.

.

Do what you have to

.

.

É muito difícil vê-lo partir. Mas, quando ela percebe que na verdade o homem por trás da máscara é apenas um instrumental para algo muito maior, Evey chega à conclusão de que precisa deixá-lo ir. Por mais que seu coração se parta em mil pedaços. .:. Drabble V for Vendetta V&Evey.:.


.

.

Evey o fita com seus orbes chocolates ainda úmidos. Olha ao redor e um frio involuntário percorre sua espinha ao se dar conta do que está prestes a acontecer.

Não era por causa do parlamento ou de toda a repercussão que 5 de novembro causaria. Não. Ela temia por ele. A vida do homem que em tão pouco tempo a cativou e a ensinou a não temer nada (tudo, menos isso...) A fez crescer. Amadurecer.

De repente, sentiu algo macio deslizar sobre a pele de seu rosto e nesse instante, ela sabia o que aconteceria a seguir.

Adeus, V.

Foi sua despedida silenciosa. Pois, ela nunca o impediria de seu destino.

Seu fado era sua própria identidade. Sua jornada. Seu propósito.

Foi então, que reunindo suas forças, Evey o fitou com um olhar encorajador e disse num fio de voz:

- V, vá. E faça o que tem que ser feito.

E finalmente viu o trem e soube naquele instante que nunca mais o veria.

Mas que sua existência para sempre permaneceria.

Ele sempre estaria por perto...

.

.


Pois é, estava assistindo ao V for Vendetta (pela trozentolhésima vez) e tive vontade de escrever algo sobre a relação Evey&V.

Nada político. Nada inteligente. Nada brilhante. Só algo que brotou numa noite de domingo entediante.

Bom, pessoas que leram, o que acharam?

bjo bjo

Hime-chan.