150. Presente

Dean Winchester não estava muito acostumado a receber presentes de aniversário, ainda mais livros de presente, na verdade a não ser se você contasse a vez em que John lhe deu um monte de revistas pornô e uma caixa de cerveja para ele no seu aniversário de 19 anos ele nunca havia ganhado um livro de presente antes, mas fazia sentido que se alguém fosse dar um presente assim para ele seria Charlie Bradbury.

Ele abriu o embrulho esperando talvez algo de Kurt Vonnegut ou Charles Bukowski, talvez até uma daquelas novelizações de episódios de Star Trek seria legal, mas quando abriu não encontrou nenhum deles, mas sim um livro cujo autor era Carver Edlund.

"Hilário Charlie"

"O presente não é uma brincadeira, você vai gostar, confie em mim"

"Seja o que for eu já vivi, e conhecendo a minha vida eu provavelmente não gostei nenhum pouco, não acho que ver narrado vá ser muito diferente"

"Esse aqui é diferente, não é do seu ponto de vista, ou do ponto de vista do Sam, talvez até te ajude a entender algumas coisas melhor, e esse aqui é um dos mais vendidos, eu tive que passar um dia inteiro indo em um monte de livrarias pra encontrar, então leia por mim, por favoooooooooor ?"

"Tá bem eu leio, espero que valha a pena"

"Eu também"

Charlie o abraçou e lhe deu um beijo na bochecha, e depois saiu o deixando sozinho com o livro. E já que não estava fazendo nada Dean (e como tinha dito para a garota que ele cada vez mais pensava como sendo sua irmãzinha que iria fazer) ele começou a ler o primeiro capítulo de The Man Who Would Be King.

Obrigada por ler, reviews são sempre apreciadas.