I GOT YOU ON TAPE


1.
Os avós dos dois lados da família diziam com frequência que o menino lembrava muito a mãe. Hugo não entendia; em parte porque o espelho lhe mostrava olhos azuis e um sorriso largo todos os dias, e também porque ele sempre quis seguir aquele seu outro espelho. Mas ele ouvia demais, via demais, e logo percebeu que nunca seria como o pai.

Hugo Weasley queria saber.

2.
As outras crianças criadas em meio bruxo também percebiam as reações às menções dos tempos antigos, mas não pareciam se importar. As sombras que passavam pelos rostos dos pais o atraíam de uma maneira estanha, e foi então que soube que queria conhecê-los de verdade.

3.
Ele tentou descobrir pela primeira vez o que perturbava todos os adultos que conhecia aos oito anos, na hora do jantar. Foi quando aprendeu o lado ruim de ser criança: as pessoas se entreolhavam e não lhe diziam nada que não soubesse.

4.
O tio George era sempre compreensivo quando as crianças Weasley planejavam aprontar alguma coisa com seus produtos, desde que soubesse como tudo seria feito. Hugo não podia mentir sobre algo tão importante e desconhecido, então só teve tempo de ver a mesma sombra passar pelo rosto do tio e ouvir metade de uma resposta ensaiada antes de sair da loja.

5.
Pouco depois do aniversário de nove anos de Hugo, ele viu Teddy chegar para as férias de verão na casa do padrinho com uma caixa. O rádio velho do avô paterno acabou na estante da casa dos Potter, porque Teddy queria ouvir as fitas de música trouxa que consiga com os colegas em Hogwarts. Ninguém disse nada, todos da família tinham o hábito de não negar muito a Teddy. No entanto, nenhum deles além de Hugo descobriria o que realmente havia naquela caixa.

6.
E foi ali, em meio a fitas dos Rolling Stones, protegidos da intervenção do mundo lá fora por um feitiço, que eles conheceram o Potterwatch. As lágrimas de Teddy estavam carregadas da voz do pai, e o seu conforto tinha proporções que o outro não poderia imaginar. As histórias chegaram a Hugo como se já fossem conhecidas, um sentimento que ele mais tarde reconheceu como orgulho tomou conta dele quando os eventos do passado se uniram aos do presente. Sua mãe havia mudado o mundo todo, e ainda estava lá.

Hugo Weasley não queria mudar nunca.