Não é alucinação. É capítulo novo mesmo. Agradeçam à Ingrid, que está traduzindo essa fic de agora em diante. Acho que os posts serão mais frequentes. Se não gostam de cenas fortes, não leiam, esse capítulo é pesado e sofrido.


Tempo (Julho (2012) e...)

Depois do nosso pequeno susto voltamos para casa um pouco mais relaxados, nassim que cheguei em casa levei Anthony que havia dormido para seu quarto, e fui ao banheiro para me dar um banho relaxante, enquanto procurava minha roupa de dormir ,deixei a torneira aberta e sais minerais e óleos na água. Quando voltei a banheira já estava cheia, então cortei a água e pouco a pouco fui tirando minha roupa, uma vez nua ,entre com cuidado na banheira e descansei a cabeça nela, fechei os olhos e voltei a recordar da noite em que Edward e eu nos entregamos. Sem meu cérebro processar, minhas mãos começaram a descer por meu corpo do pescoço até os seios, os quais notei inchados pela excitação, enquanto uma de minhas mãos beliscou meu mamilo, a outra descia em direção ao meu sexo e nada além de tocá-lo soltei um pequeno gemido.

Acariciei meu clitóris em círculos com meu polegar enquanto dois de meus dedos entravam e saiam da minha vagina, os espasmos e gemidos eram cada vez maiores e se seguisse assim em breve chegaria ao orgasmos, eis que antes de chegar ao meu climax tirei os dedos do meu sexo e acariciei meus seios outra vez, nesse mesmo momento mãos escovaram meu pescoço e me fizeram gemer, não abri os olhos e segui na minha bolha de prazer, de repente essas mãos passaram dos meus ombros até meus seios, beliscando meus mamilos em forma de círculo e depois algo úmido substituiu seus dedos, minha respiração estava muito acelerada, enquanto sua boca seguia dando prazer aos meus seios, pegou minhas mãos e as levou ao seu duro e ereto sexo, entendi o que ele queria e comecei a masturbá-lo de forma lenta e forte, fazendo-o gemer, acariciei seus testículos e um gemido deixou sua garganta.

Suas mãos seguiram descendo pelas minhas pernas e pegando primeiro uma e depois a outra, as colocou sobre a borda da banheira arrancando de mim um grande calafrio, sua boca desceu dos meus seios ,ao meu abdome e segundos depois sua língua tocou meu sexo inchado.

Nenhum dos dois falou nada,apenas nos deixamos levar, não queria abrir os olhos já que assim me sentia incrivelmente bem, lambeu mais um par de vezes meu sexo e inesperadamente dois dos seus dedos longos me penetraram fazendo-me ofegar e gemer, sua velocidade era tanta que eu estava ficando realmente louca, estava a ponto de gozar quando Edward puxou seus dedos do meu interior e beijou-me com urgência, respondi seu beijo sem pensar, coloquei as pernas na água de novo e isso me fez gemer outra vez, os beijos de Edward eram cada vez mais quentes especialmente quando lambeu meu pescoço e mordeu o lóbulo da minha orelha, suas mãos não estavam nem um pouco quietas, passei meus braços pelo seu pescoço e o aproximei o máximo possível de mim, nesse mesmo momento nossos sexos se tocaram e nos fez gemer, sem nenhum esforço nos fez virar para colocar-me em cima, beijei com paixão seu pescoço, seu queixo, seu peito e movi meus quadris sobre seu duro e grande pênis ereto para excitá-lo mais, seu gemido em meu ouvido me fez segui-lo, enquanto ele beijava, lambia e mordia meus seios, abri os olhos e olhei um banquinho que estava ao meu lado com uma nova caixa de preservativos, a desembrulhei, a abri e peguei um, o abri e respirando fundo e coloquei nele com minha boca, provocando-lhe outro gemido, continuei lhe dando prazer com a minha boca até que me faltou ar, quando saí a superfície tomei ar e voltei a devorar sua boca.

Edward pegou minha cintura e aconchegou-me mais a ele fazendo-me gemer, outra vez levantou meu corpo pelas minhas nádegas e me penetrou com força. Um grito e gemido saíram da minha boca

—Monte-me Bella — ele sussurrou com voz rouca contra o meu pescoço.

Assenti e comecei a mover-me lentamente sobre ele, fazendo com que em cada movimento seu pênis saisse por completo do meu interior e voltasse a entrar por completo e minha cavidade estreita, nos fazendo gemer de prazer. De repente Edward começou a mover seus quadris para aumentar o ritmo, então de forma mais selvagem eu aumentei a velocidade e a pressão ao descer de encontro com seu membro já que cada cvez que descia sobre ele, a água espirrava e essa sensação era realmente prazerosa, quando estávamos a ponto de nos esgotar ao menos eu, Edward se levantou comigo ainda unida a ele e contra a parede gelada voltou a investir cada vez mais rápido, faltava pouco para eu chegar quando com voz rouca e ambos segurando o orgasmo, me colocou de quatro na banheira para agora investir-me por trás, a sensação que senti ao notar seus testículos na minha entrada fez com que duas investidas mais tarde eu me gozasse.

Depois desse excitante e mórbido encontro lavamos um ao outro e terminamos de nos banhar sem dizer nada, saímos juntos do chuveiro e secamos um ao outro, eu por mais que quisesse não podia tirar meu olhar do seu e antes de sequer pensar, estávamos os dois outra vez no seu quarto nos entregando com toda a paixão do mundo em seu dormitório.

Na manhã seguinte quando despertei o sol já estava alto e Edward havia ido para a universidade, fui ao chuveiro e as recordações daquela noite voltaram à minha mente fazendo-me sorrir.

Ao meio dia ou algo assim Esme viria nos fazer uma visita, fui preparar a mamadeira de Anthony quando me dei conta que a solução acabou e foi nesse mesmo momento quando Esme chamou na porta. Lhe disse que tinha que correr para a farmácia para poder dar de comer a Anthony e ela me deixou ir já que era na frente do apartamento.

Apenas ao sair pela porta um calafrio atravessou minha espinha e me senti observada, olhei ao meu redor e ninguém me olhava, então atravessei a rua e logo vi infelizmente que estava fechada para férias, desci uma quadra mais abaixo e entrei em uma pequena farmácia, não havia ninguém então não tardaram a me atender, mas algo estranho aconteceu já que de repente a perciana da farmácia de fechou, assustada me virei e vi um menino alto de pele bronzeada com um pano na mão e um sorriso que colocou meu cabelo em pé.

—O que... está acontecendo? — perguntei.

—Não se preocupe Bella, nada está acontecendo, não é verdade Laurent? — James disse saindo de um quarto.

Apenas sua presença me deu calafrios e temi pela minha vida.

—Sabe que tem sido difícil de pegá-la sozinha, seu pai e aquele outro cara estavam começando a me irritar, é claro que não gostei nada da despedida que teve à noite com o Cullen — disse dando-me um tapa.

—O que... você quer — eu disse andando para trás.

—Você e meu filho — disse aproximando-me dele.

—Não sei do que está falando, não estou grávida.

—Oh, claro... isso... mmmm, acho que tem uma solução, certo Laurent?

—Claro — disse abaixando o zíper das calças e tirando o seu membro dela — você disfrutará do meu pau gatinha.

Assustada apoiei-me contra a mesa, ao olhá-lo vi uma faca e sem dar-me conta a peguei, ele se aproximou de mim segurou minhas mãos rasgando minha blusa e foi então que lhe assustei fincando a faca nele,assim que o fiz, seu corpo caiu no chão. Me virei e vi que havia atravessado seu pescoço, antes de eu começar a gritar um lenço cobriu minha boca e de repente tudo ficou negro.

Não sei quanto passou, mas quando abri os olhos tudo estava escuro, o meu corpo todo doía e fazia muito frio, a porta se abriu deixando entrar um pouco de luz e também James diante de mim, que se agachou ao meu lado apertou meus seios e depois bateu na minha bochecha.

—Você matou o meu melhor homem — cuspiu com ódio.

Não respondi.

—Você não quer falar... como quiser... de toda forma você gritará para que eu pare quando voltar a fazê-la minha e que tenha no seu ventre um filho meu, já que não irei parar até então — disse puxando o meu cabelo.

Ele deu meia volta e voltou a me cerrar, chorei como nunca por tudo isso, mas por outra parte estava feliz porque meu pequeno estava a salvo e já estariam me procurando por todas as partes.

E como disse, assim se passaram dias, meses ou anos, James abusava de mim até que se cansava, não usava proteção e isso me aterrorizava, eu não queria ter um filho dele... o escutava falar com outras pessoas em outro idioma e algo tinha a ver com a família de Edward e essa informação realmente me deixou nervosa já que não queria que o machucassem.

Naquela noite decidi tentar obter informações e consegui já que ele estava bêbado o suficiente para falar, mas não o suficiente para não abusar de mim outra vez. Segundo ele, trouxe-me aqui há duas semanas de modo que já era o final de agosto e pelo visto não estávamos em Miami, e sim no Alasca, para que minhas esperanças de saírem dali fossem mínimas.

O tempo se tornou eterno, não saí desse lugar, não me lembro quando foi a última vez que vi a luz do sol e além disso tive um atraso na minha menstruação grande o suficiente para estar grávida desse desgraçado, apenas comia para o caso de estar grávida de verdade, meu peso havia caído consideravelmente e apenas dormia pelo medo que ele voltasse a me tocar. Ele deixou de abusar de mim quando fazia um mês que não vinha minha regra, agora eu ouvia esse desgraçado gemer e golpear outras mulheres que gritavam e gemiam com ele, um dia pensei ter ouvido Victoria... mas não sei era verdade ou minha imaginação.

E assim chegamos ao dia de hoje, 13 de novembro, infelizmente minha barriga começou a crescer faz um mês e por isso tenho um James muito orgulhoso, todas as noites antes de sair para foder com alguma puta vinha falar com a minha barriga e depois batia na minha cara como um lembrete de acordo com ele, me dei conta da gravidez quando as roupas começaram a ficar mais apertadas, já que eu havia perdido peso e alguns tamanhos, o estranho era que estava muito grande para ser de três meses ou algo assim, já que parecia que estava quase de cinco meses.

Ele contratou um cara para vir supervisionar a gravidez e hoje fazia minha segunda ultrassonografia lhe pedi ajuda, mas não me deu, então era inútil pedi-la agora.

O único consolo que eu tinha a cada dia era que ele não me tocava, que Edward e Anthony não estavam aqui e as imagens da última noite que passei com Edward antes de tudo isso acontecer.

Realmente sentia falta da minha família e assim sentindo a falta deles recordava-me daquela noite fantástica com Edward. Passaram-se mais meses e eu já estava de sete meses e apenas podia me mexer já que não tinha forças no corpo, o cara que James contratou disse-me que eu tinha as defesas baixas e o ferro também e se eu não comesse,tanto o bebê como eu correríamos o risco de morrer. Algo que eu realmente não me importava, a morte certamente seria mil vezes melhor que este inferno, o médico disse a James e isso o irritou dando-me uma surra enorme que me deixou inconsciente cerca de uma semana, quando acordei estava em outro quarto com cabos no meu braço e aquele cara ao meu lado.

—Até quem enfim acordou, eu já estava preocupado — o homem disse em voz baixa.

—Vá para o inferno — cuspi.

—Bella, você deve aguentar até o dia do parto, então tudo vai ficar bem.

—Claro, eu estarei morta e o mesmo acontecerá com esse bastardo — eu disse com a voz ácida.

—Exatamente, mas apenas para James — disse antes que James entrasse.

—Vamos, carinho ao fim despertou, sinto muito pelo que te fiz, me perdoa? — disse enfiando sua língua até o fim da minha garganta quase me fazendo vomitar.

—Não me toque, bastardo.

—Fico feliz de que você esteja melhor, porque não sabe o que me faz com essa barriga, vou te foder tão lindamente quando ele sair — disse tocando meu sexo com as suas mãos sujas.

O cara saiu e rapidamente James entrou, fechou o quarto e arrancou minha calcinha com pressa, tirou seu membro e me penetrou de forma bruta enquanto ele gritava como ele gostava de foder-me assim e colocou minhas pernas em seus ombros para lhe dar mais prazer.

—Você realmente gosta não é pequena? — disse aumentando a velocidade.

Era difícil de respirar pela forma bruta que me tratou e de repente tudo ficou negro.


Nota da Ingrid: Oi gente, tudo bem? Sou a Ingrid (ou GuidaStew, ou VampiresLoves ~tenho muitos nomes~) e agora ajudo a Lu em Vidas Secretas e My Sex Angel, por enquanto! Beijos.

N/ Lu: Por mais que demorem os capítulos, não estão abandonados, acreditem.

Comentem...