Disclaimer: Edward e Bella assim como os outros personagens, pertencem à Stephenie Meyer e sua saga Twilight, mas esse Edward fofuxo de 3 anos, falando Cangulu, pertence a mim. Respeitem por favor, e lembrem-se, plágio é crime!


Sweet Gestures

Esme POV

Eu estava radiante. Em mais ou menos uma semana Alice estaria entre a gente, pelo menos fora isso que o Dr. James me garantiu durante os exames de hoje. Mas a julgar pelo tanto que minha menininha chutava, eu poderia apostar que ela não esperaria isso tudo não.

Edward, apesar dos seus 3 anos recém completados, estava eufórico com a chegada da irmãzinha, mas hoje, diferente das outras vezes em que ele veio ao hospital comigo, não me encheu de perguntas sobre Alice.

Eu o encarei pelo espelho retrovisor do carro, achando que ele estivesse dormindo em sua cadeirinha, mas me surpreendi ao vê-lo olhando pela janela do automóvel, como se estivesse longe dali.

"Está tudo bem, meu querido?"

Edward virou o rosto em minha direção e apenas balançou a cabecinha em concordância. Achei melhor não forçar. Eu conhecia meu filho e, apesar de sua pouca idade, sabia que quando ele quisesse viria falar comigo.

"Mamã" - ele chamou de repente, me fazendo abrir um sorriso.

"Sim, meu querido."

"Puquê a nenê da tia Renné é tão pequeniinha?"

"Porque ela nasceu antes da hora, meu amor. E o corpinho dela ainda não estava todo formado."

"O que falta nela, mamã?" – ele perguntou arregalando os olhos. "Ela tem boca, olhos, naliz, blaços, pernas."

"Não Edward" eu disse rindo. "Ela só é mais fraquinha e precisa de alguns cuidados especiais para crescer bem."

Isabella havia nascido de sete meses, assustando a todos nós. Renné sofreu um assalto quando voltava da escola onde dava aula e o susto fez com que sua pressão subisse demais, provocando uma eclampsia. Por isso, apesar dos riscos, os médicos optaram por uma cesariana de emergência. A operação fora um sucesso e mãe e filha passavam bem apesar de tudo, mas Bella ainda precisava da incubadora e Renné, embora já pudesse ir para casa, passava o dia todo no hospital enquanto Charlie praticamente estava morando no posto policial, já que jurou que não sossegaria enquanto não colocasse os assaltantes atrás das grades.

"A Alice também vai ficá amaada ao seu côpo? Puquê assim eu num pudê ablaçar você mamã."

Foi impossível não sentir um aperto no peito ao ver a tristeza em seus olhos verdes-esmeralda que me encaravam com uma pontada de angústia, embora ele não tivesse idade ainda para saber o que esse sentimento significa.

"Não meu querido. A gente já conversou sobre isso. Sua irmãzinha vai precisar de atenção e cuidados, mas a mamãe e o papai vão estar sempre aqui, prontos para te encher de beijos e abraços quando quiser. Você continua sendo o reizinho da casa, meu amor!"

Seus olhinhos brilhavam e ele parecia mais tranquilo agora, mas eu sabia que ainda tinha mais coisas passando por aquela cabecinha.

Já estávamos a algum tempo em casa e Edward brincava com seu lego no meio da sala enquanto eu terminava de bordar uma blusinha do enxoval de Alice.

"Mamã?"

"Sim Edward" – respondi levantando os olhos do ponto de cruz que estava fazendo.

"Puquê a Bella tava amaada na tia Renné?"

"Faz parte do tratamento para ela ganhar força. Chama mamãe-canguru."

"Cangulu?"

"Isso mesmo!" eu disse rindo da sua cara de espanto. "O médico acha que amarrado daquele jeito no corpo da mãe, o neném se recupera mais rápido. Ele sente como na época em que estava dentro da barriga. E assim ele cura rapidinho."

"A Bella vai ficá boa então?"

"Claro que vai meu amor. E eu tenho certeza que você, a Alice e a Bella vão ser muito amigos. Assim como a mamãe é amiga da tia Renné."

Quase como se tivesse entendido o que eu disse, Alice deu uma sucessão de chutes e eu comecei a sentir as primeiras contrações. Eu estava certa, minha filhinha hiperativa não iria esperar uma semana para nascer. Minha bolsa acabara de estourar.

Edward me encarava com os olhos arregalados, sem compreender o que realmente estava acontecendo.

"Edward meu amor, pega o celular da mamãe e aperta forte o número 1. Seu pai vai atender. Pede pra ele vir para casa. AGORA!" gritei quando outra contração me atingiu.


Carlisle POV

Estava em meu consultório no hospital, contando as horas para poder ir para casa, curtir meu filho e minha linda esposa. Esme sempre foi uma mulher bonita, mas ela estava ainda mais deslumbrante durante a gravidez. Era como se ela tivesse nascido para ser mãe.

O som do meu celular me tirou daqueles pensamentos.

"Esme amor, aconteceu alguma coisa?"

"Papá" a voz de Edward me atingiu e ele parecia assustado com alguma coisa. "A mamã fez xixi no sofá e disse que é pla você vir pla casa agola."

"Diz pra sua mãe que eu já estou a caminho. Parece que a sua irmãzinha está chegando, meu filho." disse abrindo um sorriso. Minha garotinha iria nascer, finalmente!

Alice deu trabalho para vir ao mundo. Foram praticamente 9h de parto, mas agora, mãe e filha passavam bem. Eu aproveitei que elas dormiam para sair e comprar algumas flores para Esme e trazer Edward para comprar um presente para a irmãzinha.

"Papá, você acha que a Alice vai gostá desse?" ele perguntou apontando para uma caixinha de música onde uma bailarina sentada ia se levantando até estar dançando, à medida que a música tocava.

"Eu tenho certeza meu filho. E então, pronto para ir ao hospital conhecer sua irmã?"

"Péla!"

Edward me deixou parado ali e correu para o corredor dos bichinhos de pelúcia, fazendo uma bagunça tremenda, parecendo concentrado em encontrar algo específico.

"Atí!" ele gritou erguendo um pequeno canguru de pelúcia em seus braços. "Posso levá esse também, papá?" ele perguntou, suplicando mais com os olhos do que com as palavras em si.

"Claro! Alice vai adorar."

"Num é pla a Alice, papá."

"Não?" perguntei confuso. "Para quem é então?"

Edward abriu um sorriso radiante antes de responder.

"Pla Bella!"


N/A: Oi flores... bem, aí está a primeira o/s! E meus Deus, eu quero apertar muuuuuuuuuito esse Edward. Coisa mais fofa! Eu simplesmente babo quando ele pergunta: "Cangulu?" ushuahsuahsuahsuhaushaua

Bem, não vou marcar uma data para o próximo, mas adianto que idéias não faltam, então... podem esperar! Mas antes, eu quero muito, eu preciso saber o que acharam e se vocês querem mais histórias tipo essa ou se é melhor eu desistir e parar com esse projeto por aqui! Como fazer isso? Fácil, que tal apertar esse botãozinho aí embaixo e me contar? ;) Vou ficar esperando!

Bjusssssssss

Taty

N/B: ARGH, ARGH, ARGH, ARGH! Edwards geralmente me deixam mentalmente incapacitada. E aí, vcs autoras malvadas, acham de me deixar ainda mais lesada escrevendo sobre Edwards fofuxos e lindinhos de … quantos ele tem? Ah, não importa. QUE COISA MAIS CUTE CUTE, TAAAAAATY! E a Licinha vindo ao mundo, awwwwwwwwwwwwn, Bellita pequena e frágil e Ed lindo sendo um principe desde criancinha. Coisa maaaaaar gotosa desse mundo, mô deuso! *o*