Boas Notícias e Decisões (Julho de 2013)

(Tradução: Ingrid Andrade)

Já fazia um mês que Bella voltou a estar entre meus braços, ainda me lembro claramente do dia que a vi no hospital do Alasca cheia de ataduras e muito machucada e magra, eu realmente esperava que James e suas primas nunca mais vissem a luz do sol, mas isso ainda não aconteceu para a nossa desgraça, já que tanto Victoria como sua irmã desapareceram do Alasca no mesmo dia que acharam Bella e meu pai.

Graças a Deus já estava se recuperando tanto fisicamente como psicologicamente graças à terapia, já que não precisava de cadeira de rodas e hoje havia voltado ao trabalho, mesmo que apenas algumas horas por dia, já que ainda se cansava demais.

Por outro lado Anthony e Lisa eram realmente incríveis, meu filho estava começando a andar e isso fez todos muito felizes, mas também preocupados já que teríamos que ter centenas de olhos nele, caso caísse ou batesse o corpo, não queríamos acidentes. Lisa era adorável e cada dia ficava mais parecida com sua mãe e avó, Renee, mas Bella ainda não podia gastar muito tempo com ela pelas recordações, tenho certeza que em breve a nossa filha estará conosco e seu irmão em casa, já não tinha problemas de respiração, pois se desenvolveu muito bem sozinha.

E embora ela não fosse sangue do meu sangue era minha filha, a queria como tal e além disso já tinha meu sobrenome, algo que Bella ainda não sabia, e esperava lhe dizer esta noite. Agora estou na minha última hora de aula rezando para que o sinal tocasse e sairia correndo em direção a casa onde provavelmente minha princesa está me esperando para ir à casa dos nossos pais.

Quando finalmente tocou o sinal, saí da sala apressado e peguei as coisas do escritório, subi no meu carro para ir para casa; quando cheguei ,Bella já estava vestida e comendo um pequeno sanduíche, a cumprimentei com um pequeno beijo nos lábios e fui fazer a barba e tomar banho para depois sair em direção à casa dos nossos pais. Quando chegamos ,todos estavam esperando por nós e nos surpreendemos que Anthony começou a andar sozinho, da minha mãe até Bella que estava a poucos metros dos outros.

—Oh Anthony — Bella abraçou nosso filho quando ele chegou nela, se apoiando em mim.

Me abaixei ao lado deles e abraçei os dois com um grande sorriso.

—Muito bem campeão — disse tirando-o dos braços de Bella.

O resto caiu na gargalhada e começaram a fazer carinho no pequeno, até que a pequena Lisa chamou nossa atenção chorando.

Bella olhou em sua direção e lentamente se aproximou da garota, que olhou de seu carrinho e começou a mover as mãos para Bella, a reconhecendo, todos nós ficamos em silêncio para ver o que Bella faria e nos surpreendeu quando com um grande sorriso a pegou nos braços.

—Você está com ciúmes de Anthony, não é? — disse lhe fazendo cócegas — é muito inteligente pequena.

—Claro filha, como você com essa idade — Charlie a abraçou.

Todos começamos a rir em resposta, peguei minha pequena e depois de dar um beijo na sua cabeçinha, nos sentamos para comer.

—Está maravilhosa essa sopa Esme — Bella falou.

—Obrigada filha, se quiser te conto como faz — minha mãe disse.

As duas se envolveram em uma conversa sobre receitas e outros até que depois da sobremesa nossas pais chamaram a nossa atenção.

—Crianças, temos várias notícias para dar — Charlie disse.

—E bem, o que é? — Bella perguntou com Lisa em seus braços novamente.

—Tanto Carlisle como Esme estão de acordo ,com Sue e eu, e decidimos que todos nós nos mudássemos para uma casa maior fora da cidade, assim estaremos todos juntos e haverá espaço suficiente para todos vocês, nossos netos e para os que virão no futuro.

—Então, já vimos várias casas e compramos a que mais gostamos, assim que , com a ajuda de vocês, começaremos a nos mudar na semana que vem. O que vocês dizem crianças? — Meu pai perguntou.

—Eu amei a ideia Carlisle — Alice respondeu com a sua pequena nos braços.

—Isso é bom, porque temos outra notícia para lhes dar, como o terreno é muito grande ,decidimos fazer outra casa para quando quiserem se juntarem, sem nós , e com seus amigos.

—Oh sim, baby, posso imaginar as festas que vamos fazer juntos nessa casa deixando as crianças com seus avós — Emmett riu.

—Emmett — Bella repreendeu.

—Algo mais que queiram nos dizer?

—Claro crianças — Charlie disse.

—Temos notícias sobre Jessica... e também Victoria... Jake nos contou o que sabe.

—Parece que Jessica e Victoria não se davam muito bem como aparentavam e se separaram, um amigo meu que trabalha em Washington disse que as viram em Forks. E a última coisa sobre Victoria é que ela tentou sair do país para voltar a Londres, a encontraram no aeroporto de Nova York e foi presa por roubo de carro, homicídio e roubo de um banco de lá, depois de ser julgada lá a mandaram para cá para ser julgada pelo o que aconteceu.

Também disseram que descobriram que ela trabalhava em um clube chamado "Clube Feminino da Luxúria" que pelo visto começou na faculdade, algo que está sendo investigado, seus proprietários são Aro, Caius e Marcus Volturi, embora aqueles que administram sejam seus filhos, tanto esse como o "Clube da Luxúria" que é dos meninos, vão investigar todos os seus trabalhadores lá até os últimos quatro meses, caso esteja envolvido nisso tudo, já que um tal de Vladimir amigo de James foi quem deu o aviso de que Bella estava aqui quando voltou de Roma e trabalhava lá.

Essas palavras me deixaram tenso, porque fazendo isso descobririam que eu trabalhei lá, e não gostei disso.

—Também querem investigar os companheiros de trabalho de Bella na rádio, por isso entrarei em contato com Aitor quando puder.

Quer dizer que não apenas meu antigo trabalho viria a luz, também o de Bella. A olhei e vi que dava a menina para minha mãe e em seguida saiu da sala.

Num impulso me levantei e a segui até o que era o nosso quarto ou o meu quarto.

—Bella, você está bem? — perguntei acariciando sua bochecha.

—Edward, vão descobrir nós dois, acho que deveríamos ao menos contar aos nossos pais — disse envergonhada.

—Acho que você tem razão, passou tempo o suficiente em segredo para que eles saibam, embora isso signifique lembrar todo o meu passado.

—Edward, conheço seus pais o suficiente para saber que não irão julgá-lo, você é o filho deles, certamente irão se decepcionar um pouco, mas finalmente irão entender cedo ou tarde, de qualquer forma, sempre estarei com você — disse me abraçando.

—Eu sei querida, eu sei — disse beijando-a suavemente — te amo.

—Te...am...

—Crianças, está tudo bem? — Sue perguntou abrindo a porta do meu quarto.

—Sim, Sue, tudo bem — disse pegando a mão de Bella e saindo de lá, a única coisa que me incomodou dessa interrupção havia sido que Bella estava prestes a dizer que me amava.


N/ Lu: Mais um capítulo e parece que as coisas estão se acertando. Quero agradecer mais uma vez à Ingrid e desejar a todas as leitoras uma FELIZ PÁSCOA!