I Hate You, Kiss Me Outtakes

PARA LER ESSE OUTTAKE VOCÊ TEM QUE TER LIDO I HATE YOU KISS ME


POV de Edward em suas primeiras semanas na Lawrence Associates. Parcialmente baseado no Capítulo 2 de I Hate You, Kiss Me


Outtake 2

(Traduzido por NaiRobsten)


Meus olhos permaneceram fechados para desfrutar de seu hálito quente e macio, lábios brilhantes passeando pela minha pele. "Apenas relaxe..." Ela sussurrou em meu ouvido. Eu fiquei ali na minha cadeira com um gemido, mordendo meu lábio quando sentia suas mãos levemente viajarem pelo meu peito sob a minha camisa aberta. Eu estava pronto para ela e eu esperava que ela não me fizesse esperar muito tempo. Meus braços ainda estavam de cada lado do meu corpo, incapazes de alcançar e tocar sua pele.

Eu olhei para ela através das minhas pálpebras. Completamente nua e montada nas minhas calças abertas, suas mãos continuavam a provocar o meu peito. Eu podia sentir o calor saindo de seu corpo e seus sedosos fios de cabelo fazendo cócegas no meu pescoço. Minha respiração aumentou o ritmo, meu pau tão duro por ela.

"Bella".

Ela voltou sua atenção para mim e riu emocionante e frustrante me de só uma vez. Ela era tão travessa e doce.

Interrompendo o meu rosnado com um beijo, ela finalmente me libertou das minhas calças. Eu tremia pela exposição e expectativa de senti-la.

"Apenas relaxe..." Ela sussurrou novamente.

Eu poderia ser paciente por ela? Eu não tinha tanta certeza, mas eu a queria tanto e aquilo me deixava com pouca escolha. Inclinei a cabeça para trás para minha cadeira, dando um suspiro.

Para me premiar, ela sorriu e finalmente abaixou-se em cima de mim e eu gemi, sentindo-me parte dela e preenchendo seu calor molhado. A sensação era de uma grande chama lambendo-me em todos os lugares certos, deslizando para cima e para baixo em um ritmo não rápido o suficiente. Ela se segurou no meu pescoço e ombros, respirando seus pequenos gemidos e sorrindo com cada balanço e impulso de seus quadris. Levado pelo prazer que ela estava me proporcionando, eu queria prendê-la, controlá-la, mas eu ainda não podia. Eu inclinei meu pescoço para frente, na esperança de beijar seus lábios novamente. Ela não me deixou.

Era apenas um pouco, nunca o suficiente, e eu não sei se eu poderia suportar muito mais tempo. Mas seus movimentos me faziam me sentir tão bem, me levando mais e mais alto. Eu choraminguei por mais como um cão ferido, o suor brotando na minha testa enquanto a minha total satisfação estava fora do meu alcance. Ela riu e começou a acariciar seus seios enquanto me montava, me provocando.

Um grunhido escapou de mim, porque eu desejava poder vagar minhas mãos sobre ela, reviver a noite que havíamos tido.

Se eu pudesse apenas incentivá-la, ela cederia. Fiz um movimento, as mãos segurando a borda da minha mesa atrás dela e me inclinei contra ela, empurrando-a mais para instigar um ritmo mais rápido. Minha cadeira rolou para frente, prendendo-a entre mim e a mesa. Bella gritou de alegria e jogou a cabeça para trás, rindo e ofegando. Ela era tão indiferente à minha luta, mas sexy como o inferno, e eu a fazia se sentir bem.

Ela se segurou em mim, suas unhas cavando em meus ombros enquanto eu empurrava nela mais e mais rápido. Meus grunhidos eram pesados, meu corpo transpirava enquanto eu sentia meu pau batendo no fundo de sua entrada mais e mais. Ela gemeu alto e nítido a cada vez, suas curvas saltando para dentro de mim como se ela estivesse em um passeio de carrossel num parque de diversões. Seus músculos estavam me apertando, me agarrando e eu me senti tão bem enquanto as chamas me lambiam e ela pulsava ao meu redor. A pressão aumentou dentro de seu calor escorregadio e eu mordi meu lábio novamente, ansioso para agarrá-la e passar minhas mãos sobre seu corpo macio e firme ao mesmo tempo. Tão bem torneado e delicado, assim como eu lembrava...

"Sr. Cullen!" Ela gritou seu cabelo balançando descontroladamente.

Beep.

"... Sr. Cullen?"

Beep.

Meus olhos se abriram ao som, me arrancando da minha fantasia bizarra. Eu me esfreguei em aborrecimento, olhando para meu novo escritório. Vazio, sem Bella e documentos em toda parte. Minha ereção estava começando há doer um pouco e eu tentei fechar meus olhos para me acalmar, mas eu vi os restos de minha deriva sonho por trás das pálpebras. Meus olhos se abriram pela segunda vez e eu balancei a cabeça ferozmente. Ajeitando a gravata, me inclinei para frente com um suspiro, ainda permitindo que a realidade me alcançasse.

"Sr. Cullen?"

Eu apertei o interfone no meu telefone para deter a luz vermelha piscando.

"Sim?" Eu bati no alto-falante.

A voz mansa de Lauren flutuou "Hum, Jack está aqui para vê-lo sobre os papéis do financeiro".

"Mande-o entrar" Eu a cortei e me levantei para endireitar a confusão de documentos e outros materiais na minha mesa.

Jack Harrington do financeiro bateu abruptamente antes de atravessar a minha sala como um pingüim apressado. Ele era um homem corpulento, sempre cordial, mas com uma personalidade arrogante. Ele não era o melhor candidato para ajudar a sufocar a minha irritação persistente. Ele correu os olhos sobre a minha mesa, papéis debaixo do braço.

"Como vai Jack?" Eu perguntei educadamente.

"Muito bem!" Ele sentou-se na cadeira em frente a mim, sua presença jovial ditando o silêncio do meu escritório enquanto seu olhar varria minhas prateleiras bem organizadas. "Estabelecendo-se bem eu vejo."

Eu balancei a cabeça, pegando os papéis que estavam na frente dele. Eu não estava a fim de conversa fiada esta manhã.

"Bem antes de você sequer notar, este seu lugar feliz estará transbordando de armários." Brincou ele, inclinando-se para trás na cadeira e empurrou os papéis para a minha mão estendida.

"Hmm mm." Eu concordei distraidamente, o que lhe permitiu babar nas minhas paredes cheias de livros e instrumentos, enquanto eu examinava os documentos.

"Depois de aprovar os cheques eu pedirei ao departamento de faturamento para providenciar um recibo. Então ele irá direto para as mãos da Senhorita Lawrence a administradora... bem, você provavelmente já sabe como será. Tenho certeza de que eles faziam o mesmo no escritório de J. Jenks..."

Eu tinha parado de ouvir sua tagarelice amigável quando ele mencionou Rosalie a administradora. Desde que Bella voou para fora do meu escritório no meu primeiro dia no trabalho, eu estava quebrando a cabeça para obter idéias sobre como fazê-la voltar até aqui. Eu estava muito ocupado em me estabelecer nas duas primeiras semanas, mas eu não tinha deixado de pensar nela. Eu lembrava vividamente de seus quadris sensuais balançando para frente e para trás quando ela saiu. Eu não me importaria de irritá-la um pouco mais apenas para ter essa visão novamente.

Mas eu logo percebi que as responsabilidades dentro da minha descrição de trabalho não exigiam que nossos caminhos se cruzassem muito. Eu ainda era muito consciente de sua presença, sabendo que ela estava no final do corredor e o fato de que ela estava fora do meu alcance fez minha pele formigar. Independentemente de nossas diferentes posições de trabalho, eu tinha um pressentimento de que ela tinha estado propositadamente me ignorando e evitando-me por quase um mês e fazendo um belo trabalho com isso. A sua entrada repentina na minha vida foi refrescante, mas me derrubou como um tornado. Ela apareceu tão facilmente quanto desapareceu. Duas vezes.

De uma forma sutil, Jasper tinha brevemente comentado sobre a diferença de seu comportamento, mas ele estava relutante em dizer algo de concreto. Eu consegui arrancar algumas opiniões dele, embora. Aparentemente Bella nunca permanecia com um cara por muito tempo. Seu maior empreendimento fora do mercado durou três meses, mas permaneceu casual e nunca se solidificou em algo sério. Esperando não demonstrar o meu óbvio interesse em sua vida romântica, eu lhe perguntei por que, mas ele sorriu maliciosamente e me disse sempre tinha sido assim com ela.

Eu não sabia o que eu queria, eu realmente não a conhecia ainda, mas ela captou a minha atenção e eu queria saber mais sobre vê-la no meu caminho para a máquina de fax ou para a cozinha, enquanto isso Jasper estava na mesa de Alice o tempo todo e eu realmente invejava o fato de que ele podia se aproximar de Bella tão facilmente. E aqui eu estava saltando por qualquer motivo, não importa quão pequeno.

"Sim, se o faturamento me der à receita eu ficaria feliz em levá-los para Rosalie." Eu mantive meu rosto calmo e sorridente. Talvez eu pudesse abordar Bella com os papéis...

Satisfeito com a minha utilidade aparente, Jack respondeu: "Maravilhoso. Posso dizer que será um prazer trabalhar com você Edward."

"Você também Jack." Levantei-me e devolvi os papéis a ele. "Tudo parece em ordem aqui."

Ele se levantou de sua cadeira com uma leveza renovada. "Excelente notícia!"

Eu estremeci interiormente, sua alegria era demais para mim e eu ainda estava mal-humorado pelo fato da minha fantasia ter sido interrompida e apenas não... ter sido real. "Eu preciso de mais café."

Ele me seguiu, ainda conversando. "Você deveria se juntar a nós para jogar boliche nas noites de quintas. Você seria uma grande adição para a nossa equipe. Tiras contra advogados! Será eu, Eric, Jim, e Tommy."

"Ah, é?" Eu perguntei fingindo interesse.

"Sim, mas nós sempre perdemos para os tiras, e..."

Aproximando-me da entrada para a cozinha, eu finalmente me virei para encerrar a conversa. "Parece bom Jack, vamos discutir os detalhes esta tarde." Forcei um sorriso e o dispensei com um aceno amigável, pensando em como eu estava perto de conseguir o meu café.

Jack sorriu e murmurou planos animadamente a si mesmo enquanto finalmente caminhava na direção oposta. Completamente aliviado de me livrar dele, eu dobrei a esquina com a minha caneca, ainda tentando reajustar o meu temperamento e desenvolver o meu plano para futuras interações com Bella.

Parei para ver nada mais do que ela, de costas para mim, de pé na frente da cafeteira. Eu tive uma bela vista de seu traseiro ligeiramente inclinado em sua saia justa e blusa combinando.

Ao me ouvir entrar, Bella se endireitou do balcão, arregalando os olhos de surpresa. Eu estava vislumbrando-a por semanas, mas ela provavelmente não estava acostumada a me ver, e muito menos no mesmo cômodo. Em seguida, sua expressão se alterou para uma careta adorável antes de ela timidamente se virar rapidamente.

Este era o momento que eu estava esperando, mas ela era tão bonita ainda inacessível, batendo o pé e me evitando.

Eu não estava acostumado com mulheres me ignorando. Isso nunca acontecia.

Bolei várias maneiras de chamar sua atenção na minha cabeça e, embora nenhuma parecesse se encaixar, eu assumi que nada provavelmente obteria uma reação dela. Mas eu era um homem de tato. Antes que eu pudesse me decidir por uma escolha de palavras, Rosalie entrou na cozinha. Outra mulher tensa... O que acontecia neste lugar?

"Isabella, eu preciso..."

"É Bella", eu soltei sem pensar. Ambas as frias e bonitas mulheres pararam o que estavam fazendo e olharam para mim. Quando no inferno eu tinha deixado escapar alguma coisa desse tipo? Eu geralmente sou cuidadoso e preciso, não faço o tipo espontâneo. Observo antes de falar, mas algo me incomodou no tratamento de Rosalie com Bella. Ela estava falando com Bella usando seu outro nome e de uma forma condescendente. Isso me irritou.

Rosalie olhou para mim, sua sobrancelha levantada com interesse despertado pelo meu interesse repentino.

Foda-se. Desviar o olhar me faria parecer culpado ou confirmaria quaisquer hipóteses que agora deveriam estar se formando em seu cérebro. Eu dei-lhe um olhar brando, não revelando nada.

Enquanto as duas mulheres se viraram uma para a outra e começaram a discutir sobre os relatórios do caso Lindenmyer, eu repensei como lidar com Bella.

Eu não iria tropeçar desta vez. Edward Cullen não apenas deixava escapar nada e eu me repreendi um pouco mais. Especialmente palavras não ensaiadas para uma mulher que ele estava planejando cuidadosamente como abordar durante semanas. Eu lutei contra os pensamentos autodepreciativos incomuns. Eu estava confiante de que Bella iria amolecer em breve.

Quando Rosalie partiu, Bella olhou para mim, me pegou sorrindo e o devolveu, servindo café em minha xícara. Eu não estava esperando que ela aquecesse tanto assim tão rápido. Seria ela assim tão fácil de conquistar? Talvez eu estivesse errado sobre ela... Seria a nossa noite de paixão um produto de quão fácil ela era ou como ela era descolada? Ela era esquisita ou independente? Mas eu nunca estive errado sobre um caráter e eu achava que Bella era muito mais complexa. No entanto, as mulheres sempre se rendiam a mim, não conseguia evitar...

Seu sorriso de repente azedou e ela bateu a jarra da cafeteira de volta em seu compartimento. Ah, mas espera... ela está com raiva de mim agora e eu simplesmente não percebi a mudança vindo. Será que ela não gostou do meu sorriso? Será que a minha expressão entregou os meus pensamentos? A minha curiosidade a respeito de porque ela reagiu dessa forma se tornou uma coceira que precisava ser coçada. Talvez ela ainda estivesse com raiva de mim depois daquele dia no meu escritório. Ou, talvez, a sua distância fosse apenas de cortesia e eu era o novo colega de trabalho... Mas que diabos, nós dormimos juntos e ela estava se comportando como se nunca tivesse me visto. Eu não era qualquer idiota inesquecível, ela tinha ficado mais do que meramente satisfeita. O mesmo se aplica a mim. Então, por que ela estava tão tensa? Ela deveria ser massa de modelar em minhas mãos, ou pelo menos estar feliz de ver o cara que deu a ela o melhor brincadeira da sua vida. Quanto mais eu pensava nisso com ela de costas para mim de novo, mais a minha confusão e incerteza cresciam.

"Você vai me ignorar para sempre?" Eu mantive a minha voz calma e convidativa.

"Observe-me." Ela rosnou, cada vez mais perturbada, derrubando as coisas no balcão. O rubor e calor subindo e colorindo suas bochechas suavizou o tom de suas palavras. Parecia que ela não estava feliz em me ver após a nossa noite quente. Ela estava nervosa por minha causa? Será que esse era o motivo da raiva dela? Fosse o que fosse, essas reações, o rubor que ela não podia controlar me deu uma nova confiança.

Ela se virou, continuando com seus trejeitos desastrados para fazer seu café ao tentar me ignorar. Isso nunca seria tão fácil para ela. Eu sorri por dentro de quão tensa a minha pequena gatinha sexy estava por causa da minha presença. Isso era exatamente o que eu estaria fazendo, observando-a. Eu tinha tido o suficiente essa semana de evasão educada e observações mordazes. Ela ia me reconhecer mais plenamente, caramba.

E foi então que minha mente conjurou um plano brilhante. Era tão brilhante que eu ri para o meu café antes de sair. Eu iria deixar Bella em paz até o momento oportuno. Essa coisa toda era boa demais para deixar passar.

Chame-me de perverso. Chame-me de infantil.

Observei-a cuidadosamente. Eu vi outro lado dela o que não era a mulher no bar - o que era reservado e cínico. Bella estava realmente trabalhando duro e adorando. Simpática no telefone e confiável para aqueles que dependiam dela. Ela e Alice riam e sorriam muito também. Eu gostava do seu sorriso, o modo como seus lábios se espalhavam e se enrolavam um pouco. Toda vez que ela ria seus cílios piscavam e seus olhos brilhavam. Seu riso era extraordinariamente interessante para mim. Às vezes era rouco e suave, fresco, ou leve e nervoso. E quando estava estressada ela ficava mais determinada e firme, ocasionalmente lançando sua pena através de sua mesa. Eu ri baixinho comigo mesmo cada vez que eu a vi fazer isso. Também notei o quanto ela sobrevivia de café e fiz uma nota mental do fato. Ela não era facilmente incomodada, nem facilmente irritada. Até que eu entrei em cena.

Eu gostava de obter a sua atenção e suas reações.

Então eu fiz a minha jogada, não oficialmente. Eu era paciente, mas eu tive que fazer a bola rolar.

Eu fui até a única pessoa com autoridade que poderia me ajudar. Bati abaixo da placa de identificação de Rosalie Lawrence.

"Entre..." Sua voz soou atrás da porta, como xarope borbulhando de quente.

Fechei a porta atrás de mim e me sentei em frente a ela, vagamente cruzando as pernas.

Seus lábios formaram um sorriso cremoso, seus olhos azuis afiados através de suas feições finas. Ela era uma figura intimidante e feminina. Talvez ela tivesse que ser. Em outra vida, ela foi provavelmente um mantis preying*.

Espécie de inseto com uma característica bem peculiar. A Fêmea come o macho após o processo de reprodução.

"Edward..." Ela me cumprimentou com um leve aceno de cabeça.

"Rosalie". Eu balancei a cabeça com os mesmos tons polidos. "Eu estou querendo saber se você pode me ajudar com um pequeno problema."

Suas sobrancelhas finas se levantaram com interesse cauteloso. "Eu confio em tudo esteja bem até agora e que você se estabeleceu muito bem aqui na Lawrence Associates...?"

"Sim". Eu assegurei a ela, inclinando-me um pouco para suavizar a minha gravata. Eu queria que isso fosse mantido apenas entre nós. "Tudo está perfeito. Apenas..." Parei para fixar meu olhar de volta nela. Ela estava tensa em sua cadeira, tentando reprimir sua curiosidade. Perfeito. "Eu penso que irei precisar de ajuda ocasional com projetos no futuro."

"Ah." Ela lentamente concordou, tentando descobrir minhas intenções. Ela inclinou-se ligeiramente para trás e atou suas mãos bem cuidadas no colo. "Lauren não está dando conta do trabalho?" Ela perguntou com pouca preocupação.

"Lauren está fazendo um bom trabalho." Menti com facilidade. "Tão bom trabalho que está constantemente ocupada com suas tarefas de secretária." Ela me traz café sempre que eu peço.

"Maravilha. Bem, eu posso colocar um anúncio nos classificados em busca de outro estágio, se você precisar de um par extra de mãos." Embora ela parecesse querer ser útil, senti que ela estava fazendo pouco de mim.

"Eu tenho documentos muito importantes nos quais estou trabalhando. Eu preferiria alguém experiente e confiável." Eu mantive minha expressão séria. Eu sabia que ela nunca iria debater comigo sobre a importância de todos os documentos oficiais. Papai não gostaria disso.

"Experiente e de confiança, você diz? Há poucos com esse tipo de capacidade e que possam assumir uma carga de trabalho extra." Ela parou apenas o tempo suficiente, antes de eu começar a suar frio. "No entanto..." Ela quase sorriu, olhando para a lista de mensagens em frente a ela, e adotando um ar casual, "desde que eu tenho dois administradores, acho que eu posso te emprestar um", e, em seguida, olhou diretamente para mim através de seus cílios, terminando com firmeza, "de vez em quando..."

Mulher inteligente.

"E quem você pode...?" Eu perguntei, sabendo que ela já tinha escolhido e ela sabendo que eu já tinha escolhido.

"Alice é muito confiável."

"Ela é." Eu ajustei minhas pernas cruzadas, com impaciência, tentando manter a calma na superfície.

Os lábios vermelhos de Rosalie se moveram em um pequeno sorriso e eu sabia que ela me tinha nas mãos. "Bella é confiável, mas... ela poderia se beneficiar de sua experiência, tenho certeza."

O uso do nome preferido de Bella não escapou a minha atenção. Então ela percebeu meu pequeno interesse na cozinha e estava me dizendo isso. Não importa. Eu tinha o que eu vim buscar.

Levantei-me para sair. "Obrigado Rosalie. Foi um prazer."

Ela sentou-se com um sorriso de satisfação 'sabe tudo'. "Da mesma forma. Se você tiver alguma dúvida, por favor, não hesite em me perguntar."

Enviei-lhe um sorriso antes de sair. Porra, ela queria que eu passasse todos os processos por ela, ou pelo menos avisasse a ela quando eu fosse usar Bella. Ela nunca iria me dar plena autoridade onde o meu trabalho estava em causa. Mulher inteligente, como deveria ser. Eu consideraria me aproveitar de seus favores, se ela me deixasse, mas no fundo eu sabia que nunca poderia cruzar o caminho errado com ela.

Tendo meu plano em curso, eu não deixaria passar a oportunidade de chamar a atenção de Bella. Felizmente ela era boa no sentido de ter sempre a sua parte do trabalho feito, ou que eu nunca tinha conseguido fazer nada enquanto me mantinha me esgueirando para olhar para ela. Era realmente como matar dois pássaros com uma pedra. Eu me perguntei se ela sorria ou se seus olhos brilhavam com entusiasmo cada vez que eu ligava para ela em sua mesa. Eu esperava, mas não pensava assim. Ela estava constantemente incomodada por minha causa e eu achava aquilo um pouco cativante.

Sua natureza indignada desafiadora me despertava e o brilho em seus olhos escuros e estreitos me excitava. Chame-me de masoquista, mas eu prosperava diante de seus olhares furiosos. Tudo o que ela fazia me inflamava. Chame-me de homem de coração negro, mas mulheres ávidas e risonhas eram cansativas. Não havia diversão, calor ou energia até a noite em que a conheci. Bella Swan foi a minha porta de entrada para a paixão, por assim dizer.

Alguém poderia perguntar por que uma pessoa iria atrás de outra, quando era claramente odiado. Mas eu sabia que não podia ser assim. Passando por cima de seu temperamento imediato, eu via a intriga profundamente se estabelecendo em seus olhos e o rubor sangrando através de sua carranca. Apesar das minhas exigências, ela lutava e eu achava que ela havia gostado tanto quanto eu. Era como fazer malabarismo com bolas de fogo com ela.

Mal ela sabia que toda vez que ela saía, eu estava instantaneamente hipnotizado por esse balanço raivoso dos quadris de dela. O sorriso no meu rosto aparecia momentos após a minha porta ser fechada. Sempre que ela estava realmente chateada comigo, os topos de seus seios ficavam corados logo acima do decote de sua blusa. E quando ela se afastava de mim em fúria, seu cabelo fazia levianamente um redemoinho em torno dela. Ela realmente não tinha idéia de como me afetava, sua teimosia só me deixava mais louco, e eu ansiava por sua presença ainda mais. A atração estava lá e tínhamos inteligências semelhantes, entretanto, havia uma resistência real subjacente a todas as provocações e seu temperamento que aumentava o desafio.

Recordei tudo isso depois de mais um dia de suas tempestades. Eu ri de mim mesmo enquanto colocava um prato novo na minha mesa, enchendo-o com chocolates. Esperemos que ela começasse a associar este 'olho por olho' com algo doce. Cada pequena e sutil tática poderia me ajudar. Eu empurrei o prato para frente até a borda da minha mesa para ficar próximo da vista dela. Com o tempo ela iria perceber que eu não estava pensando em desistir.


O Edward é danado demais hahaha ama provocar a Bella e conseguir dela as reações que ele quer. Pena que só tem mais um Outtake no POV dele, mas só vou postar quando a fic acabar, até lá continuem acompanhando I Hate You, Kiss Me!

Beijos

xx