Não fale.

- Humpf.

- Oh! Não seja um bebê, Dean! Já tirei a bala!

- Sua açougueira!

- Oh! Obrigada!

"Droga de sensação! Enquanto toco o ombro dele, mesmo depois de passar por essa adrenalina toda que o estúpido do Sam me fez passar, sinto como se estivesse no céu, como se eu estivesse esperando por um momento assim, apenas eu e ele, há muito tempo. Como Dean pode ter uma pele tão macia assim? Ele é tão durão, fazendo pose, mas ... Não passa de uma criança assustada. Eu poderia tomar conta dele. Eu poderia passar o resto da minha vida com ele. Eu o seguiria onde ele fosse."

- A gente já terminou, Jo?

- Você me dá dois minutos pra poder colocar esse curativo?

- Humpf.

"Deus! Por quê? Eu não quero ficar reclamando, mas... Eu queria uma oportunidade. Minha vontade agora é me ajoelhar, ficar com o rosto bem em frente ao dele, sentir sua respiração e esperar que ele me beije, que realmente faça isso. Que me tome nos braços e me leve daqui. Ah! Por que sou tão covarde? Já enfrentei monstros e fantasmas, mas esse sentimento, que supostamente seria mais fácil de se lidar, se torna uma barreira praticamente impenetrável. Eu não devia estar pensando nisso agora, o irmão dele fugiu, está possuído. Só Deus sabe o que pode acontecer com ele e eu estou aqui tendo devaneios adolescentes com ele."

- Pronto, Dean. Terminei. Vamos?

- Você não vai.

- Como assim não vou? Sou parte disso agora...

- Eu não sei como te dizer isso de um jeito mais claro...

"Então não diz Dean... não diz..."

"Don't speak
I know just what you're saying
So please stop explaining
Don't tell me cause it hurts"

- Essa é minha luta Jô, e eu não quero seu sangue em minhas mãos.

"Don't speak
I know what you're thinking
I don't need your reasons
Don't tell me cause it hurts"

"Sei que não é por isso que ele não quer me levar. Tem algo mais. Não diz então Dean. Se disse, vai doer ainda mais."

- Dean, espera! Leva esses analgésicos contigo, vão ajudar com a dor.

"Não vou conseguir... eu preciso me impor... mas... não. Ele se vai e eu continuo parada, apenas olhando. Que maravilha Jô! Quanta coragem!"

- Obrigada!

"Não faz isso. Não me olha assim Dean. Por favor. Eu não quero deixar você ir... não sem mim... Me leva com você!"

- Eu te ligo mais tarde, Jo.

...

- Não. Você não vai ligar.