Mais um capítulo esperado e muito fofo. Essa família é muito especial. Por favor respondam minha perguntinha lá em baixo.


Tradução

Márcia Campelo.

Lar

Bella POV

Eu acordei me encontrando coberta e afivelada no banco de passageiro do Volvo. Ainda estava escuro lá fora e a única luz que conseguia ver era do painel.

"Como você está se sentindo, amor?" Edward perguntou enquanto me assistia me espreguiçar e bocejar.

"Um pouco dolorida, um pouco cansada e extremamente feliz" eu respondi colocando minha cabeça em seu braço. Eu sabia exatamente para onde estávamos indo, e que esta noite seria a primeira de três noite excruciantes para Edward e eu, mas eu estava preparada. Eu estava pronta pra fazer e superar isso, e começar a minha vida com minha nova família.

Edward pegou minha mão e levou até seus lábios, beijando o interior sensível do meu pulso. "Tem comida e bebida no refrigerador no banco de trás, ou podemos parar em algum lugar se quiser"

"Eu estou bem por agora. Houve alguma razão para você ter me colocado no carro comigo sem me acordar?"

"Apenas que estou animado para nos juntarmos à nossa família e ver a casa nova com você, e eu não podia mais esperar para ir."

"Nossa primeira casa juntos, Edward. Nosso quarto será realmente meu e seu, estou sendo boba por estar animada sobre isso?"

Ele sorriu e roubou um beijo rapidamente antes de se concentrar na estrada novamente. "Se você está, eu também estou, amor"

"Esme e Alice lhe deram alguma pista?"

"Nenhuma"

"Como você conseguiu esses moletons velhos escondido de Alice?" Eu perguntei quando examinei a roupa que Edward tinha me vestido. "O último par que eu tinha dentro de casa desapareceu antes que eu mesma tivesse tirado da secadora"

"Bella, você pode e deve dizer 'Não' a Alice de vez em quando. Não estou dizendo que ela não tem um gosto muito bom para roupas, mas você também deve usar roupas que você se sinta confortável."

"Eu lhe disse 'não'. Mas depois de um tempo eu decidi que ela estava certa, e cedi."

Edward sorriu e apertou levemente meus dedos. "Vai ser uma eternidade muito longa com você e Alice. Incrível. Mas longa."

"Eu realmente espero lembrar você de ter dito isso, porque mais tarde eu quero ser capaz de beliscar você por causa disso, e você irá sentir."

Ele riu. Ele realmente riu.

Então eu fiz a única coisa madura para uma recém-casada de 20 e poucos anos. Eu cruzei os braços e fiz beicinho.

E isso o fez rir mais.

Seu celular tocou e seu sorriso desapareceu instantaneamente. Havia algum problema que justificaria uma ligação para seu celular na noite do nosso casamento e isso não era bom. Ele atendeu o telefone, falando rápido e baixo o que tornou impossível para eu conseguir escutar o que ele estava dizendo. Ele acenou algumas vezes e em seguida desligou a ligação.

"Edward, quem ligou?"

"Alice"

"O que ela disse?"

"Nada importante. Você deveria tentar dormir. Isso pode ajudar a repousar de antemão"

"E vai ajudar você , se me disser que porra está acontecendo"

Ele virou o rosto na minha direção tentando usar seus olhos cor de âmbar para fazer aquela coisa de truque mental Jedi em mim. "Isabella, não pense o pior tão depressa."

Mas eu não estava aceitando qualquer merda hoje. "Edward Anthony Masen Cullen, então me ajude ,se você não for contar o que Alice disse".

"Definitivamente uma gatinha molhado." Ele riu, acariciando um lado do meu rosto com um dedo. "E enquanto eu acho sua raiva divertida, ela é totalmente decasbida. Se esse telefonema fosse para compartilhar com você, eu teria feito, mas não."

"Se..."

Seu dedo pressionado contra meus lábios parou com meu argumento, não que ele tenha sido completamente formado, de qualquer modo. Eu só gostaria de saber sobre o que era a tal ligação, aí eu não pensaria em algo dez vezes pior.

"Eu anda osso fala com seu edo aqui." Ok, talvez eu realmente não conseguisse falar com o dedo dele no caminho, mas com certeza eu iria tentar.

"A mais teimosa que existe." Edward disse com uma risada quando ele puxou o dedo. "Tudo que você precisa saber, Sra. Cullen, é que ninguém está em perigo e que nada ameaçador foi feito ou será."

Eu podia ver que ele não iria me dizer, e eu não queria passar nossa primeira noite ou dia ou o que quer que fosse, brigando. Então, me desafivelei, me descobri e foquei em pegar algo no cooler para fazer um lanche, nada como um argumento para ter um estômago suficientemente acordado para comer.

...

O sol estava começando a nascer quando Edward saiu da rodovia e entrou no que parecia ser uma estrada menor. Acabando seu caminho por entre árvores e neve e em seguida em torno de paredes de rocha.

Só que a parede de rocha era apenas as costas de nossa nova casa. Foi lapidada dentre os lados de uma montanha, algo como Frank Lloyd Wright* teria até uma cachoeira como em sua Fallingwater house*, mas esta caía em um pequeno lago que estava completamente congelado. Alguns blocos de gelo pareciam maiores que eu.

*Frank Lloyd Wright (Richland Center, 8 de junho de 1867 — Phoenix, 9 de abril de 1959) foi um arquiteto, escritor e educador estadunidense de ascendência galesa. Foi a figura chave da arquitetura orgânica, exemplificada pela casa da cascata, um desdobramento da arquitetura moderna que se contrapunha ao International style europeu.

*Fallingwater house : Considerada uma das mais famosas casas do mundo, a Casa da Cascata (em inglês: Fallingwater house) ou Casa Kaufmann (nome da família de seu primeiro proprietário) é uma residência localizada 50 milhas a sudeste de Pittsburgh, em Bear Run, na Estrada Rural 1, secção Mill Run de Stewart Township, Condado de Fayette, nas Laurel Highlands dos Montes Allegheny, Estado da Pensilvânia, Estados Unidos da América. O edifício foi desenhado em 1934 pelo arquitecto Frank Lloyd Wright. Foto.

A frente casa foi decorada com as janelas mais altas e amplas que já vi, tinha certeza que a vista era impressionante, mesmo que a única coisa que fosse visível, fosse as copas das árvores cobertas de neve. Mas conhecendo a família Cullen tão bem, eu duvidava que fosse a única vista disponível.

Subimos um lance de escadas esculpidas em rocha e chegamos à portas duplas de mogno com puxadores de bronze ornamentados e dobradiças. Tinha até uma aldrava de bronze em uma das portas, que quando olhei mais de perto, era o brasão dos Cullen.

"Vá em frente." Edward incentivou. "Bata, e deixe eles saberem que estamos em casa."

"Eu tenho certeza que eles acabaram de ouvir você. Na verdade, eles provavelmente ouviram o carro assim que você entrou na estrada."

Ele se aproximou e sussurrou baixinho no meu ouvido "Alegre eles, por favor bata, eles estão esperando para abrir a porta e nos receber."

Eu não pude deixar de sorrir ao ser tão querida, e passei a mão em torno da aldrava e dei dois golpes antes de me afastar. Aprendi a me afastar das portas quando eles queriam me surpreender, especialmente quando Emmett era uma parte da surpresa.

As portas espessas se abriram silenciosamente, e quando revelou minha família, todos estavam sorrindo e nos olhando felizes, até Rosalie.

"Bem vindos à Rocky Retreat." Disse Emmett, e sua voz ecoou nas rochas.

"Emmett, ninguém está chamando isso assim." Alice disse.

"Não é tão ruim quanto algumas outras de suas ideias." Jasper respondeu. Eu não tinha certeza se ele estava defendendo Emmett ou tentando manter a paz.

"Sim, Boulder Bodega não foi apreciado." Emmett informou.

Esme passou por eles, e me abraçou. "Bem vinda ao lar, Bella"

"Yeah, o que ela disse." Emmett, Jasper e Alice concordaram.

Fui levada para dentro da casa e praticamente todos vieram falar comigo de uma vez, mas nada disso conseguia tirar minha atenção do interior lindo. Bem no meio da casa, através de ambos os níveis da casa, tinha uma árvore emoldurada em vidro, cheia de corajosas e bonitas plantas tropicais e uma enorme á pulverizadores devem ter sido colocados no teto, porque a névoa que estava caindo, de repente parou.

"Eu fiz algumas melhorias." Esme mencionou, levando-me para mais perto do vidro. "Como nos permitindo ter algo verde para ver, combatendo todo o ao redor e nos lembrar de Forks. Mas a maioria da casa é intocável, especialmente as vigas expostas de cada quarto. Eles fazem os quartos parecerem maiores e mais arejados para mim."

Eu finalmente tirei meus olhos da vegetação e olhei para o resto da sala. A madeira e os móveis eram de cores escuras, mas o branco das paredes e dos tapetes, trabalhados com as muitas janelas, deixou iluminado e alegre.

"O quarto dela agora!" Alice praticamente gritou, quando ela me pegou e correu até as escadas comigo.

"Alice, deveríamos esperar." Não me incomodei com o "por todo mundo" que estava na ponta da língua porque eles estavam atrás de nós. "Oi, Carlisle. Senti sua falta mais cedo." Disse tentando não parecer que estava perturbada com todos aparecendo assim. E na maior parte, eu não estava. Eu estava ansiosa para se capaz de fazer eu mesma isso em breve.

Carlisle riu. "Emmett estava na minha frente."

"Bells, feche seus olhos." Alice comandou.

"Não com você, sua eterna duende vampira." Respondi, afastando-me dela e indo em direção à Edward. A última vez que tinha caído nessa, me encontrei num vestido ridiculamente curto e apertado.

Alice estendeu o lábio inferior e bateu os cílios "Edward, faça-a brincar junto."

Ele apenas riu e me apertou mais a si.

Ela suspirou e deixou suas mãos cairem dos seus quadris. "Tudo bem, se Bella quer ser teimosa e não quer fechar os olhos por dois rápidos segundos..."

"Ela não irá cair nessa, Alice. Basta abrir a portar." Emmett disse. "Nenhum de nós está ficando mais jovem aqui."

Eu tinha essa réplica realmente espirituosa sobre como eu era a única ficando mais velha, mas não acho que Edward apreciaria, então, fiquei para mim mesma. Em alguns dias, sua incapacidade de ler a minha mente vinha a calhar.

Alice finalmente abriu a porta e abriu caminho para dentro."Eu sou um pouco ciumenta e amo meu quarto." Ela disse enquanto se movia para me deixar ter um vislumbre do quarto.

As paredes eram de um amarelo pálido, as cortinas de um tom de azul que eu não conseguia nomear, mas eles ficaram perfeitamente em conjunto com o mobilíario do quarto. Foi literalmente como voltar no tempo, quando os quartos eram enormes e volumosos e incrivelmente bonitos. A cama era linda, uma cama de trenó com apenas uma curva menor, uma poltrona à frente, criados-mudos combinando, guarda roupa, cômoda com espelho. O tapete no chão era amarelo pálido, rosa, azul, misturados com alguns verdes escuros, dando uma sensação terrosa. Havia um segundo tapete,tão branco e fofo como o do andar de baixo, na sala,colocado em frente à lareira pequena que era toda nossa. Em cada extremidade da cômoda com espelhos tinham um vaso branco cheio de frésia. A beleza disso tudo, obrigou-me a apertar minha coxa e certificar de que não estava sonhando.

"Bella?" Esme chamou.

Eu percebi que estava parada, em pé no meio do quarto, e não tinha falado nada. "Hum..."

"Querida, se você quiser que a gente mude alguma coisa..." Ela ofereceu.

"Não!" Eu gritei. "Absolutamente nada! Ninguém toca neste quarto!Nem eu vou tocar até ter certeza de que não quebrarei nada."

Emmett bufou pra mim, mas eu o ignorei.

"Esme, isso é tão lindo, eu amei". Eu disse enquanto a abraçava. "Obrigada."

"Foi um prazer. Edward, o que achou?" Ela perguntou enquanto nos virou para olhar para ele.

Mas ele tinha saído e ninguém conseguia lembrar quando tinham visto ele pela última vez. Olhei ao redor do quarto, e de novo para Esme "É da época dele, não é?"

Ela assentiu. "Eu deveria ter perguntado. Eu apenas assumi que ele iria gostar."

"Eu duvido que seja porque ele não goste." Eu disse tentando tranquilizá-la. "Eu vou encontrar nosso amado Grump* e ver se não consigo uma resposta dele."

Grump*: - Desenho animado - Grump possui personalidade instável, muda de opinião como quem troca de cueca. Com seu jeito desastrado e azarão, passa pelas mais inusitadas situações.

"Só apenas algumas palavrinhas como conselho". Alice sussurrou no meu ouvido. "Fique atrás até ele chamar por você e não o chame de grump (mal humorado). Ele está na garagem."

"A que seria?"

"Desça as escadas, vire à direita, é apenas onde o penhasco termina."

Segui as instruções de Alice e pude ouvir a música quando sai do edifício, antes de alcançá-lo. Parecia tão grande quanto a massiva garagem em Forks.

Bati na porta apenas para levá-lo a desligar a música, o que ele fez imediatamente. Gastei algumas tentativas para deslizar pela porta aberta, mas eu consegui. Edward estava sentado em uma bancada girando uma grande chave inglesa em sua mão como se não fosse mais do que uma caneta. Seus lábios se projetaram para baixo, numa enorme carranca, e ele nem levantou a cabeça para olhar onde eu estava ou para me olhar. Fazia tempo que eu não o via tão chateado.

"Isso foi muito rude da sua parte sair sem avisar a ninguém, ou sem agradecer a Esme pelo nosso lindo quarto."

Ele não disse nada; continuou a girar a ferramenta prata.

"Se você não gostou, eu tenho certeza que Esme vai pedir móveis diferentes. Você prefere algo mais moderno? Talvez pudéssemos pedir um tema japonês."

Seus lábios se contraíram um pouco.

"A menos que você seja muito mais velho do que admitiu, e tenha passado um tempo no Japão e falhado como um guerreiro samurai. Mas desde que eles eram guerreiros que juravam proteger a nobreza da terra, eu não vejo você falhando nisso. Não após as batalhas que eu vi você fazer para proteger nossa família."

"Venha aqui." Duas palavras, com nenhuma ênfase, mas eu escutei de qualquer maneira. Uma vez que estava perto suficiente, ele colocou os braços ao meu redor e enterrou seu rosto no meu cabelo.

Meus braços foram automaticamente para seu pescoço e meus dedos se perderam no seu cabelo cobre e sedoso. "Eu te amo, Edward."

"Eu me comportei horrivelmente com Esme."

"Ela vai te perdoar."

"Ela sempre o faz." Ele respondeu, fazendo soar como se fosse uma coisa ruim. "Você e ela são muito parecidas a esse respeito."

"Com o amor vem o compromisso e o perdão. Eu não lembro quem disse isso, mas sei por experiência própria como isso é verdade"

Um pequeno gemido escapou-lhe e ele colocou sua testa pra descansar no meu ombro. "Eu realmente gostaria que o Emmett se calasse."

"O que ele está pensando?"

"Que eu tenho que levantar meu traseiro daqui e ir pedir desculpas, antes que ele venha me obrigar."

"Estou surpresa que ele seja quem está dizendo isso."

"Confie em mim, todos eles estão pensando isso, mas ele é o mais de costume."

"Tão grandioso deles, me deixando vir aqui, descobrir o que está te incomodando."

"Não há segredos, Bella." Ele me lembrou.

"Exatamente," concordei, "então me diga porque você saiu."

Ele levantou sua cabeça e sua expressão era triste e dolorosa. "Uma das coisas que eu tenho medo, é que você não tenha escolha, mas aprender sobre a frustração que vem ao não se lembrar. Sei de que período o mobiliário é. Tenho certeza que peças como essas eram como deve ter sido na casa que cresci, mas quando tentei lembrar, não havia nada. Há algumas imagens borradas da minha mãe e do meu pai, e teclas de um piano. Esses três dias (Ele se refere aos dias da transformação) arrancaram de mim mais do que minha doença e minha humanidade. Bella, eu... me sinto doente e culpado porque eu estou permitindo que você passe por isso."

"Permitir... Odeio essa palavra. Faz parecer que não é minha escolha. Como se não fosse necessário para vivermos a vida que concordamos e queremos. E outra coisa, Sr. Cullen", eu disse, o cutucando no peito, mesmo que não fizesse nada. "Eu não quero ouvir nada de como você perdeu sua humanidade. Você acha que Mike Newton tem mais bondade e compaixão do que você? Ou Angela? Bom, ok, você provavelmente não tem mais que Angela, mas ela está no caminho para a santidade ou algo assim, por causa de sua capacidade de ser boa para Jessica e Lauren."

Aquele sorriso torto que eu tanto adorava apareceu no seu rosto. "Você não é engraçada."

"Você está sorrindo", retruquei, apontando para seu sorriso.

"Estou começando a pensar que você absorveu uma parte de cada um da minha família enquanto você dormia. Vejo vislumbres deles nas coisas que você diz e faz. Se eu não conhecesse você bem, eu teria jurado que Emmett tinha dito pra você dizer isto."

"Você faz parecer que é algo ruim."

"Não, não é ruim. Apenas incomum."

Eu dei de ombros "Você tem que admitir que ninguém pode ser incomum o bastante como eu."

Minhas palavras o fizeram dar uma verdadeira risada. Ele me puxou para mais perto e eu podia ver que a tristeza em seus olhos tinha derretido para aquele olhar suave que ele sempre me dava. "Eu nunca iria tentar negar isso, amor."

"Assim, podemos continuar com o quarto?." Perguntei, realmente querendo que ele concordasse. Eu não queria nunca que ele estivesse desconfortável, mas se caso, ele não quisesse, eu poderia viver com isso.

"Podemos manter o quarto." Ele respondeu.

Eu fiz uma dancinha da vitória interna, e sorri. "Obrigada."

"Vamos, boba Bella. Vamos entrar para que eu possa me desculpar com Esme e deixá-la saber o quanto eu gosto do quarto."

"Bem, se você tivesse ficado lá, Vampiro bobo, então não haveria necessidade de se desculpar. Embora, devo dizer que a garagem é impressionante. Rose irá gostar de fuçar por aí."

Edward fez uma careta e segundos depois ouvi a melodia perfeita da voz de Rosalie "Eu. Não. Fuço."

"Desculpe, Rosalie!Você sabe que eu sou horrível com linguagem de carros." Eu disse a ela.

"Fuçar." Emmett riu "Soa muito como..."

"Pelo amor de tudo que é santo, não faz isso cara." Jasper implorou

"E você quer muito se juntar a isto para sempre?" Rosalie perguntou, arqueando a sobrancelha dourada perfeita para mim.

Eu sorri grande, meu coração cheio de convicção, e minha resposta foi certa. "Sim."

"Bells, você vai adorar ser uma vampira." Emmett disse enquanto ele me colocava embaixo do braço enorme. "Vamos discutir possíveis atividades para seu próximo estado recém-nascido."

"Emmett, se você não trouxer minha mulher de volta imediatamente, você irá se arrepender." Edward prometeu.

"Na verdade, Edward. "Carlisle interrompeu. "É hora que eu e você devemos sair para nos preparar para esta noite."

Edward assentiu com firmeza, olhando como se Carlisle tivesse dito a ele para andar na prancha sobre as água infestadas de tubarões. -Droga, Emmett e suas histórias de piratas, eu pensei antes de me concentrar em Edward de novo.

Eu me afastei de Emmett e peguei a mão de Edward entre as "Sem preocupações e arrependimentos. Lembra?"

Ele acenou com a cabeça e me deu um sorriso cansado.

"Basta manter o pensamento em todo o tipo de afeto você poderá demonstrar por ela quando tudo isso estiver acabado, tudo que você pode realmente dar pra ela, todo o tipo de afeto, que você realmente sente por ela."Disse Jasper, colocando a mão no ombro de Edward. Eu esperava que Jasper não estivesse tentando acalmar ou tranquilizar Edward. - Tanto quanto eu queria que isso acontecesse, ele tinha que querer também.

Edward acenou novamente, e se inclinou para me beijar. "Eu te vejo à noite."

Eu sorri e me afastei para mostrar a ele que estava pronta para tudo isso. "É melhor. Ou eu farei Emmett e Jasper encontrá-lo para mim."

Ele se moveu muito rápido em minha direção envolvendo-me em seus braços enquanto seus lábios roçavam no meu ouvido. "Eu vou estar de volta. E quando eu voltar, lhe fazer totalmente minha e por toda a eternidade, Isabella."

A maior parte da minha respiração saiu como um engasgo com suas palavras possessivas, e o resto foi roubada com seu beijo ardente. Marido sexy? Confere. Família amorosa? Conferidíssimo. A oportunidade de viver assim para sempre... Impagável!


N/Lu: Eles são tão apaixonados. Quem nunca sonhou com um amor como o de Edward e Bella? *suspira*.

Para vocês que acompanham minhas traduções, sabem que elas demoram... mas aparecem. Bjs e comentem. Preciso saber qual delas vocês gostam mais, para saber qual devo fazer primeiro. Se puderem me dizer, ficarei muito agradecida.