N/A: Olá! Essa é a minha nova fic, a primeira longa. Espero que curtam, e se curtirem deixem review e divulguem! :)

Muito obrigada a Cella ES, que além de me dar força desde o início pra postar isso aqui, é a melhor e a mais fofa beta que eu poderia ter.

Sinopse completa: A vida estava tranquila sem Edward. Melhor quase impossível. Eu consegui tudo o que quis, e era feliz - ou assim eu pensava. O mundo dá suas voltas esquisitas e, num piscar de olhos, as coisas mudam. E aí, depois de tanto tempo, eu finalmente tinha a combinação ideal ao meu alcance: uma filha linda, um emprego dos sonhos, e um homem que me amava. Contos de fada não existiam, mas será que eu ainda podia ter o meu final feliz? O caminho ao lado do meu príncipe imperfeito já havia sido tortuoso demais. Agora era hora de derrotar os dragões do passado.

(aviso 20/11/12: ESTOU EDITANDO O INÍCIO DA FIC. DÚVIDAS? DIGA!)


Prólogo

Sempre vi nos filmes e li nos livros sobre aqueles romances de juventude onde tudo era arco-íris, flores e piqueniques; beijos adocicados, tardes de verão e namoricos de portão que pareciam simples e fáceis como respirar. E como eu desejei um dia poder ter isso.

Com você, eu tive. Tudo isso e muito mais.

A única diferença é que nada nunca foi apenas simples para nós, não é mesmo?

Com 14 anos você me entrega uma flor. Com 15 eu roubo nosso primeiro beijo e você me chama de namorada. Onze meses depois, você me ama pela primeira vez e eu retribuo com paixão, de pele e de alma.

Estava tudo bem até aí. Tudo como o planejado. Mas aos 17 a gente foge, experimenta e enlouquece juntos; em uma única e inconseqüente noite, nossas vidas mudam para sempre.

Alguns longos nove meses depois, nossa pequena luz chega ao mundo e tudo é novo e assustador e empolgante.

Mas as coisas sempre tinham que ser complicadas entre nós. E não fugimos à regra.

Como se nada disso tivesse valido a pena, oito anos mais tarde você vai embora sem um adeus e me rouba o chão.

Amado, a dor do passado é tão grande.

E no entanto, é impossível impedir que meu coração fantasie sobre como seria se você ainda estivesse ao meu lado. Não consigo deixar de admirá-lo pelo homem que se tornou, ou pelo pai extraordinário que agora – mais do que nunca - você é.

Todo esse excruciante tempo longe de mim fez a diferença de uma vida inteira para você - uma transformação que foi capaz de te libertar do mais enclausurante casulo. Você é um homem livre de sua própria mente agora, e é lindo tudo o que conseguiu conquistar.

Como devemos seguir as tradições, e o nada simples precisa continuar a ser nada simples, hoje algo está mudando.

Aos poucos eu sinto você voltando, se acomodando na minha mente de novo, mesmo que a contra-gosto e sob muito protesto.

É doloroso admitir, mas tudo isso é porque eu sinto sua falta, Amado.

Sinto falta de seu bendito sorriso torto e seu carisma jovial. Sinto falta do seu cheiro, seu gosto e seu abraço. Das suas músicas e da voz que embalava o sono das duas únicas mulheres da sua vida.

E mais do que tudo, sinto falta da forma única como eu me sentia completa em seus braços, colada a você; entrelaçados e unidos em um só - corpo, mente e alma. A lacuna que está lá, sempre incompleta, nenhum homem jamais poderá preenchê-la aqui dentro.

Como quem não quer nada, mas quer tudo ao mesmo tempo, um dia desses você me sorri novamente, como um milagre, e me olha com os mesmos olhos de curiosidade e desejo, como um dia olhou aquele garoto de 16 anos que, desajeitado, mal sabia me desabotoar.

Nesse dia eu reluto até ser vencida pelo cansaço. Quando a noite vem, o único rosto que me aparece durante o ponto alto de um fútil clímax é o seu; a única voz que murmura na minha mente é a sua; o único nome que desliza dos meus lábios é o seu. E com isso eu sei que estou de mãos atadas.

Mais uma vez me apaixonando por você.

Resignada pelo meu destino, eu mergulho na escuridão rezando para que desta vez eu não esteja fazendo a coisa errada. Rezando para que desta vez eu não me perca sem você. Em você.