Lithium


Sinto o amargo gosto do medo. Ele vai violando meu ar e estou sem fôlego. Pareço muito frágil. Ninguém mais se importa.

Um sorriso, tão diferente daqueles iluminados pelo Sol de veraneio, surgiu em meus lábios rachados. Na solidão de um quarto de hospital, consigo enxergar melhor. Minha boca está seca e não pronunciei nenhuma mera palavra.

Acabo de quebrar um espelho.

Nele só havia um estranho me encarando.

Eu não estou louco.

Rasparam minha cabeça, querido Charles. Eu estou tão feio. Mamãe diria que não importa. Mamãe falaria em Deus. Mas minha cara matriarca não soube, no decorrer de toda sua vitalidade, o que significa o amor. Ela entendia somente a obediência, muito provavelmente. Diferente de mim.

Nesta lenta decomposição em que me encontro, ainda te amo. As pequenas e agradáveis memórias que tenho de ti, jamais me deixariam esquecer de seu rosto, de sua fisionomia.

Fecho as pálpebras de modo fracionário.

Um fiapo de luz adentra pela janela e o mesmo me incomoda.

Enquanto meus olhos estão cegados pela luminosidade, penso unicamente em você.

Eu não estou louco.


N/A – Cacete.

Eu acho que o final desse livro foi tão triste. Mas enfim. Lithium é uma música do Nirvana, composta pelo Kurt C., e em alguns trechos da fanfic, pode-se notar a letra traduzida. A fanfic segue a cronologia do livro, passando-se exatamente depois que o Sebby foi levado para aquele hospital em Zurique.