James deixa o Pomo fugir para logo depois pegá-lo. Faz parecer a ação mais fácil do planeta. Remus revira os olhos e pede que James preste atenção no que ele tenta dizer. Peter sorri maravilhado com a habilidade de James. Peter fala que James é incrível e que não há nada que ele não possa fazer.

Eu só quero mais dias como esse.


Passou o dedo pela pedra, tentando matar sua raiva. Ajeitou-se mais uma vez no chão desconfortável. Aquela situação era tão diferente de tudo que ele já experimentara. Sua nobre carcaça pura nunca sentira algo menos macio do que uma poltrona da sala comunal, ou mais molhado do que a grama de Hogwarts depois da chuva.

Azkaban...

O que mais ele poderia esperar?

Sirius deitou-se no chão, sentiu um incômodo na cabeça. Chão molhado e duro.

Se alguém, antes do dia 31 de outubro, dissesse que isso aconteceria (traição, morte, Azkaban), Sirius se levantaria e socaria o bastardo no rosto. E riria, falaria que aquilo era impossível e pura babaquice. Mandaria o estúpido segurar a língua d próxima vez.

Peter nunca trairia os seus amigos. Peter que os admirava acima de tudo, preferiria morrer antes de entregar James.

Sirius soltou uma risada irônica, que não se contentava nunca em ficar presa em sua garganta. Ele, sinceramente, não conseguia analisar a situação sem um sorriso louco nos lábios.

Nunca? Peter? Wormtail, o comensal? Wormtail, que entregara James?

A piada de mau gosto não terminava jamais, pois Peter era fraco. (covarde, medroso, divertido...amigo)

Sirius Black perguntava-se o que o Lord das trevas vira em um ser tão pequeno e que não dava nenhum benefício, como um rato. E esse fora o motivo da sugestão de Sirius...

Peter sempre fora a figura que passava sem ser notada, fora medíocre a cada segundo de sua vida. O quarto Maroto, aquele que olhava, com medo demais para tomar uma posição. Com medo demais para fazer algo além sorrir e aplaudir em aprovação. Era o observador imperceptível.

E esse fora o motivo: ninguém nuca lhe dirigia um segundo olhar.

Por que fora o Lord a descobrir uma utilidade ao garoto franzino com cabelos sem brilho? Por que alguém tão importante atribuíra alguma confiança?

Voldemort nunca poderia ter encontrado determinação em seus orbes amedrontados, não poderia ter encontrado fidelidade...

(Porque Peter não fora capaz de dá-la àquele que sempre o fez sorrir)

Sirius mirou o teto escuro e úmido. Ele o faria por muito tempo.

N/A: Olá! Fic especial do dia do amigo...eu sei que foi ontem, mas não consegui postar. Então, coloquei hoje mesmo. Não resisto ao Sirius e ao Peter! Espero que tenham gostado!

Reviews?