N/A: Essa fic é baseada no filme "Noivas em Guerra", com a Anne Hathaway e Kate Hudson. Eu adoro.

A história é apenas baseada no filme, ou seja, haverá muitas adaptações.

Eu sei também que adoradores de D/G como eu, normalmente, não suportam H/G, (como eu também), mas sinto informar que a história se inicia H/G. Por quê? Porque a história começa com Ginny e Luna organizando seus casamentos com Harry e Blaise, respectivamente (Dã!). Voltando ao enredo, elas são melhores amigas desde sempre, que sonharam a vida toda com o próprio casamento, e acontece que a ocasião está marcada para o mesmo dia e nenhuma das duas estão prontas para mudar a data. Então, a 'guerra' começa.

Obviamente, haverá muito Draco nessa história, visto que é uma fic com um feliz final D/G. Então, não se preocupem se por acaso acharem que não o verão muito por aqui, pois vocês o verão, sim.

A propósito, para as minhas leitoras, que acompanham a "Brincadeiras do Amor" e gostam de um Draco bem bêbado, acreditem-me, haverá muito desse Draco nessa história também.

Eu nunca escrevi uma fic baseada em filme, mas após assistir esse filme algumas vezes, resolvi tentar. Achei que sairia uma história bem legal.

Sinto muito se por acaso já existir alguma fic baseada nesse filme por aqui, não é cópia, apenas mera coincidência.

Eu sei também que tenho três fics para terminar, duas das quais eu não atualizo desde 2007, e uma tradução que estou fazendo, mas prometo que vou terminar. Estou trabalhando nas minhas fics paradas. Estou com outro projeto D/G, comédia e pós-Hoggy também, que acho que será bem divertido. E estou continuando a BdA, na verdade, o próximo capítulo já está pronto, preciso apenas editá-lo.

Bom, chega de enrolação.

Espero muito que gostem. Se, por acaso, essa fic não fizer muito sucesso, eu apago ela.


Noivas em Guerra

Ginny de dez anos de idade voou pela porta do quarto e se jogou na cama da melhor amiga.

"Luna!" Resmungou alto "não acredito que você está organizando o casamento do Sr. Pelúcia e da Lady Bee sem mim!"

A pequena Luna, riu alto e jogou os braços no pescoço da ruiva.

"Eu nunca organizaria um casamento sem você, Ginny" Tal idéia parecia um absurdo. Soltou a amiga e entregou a Lady Bee, uma boneca velha e noiva, para as mãos da amiga. "Ela precisa tirar as medidas para o vestido, Ginny"

"Certo" A ruiva agarrou Lady Bee enquanto fingia tirar todas as medidas da pequena boneca. "Ela está tão apaixonada pelo Sr. Pelúcia"

Luna assentiu com a cabeça.

"O Sr. Pelúcia guardou milhões de galeões para organizar esse casamento" Contou em tom de fofoca "Ele a ama muito também"

E assim passavam horas e horas de suas tardes juntas. Brincando e sonhando em casamentos perfeitos.

"A noiva precisa de algo velho, algo emprestado e algo azul, Luna!" Ginny exclamou horrorizada, enquanto ajeitava o vestido de noiva da Lady Bee, que, na verdade, era a toalha de mesa branca da sala de jantar.

Luna arregalou os olhos, chocada por ter esquecido de algo tão banal. Então, rapidamente, sorriu alivíada. Correu até seu armário, puxou a última gaveta e pegou uma caixa velha. Tirou de dentro uma presilha pequena e delicada de prata, com uma pequena flor azul enfeitando-a. Entregou à Ginny.

"Era da minha mãe" Contou. "É algo velho, azul e emprestado"

A pequena Ginny colocou a presilha no cabelo da noiva e, sentou-se ao lado da melhor amiga, fingindo assistir ao casamento do ano.

"Leva a presilha para sua casa, Ginny" Luna sussurrou no ouvido da amiga, para não atrapalhar os votos que os noivos declaravam no altar "Podemos usar amanhã no casamento do Sr. e futura Sra. Gnomo"

Ela sorriu. Claro que levaria. Estavam organizando casamentos quase todos os dias. Era o que mais gostavam de fazer quando brincavam. E as duas não viam a hora de poder organizar o próprio casamento. Certamente, casamento era tudo que elas queriam.

D s2 G

A Ginny de vinte e dois anos correu até a lareira da Toca. Agarrou um pouco de flu e jogou no fogo.

Sorria de orelha à orelha enquanto enfiava a cabeça na casa de sua melhor amiga.

"Luna!" Ouviu sua voz ecoar pela casa silenciosa. "Luna!"

Ao invés da loira que esperava aparecer, seu namorado da época de Hogwarts apareceu. Sorriu para ele.

"Oi, Ginny" O rapaz apareceu sonolento, no meio da sala. Vestia um pijama colorido, que Ginny tinha certeza absoluta que não foi ele que escolheu, e parecia ter se arrastado para atender a chamada. "O que a traz aqui..." Coçou o olho direito cansado, enquanto o esquerdo consultava o relógio em cima da lareira. "às duas da manhã?"

"Desculpe acordá-lo, Blaise" Ginny continuou sorrindo. "Mas preciso falar com Luna, é urgente!"

"Ela está vindo" Blaise deu uma piscadela à ela e atravessou a sala em direção da cozinha. Com certeza, ficaria por lá, tentando ouvir a conversa das duas. Merlin sabe que não seria a primeira vez. E, provavelmente, não seria a última.

Mas nem isso estragaria a felicidade da ruiva.

Luna mal colocou o pé na sala de estar e Ginny quase gritou a novidade que estava implorando para sair pela sua boca. Luna precisava ser a primeira a saber.

"Harry me pediu em casamento! Harry me pediu em casamento!"

Então, Luna deu um gritinho agudo. Ginny, envolvida, deu um gritinho agudo também. E as duas gritaram juntas. Provavelmente, estavam acordando metade da cidade. Mas quem liga? Ginny estava noiva e isso era motivo para acordar o país inteiro.

"Parabéns, Ginny!" Luna se jogou na frente da lareira, sorrindo tanto quanto a amiga. "Conte-me tudo! Onde? Quando? E como?" Então, parou de sorrir e, repentinamente, ficou séria. "Primeiro a aliança" As duas sabiam que um bom casamento só daria certo se houvesse um bom pedido. E um bom pedido envolvia uma boa aliança de noivado. Elas planejaram isso a vida inteira, sabiam de trás para frente todos os passos e repassos de um casamento.

Ginny colocou uma mexa de cabelo atrás da orelha, empolgada. Então, esticou a mão esquerda e enfiou no rosto da loira. Mostrou o brilhante e pequeno diamante no dedo anelar e esperou Luna fazer sua própria análise.

"Não é tão grande quanto imaginávamos," Apressou-se em acrescentar. Costumavam imaginar uma pedra tão grande para seus anéis de noivado, que mal conseguiriam levantar suas mãos. "mas era da mãe dele"

"É lindo, Gin" Luna sorriu também. "Continue contando"

Ginny se sentou e começou a contar. Como ficou surpresa em ver Harry aparecer na sua casa aquela tarde, afinal, ele estava viajando com o time. Ele é apanhador do Chuddley Cannons e estavam no meio da temporada do campeonato nacional. Então, levou-a para jantar no restaurante que comemoravam todos os aniversários de namoro. Conversavam animados quando a sobremesa chegou. Torta de abóbora. Não era um doce especial, nem nada, mas era algo que representava o namoro. Harry sempre levava um pedaço de torta de abóbora quando a encontrava entre as aulas, durante seus tempos de Hogwarts. Após a primeira garfada, encontrou aquela linda preciosidade no meio do doce. Então, ele ajoelhou-se e propôs sua mão em casamento. E, concluiu a história, contando como tiveram uma ótima noite de amor, como conseguiu fazer Harry entrar escondido pela sua janela, sem seus pais perceberem, e como ele dormia tão bonitinho em sua cama, no andar de cima, no exato momento que contava tudo isso para ela.

"Uau, Ginny!" Luna exclamou fascinada, enquanto limpava as lágrimas dos cantos dos olhos.

"Uau, Ginny!" Uma voz arrastada cortou a emocionante conversa das amigas. "Você acabou de contar algo que vai me assombrar para o resto da vida, Weasley!"

Ginny não conseguia ver o dono da voz, mas não tinha dúvida de quem era.

Draco Desprezível Malfoy.

Forçou a vista e viu Malfoy jogado no sofá da sala de estar da casa que Luna dividia com Blaise.

"Draco!" Luna repreendeu o ex-sonserino e voltou a atenção para a melhor amiga "Desculpe-o, Ginny, Daphne e ele brigaram e, como sempre, apareceu bêbado na porta de nossa casa" Explicou, lançou um olhar amigável para o rapaz apesar do tom de voz "Blaise está na cozinha, vá fazer companhia para ele"

Para surpresa de Ginny, Malfoy levantou-se e foi. Às vezes, deparava-se com Malfoy na casa da amiga, já que ele era muito amigo de Blaise. Não entendia como Luna desenvolveu uma grande amizade com o loiro. Talvez fosse influência do namorado. Ou talvez tivesse perdido alguns neurônios, vai saber. Ginny sempre acharia Malfoy um ser desprezível, arrogante, prepotente, egoísta e esnobe. E, claro, ele sempre implicava com ela quando a via. Como se ainda estivessem em Hogwarts. Sempre as mesmas piadinhas envolvendo sua família, seus cabelos, sua pobreza e seu namorado.

A ruiva ignorou. Estava muito feliz para deixar qualquer coisa incomodá-la.

"Finalmente, aconteceu, Ginny" Luna suspirou sonhadora. "Pelo menos para você"

"Quero você aqui em casa, amanhã de manhã, Luna" Anunciou "Minha madrinha precisa estar comigo para iniciar os preparativos do meu casamento" Cantarolou.

Luna sorriu. Elas eram madrinhas de casamento uma das outras, antes mesmo de darem seus primeiros beijos em garotos. Já tinham tudo planejado desde pequenas, quando assistiram juntas o primeiro casamento de suas vidas.

D s2 G

Luna ajeitou-se nos braços de Blaise. Este apoiou o queixo no topo da cabeça da namorada.

"Ginny, finalmente, vai se casar com Potter, hum?"

Ela fechou os olhos.

"Sabe, Blaise, você deveria parar de escutar nossas conversas pela lareira" Sorriu "Ginny é bem esquentadinha, você sabe, um dia ela vai saltar do fogo e pular no seu pescoço" Abriu os olhos e procurou contato visual com ele "e eu vou rir muito"

"Achei que minha namorada seria a primeira a me defender diante do fogo cruzado"

"Não quando o fogo cruzado for minha melhor amiga" Voltou a aninhar-se no peito do moreno "Por falar em melhor amigo, talvez, você devesse conversar com o seu" Bocejou "Eu sei que ele teme a mãe mais do que Neville teme Prof. Snape, mas é a terceira vez que ele procura abrigo aqui em casa bêbado" E a semana não havia acabado ainda, acrescentou mentalmente.

"Ele e Daphne andam brigando muito" Luna revirou os olhos. Como se ela não soubesse. Toda semana surgia algum escândalo nas revistas de fofocas. "E ele nunca voltaria bêbado para a Mansão"

A loira fechou os olhos.

"Bom, converse com ele. Boa noite, amor"

Então, entregou-se para o merecido sono que tanto precisava. Teria um dia cheio amanhã.

"Boa noite, querida" Blaise beijou o topo da cabeça da namorada e continuou apoiando seu queixo lá. Perdeu todo o sono. Total. Talvez, já passou-se a hora de avançar no relacionamento também.


N/A2: Reviews?