lixo. – Quero ser humano.

-Se assim deseja, assim o farei. Mas tenho de lhe dizer que os objetivos deverão ser alcançados novamente. – Ouviu a advertência breve. – Boa sorte, Ulquiorra Schiffer.

Sentiu-se tonto no mesmo instante, os olhos verdes já não enxergavam e seu corpo pesava, ouviu o chão se abrir, estava caindo em um buraco escuro e antes mesmo que se estatelasse no chão do buraco negro estava deitado e acordava alertado por um despertador que tocava incansável, irritante e agudo.