Classificação etária: em grande parte, 16 anos

UA/ Romance/Drama/Angst/longShot: em três temporadas

Shipper: ItaSaku & menções a SasuSaku

Disclamer: O Naruto não é meu.

Ambientação: A fanfic foi escrita bem antes da autora saber que Itachi era um agente duplo a serviço de Konoha.

Sinopse: Quando Sakura embarca numa busca por Sasuke, acaba sendo capturada pela Akatsuki. Agora ela não pode negar que a gravidade a está colocando no caminho do irmão do amor da sua vida.

Autora: Mitsuki Shiroi

Tradutora: Kahli Hime

BetaReader da versão em língua portuguesa: Bela21


Anteriormente...

Os olhos vermelhos estreitaram novamente, e ela deveria te-lo notado, mas estava cega demais com todas aquelas emoções se acumulando dentro de si, ela simplesmente precisava jogar tudo fora, que se danem as conseqüências. Com apenas um tapa forte, ela jogou tudo sobre a mesa pelo ar, batendo as palmas das mãos sobre a superficie.

- Quem diabos pensa que é! Só porque me encontrou, automaticamente assume que eu sou sua refém e vou agir como o seu cãozinho de estimação, bem, adivinha so, NAO E BEM ASSIM! - e voltou a gritar com ele a plenos pulmões.

Itachi se levantou nesse momento, descartando suas vestes Akastuki e ela pôs-se a berrar novamente.

- E o pior de tudo é que você está me mantendo longe do meu objetivo. Droga, ITACHI, APENAS ME DEIXE IR PARA O SOM, ME DEIXE IR PARA O SASUKE. - gritou, não se importando se estava agindo como uma criança.

Ela continuou gritando, e, finalmente, Itachi teve o suficiente.

Ele se moveu tão rapidamente que ela sequer pode ver ver seus movimentos, mas a próxima coisa que sabia era que estava de costas sobre a mesa, olhando para seu rosto furioso. Sua máscara finalmente quebrou e as emoções que ele tinha guardado dentro de si explodiram. E apesar disso, ela não parara de gritar. Bateu no peito masculino, exigindo que a deixasse ir. O que muito em breve, apenas parou, por causa de um unico movimento de Itachi.

Pois agora... os lábios masculinos estavam pressionandos contra os dela.


Metamorfose

Capítulo VIII

Sacrifícios devem ser feitos


Sakura sabia que algo estava acontecendo entre os dois, afinal, Itachi era um homem muito bonito, e algumas kunoichis cairiam de amores pelo tipo dele. O tipo frio, lindo e perfeito. Itachi e Sasuke, definitivamente, eram desse tipo de homem.

Ela não podia negar a atração óbvia, mas sempre pensara que poderia se controlar antes que se visse muito envolvida.

Mas ela não podia.

Não quando seu corpo quente pairava sobre o dela, seus lábios tão masculinos roçavam muito suavemente sobre os seus; viu-se perdendo o controle lentamente, até que, infernos, vira-se completamente perdida e o autocontrole totalmente escondido bem no fundo de sua mente. Por mais que Sakura quisesse parar, seu corpo fez exatamente o oposto, enroscando os braços ao redor da cintura dele. Podia senti-lo sorrir contra seus lábios e novamente aprofundar o beijo.

Itachi prendeu-a contra a mesa, beijando-a ferozmente. Os sentidos de Sakura nublaram, ela podia senti-lo em todos os lugares; pressionando-se contra si, podia inalar o cheiro indescritível, somente dele, e uma sensação de ardor que parecia lhe enviar uma carga elétrica pela espinha. A língua dançando junto com a sua própria, enviando calafrios pela pele.


Sakura quebrou o primeiro beijo porque, inevitavelmente, precisava de ar.

Ela podia sentir a respiração quente dele pairar sobre a pele de seu pescoço enquanto ele ainda a pressionava no lugar, como se ele mesmo estivesse tentando recuperar o fôlego. O moreno se afastou dela e sentou-se em uma das cadeiras enquanto Sakura lutava para sentar-se em uma a sua frente. Uma pausa desconfortável pairou entre os dois.

- Itachi, eu…- gaguejou, tentando recuperar a compostura. Naquele exato momento, Kisame passou pela porta, seguido por Deidara.

- Desculpe Itachi-san, mas achamos que você deveria saber que há um pequeno exército da Folha de caçadores-nin lá fora. - falou, antes que Itachi ou Sakura pudessem dizer qualquer coisa. Itachi acenou breve e sem sequer uma segunda olhadela para Sakura, saiu da sala. Kisame o seguiu, mas Deidara demorou um pouco mais ali.

- Você está bem? - Perguntou, a curiosidade evidente em sua voz.

- Tudo bem... tudo bem. - respondeu vagamente. - Quantos ninjas?

- Cerca de 20, hn. - Deidara parecia um pouco preocupado. - Salmão-chan me disse que eles estavam caçando você... Alguma razão especial pra isso?

- Saí de Konoha há algumas semanas, devo estar sendo caçada por eles temerem que eu vá repassar as técnicas secretas de Tsunade-sama e seus jutsus de cura. - suspirou. - Eu não tenho realmente valor nenhum para Konoha, somente por ser uma boa ninja médica. - Acrescentou.

Deidara balançou a cabeça em compreensão. - Quando eu era mais jovem, eles costumavam me provocar sobre eu não ter qualquer valor, porque não sou muito bom nas áreas de taijutsu e genjutsu. Então aperfeiçoei meu ninjutsu com a ajuda de argila e papel. - suspirou. - Depois dos meus 16, deixei a Pedra e me juntei a Akatsuki pouco depois. Foi então que aperfeiçoei meu taijutsu e genjutsu... hn

Ele é exatamente... como eu. Provavelmente se sentia inútil em sua infância, assim como eu...

- Quando eu ainda era genin, fui colocada em uma equipe com um jounin brilhante como líder, um gênio, membro do clã Uchiha, e um menino que tinha a kyuubi selada dentro de si. - disse baixinho. Como Deidara esperou que ela continuasse, Sakura respirou fundo e continuou. - Eu não era boa o suficiente para a equipe. Sasuke era o nosso membro número um, o gênio o mais forte no momento. Na nossa primeira luta contra uns ninjas da névoa, a única coisa que eu pude fazer foi pular na frente do homem que estávamos protegendo e tentar algo para que nada o acontecesse, na esperança de que pudesse salvá-lo.


Ela quase podia ver a tristeza cintilando nos olhos de Deidara, mas rapidamente a descartou. Akatsuki eram ninjas e isso significava que Deidara nunca poderia mostrar emoção na frente de ninguém.

- Então, com o passar do tempo, Naruto se tornou mais forte e talvez, até mesmo já tenha superado o Sasuke-kun. Depois de Sasuke-kun ter partido e Naruto ter ido treinar com Jiraiya, eu sabia que não poderia mais seguir com eles. Eles foram saindo do meu alcance, muito mais do que antes. - ela abaixou o olhar um pouco. - Então pedi a Tsunade-shishou para ser minha mentora e me ensinar as artes do ninjutsu médico.

Antes que se desse conta, já estava chorando. Quando as lágrimas rolaram pelo rosto, ela sabia que não iria conseguir mais impedi-las. Não poderia, mesmo que quisesse. Todo ninja deveria chorar ao menos uma vez.

- Mas mesmo agora, me falta força. Eu sou uma boa kunoichi, mas nunca vou ser capaz de alcançá-los. Sempre vou continuar vendo-os a minha frente. - Terminou, derramando lágrimas livremente. Quando as lágrimas turvaram sua visão, ela pode ver fracamente Deidara ficando de pé e movendo-se em sua direção.

Foi então que sentiu os braços masculinos em volta de si, quase hesitantes, como se não tivesse abraçado ninguém antes na vida.

Ela apertou as vestes do moço em seus punhos fechados, não se importando o que Itachi, Kisame ou até mesmo Deidara iriam pensar de si, pensar que ela fosse uma fraca. Naquele momento, a única coisa que queria era falar com alguém que fosse capaz de entender pelo que ela havia passado. Ela o esmagou em seu abraço e chorou livremente em seu ombro até que as lágrimas, finalmente, cessassem.

. . .


- Droga, aquele ninja conseguiu me ferir. - Kisame amaldiçoou, ainda seguindo Itachi. Resmungou um pouco ao inspecionar o machucado em seu braço. Durante a luta, um ANBU, quase tão franzino quanto uma criança, veio até ele quando Kisame estava com a guarda baixa e o atacou com uma chuva de shurikens.

- Deixe a kunoichi cuidar desse ferimento mais tarde. - Itachi respondeu. Ele também estava cansado, mesmo que ninguém pudesse notar. Usou seu sharingan exacerbadamente e sua visão começou a embaçar novamente, a um ponto dele sequer poder ver a figura de Kisame claramente. O Mangekyou Sharingan era uma grande arma, mas o fato de toda vez que tivesse que usá-lo, teria de deteriorar sua visão, não era bom.

Enquanto corriam pela floresta que levava à pousada na Chuva, a mente de Itachi continuava focada em uma certa kunoichi de cabelos cor de rosa que havia deixado sob os cuidados de Deidara. Sem pensar duas vezes, ele a beijou. Nunca, em toda a sua vida, havia investido em alguém dessa forma. Ele nunca sentira qualquer necessidade que não pudesse controlar, ou vontade de fazer qualquer coisa louca e impensada. No entanto, sempre que estava perto da kunoichi, ele tinha essa súbita vontade de estar perto dela, de todas as formas possíveis.

Soltou um suspiro antes de afastar o pensamento.

Ele nunca gostou de ninguém de forma romântica e, certamente, não começaria a fazê-lo em seus vinte e três anos nessa Terra. Eram provavelmente apenas alguns hormônios agindo.


Enquanto caminhavam para a sala onde havia deixado Sakura e Deidara, pararam a porta em pleno estado de choque. Lá estavam, Deidara sentado com Sakura em seu colo, que obviamente havia adormecido ou estava inconsciente. Embalava-a em seus braços e parecia que ele havia cochilado também. Quando Kisame soltou um pequeno som de evidente descrença, Itachi podia sentir um instinto assassino queimando dentro de si. Lutou contra tais pensamentos tentando manter-se composto e inalterado ao fitar Deidara despertar de seu sono leve.

- Divertindo-se, garoto da Pedra? - Kisame sorriu largamente. - Espero que ela não esteja muito cansada, eu realmente preciso dela para curar esse meu braço. - Acrescentou.

Deidara deu um sorriso torto, antes de mover o olhar para Sakura, que estava abrindo os olhos aos sons fracos de Kisame e Itachi chegando. Piscou algumas vezes, antes de fitar diretamente Deidara e mover o olhar, em seguida, para Kisame e Itachi.

Itachi parecia o mesmo de sempre. Uma pequena quantidade de sangue respingada sobre seu manto Akatsuki e parecia um pouco cansado aos seus olhos treinados de médica. Mas, ainda mantinha aquela poker face no lugar, porém, observando atentamente, chegou à conclusão surpreendente de que ele não estava com o sharingan ativado.

- Kisame quer que você trate o braço dele. - Deidara sussurrou suavemente. Sakura piscou algumas vezes, alheia ao tom suave e gentil do loiro e acenou com a cabeça antes de se levantar. Ela poupara um olhar a Itachi, com medo que um blush viesse a lhe enfeitar suas bochechas.

Ela se lembrava de tudo o que aconteceu antes. Dos lábios suaves e masculinos pressionados aos seus e do calor de seu corpo. Respirou fundo antes de caminhar em direção a Kisame, que começou a arregaçar a manga.

Agora que o ferimento era visível, todos os pensamentos de Itachi desapareceram no ar. A carne em seu pulso parecia mutilada e aquilo com certeza não se fazia a melhor das imagens. Sakura engasgou quando estendeu a mão para inspecionar a ferida do shinobi. Ele estremeceu logo que a mão feminina tocou um ponto particularmente doloroso. Sakura imediatamente começou a moldar chakra e o processo de cura começou.

Instantaneamente, a dor no braço de Kisame foi diminuindo e, quando o homem azulado abriu os olhos, podia ver sua carne quase que completamente curada sob o toque quente do chakra de Sakura. Murmurou um agradecimento quando tudo acabou, ainda admirado com as habilidades incríveis da kunoichi. Ela sorriu levemente e assentiu.

- Como foi que isso aconteceu? - Perguntou, querendo saber quem poderia infligir tamanha ferida nele.

- Vinte ANBUs da Folha. Não foi um grande desafio, mas um deles me atacou quando eu estava com a guarda baixa, era alguém tão pequeno que acho que poderia até mesmo ser uma kunichi. - Disse Kisame numa voz quase respeitosa.

Os olhos de Sakura arregalaram com o pensamento. Sabia que havia apenas dois membros na ANBU do sexo feminino e ambas eram suas amigas. Rezando para que não fosse uma delas, ela continuou seu interrogatório.

- Você viu a cor do cabelo dela? - Perguntou, quase temendo a resposta.

Kisame balançou a cabeça. - Não, mas gritaram seu nome quando eu a matei. - Kisame sorriu. - Eu não me lembro, mas lembro de ter soado um pouco estranho.

- Eu ouvi. - Itachi finalmente falou. Sakura quase podia sentir o calor irradiando de suas bochechas ao virar-se para encará-lo. Seu rosto ainda estava sério, nenhuma indicação de que ele estava brincando. Seus olhos de ônix fixados diretamente nela.

- Então, qual era o nome dela? - Por favor, não deixe ser Ino ou Tenten, por favor, Deus, por favor...

- Tenten. - Itachi respondeu suavemente.

Por um momento, Sakura sentiu como se o mundo tivesse parado. Ela caiu de joelhos, respirando com dificuldade, como se alguém tivesse arrebatado-lhe o ar dos pulmões. Ela podia sentir que Deidara havia agachado a seu lado para ver se ela estava bem. Nem Kisame ou Itachi disseram qualquer coisa. Aparentemente, entenderam imediatamente que Sakura conhecia Tenten.

-Q-Quem disse o nome dela... Você sabe? - Sakura perguntou, com a voz trêmula.


Tenten e Sakura não eram exatamente amigas, mas durante os seis anos desde o exame chuunin, começaram a se dar socialmente, especialmente porque ela era amiga de Lee e eles se viam com bastante freqüência. Com o passar do tempo, Sakura passou a respeitá-la por sua determinação.

Tenten foi a primeira a passar no exame chuunin após aperfeiçoar suas habilidades e foi promovida a ANBU logo depois, porque suas armadilhas explosivas eram perfeitas.

E agora Kisame a matou...

Vagamente podia ouvir Kisame murmurando alguma coisa. Quando levantou a cabeça para encará-lo, se viu incapaz de odiá-lo, até mesmo agora. Kisame era bom consigo, assim como Deidara. Eles fizeram sua vida como nukenin ser algo suportável, mas ainda era difícil saber que o homem com cara de tubarão, de pé a sua frente, havia matado um de seus companheiros Shinobis.

- Eu sinto muito, não ouvi o que disse. - Sakura falou calmamente.

- Eu disse que não sabia quem havia dito o nome dela. - Kisame respondeu com sinceridade.

- Ele estava usando a técnica Byakugan ou talvez taijutsu? - Perguntou.

- Está insinuando que um dos Hyuuga entrou para ANBU? - Itachi perguntou suavemente.

- Hyuuga Neji entrou. - rosnou. - Por que? Quer matá-lo também!

Sakura lutou para levantar-se; afastando a mão que Deidara havia lhe oferecido. Fitando os dois homens a sua frente, sua tristeza desapareceu e sua raiva a cegou rapidamente.

- É isso aí, né? Você é um Akatsuki, certo? Mata todo mundo que está em seu caminho, não se importando quem seja! - Sakura apontou acusadoramente para Itachi. - Você é a escória mais baixa ainda! Matar o seu próprio clã e Deus sabe o motivo, você é um doente! Não se importa qual vida irá destruir, se é a do seu irmão ou a minha, simplesmente faria tudo para satisfazer suas próprias necessidades egoístas!


Ela esperava que ele fosse ficar irado consigo. Ela meio que esperava que ele a matasse e a outra metade de sua mente imaginou que ele fosse espancá-la. Mas ela nunca esperava pelo que aconteceria depois.

- Você esperava que fôssemos agir de forma diferente? - A voz suave de Itachi soou. - Somos Akatsukis, como acabou de confirmar. Somos nukenins e estamos acostumados a isso e matamos quem fica em nosso caminho. - Olhos de ônix concentraram nela, e só nela.

- Agora, se estou correto, tínhamos um acordo sobre o tratamento dos meus olhos. - continuou. - Quando se acalmar e restaurar seu chakra, vamos começar de uma vez.

Depois disso, Itachi desapareceu no ar num poof. Kisame ficou por lá um pouco, antes de encolher-se e seguir o exemplo de Itachi.

Sakura sentiu uma mão em seu ombro e olhou para cima para ver Deidara e seu meio sorriso, então, ele se virou e caminhou na direção que Kisame seguira, deixando-a sozinha novamente, com apenas seus pensamentos.

Durante seus anos de juventude, Itachi foi, principalmente, elogiado por três coisas. A primeira era sua capacidade de usar seu sharingan aos prematuros 7 anos de idade. Segunda, a forma como se movia. Como uma sombra, gracioso. A última coisa era o seu senso apurado do ambiente ao seu redor.

...


No minuto em que Itachi entrou no quarto em que ele e ela, inicialmente compartilhavam, ele notou duas coisas.

A primeira, havia algo diferente no canto superior esquerdo da cama de Sakura.

Um papel, o que significava que Deidara estava escutando tudo o que faziam aqui dentro com o auxílio de um jutsu que plantara. A segunda coisa era que Sakura ainda estava dormindo. Ele podia ouvir sua respiração suave e constante.

Em nada mais que um borrão, aparecera ao lado da cama da moça, esmagando o pequeno jutsu que Deidara deixara em um instante. Sorriu de canto ao ouvir o loiro soltar uma maldição no outro quarto. Então, fitou a mulher de cabelos cor de rosa e notou que ela ainda estava dormindo profundamente.

Ela era linda, não havia dúvida nisso. Até mesmo Itachi tinha de admitir esse fato, mesmo que nunca fosse dizê-lo a ela. Seu cabelo cor de rosa espalhado por toda a cama, olhos fechados e seus lábios perfeitos - lábios que ele havia tocado mais cedo - ligeiramente entreabertos. A mão segurando os lençóis e uma perna exposta.

Não podia evitar que seus olhos seguissem a curva suave e elegante do corpo feminino.

Mas, enquanto olhos vermelhos percorriam-lhe o corpo, Sakura estremeceu.

Itachi sequer desviara de sua imagem, apenas se curvou um pouco sobre ela, cobrindo-a devidamente para que a kunoichi não sentisse mais frio durante a noite. Mas assim que o fez, ouviu-a murmurar as palavras que ficariam batucando em sua mente por muito tempo.

"Obrigada... Sasuke-kun."

...


N/T:

Woahhhh, parece que mesmo em sonhos, a mente da Saku-chan "passeia" e quer encontrar um outro Uchiha...

Ai ai, nesses momentos, eu sinto uma dozinha do Ita-kun *pega e abraca forte*

..

Lindonas, tai mais um de Metamorfose ;D - seguindo com a "agenda de posts do mes de marco" - vide perfil da Hime :)

Agora, galerinha, deixe um comentario bem bonitao ai pra fic,

nos vemos loguinho ;D

Hime.


ps:

Ah, cara, nem preciso dizer que A.D.O.R.E.I os ultimos comments em "31 dias" ne. DOMO ARIGATOU, mocinhas!