James estava parcialmente fora de seu campo de visão. Sentado com Harry em seu colo, brincando com seus bracinhos gorduchos de bebê. Os pequenos dedos encontrando os óculos de James.

Lily estava na cozinha ajeitando a tábua de plástico cada vez que sua faca atravessava a grossa abóbora que a cada instante se tornava um "Jack" mais assustador. Sorriu orgulhosa com seu progresso.

James jogou seu torso para o chão e esticou os braços com Harry ainda em suas mãos. Parecia estar voando sobre sua cabeça de fios bagunçados. "Podíamos chamar Sirius." Disse casualmente fazendo pequenas curvas com o pequeno Harry pelo mesmo percurso. Soltava o ar pausadamente e soltando barulhos que tentavam imitar o motor.

"Não podemos, não." A ruiva respondeu com calma e compreensiva, sem ao menos desviar os olhos de sua abóbora, pois não queria ver os olhos de James naquele momento. Enfiou a faca pela casca e a moveu, sem se preocupar em como aquilo sujava sua cozinha e manchava a pedra de granito da pia.

James suspirou de maneira bem pesada chamando a atenção da ruiva e, sem querer, aumentando um pouquinho sua sensação de culpa. "A mamãe é tão má, Harry..."

Ela ainda não podia ver seu rosto claramente, mas sabia exatamente qual era sua expressão. Ela não pôde evitar o sorriso triste que se formou em seu rosto. "Não ouça o papai, Harry. A mamãe vai distribuir doces para todas as crianças quando elas passarem por aqui. E a mamãe sabe que Sirius está ocupado com a Ordem."

James colocou Harry no seu colo e virou-se para Lily com um sorriso esperançoso. "Vai pelo menos me deixar azarar os moleques que acabaram com o jardim da Bathilda?"

A garota de vinte anos sorriu e James achou adorável o modo como as sardas viajam por suas maçãs e como ela cortava mal aquela abóbora, podia usar magia, mas queria ser trouxa no dia mais bruxo do ano. E, principalmente, achava adorável como os olhos verdes eram idênticos aos do garoto, lembrando constantemente quem era a mãe de Harry.

"Pode fazer o que quiser com eles."

Instantaneamente, o moreno levantou e Harry deu leves risadas por conta da rapidez grande demais para um bebê tão pequeno. Ele bateu palminhas e quando James levou os olhos até ele, abriu um sorriso de dentinhos brancos e pequeninos. "Viu, Harry! Mamãe deu permissão para fazer tudo. Você sabe o que isso significa?"

Seu marido balançou a cabeça negativamente e Harry imitou-o , parecia um mini James feito de todos os estereótipos de um Potter. Eles se dirigiram até o grande pote de balas escolhidas pessoalmente pelo viciado em doces da casa, ou seja, o dono dos cabelos mais revoltos que já pisou em Hogwarts.

A ruiva riu pensando em como o seu marido era um bobo, não prestou atenção quando ele disse que deixaria Harry ver como nuvens podiam ser divertidas e coloridas e brilhantes e o que quer que ele pudesse querer. Decidiu que sua abóbora estava perfeita, algumas vezes a velha Bathilda já se gabara de como era incrível o dia trinta e um de outubro em Godric's Hollow.

A ruiva riu, pois sabia que o segundo Halloween de Harry seria quase perfeito.


N/A: Bom, eu já tinha pensado nessa one há um tempão, mas não sabia como terminar. Espero que tenha ficado boa!

Reviews?