Aqui esta o fim da fic espero que gosti ^^

daniM: Ressucitar o Roxtoso O.O acho que não conseguir... olha o porque...

_/_

-Isso é um brincadeira ? … diz que sim...John...- Sentiu seu coração se despedaçar em mil pedaços, amava aquele homem, mesmo que estivesse longe, ao menos sabia que ele estava vivo. E agora, o homem que amava esta morto, nunca veria novamente e o pior não contará seu mas precioso segredo para ele. Alias ele tinha direito de saber ! ...saber que foi embora carregando um filho dele...Johann nasceu sem conhecer o pai, e agora iria crescer sem conhecê-lo também.

-Eu tinha tanto para contar a ele...- Se desmoronou em lagrimas. - Não tive tempo de pedir desculpa por deixá-lo...

-Calma Marguerite, tenho certeza que ele não tinha quaisquer ressentimento de você- A loira confortava sua amiga.

-Johann... John... - Não conseguia dizer a palavra que nunca disse em toda sua infância. Verônica logo percebeu o que a morena queria dizer, olhou o garoto e voltou a olhar Marguerite.

-Porque não disse a ninguém ? Porque não falou conosco ? - A loira falou

-O que ? Do que vocês estão falando- Challenger e Ned não estava entendendo nada.

-Johann é filho de Roxton- Marguerite falou. - descobrir que estava gravida pouco depois de sair do Platô, mas não quis dizer a ninguém. Não queria que pensa-se que fiz isso pelo dinheiro e nem pelo titulo de Lady.- Agora a morena chorava mas ainda.

Ninguém ousou falar nada, nem queria mas tocar no assunto, deixaria para falar os detalhes no dia seguinte. Ned pegou a pequena Anabelle no colo e saiu da biblioteca. Chellegenger passou por Marguertie e colocou sua mão no ombro da morena. E em seguida passou e garotinho e falou algo baixinho em seu ouvido.

-Seu pai foi um grande homem. - e passou a mão pelos cabelos meio encaracolados do garoto.

-Tenho que ir colocar a pequena Belle para dormir, você ficará bem ?- A loira disse.

-Sim ficarei bem, te vejo amanhã antes de partir.

-Não ficará para o enterro...-As palavras morreram em sua garganta, nunca pensará em dizer algo parecendo do homem que considerava um irmão.

-Não quero me machucar mas do que já estou- Disse enquanto pegava o filho em seus braços.

Verônica saiu deixando a amiga a sós com o pequeno nos braços. Marguerite se sentou com a criança em seu colo.

-Mammammamm- o garoto tentou dizer algo.

-Sim... a mamãe esta chorando filhote.- Vendo que seu filho tentará limpar suas lagrimas, ai que ficou mas emocionada.

-Você ainda não entende, mas algum dia ira entender.- Abraçou o pequeno.

-Sinto muito por não conhecer seu pai.- disse enquanto abraçava mas forte o garoto. Ela olhou seu filho. "Como parecia com o John" Marguerite pensou consigo mesma.

Ainda abraçada com seu filho, não queria acreditar que tudo isso estava acontecendo. Como o destino foi cruel, tirando quem mas amava...e...e...e...e... e a vida não é só dormi ?

-Marguerite acorda ! - Dizia uma voz ao longe.

-Vamos acorda sua preguiçosa ! acha que a vida é só dormir ?-

Marguerite foi voltando a sua consciência quando... ela reconhecia essa voz ! " John ?" pensou a morena ainda de olhos fechados e com a cara no travesseiro.

-Vou contar até dez, se não levantar irei chama a Verônica ! - Dizia um certo Lord em pé em frente sua cama.

-Mas o que ? Como ? Quando ? Quem ? O que ?- Marguerite estava pra lá de confusa.

-O que o que ? Andou bebendo algum experimento de Challenger ? Você disse que sairia para caçar comigo. - Disse enquanto abria as cortinas do quarto da morena.

-Cade o Johann ? Mas você estava...estava...- Não conseguia falar.

Ela olhou para os lados... "estava na casa da arvore ? Como ? …. foi um sonho ? Que sonho nada ! Foi um pesadelo dos infernos isso sim !" . Foi recordando as memorias do dia anterior, se lembrou que estava com Verônica e Finn, e de algumas garrafas de vinho... então se lembrou que estava lendo um livro que o rapaz morria e deixava a donzela com um filho ...e...

-Quem é Johann ? Eu estava o que ? As vezes você diz nada com nada Marguerite.- John disse olhando a herdeira levantar com a mão na cabeça – Já disse para não fazerem festinha enquanto os homens da casa estiveram fora- Disse em um tom debochado abraçando a herdeira apor trás e dando uns beijinhos em seus pescoço.

-"Homens da casa" não estou vendo nenhum, e fala baixo que estou com um baita de dor de cabeça- Disse indo se arrumar e tomar varias chiscaras de café. " Marguerite você tem que parar de ler livros estúpidos".

-FIM-


Foi só um fic pequenina, mas essa ideia não estava me deixando dormir à noite. Espero que ao menos tenha ficado boa. ^^