Disclaimer:

• Os personagens não são meus. Se fossem a Hermione terminaria com o Harry ou Draco!

• Fanfic Pós-Hogwarts.

• Betada pela minha adorável Amanur.

• Boa leitura!


F I N G I R


O céu ainda estava de um azul incrível, embora o sol estivesse se pondo ao horizonte. Ventava muito, o que fazia com que alguns fios de seu cabelo voassem. Suspirou, e deu mais uma olhada no lago a sua frente. Estava ali há quanto tempo?

Bem, há uns vinte minutos. As águas escuras do lago refletiam bem o céu azul, as nuvens brancas sumindo aos poucos e o sol se pondo. Era como uma pintura à tinta óleo, em um fundo negro.

Falando em fundo negro, era como ela estava se sentindo: com um buraco negro em seu peito se abrindo. Mas ela era boa em esconder o que sentia. Deixava praticamente imperceptível.

Hermione virou-se devagar e, mesmo estando a uma boa distancia de onde todos estavam, ainda conseguia vê-los. Todos felizes e sorridentes, dançando e comendo. Ela queria de verdade poder estar ali, entre aquelas pessoas tão felizes. Ela deveria estar feliz, afinal, era o casamento dele! Ela realmente deveria estar feliz.

Tomou um gole do champagne que havia em sua taça, degustando o sabor doce que ele tinha. Procurou-o entre a multidão, e logo o avistou ao lado de uma cabeleira ruiva — ambos felizes com sorrisos enormes no rosto. Sorriu sem humor e tomou outro gole da bebida. Reparou que ele estava lindo com aquele terno preto e os cabelos penteados para trás. Tão gracioso que chegava a doer. O queria tanto que doía em seu peito. Doía porque sabia que nunca o teria.

Harry Potter agora era um homem casado e com uma de suas amigas, Gina Weasley. O que queria afinal? Causar tristeza para ambos? Porque Hermione sabia que aqueles dois separados não eram nada, além de um poço de depressão. E ela não os queria tristes. Mas, ao mesmo tempo, queria pegar Harry e fugir dali. E repudiava-se por tais pensamentos.

Harry não a amava como amava Gina. Fato! Então não havia nada que ela pudesse fazer, nem tentaria. Embora ela sofresse em silêncio, Hermione, um dia, esqueceria. As pessoas sempre esquecem. O tempo é sempre um amigo aos pobres coitados.

Respirou fundo e tratou de caminhar em direção aos seus amigos. Tomou o resto da bebida e colocou um sorriso no rosto. Ela sabia que ninguém perceberia que o sorriso era falso, pois ninguém nunca percebeu mesmo. Iria continuar fingindo que estava feliz.

— Parabéns, Gina. — Seu falso sorriso se alargou ao abraçar a amiga. — Parabéns Harry. —Hermione queria continuar naquele abraço para sempre. Mas teve que se afastar, como sempre teve.

E ela iria continuar fingindo que não amava Harry. Ela era boa nisso, em fingir. Ela sempre foi uma boa atriz.