Oi. Tudo bem? Meu nome é Cinthia, tenho 18 anos, sou aprendiz de bibliotecária e terminei de ver Toshokan Sensou. Beijos.


É tudo uma questão de representação descritiva.

Olhou para a tela do computador de novo. POR QUE AQUILO ESTAVA DANDO ERRADO? Tinha colocado tudo nos campos certos, tinha conferido tudo, TUDO o que poderia ter feito de errado e, bem... Não tinha absolutamente nada de errado.

Iku Kasahara estava desesperada. Não sabia o que tinha acontecido de errado e aquele era o primeiro de muitos livros que precisava tombar. Apagou todo o arquivo, reviu os campos, começou de novo. E nada.

Olhou para a tela do computador pela enésima vez naquele processo, se perguntando POR QUE a enviaram para a área de processamento técnico. Isso não era coisa da turma nerd barra pesada da Tropa Bibliotecária? Então por que ela, uma simples soldado da tropa de tarefas (bibliotecária-chefe, mas isso não vem ao caso), contadora de histórias e que estava acostumada a organizar os livros nas prateleiras e atender ao público, tinha de fazer aquele trabalho extremamente complicado e difícil e, e, e...

– AAAARGH! EU NÃO CONSIGO FAZER ISSO!

O desespero tomou conta de seu ser, enquanto ela batia a cabeça na tela do computador.

Dojo passava pelo lugar, para perguntar se ela queria café ou alguma coisa para comer, já que ele sabia que o trabalho não era lá muito grato mas que, se pegasse o jeito, poderia até ser divertido. Deparou-se com uma coisa de cabelos castanhos tentando quebrar a tela de cristal líquido na cabeçada.

– O que está havendo? – perguntou, puxando os ombros da garota para trás.

– EU NÃO CONSIGO!

Dojo puxou a garota para o lado e observou o registro. Saiu, voltando depois de alguns minutos com dois livros enormes nas mãos.

Na capa do primeiro, lia-se AACR2R. Na capa do segundo, "Manual prático de JAPAN/MARC".

Abriu o primeiro livro no capítulo referente à representação física. Abriu o segundo livro nas explicações iniciais.

Apontou para o primeiro livro, e disse:

– Você está fazendo a pontuação da extensão do material errada. Nunca iria conseguir terminar o registro sem isso.

Iku olhou para cima, e enrubesceu. COMO ela havia esquecido aquilo? Era tão... ÓBVIO!

– De fato, você não presta atenção nas aulas mesmo, né?

Puxou seu rosto para cima, beijou-a castamente nos lábios e deixou o recinto depois de perguntar se ela desejava alguma coisa vinda de fora.

Olhou para a tela do computador de novo. E sorriu. Porque sabia que seu príncipe sempre estaria lá para ajudá-la.

– Em todo o caso, acho que seria melhor se eu desse uma olhada nesses livros depois...

E voltou ao trabalho.


Os livros são manuais e códigos para catalogação. Não faço ideia de como, de fato, o MARC funciona, mas acho que se a pontuação estiver errada, o registro não funciona. Sou analógica, pow! De AACR2R eu entendo! Mas de MARC eu não sei muito, não.

BTW, eu gosto de processamento técnico, e, se eu não quisesse tanto salvar o mundo das cáries, seria pra onde esta fuinha se enfiaria na biblioteca.

Weaselkisses.