VICIOUS CIRCLE

Disclaimer: A história pertence a mim e a maioria dos personagens a Stephenie Meyer. Essa não é uma história bonitinha, então fique preparado para tudo.

Sinopse: Ele queria que ela demonstrasse sentimentos, mas estava cada vez mais certo de que a garota era completamente seca. Isso não o impedia de amar Bella até o fundo da sua alma. Amava alguém que apenas pisava e desprezava o que ele sentia, usando-o como um objeto. Edward não sabia como acabar com essa obsessão por ela, mas será que isso seria possível, quando ela sempre estava assombrando seus pensamentos e sua vida?


Capítulo XII – Eu ainda me importo

Who are you now?

Are you still the same or did you change somehow?

What do you do?

At this very moment when I think of you?

I Still… - Backstreet Boys

~x~

Fevereiro de 2013

Edward PDV

O que pode mudar em 4 anos?

Muita coisa.

Passei de um homem desesperado pelo amor de uma mulher que me desprezava, para um comprometido com uma mulher que poderia ser o sonho de qualquer pessoa.

Depois de ir até Paris atrás de Bella e não conseguir tê-la em minha vida, voltei para casa com um misto de emoções que variava da tristeza até uma certa alegria por ela desejar que eu fosse feliz e nos por ter nos dado despedida memorável. Minha mãe não perguntou o que aconteceu e eu também não falei… apenas segui minha vida.

Peter teve muito que ouvir e me aconselhar quando voltei as minhas sessões. As minhas irmãs ficaram felizes ao verem que eu saia com mais frequência com o passar dos meses. Uma festa aqui, um happy hour ali, e aos poucos colocava a minha vida nos trilhos, mas não me sentia completamente livre, não até o dia de Ação de Graças de 2009.

A família toda estava reunida, juntamente com uma convidada das minhas irmãs, Katherina. Com sua torta de chocolate com noz-pecã, seus cabelos loiros e olhos expressivos, ela cativou-me com sua inteligência e conversa. Não tínhamos nos encontrado em uma ocasião assim desde que minhas irmãs tinham propositalmente tentado nos juntar.

Ela era bonita, engraçada, inteligente e caridosa. Estava a frente de uma nova ONG que ajudava na alfabetização de crianças carentes e moradores de rua. Após horas conversando sobre diversas coisas, a chamei para um encontro, e aos poucos ela entrou em minha vida. Em alguns meses, sua ONG já tinha grande apoio, incluindo o da minha família, e em um jantar para arrecadar fundos, nós fomos fotografados juntos dando um beijo no terraço.

A partir daí, além de namorado, éramos o casal preferido dos fotógrafos. Apesar de nunca ter sido famoso ou seguido por paparazzis, o carisma de Kath e seu trabalho social, chamava atenção. Até mesmo grandes políticos da cidade e suas esposas queriam se juntar a ela. A atenção era inevitável e eu acabei recebendo-a.

Não que eu fosse perseguido por aí, mas em eventos, algumas vezes andando pela rua junto a Kath ou em uma pequena pausa para um almoço calmo no Central Park, algumas fotos eram tiradas. Eu não me incomodava. Enquanto eu pudesse viver a minha vida em paz, não me importava em aparecer aqui e ali.

Meu relacionamento com Kath evoluiu com o tempo; eu me permiti viver e ser feliz com o que tinha. Mas não havia um dia que eu não pensasse em Bella, no que ela estaria fazendo, como sua vida andava, se ela estava com saindo com alguém. Não chafurdei na tristeza e no amor que eu ainda nutria por ela, apenas abri um espaço para uma nova vida e uma nova pessoa.

Eu aprendi a amar Kath, não era o mesmo amor que eu tinha por Bella, mas era amor. Ela era boa comigo, nós éramos bons juntos, não havia motivo para não deixar os sentimentos crescerem. E foi assim durante os últimos anos, viajamos juntos, namoramos, tivemos pequenos desentendimentos, mas nos resolvíamos com uma boa conversa. Tudo isso me levou a esse momento, onde eu olhava para esse anel em ouro com diamante e safiras.

Hoje era o dia dos namorados e depois de muito refletir, escolhi que o presente perfeito seria pedi-la em casamento. Minha vida estava boa assim e eu queria ter uma família. Kath era a mulher que poderia me oferecer isso. Guardei o anel novamente e voltei à cozinha a tempo de tirar o medalhão de filé mignon da grelha.

Ao mesmo tempo Kath entrou, avisando que tinha chegado. Nós não morávamos juntos, mas ela tinha a chave do meu apartamento, assim como eu tinha a chave do dela. Eu preferia assim, apesar dela ter dito que deveríamos morar juntos há mais de um ano, minha vida ainda não estava completamente no lugar. Eu tinha dias em que gostava de apenas sentar, ficar em silêncio e pensar na vida, ela poderia não entender isso e eu não queria ter que explicar que estava muitas vezes pensando na minha ex-namorada.

- Hey bonito, que cheiro é esse? – Kath entrou na cozinha e sorri desligando a grelha.

- É o nosso jantar. Medalhão de filé mignon com molho de mostarda, acompanhado de arroz com ervas.

- Meu estômago veio à vida – inclinei para dar um beijo rápido nela – Ainda bem que você planejou esse jantar em casa, eu estou morta. Tem essa estilista nova que eu estou pelejando para conseguir uma entrevista e–

- Não vamos falar de trabalho hoje – a interrompi –, tome um bom banho e quando você voltar à mesa estará posta com o nosso jantar.

- Obrigada – com mais um beijo ela saiu da cozinha.

No tempo que ela tomou o banho, terminei o molho e servi os pratos, com uma garrafa de Vinho PattiMalbec. Puxei a cadeira para ela sentar e com um sorriso de agradecimento, começamos nosso jantar. A nossa conversa centrou-se em sua ONG e o próximo evento beneficente daqui duas semanas, ela relaxou da pressão do trabalho. Posso dizer que o vinho também ajudou.

Quando terminamos peguei a torta de chocolate branco com frutas vermelhas na geladeira, compartilhamos um grande pedaço dela, enquanto estávamos aconchegados no sofá da sala e ouvindo uma música clássica suave ao fundo. Eram nesses pequenos momentos que eu me sentia feliz, mais do que em qualquer outro momento da vida. Ter Kath comigo, compartilhando um pequeno momento depois de um jantar com boa conversa.

Quando terminamos, coloquei o prato em cima da mesa de centro. Sentei e disse a ela que eu tinha um presente, sorrindo fui ao meu quarto para pegar a pequena caixa. Voltei e encontrei Kath sentada com uma caixa mãos.

- Eu sei que você não é do tipo colecionador de canetas, mas eu vi essa e achei que seria perfeita – abri a caixa e encontrei outra caixa em veludo que dentro continha uma caneta tinteiro crown prata.

- Ual. É linda, obrigado – a beijei rapidamente.

- Sério? Não sabia se seria um grande presente, mas é tão bonita – sorri tranquilizando-a.

- Sério, é perfeita. Vou usar em ocasiões especiais – pisquei e ela riu. – Agora o seu presente.

- Estou muito curiosa – ajeitou-se no sofá e tomei uma respiração profunda.

- Estamos juntos há tanto tempo, você me faz feliz, me faz bem, e eu quero dar o próximo passo com você – seus olhos brilharam enquanto ofegava. – Não sou tão bom com palavras para isso, mas eu te amo, e quero compartilhar minha vida totalmente com você, formar uma família, dormir e acordar ao seu lado. Você aceitaria ser a minha esposa?

- Sim – Kath murmurou com seus olhos lacrimejantes. Puxei a caixa do anel do meu bolso e abri. – Que lindo – suspirou e retirei o anel, deslizando em seu dedo – Eu te amo – disse antes de lançar-se em mim e me beijar. (Anel: bit . ly / YLXop6)

Terminamos a noite entre beijos, carícias e um sexo calmo. Era mais um passo no caminho da felicidade.

~xXx~

No dia seguinte a editora estava uma loucura. Assumi o posto do meu pai na editora há um ano. Eu não era mais um jornalista, era o que comandava todas as revistas, e não era um trabalho fácil. Por muitas vezes me peguei ligando para ele com um pedido de ajuda, o qual ele nunca recusou. Telefones tocavam, problemas apareciam e eu os resolvia com uma grande dor no pescoço.

Suspirei aliviado quando ao olhar pro relógio vi que estava perto da hora do almoço e Kath me esperava. Iríamos a um restaurante japonês e iria me empanturrar de sushi. Estiquei os braços espreguiçando-me e tentando me livrar um pouco da tensão. Disse a Jéssica, minha secretária, que iria almoçar e que quando voltasse ela poderia ir.

Entrei no elevador descendo alguns andares até da Shine, a revista de moda comandada por Alice, onde Kath tinha grande destaque, o que dava a ela sua própria sala. Bati na porta, e entrei enquanto ela terminava uma ligação com um suspiro frustrado.

- Pronta para... – algo em cima da mesa do seu escritório me fez parar no meio da frase. Era ela. Bella Swan na capa de uma revista como a nova promessa da Moda.

Uma estilista americana que abriu caminho em Paris.

Meus lábios se repuxaram em um sorriso, depois de quatro anos ela realmente tinha conseguido o que queria. Imaginava o quanto isso a fazia feliz...

- Por que esse sorriso Edward? – Kath chamou a minha atenção com uma sobrancelha arqueada.

- Nada, eu estava me lembrando de uma piada idiota – menti, sorrindo do jeito que ela gostava. – Vamos almoçar querida?

- Sim, estou morrendo de fome. Estou para ficar louca já, um pouco de saquê e algum peixe cru pode me animar – eu ri beijando sua testa e saímos da redação.

Caminhamos até um sushi próximo e fizemos o nosso pedido. Minha mente estava vagando para aquela revista, e a vontade de passar em uma banca para comprar uma edição era tentador. Eu queria saber como ela estava – pelo menos profissionalmente – e quase entrei no site da revista pelo meu celular, mas seria arriscado fazer isso agora. Logo nossos pedidos chegaram e começamos a comer.

- Eu não entendo essa dificuldade de conseguir uma entrevista – ela murmurou descansando o queixo nas mãos.

- Entrevista com quem? – perguntei.

- Com essa estilista, Bella Swan – quase engasguei com o pedaço de sushi. – Ela está na capa da Glamour, com uma entrevista incrível. Poxa, a Shine é uma revista conhecida agora, não custa nada uma entrevista, mas está tão difícil, a Vogue vai fazer uma sessão com ela semana que vem. Vamos ficar para trás, ela é uma promessa da moda, precisamos dela na capa.

- Ela trabalhou na Vogue, deve querer sair lá – falei sem perceber as palavras que saiam da minha boca.

- Como você sabe disso? Você leu algo sobre ela? – Kath levantou as sobrancelhas surpresa.

Conto ou não que Bella Swan é minha ex-namorada? Bem somos noivos agora e não é bom mentir, sendo assim respirei fundo para contar a verdade.

- Eu a conheço. Na verdade nós namoramos, mas isso foi a muito tempo, a conheci quando comecei a faculdade – a expressão dela era impagável.

- Você namorou Bella Swan? Wow – ela virou seu saquê quase todo de uma vez. – Você ainda fala com ela? Suas irmãs também?

- Isso foi há muito tempo. Não tenho mais contato com ela e minhas irmãs não tiveram um bom relacionamento com ela – expliquei encolhendo os ombros.

- Esse foi aquele seu relacionamento complicado, que até hoje eu não sei qual a complicação?

- Sim, mas eu prefiro não falar disso. Olha, Bella deve ter uma vida ocupada agora, mas não desista da entrevista.

- Ela deve saber que eu sou sua namorada, será que ela não quer dar a entrevista de propósito? – Kath esfregou a testa tensa. – Não acredito nisso.

- Não acho que esse seja o motivo, ela não misturaria a vida pessoal com a profissional.

- Certo, se você diz – suspirou. – Vou continuar tentando essa entrevista. Agora entendo porque a Alice jogou isso para mim, ela sabe que é importante ter a Bella na revista, mas não queria lidar com ela.

- Deve ser. Não vamos deixar isso estragar nosso almoço, tenho certeza que você vai conseguir a entrevista, okay? Não desista.

- Não vou – ela sorriu um pouco estranho. – Só estou um pouco chocada.

- Não é nada demais – sorri. – Estava pensando em ir ao teatro no final de semana. Quer ver algo na Broadway?

Assim começamos outra conversa e terminamos nosso almoço. Voltamos para a editora, onde me afundei no trabalho novamente. Essa noite Kath iria para o apartamento dela, e só nos encontraríamos amanhã para um almoço na casa dos meus pais. Terminei o expediente mais tarde que o habitual, desci até o estacionamento e entrei no meu Audi vermelho. Nada melhor do que dirigir um carro novo, confortável e que eu estava completamente apaixonado.

No caminho vi uma banca aberta e por impulso parei em frente a ela. Entre as várias revistas de moda, estava ela, estampando a capa da Glamour com seus lindos olhos castanhos. Peguei a revista e paguei, coloquei no banco do passageiro, dirigindo para casa. No caminho passei em uma pizzaria, comprei uma pizza média e finalmente fui para casa.

Tomei um banho rápido, coloquei uma roupa confortável, sentei no meu sofá e com pizza acompanhada de uma cerveja, abri a revista. Procurei a página da matéria sobre Bella e suspirei ao ver suas fotos. Ela estava tão linda, o cabelo mais curto e escuro. A matéria falava basicamente sobre ela ser uma estilista nova, com grande ideias e que estava conquistando seu espaço. Li a matéria e boa parte da sua entrevista, até ela falar de Paris.

.

.

G: Por que Paris?

BS: Por que não Paris? Eu sempre tive esse sonho que estudar moda aqui e conquistar meus objetivos. Pode parecer fácil, mas foi um pouco difícil deixar os EUA para trás.

G: Difícil? Alguém importante ficou para trás?

BS: Talvez [risos]

Bella Swan é encantadora e talentosa. Mas parece que ela deixou alguém especial por aqui. Seja quem for, ele mexeu com ela e ainda mexe.

G: Você é uma garota misteriosa com relação a sua vida amorosa. Existe alguém ocupando seu coração? Você é vista com bastante frequência na presença de Henri Russeau. Ele é o homem que faz você suspirar?

BS: Não tenho ninguém ocupando meu coração. Tenho amigos incríveis, Henri é um deles, apenas um bom amigo que me ajudou bastante desde que eu cheguei a Paris.

G: Você é tão bonita, como pode estar solteira? Isso é estranho.

BS: Obrigada, mas não é tão estranho quanto parece. Minha vida é muito corrida, prefiro não me envolver em um relacionamento e não ter tempo para ele. Não me envolvi com ninguém em muitos anos, faz falta ter alguém especial, mas agora não é o momento.

G: Tenho certeza que muitos homens lá fora não se incomodariam em ter um relacionamento mesmo que pequeno, com você.

BS: Pode ser que sim, mas relacionamento não é o meu foco. Estou completamente-

.

.

Não terminei de ler, com os pensamentos em outro lugar.

Por que aquele talvez quando perguntaram de alguém especial? Eu seria essa pessoa? Henri era apenas só o seu amigo? Ela estava realmente solteira?

Engoli em seco, sentindo o coração acelerar. Fechei a revista antes que mais dúvidas me invadissem e resolvi tomar outro banho, frio dessa vez. Eu agora era um homem comprometido, não poderia deixar meu coração ser invadido novamente por Bella. Joguei a revista no lixo quando voltei para a sala.

Abri a janela respirando o ar gelado da cidade e tomei um dos meus remédios para dormir que eu não usava a um bom tempo. Era melhor dormir do que me deixar ser tragado por aqueles sentimentos novamente. Não demorei a dormir e tive uma boa noite sem sonhos.

Na manhã seguinte liguei para Peter, ele estava com um tempo livre e fui até ele para falar do que aconteceu ontem. Ele disse que era normal sentir isso, pensei em Bella durante muito tempo, mas também não poderia me deixar ser mergulhado nesses pensamentos. Eu tinha uma vida diferente agora. Eu deveria me focar nisso.

E era o que eu pretendia fazer.

~xXx~

No mês que se seguiu, tentei pensar o menos possível naquele talvez e nos sentimentos que isso me provocava. Saí com Kath várias vezes, passávamos mais noites juntos e estava começando a pensar em morar com ela antes do casamento – este que tínhamos marcado para o final do ano.

Tinha terminado de desligar o telefone quando Kath entrou na minha sala com um sorriso enorme e dando pulos de alegria.

- Eu consegui, eu consegui – ela pulou no meu colo e me deu um beijo forte que eu me assustei um pouco.

- O que você conseguiu? – perguntei sem fôlego.

- A entrevista com Bella Swan, finalmente. Só vamos precisar ver os detalhes, mas parece que será pessoalmente.

- Pessoalmente? Você vai até Paris? – levantei as sobrancelhas.

- Não, ela vem para New York – não tive tempo para expressar uma reação, pois uma batida na porta me interrompeu. Kath saiu do meu colo a tempo de Jéssica abrir a porta.

- Desculpe, Sr. Cullen, mas chegou uma correspondência importante para o senhor – ela entrou no escritório, e colocou a carta em cima da mesa. Saiu rapidamente.

Peguei o envelope elegante, abrindo com cuidado e tirei um convite.

Sr. Edward Cullen,

O Senhor está sendo convidado a comparecer ao Baile de Gala da Machaut em New York, para o anuncio oficial da nova loja da marca que terá a assinatura da nossa talentosa estilista, Bella Swan.

The Plaza NY – Terrace Room

23 de março de 2013 às 19hrs

O convite acompanhava dois pequenos cartões magnéticos, que com a confirmação da minha presença e do acompanhante eles colocariam meus dados e o da pessoa.

- O que é? – tinha me esquecido da presença de Kath, ela estava sentada na minha mesa e me olhava curiosamente.

- Um convite – estendi para ela, que leu rapidamente.

- Oh, então é por isso que ela vem à cidade semana que vem – murmurou. – De uma coisa serviu você ter namorado ela, temos convites para a festa.

- Sim – sorri tentando não transparecer o meu nervoso.

- Será que suas irmãs também receberam? Pelo menos a Alice. Mas você disse que elas não se davam bem.

- Não sei – respirei fundo tentando acalmar o meu coração acelerado.

- Vou voltar para a Shine tenho muita coisa que planejar. Ligue e confirme nossa presença na festa – depois de me dar um beijo rápido, ela saiu.

Cocei os olhos e peguei uma garrafa de água no frigobar no canto do meu escritório. Bebi da garrafa quase toda de uma vez, sentando na minha cadeira novamente e voltei a olhar para o convite.

O que pode mudar em 4 anos?

Muita coisa.

Mas algo ainda não mudou: eu ainda me importava com Bella, eu ainda pensava em Bella, e o que mais me assustava e ao mesmo tempo me emocionava, era que de uma forma ou de outra, eu ainda estava apaixonado por Bella.


N/B: Ai, ai esse noivado do Edward. Não aprovo mesmo! Por mais que faça bem pra ele e tudo mais, sou completamente do time da Bella nessa fic. Hahaha. Anyways, falando na Bella… o que foi essa entrevista? Apenas morri. Quero ler o resto. Edward bem que podia terminar de ler para nós, né? *risos* Enfim, deixem reviews para a felicidade da Leili (e a minha também.) Bj, bj. Friida.


E começamos a fase importante da fic, o presente! Edward está noivo (não gostei, acho ofensivo esse noivado ok, mas eu tinha que coloca), mas podemos ver que a Bella não saiu do coração dele, mesmo depois de 4 anos. O próximo capítulo será narrado pela Bella, o que será que ela sente? Tem uma preview disso no meu group do facebook, só ir no meu perfil que tem o link na descrição!

Mas eu vou enviar outra preview para quem comentar, quem não tiver conta no FF deixa o e-mail substituindo os simbolos por nomes, por exemplo: vicious(underline)circle(arroba)email(ponto)com.

Aproveito para indicar uma fanfic que eu beto, da Mariana, Bella Malice: www(ponto)fanfiction(ponto)net/s/9043036/1/

Beijos e até o próximo capítulo

xx