Pela Estrada

Sinopse: – Entendo que possa não se interessar – Edward disse de repente – mas estou indo para Forks. Perto de Seattle. Vou pela estrada – o escutava, mas não entendia suas palavras. Ele só sorriu torto e acrescentou: - Pode vir comigo se quiser. ByE em uma Road Fic.

Disclaimer: A história pertence a sombrerodecopas, Twilight e os personagens em sua maioria Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução.


Capítulo 4 – A lista de Edward (e da Bella também)*

Logo depois do acordo e do primeiro acerto de Edward ao perguntar, ficamos calados. Outra vez. Mas agora a música dentro do carro era boa - o que posso dizer! Era minha - assim que pelo menos não se havia criado silêncios incômodos até o momento.

Durante este silêncio minha cabeça vagava para pensar em possíveis perguntas que faria a Edward. Era estranho o que acontecia porque apesar de que não me importava com ele, ter o poder de perguntar o que eu quisesse me fazia querer averiguar até o mais inusitado. Com isso, o tempo passava.

- O que acha de almoçarmos agora? - Edward perguntou de repente.

- Essa é a sua segunda pergunta? - já me havia feito desperdiçar uma das minhas oportunidades de vetá-lo; sei que era uma medida desesperada, mas tinha que fazer algo.

- Essa é a sua primeira? - contra-atacou sem me olhar. Muito bem. Bem digamos que meu plano não foi o melhor.

Suspirei - Vamos almoçar - já era hora; meu estômago estava me lembrando.

Edward buscou em seus bolsos e tirou seu celular. Pressionou rapidamente umas teclas e me estendeu para voltar a fixar toda a sua atenção na estrada.

- Pegue - seu celular era, digamos o último em tecnologia e na tela mostrava um menu GPS. Isso era uma brincadeira? Edward tinha GPS no seu celular? Quem em sua sã consciência tinha GPS no celular? Enfim - Pode buscar por favor algum lugar onde possamos comer. Estamos em... - olhou as placas - perto de McFarland. Procure algum lugar que você goste ou, não sei, algo que queira comer - bem, aquilo foi considerado da sua parte, mas GPS? É uma brincadeira?

Pelo visto Cullen sabia pouco e nada de como fazer viagens, e não é que eu fosse uma especialista no tema, mas algo tinha que fazer. Ignorando-o, fechei o telefone e devolvi. Ele pareceu confuso.

- Vire na próxima - Edward obedeceu sem questionar o que disse. Tomou a saída e fomos para algumas ruas rurais. Avançamos mais um pouco e diante de nós apareceu um pequeno restaurante rústico. Olhei para ele e sorri com presunção diante a sua surpresa, acrescentei - Voila, um lugar para comer.

Edward parou, desligou o carro e nós saímos. Caminhou para a entrada e perguntou:

- O que foi isso? - não é que estivesse esperando, mas sua reação foi um tanto óbvia. E a lâmpada acendeu na minha cabeça: Se queria respostas…

- Se você fizer uma viagem pela estrada, você tem que fazer corretamente - eu respondi fazendo-me de interessante e entrei no local caminhando na frente do Cullen. Se Edward fosse como todos os homens, então cairia fácil e não aguentaria até receber uma resposta concreta; e para isso... garoto, terá que gastar uma de suas perguntas.

- Olá, meu nome é Johanna. Bem-vindos à Jim's Road House(1). Aqui está o menu.

Disse a jovem garçonete que veio para nos atender. A inveja mata, dizem, mas tinha que nos atender justamente a garçonete mais bonita do local? Maldição!

- Bella? - Edward levantou o olhar do menu e se fixou só em mim. Isso foi... wow! Abaixei meu rosto imediatamente: tinha que aprender de uma maldita vez a deixar de corar.

- Quero... quero um taco Spud - disse falando o primeiro que vi no menu - sem salva. E uma porção de batatas fritas.

- Eu quero uma cheeseburger com bacon extra. Também com batata frita - respondeu Edward ao meu lado, que sorriu diante minha simples escolha para comer.

- Para beber? - Edward voltou a me dar preferência.

- Coca-Cola.

- Duas coca-cola - acrescentou.

- Logo eu trago - e a garota se retirou.

Comecei a jogar com meus dedos. Compreenda-me! Era uma situação estranha: Edward e eu compartilhando um almoço?

- Agora me diga, na sua opinião, como é fazer uma viagem pela estrada? - certo! Era eu quem tinha as rédeas até alguns minutos atrás. - E sim, é a minha segunda pergunta - acrescentou, ao ver minha expressão de que não queria responder.

- Bem, - isso sim seria fácil - Primeiro, você não pode usar o GPS, é completamente proibido. Se você estiver procurando por direções, compre um mapa de papel - Edward sorriu. Eu me concentrei em minhas palavras. - Agora, você quer comer? Você faz isso no local mais próximo que encontrar. Você pode gostar, você pode não gostar, será uma questão de sorte o que você vai comer ali.

- E quanto a dormir? - estava intrigado.

- Da mesma forma, uma estalagem ou uma pousada na saída do caminho, digo, não vai buscar um hotel cinco estrelas em meio a estrada não? Sim, é necessário, até dorme no carro - vamos! Não era tão difícil de entender o meu ponto.

- Então... é uma especialista em viagens - estava zombando de mim?

- Tenho alguns conhecimentos, mas na realidade falamos no sentido comum - respondi com um sorriso presunçoso. Por acaso estava flertando? Não, de jeito nenhum Me refiro a que também poderia jogar para parecer interessante, só isso. Para uma coisa de orgulho. Nada mais.

- Sei que é direta.

- Bem, digamos que já tinha ignorado o carro - aquilo lhe disse mais baixo, mas o suficientemente algo para que Cullen igualmente escutasse. E o fez.

- Eh-eh-eh. Pare - soltou freando-me com um gesto de sua mão - O que há de mal com o carro? - pelo visto o menino não gostava que tocassem no seu carro.

- Nada... é um carro incrível - disse com inocência. Falsa inocência, a propósito.

A garçonete nos interrompeu nesse momento trazendo nosso pedido. Por Deus menina, seja profissional! Não se olha para os clientes dessa maneira tão lasciva. Mas por mais que olhou para Edward, esse não deixava de me olhar. É verdade, era um assunto totalmente diferente, mas essa garota não sabia. Ha! Quem ganha agora? Deus, do que eu estou falando? Bom, a garota deixou as coisas de cada um e se retirou.

- Fale logo - Edward retomou o assunto meio impaciente logo que ela se afastou.

- É só que... bom, não é o carro que se esperaria viajar - golpe baixo.

- O que tem de errado no meu carro?

- Olha, é um carro lindo, de verdade - e era. Queria eu ter um desses, mas de qualquer forma, isso era para irritá-lo um pouco. O que? Era divertido! - é só que imaginei que apareceria em um Chevy ou Torino - Edward me olhou estranho - Um Mustang? - que não era carros tão velhos! Um Camaro clássico?(2) Você entende o que quero dizer - viagens pela estrada deviam ser feitas em conversíveis clássicos e ponto. Era praticamente uma regra de viajantes.

- Você fere o meu ego, você sabe? - respondeu franzindo a testa.

- Você não ficou com raiva pelo o que eu disse, ou sim? - eu tinha arruinado outra vez?

- Você está me perguntando? - Edward ficou sério.

O observei por um segundo e compreendi - Não, já sei o que está fazendo - disse apontando-o de forma acusadora - Finge que está irritado para que eu desperdice uma das minhas perguntas só porque você já o fiz. Não-não, não vou cair no seu jogo.

- Você está certa? Está certa que seu comentário não me irritou? - e sua voz sim soou magoada - Bem - Edward se preocupou outra vez com sua comida e não voltou a me olhar.

Vamos Bella, é hora de dar o braço a torcer novamente: - O fez? - demônios! Eu tinha certeza que o havia arruinado.

Edward engoliu sua comida, se limpou com um guardanapo com calma, olhou para mim e o maldito... sorriu. Sorriu!

- Claro que não - respondeu divertido - Não vão me irritar porque alguém não gosta do meu carro. Só acho que você vê muitos filmes para que escolha esses modelos antes que o meu. Além do mais... bem, apesar de tudo, gosto que você seja sincera - esse último disse dando uma mordida. Não! Eu não ia me suavizar com suas palavras; o tema aqui era outro. - Além do mais foi interessante escutar uma garota que sabe tanto sobre carros. Não sabia que você gostava.

- É o último - o disse da forma mais acusadora e fria possível. Eu não estava com raiva, mas não suportava que Edward iria ganhar.

- E você é um pouco ingênua pelo visto - por acaso se achava engraçado? Meu rosto se manteve firme - vamos, tinha que fazer algo. Você me deixou intrigado com a frase "você tem que fazer corretamente" e me vi obrigado a perguntar. Não podia ficar em uma desvantagem - o maldito, desde qualquer ponto de vista, eu desfrutava.

- Bem, te digo, até para o mais mínimo que queira saber de mim, terá que usar suas perguntas. Eu não vou soltar nada por caridade - com essas palavras finais, eu me preocupei agora somente com o meu taco.

- Bem. Da mesma forma, não sou eu que já usou um se seus direitos de veto.

Olhei para cima lentamente. Edward escondeu um sorriso nos lábios enquanto mastigava. Por acaso zombava da minha decisão anterior? Eu ia lhe dar uma pergunta que ele terminaria implorando de joelhos para que mudasse, sim senhor. Firme e claro, perguntei

- Com quantos você já dormiu e quantas vezes o fez? Eu quero nomes - como pude, reprimi um sorriso de presunção. A expressão de Edward mudou do céu à terra. Bingo! Venha, solte. Diga as palavras...

- Cinco - o quê? Deixe-me esclarecer, minha reação a sua disposição para responder e... bom, está bem! Tinha dito cinco? - Jessica... - começou.

- Stanley? - reagi diante seu nome. Cullen tinha dormido com Jessica Stanley? Argh. Nojo.

- Jessica Stanley, sim. Tanya - prosseguiu - que foi a minha primeira namorada, Victoria, Jane e... Lauren. Deve conhecer todas.

- Jane Volturi? - Edward assentiu - Também?

- Sim, fomos namorados. Há alguns anos atrás.

- Uau - aquilo sim me pegou de surpresa porque, por exemplo, no caso de Tanya, lamentavelmente tive que aprender a engolir seu romance; tinha sido na minha época... bem, você sabe, minha atenção estava um pouco concentrada nele - Eu não sabia que você gostava também de garotas como Jane - acrescentei.

Edward me olhou inquisitivo - Se perguntou o por que, sua resposta vai magoar tanto como o do carro? - aquilo me deu vontade de rir.

- Bom - tentei ser delicada - você falou de Jessica, Lauren e... Tanya. Jane é um tanto diferente delas não?

- Ao que você está se referindo exatamente?

- Vamos! - isso não era tão complexo cara! - Jane é... você sabe, é uma garota mais interessante, mais inteligente... - a expressão de Edward mudou e entendi o que minhas palavras tinham dito: não era isso aonde eu precisamente apontava-: não digo que por isso não devia ter ficado com você. Pelo contrário. Não imagino alguém como você com garotas como Lauren ou Jessica, menos com Tanya. Sei que não as conheço e que minhas palavras se aproximam perigosamente do preconceito, mas não tem que conhecê-las muito-

- Alguém como eu? - me interrompeu de repente.

- O que?

- Você disse, não me imagino alguém como você... como é alguém como eu? - e dito isso, não tirou os olhos de mim.

Eu, é claro, desci meus olhar no mesmo instante. Quando disse aquilo me referia ao Edward que, bem ... ele era estúpido como todos os homens, mas digamos que não era tão estúpido como a maioria. Apesar de que era um insensível, orgulhoso, egoísta, pretensioso, e muito mais, era... interessante. Essa era, mas essa resposta permaneceria total e exclusivamente na minha cabeça; não diria ao Cullen que o achava, bom, um tanto interessante.

- Você sabe o que quero dizer - com isso iria ficar tranquilo.

Manteve o olhar por uns segundos mais - que iludido pensava em ler minha mente - e logo seguiu com seu relato, por sorte para meus nervos (e por sorte também para minhas oportunidades de vetá-lo; não queria perder minhas duas seguranças no mesmo dia):

- Com Jessica foi, você sabe, uma aventura, minha primeira vez. essa vez. Logo me tornei namorado de Tanya e duramos cerca de um mês. Tanya poderia ser muito encantadora às vezes e outras, bem ... simplesmente não podia ser. Não me lembro exatamente de quantas vezes... teriam sido cinco? Seis, talvez? Victoria foram duas oportunidades, ficamos um par de semanas, e então eu conheci Jane - sua voz mudou nesse momento - Foi o relacionamento mais longo que eu tive e você tem razão, foi algo completamente diferente. Não sei quantas vezes nós dormimos juntos, digo, duramos quase um ano assim que compreenda que não as contei - um ano? Bem, era Jane, a mulher perfeita - E bom - Edward outra vez retomou a fala - com Lauren se repetiu algo como o de Jessica, simplesmente teve a oportunidade.

- Você gosta de sexo casual pelo visto - comentei cortando os últimos pedaços do meu taco.

- Você está me perguntando? - perguntou Edward divertido.

Ha! Como se pensasse que eu desperdiçaria uma pergunta como essa - Simplesmente o deduzi. Acredite, foi fácil.

- Só dormi com três garotas do nada e para você sou ninfomaníaco?

- Foi suficiente - ponto para Bella: tinha feito Edward ficar sem palavras.

- Muito bem - Edward deixou o resto no prato e seu olhar se tornou perigoso - Então... vamos ouvir seu registro. Quero saber quantos foram, a quantidade de vezes, e claro, quero os nomes.

Bem, nesse caso tinha que admitir: o tiro tinha saído pela culatra. Esperei que Edward se arrependesse de contar aquelas intimidades e... terminei contanto.

- Três - soltei.

- Não é um número mal.

- James, um garoto de Phoenix - imaginei o seu comentário; quanto antes continuasse, antes terminaria. Foi meu primeiro namorado. Ficamos cerca de sete meses juntos, tampouco sei a conta r - com aquela frase meu rosto alcançou o primeiro nível de constrangimento. - Depois teve o Jake... - baixei a voz tentando fazer esse nome passar despercebido.

- Seja mais específica - claramente não funcionou.

- Ja...cob... Black - o volume da minha voz era mínimo.

- Jacob? - Entenda isso: Edward é amigo de Jake e aquilo, portanto, se transformaria no paraíso das brincadeiras. - Você e Jacob? Uau! O cachorro Black? E quando tiveram tempo para isso?

Para ser breve sobre o meu rosto, que saltou em todos os níveis de rubor possíveis, imaginem a luz do semáforo vermelho - No verão antes de me mudar para Forks. Ele gostava de mim... ele me atraía... éramos amigos…

- E foram para cama - completou Edward divertido - Eram namorados?

- Concordamos em ser somente amigos - respondi em voz baixa.

Edward me analisou um instante; quase podia escutar como se moviam as engrenagens do seu cérebro - Foi mais de uma vez - afirmou.

- Foi... foram três vezes - por que a terra não me engolia?

- Amigos com benefícios hein? - o sorriso de Edward aumentou - E eu sou o do sexo casual.

- Foi só uma pessoa - contra-ataquei.

- Três vezes. As minhas eram três meninas e o total de vezes foi quatro. Não é tanta diferença, simplesmente você é mais clássica com seus parceiros sexuais - zombou. O assassinei com o olhar, pena que não deu resultado - Continue.

- Só resta Mike, você sabe, meu namorado. O fizemos... várias vezes. Não sei o número - por sorte, não havia mais nada a explicar: o tema estava terminado.

- Newton - repetiu Edward. Sua voz, ficou estranhamente grave e sua expressão ficou mais dura. De que coisa eu não sabia?

- Isso - não sabia o que dizer, digo, sobre a atitude do Edward que me tomou de surpresa.

- Deveríamos seguir - Edward tentou voltar a soar perto, mas não me enganava, seu esforço era um pouco em vão. Preferi não dizer nada - Vamos?

- Vamos - concordei.

Edward pediu a conta e pagou. Claro, não quis aceitar o dinheiro que lhe ofereci, e saímos do local em silêncio. Rogava para que a seguinte parte da viagem não fosse incomoda como prometia ser.


*Adaptado do filme "Lista de Schindlet" (Schindler's List, 1993) de Spielberg.

(1) Jim's Road House é um restaurante de verdade.

(2) Chevy, Torino, Mustang e Camaro são modelos de conversíveis clássicos. Bastante mais velhinhos que o Volvo de Edward. As viagens de estrada nos filmes de viagens são feitos com modelos deste estilo.


Essa viagem deles promete CADA coisa! Vocês vão amar ;)

Uff aqui estou eu, depois de dias dificeis, que não estão sendo bons pra mim, cumpri meu prometido. Quem me acompanha no facebook sabe que fiz uma votação para postagem das fics mais paradas, e bem eu vou postar em todas e depois voltar nessa...

No meu perfil (que graças a Deus voltou a mostrar links) tem o meu group no facebook, clique lá e entre =D

Beijos

xx