Entre nós dois

Ever, uma menina normal como qualquer outra de, sempre corria no parque. Está no 3° ano do Ensino Médio, tem 17 anos, e quer começar a faculdade de medicina.

Sempre quis um namorado bonito, simpático e verdadeiro, mais nunca encontrou ninguém assim.

Capítulo 1: O acidente

Ever – PV

Como um dia qualquer, fui correr no parque de manhã.

Desci para falar com o Joffrey, o porteiro, como sempre faço.

- Oi Sr. Joffrey! Estou indo correr no parque, volto daqui uma hora e meia.

- Está bem Srtª. Ever- Ele disse dando um sorriso sem mostrar os dentes.

O parque não é muito longe de casa, mais sempre vou correndo para não perder a hora da escola.

- Bom dia Sr. Muñoz. – Eu disse para o porteiro do parque

- Olá Ever. – Fez sinal de afirmação com a cabeça.

Corro pelo parque inteiro, depois paro na lanchonete para tomar um suco.

- Bom dia, tem suco de abacaxi com hortelã? – Perguntei para a atendente da lanchonete.

- Temos sim, com açúcar ou sem? – A mulher perguntou.

- Com açúcar! – Respondi.

- Aqui está seu suco.

- Obrigada! – Sorri

Estava indo para o gramado sentar, não estava afim de sentar na mesa.

Quando fui atravessar a rua, um carro preto vem na minha direção e depois disso, tudo que eu consegui sentir foi minha cabeça contra o asfalto quente.

Acordo vendo uma luz fluorescente, não sabia onde estava. Um homem lindo entrou em meu campo de visão, parecia uma miragem no meio daquele imenso branco.

-Ela está acordando! – Uma voz masculina e linda disse.

Tentei me levantar, mas a dor de cabeça era muito forte.

- Ai! – Coloquei a mão na minha cabeça.

- O que você está sentindo? – Ele perguntou.

- Uma dor de cabeça muito forte! – Respondi.

- Espere! Vou chamar uma enfermeira. – Ele disse já saindo do quarto.

A enfermeira chegou com um médico, me examinou, olhou meus exames, perguntou meu nome e todo aquele blá, blá blá...

- É... Ela já pode ir para casa. Só vou passar um remédio para dor de cabeça. – Disse o médico. Fiquei aliviada quando ela disse isso.

- OK, pode deixar que eu te levo em casa Ever! – Disse o homem bonito que eu ainda não sei o nome.

Saímos do quarto e quando chegamos na portaria do hospital... – Não precisa me levar para casa! Só quero saber seu nome. – Dei um sorriso tímido.

- Damen, Damen Auguste – Ele disse sorrindo.

- Ah, sou Ever! – Eu disse

- É eu sei, foi eu que te "atropelei" no parque.

- Hm... – Não foi bem ele que me atropelou, eu que sou uma sem noção que vive no mundo da lua e não olho pros lados antes de atravessar.

Primeira fic

não escrevi muita coisa pq não sei se você vão gostar! Se gostarem deixem comentários ? please.

um beijo pra todo mundo ! ;* / espero que gostem desse primeiro capítulo !