Need You Now

Capítulo Dezesseis – Promessas

POV Ginny

Harry estava ali, sentado na parte mais alta dos jardins, observando o nada. Ele pareceu uma estátua, completamente imóvel, mas, então, seus ombros – que antes estavam numa linha reta, tensos – se soltaram e sua cabeça caiu em suas mãos. Mordi o lábio, transferindo o peso do corpo para o outro pé. Certo, não podia continuar a observá-lo.

Pousei o copo de água na pia e abri a porta da cozinha. O vento soprava levemente, deixando o ar seco mais refrescante. Ele não ouviu a minha chegada, então, andei até o seu lado e me sentei.

- Oi – falei, colocando os braços em volta dos joelhos dobrados.

- Oi. – sua voz estava rouca e sem emoção.

Evitei um suspiro. Estava ficando difícil conversar com Harry, agora. Desde o começo das férias, ele estava assim. Conversava com Ron e Hermione, mas só.

- Harry?

Ele fez um gesto de que estava ouvindo.

- Por que está me evitando?

- Não estou te evitando – ele mentiu e eu revirei os olhos.

- Está.

- Não estou.

- Está.

- Não estou.

- Está.

- Ok, chega. – Harry suspirou e me encarou. – Sabe que as coisas estão difíceis, e são tempos de guerra. É difícil estar perto de você, sem poder tê-la.

Ri pelo nariz, balançando a cabeça. Que possesso.

- Isso é evitar, para mim – murmurei.

Ele bufou e tentou retrucar, mas eu deitei a cabeça em seu ombro e procurei por sua mão.

- Tudo bem, mas podemos ser amigos, não acha?

Harry estremeceu quando meus dedos tocaram os seus. Ele entrelaçou-os e, por um momento, foi como se o nosso fim nunca tivesse acontecido. Mas Harry largou minha mão.

- Está vendo aonde quero chegar? – perguntou, tenso.

- Amigos se abraçam – defendi, erguendo a cabeça. – Podemos ser amigos afetuosos.

Harry riu. O som de sua risada era confortador, e eu não a ouvia há semanas.

- Ron não iria gostar disso. – comentou.

- Para o inferno Ron e sua possessividade – falei, arrancando um sorriso de seus lábios. – Ele não escolhe por mim.

Ele desviou os olhos.

- Sabe que não iremos voltar...

Suspirei. Que insistente!

- Eu sei que não. – assegurei-lhe, dando um tapinha em seu joelho. – Mas podemos conversar como pessoas civilizadas, não acha? Não quero ter de ignorá-lo por mais dias...

Harry sorriu. Ah, puxa, como eu o queria de volta.

- Podemos.


POV Harry

Eu a observava. O tempo inteiro. Mérlin, ela estava magnífica. Aquele vestido... Os cabelos... O sorriso travesso... Argh, por que tenho que ir atrás de Voldemort, mesmo?

Ela estava sentada na mesa de Fred e George, enquanto conversava com Lee Jordan. Ele tinha olhares de segundas intenções sobre ela, o que me deixou irritado.

Levantei e segui até lá. Sabia que estava fazendo a coisa errada, já que Ron dissera bem claramente que era para eu me manter longe de Ginny, mas, se eu não podia, certamente que Lee Jordan também não.

- Com licença – pedi, com um sorriso duro.

- Harry – os dois cumprimentaram, ambos sorriam.

Lancei um olhar inquisitivo sobre Ginny e me voltei para Lee Jordan.

- Pode nos deixar a sós, por um minuto?

Ele assentiu, incerto, mas se levantou. Ocupei sua cadeira e percebi que Ginny me encarava, com as sobrancelhas levantadas.

- Isso foi um ataque de ciúme, Potter? – ela perguntou, com os lábios se entortando.

- Senhor Potter, para você, Weasley – sorri, sem olhá-la. Aquele perfume iria me matar...

- Pode esperar o quanto quiser, nem se você for o meu chefe eu te chamarei de senhor – ela riu, irônica.

- Engraçadinha – lhe lancei uma careta, no que ela estirou a língua, num modo infantil.

E então, a música agitada que tocava acabou, e foi substituída por uma lenta. Para minha vergonha, todos os casais em nossa volta foram dançar, e só Ginny e eu ficamos sentados.

- Então...

Ela ergueu uma sobrancelha e sorriu torto.

- Vai me convidar para dançar ou eu terei de fazê-lo?

Evitei o riso e a repreendi: - Ginny, sabe que não podemos...

- Ora, qual é... – ela revirou os olhos.

- Já sei, já sei, amigos dançam – interrompi.

Pus-me de pé e estendi minha mão em sua direção.

- Aceita dançar comigo?

- Já estava na hora – ela sorriu, aceitando minha mão.

A mão dela, pequena e quente, segurava a minha com tanta delicadeza que fiquei imóvel, olhando-a. Pisquei os olhos e a levei para a pista de dança, que estava um pouco lotada. Sua mão pousou em meu ombro e levei a minha até sua cintura.

- Harry? – ela sussurrou.

- Sim?

Ginny desviou os olhos, mordendo o lábio levemente. Quando voltou a me encarar, seus olhos estavam tristes, mas não marejados.

- Me promete uma coisa?

Assenti, me sentindo mal por vê-la para baixo.

- Quando você for nessa busca, com Ron e Hermione, prometa que tomará cuidado.

Franzi o cenho para ela. Como tomaria cuidado numa busca arriscada?

- Sabe, não se ofereça como isca. Tente tomar cuidado, por mim – ela disse.

Abracei-a e Ginny deitou a cabeça em meu peito. Beijei seus cabelos ruivos e acariciei suas costas.

- Prometo.

Continuamos assim por algum tempo, até que a ouço sussurrar:

- Você é importante para mim, sabe?

Ginny ergue o rosto para me encarar e eu me resisto à tentação de beijá-la, ali, no meio de todos, sem me importar. Mas consigo me controlar.

- Se acontecer algo... – ela balançou a cabeça.

- Não vai acontecer – garanti.

Ela parecia tão pequena, tão sensível e frágil em meus braços. Era diferente da forte e inabalável Ginny Weasley. Para mim, naquele momento, ela era apenas a Gin, minha namorada.

Ex. Ex-namorada.

Fechei os olhos e colei meus lábios em sua testa, inspirando seu perfume floral.

- Agora, você me prometa uma coisa – pedi.

Ela assentiu.

- Prometa que não vai se lamentar de minha partida. Prometa que irá seguir em frente. Prometa que não vai deixar algo simples te abalar, que vai ser forte.

Seus lábios se curvaram, fracamente.

- São muitas promessas – Ginny disse. – Mas, sim, prometo.

Naquele momento, soube o que deveria saber, com mais certeza do que tive na vida inteira. Seus olhos castanhos encontraram os meus e nossas testas se juntaram. Nossas respirações ficaram descompassadas e nossos olhos se fecharam, simultaneamente. Seus dedos percorreram meu pescoço e minha nuca. Minhas mãos seguravam seu rosto e juntei nossos lábios.

Não era um beijo quente e urgente. Era um beijo caloroso e apaixonado. Ela subiu na ponta dos pés e eu desci minhas mãos para sua cintura, enlaçando-a com os braços e puxando-a mais para perto.

Por fim, não foi um beijo duradouro. Nos afastamos e ela me abraçou. Por cima de sua cabeça, vi Ron e Hermione, ambos olhando para algo brilhoso, que eu não podia ver.

Afastei Ginny, delicadamente e indiquei com a cabeça a luminosidade azul. Nos aproximamos da multidão de pessoas em volta de um patrono em formato de lince, que disse na voz grave de Kingsley:

- O Ministério caiu. O Ministro da Magia está morto. Eles estão vindo.

Ouve um momento de silêncio e o patrono se desfez. Olhei para Ginny, que estava inexpressiva. Ela sabia que a hora tinha chegado.

- Prometa que vai se cuidar – pedi, olhando ansiosamente de Ron e Hermione para Ginny.

- Prometo... – ela balbuciou.

Foi a última coisa que ouvi, e então, Fred e George passaram correndo, junto com todas as outras pessoas, e a levaram. Corri para Ron e Hermione, que estenderam a mão e... Aparatamos.


N/A: Olá, pessoas! Sim, este é o último capítulo. Não, não terá epíllogo. Bem, eu simplesmente adorei escrever essa história, mesmo que alguns capítulos tenham ficado horríveis por causa da pressa, acho que valeu a pena. Muito, muito, muuito obrigada pelas reviews, por favoritarem e colocarem a história em alerta. Foi um grande incentivo (: Para as pessoas que acompanharam, muito obrigada. Espero, sinceramente, que tenham gostado. Respondendo:

Lys Weasley: Awnt *-* Obrigada, Lys. Por acompanhar até o verdadeiro final. Espero que tenha gostado, porque sua opinião é a mais importante. E não se preocupe, eu irei escrever mais fanfics, tenho certeza.

Leniita W: Sim, eu adoro fazer o Ron interromper momentos, é engraçado. Awnt! Muito obrigada! Espero que acompanhe as próximas fics, também (:

EmmerlyK: Aqui está. E obrigada por tudo! :)

Leather00Jacket: Hihi *-* Tinham, eu concordo plenamente contigo! Espero que tenha gostado da fic, e espero que tenha visto como Harry e Ginny não é clichê LOL (: Obrigada por tudo.

gisllaine farias: Não, esse é o último. SAHUASHUSAHU Obrigada, eu também me amo LOL Obrigada por acompanhar!

Hugh Black xD : Bem, leitor lindinho, é o último capítulo ): LEITOR PERVERTIDO EM ALERTA AQUI, Ó LOL Foi um amasso bem tenso ^.^ Obrigada por acompanhar, e espero que leia as futuras fics (:

Unbeatable Beaters: LOL Obrigada :3 Bem, esse é o último s: Hihi, obrigada por acompanhar!

Até uma próxima fic!

Lola xx