As Fúrias de Nêmesis

*Saint Seiya e seus personagens não me pertencem,e esta fanfic não tem fins lucrativos;

*Esta fic se passa depois da chegada dos cavaleiros de bronze aos Elíseos;

Prólogo

...Hypnus caminhou até o local onde seu último golpe havia arremessado Shiryu, e ergueu o cavaleiro pelo pescoço.

-Está na hora de dormir Dragão, só que dessa vez... -disse enquanto retirava a espada de libra , que cavaleiro já quase inerte usava -... será para sempre! –E sem sombra de pesar enterrou- a no coração de Shiryu. Soltou a espada e deixou o rapaz caírem em meio às flores sem retirar-lhe a arma do peito.

Shunrei acordou sobressaltada com o pesadelo e iniciou a caminhada até a cachoeira, onde sempre rezava por Shiryu, mas algo a incomodava. As cenas do pesadelo ainda atormentavam a mente da garota, que tentava em vão concentrar-se na oração que fazia.

Queria poder fazer alguma coisa, sabia que não seria capaz de ficar ali rezando enquanto Shiryu estava a minutos da morte. Passou a mão nos cabelos ansiosa desfazendo a trança, sentiu o vento nos fios negros e abaixou a cabeça certa da decisão que iria tomar.

-Sinto muito mestre, mas não posso deixá-lo morrer...

.*.*.*.

Shiryu livrou-se do pouco que restara da armadura de dragão, decidira que usando ela ou não, por mais difícil que fosse venceria aquela luta como havia prometido aos amigos. Mais que nunca sabia que não podia, não devia morrer. Prometera ao mestre que cuidaria de Shunrei e que estaria ao lado dela depois de tudo. Viu uma luz se aproximar e reconheceu uma das espadas da armadura de Libra que chegara até ali.

-Muito obrigado mestre - e virando na direção do oponente Shiryu empunhou a espada desferindo vários golpes contra o deus do sono.

Com o desenrolar da batalha o rapaz sentia o gosto de sangue, além das dores e ferimentos por todo o corpo, causadas pelos vários golpes que levara.Hypnus aproveitou-se da tontura causada pela dor do rapaz e atingiu-lhe um chute no rosto, arremessando-o a metros de distância.

-Está na hora de dormir Dragão, só que dessa vez... -disse enquanto apanhava a espada, que cavaleiro já quase inerte usara -... será para sempre! O deus do sono se preparava para atacar o dragão, porém algo (ou no caso alguém) o atrapalhou:

-O que está havendo com o meu corpo?Porque eu não posso movê-lo?-Hypnus olhou em volta buscando o responsável pela sua paralisia, surpreendendo-se com o que viu.

Apoiando os braços de Shiryu em seus ombros,uma exótica amazona de armadura de cristal e incrivelmente longos cabelos negros fazia um sinal com a mão livre.

-Consegue se levantar Dragão?-

Porém o rapaz estava confuso demais para responder às perguntas da bela garota de máscara negra.

-Quem é voc... -

-Não lhe interessa!-a amazona o cortou rudemente.

-Então porque está me ajudando?

A misteriosa mulher pareceu parar para pensar, como se não soubesse a resposta.

-Porque eu sou uma idiota impulsiva. -ele não compreendeu, mas ela completou:

-Ou talvez, porque seja a coisa certa a fazer.

-Dragão, me escute, Hypnus está prestes a nos atacar novamente e quando ele o fizer, aproveite o meu contra ataque para seguir em frente. –disse a ela ainda concentrada no sinal da mão.

-Eu não posso. -respondeu decidido Shiryu - Não vou deixá-la lutar sozinha...

Mas o dragão foi interrompido por um ataque de Hypnus em sua direção. E tudo que se seguiu foi incrivelmente rápido. A amazona de cristal se jogou na frente do rapaz, defendendo-o com um escudo (também de cristal) que surgira misteriosamente em suas mãos, por isso parte do ataque a atingiu, lançando a contra a parede.

Shiryu olhou preocupado para a garota e percebeu que esta havia se machucado, ela se ergueu com certa dificuldade enquanto segurava um ferimento no lado esquerdo da cintura fina.

O cavaleiro estava prestes a dizer algo, porém foi interrompido novamente, desta vez sentira que a cosmo energia de Seiya havia se esvaído completamente. Não sabia o que decisão devia tomar, se corria para salvar o amigo gravemente ferido ou ficava e ajudava à bela e misteriosa amazona que o estava protegendo. Mas não precisou pensar muito sobre isso.

-Não se preocupe Dragão - a garota disse sem encará-lo - vá proteger seus amigos.

-Mas... -ele tentou protestar em vão.

-Eu vou ficar bem,é só... - ela hesitou- confiar em mim.

O dragão seguiu em direção aos amigos, preocupado com situação de Seiya que parecia ter perdido quase toda a energia. Mas o que mais o intrigava era a misteriosa amazona que minutos atrás por duas vezes, arriscara sua vida para salvá-lo. Quem era aquela mulher?Porque o salvara?Que sensação de paz e segurança foi aquela que sentira na presença dela?E como surgira bem na hora certa pronta para deter Hypnos?Mesmo preocupado, Shiryu teve de abandonar seus pensamentos ao chegar ao lugar onde os amigos lutavam.

...

-Não devia ter dispensado a ajuda do cavaleiro, garota- provocou Hypnos.

A amazona sequer respondeu, apenas o ignorou e retirou o palito que prendia parte do cabelo em um coque e jogou para cima dizendo de maneira calma:

-Libere-se.

Antes de cair o palito transformou se em uma lança de cristal com duas pontas de cada lado.

-O quê?m-mas você é uma...uma...

Em um de seus movimentos extremamente rápidos a garota segurou a lança e em um único golpe destruiu um aterrorizado Hypnus cortando-o ao meio.

-Acabou. – a garota disse ficou em silêncio concentrando-se. Então como se sorrisse por trás da máscara negra ela falou:

-Parece que o dragão também acabou, que bom.

Com esse pensamento a amazona foi desaparecendo lentamente em meio aos fortes pingos da chuva que começava a cair.

Depois de salvar Athena, a sensação de dever cumprido dominava os cavaleiros, ou melhor, nem todos. As ações daquela misteriosa amazona ainda rondavam a mente de Shiryu durante todo o trajeto de volta para o Japão (que foi feito pelos veículos da fundação devido à presença de alguns cavaleiros gravemente feridos). Será que ela estava bem?O ferimento causado pelo golpe de Hypnus sangrava muito quando se separara da bela garota. Bela? Ele sequer havia visto o seu rosto, mas a simples idéia de pensar assim o fazia corar.

-Pensando nela?-o rapaz se assustou ao ouvir a voz de Ikki que viajava ao seu lado. O cavaleiro de Fênix tinha uma expressão séria no rosto e não o encarava, mas deve ter percebido a confusão do amigo, e disse:

-Shunrei - e olhando para ele continuou - Tá preocupado com ela não é?

A expressão no rosto do Dragão mudou de envergonhada para culpada. Shunrei. Shunrei havia sido deixada sozinha e chorando de preocupação nos Cinco Picos, e para piorar logo receberia a notícia da morte do pai de criação, e a única coisa na mente dele era uma amazona a qual ele nem sabia o nome ou vira o rosto.

-Bastante. -e desviando o olhar para a chuva continuou – O mestre era como um pai para ela, e não sei como vou contar a ela o que houve. Ela vai sofrer muito.

-Mas vai se sentir feliz por você ter voltado.

-Por mais que ela se sinta feliz com a minha volta, eu jamais poderia ser tudo o que o mestre ancião foi para ela.

-Você se preocupa demais, cara. –argumentou Ikki descontraído - Desde que esteja lá, ela vai ficar bem.

-Espero que sim. -desejou Shiryu.

.*.*.*.

Oi!Espero que tenham gostado, posto o próximo cap. daqui 15 dias ...

Ah ,e deixem reviews, é a minha primeira fic por isso gostaria muito de saber o que estão achando.

Beijos da Linna!