Desclaimer: Jared, Jensen e Eric não me pertencem. Essa história é uma ficção e eu não ganho dinheiro com ela. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.

Titulo: Uma noite de amor diferente
Autora:
Alicia Darcy
Beta-Reader:
Eu mesma. todos os erros são exclusivamente meus.
Fandom: Padackles / RPS (Real Person Slash) / Supernatural
Classificação:+18
Sinopse:
Um dia de trabalho normal, uma rotina normal. Não para Jensen Ackles e ele vai provar isso para Jared, seu co-protagonista, melhor amigo e amor da sua vida. Padackles. PRESENTE DE ANIVERSÁRIO PARA A ESCRITORA ANA ACKLES.

Avisos: Trata-se de um relacionamento homossexual, com cenas de sexo entre dois homens. Se não gosta, não perturbe o meu juízo com críticas e procure outra história para ler, mas se gosta, boa leitura.

O início da brincadeira

Sentado sobre uma cadeira reservada para si, Jensen observava Jared e Misha que contracenavam uma cena de mais um episódio da sétima temporada. Olhava com empenho. Na verdade, não tirara os olhos do moreno durante todo aquele dia. Talvez ele tenha notado e julgou uma atitude normal. Afinal, eram um casal. Ou, talvez ele apenas não tenha percebido já que "seu gigante" era um pouco displicente quando o assunto era sedução.

Luxúria e desejo era o que seus belos olhos verde-esmeralda demonstravam sempre que via o seu amado. Isso, depois do sentimento chamado amor que crescia cada dia mais por ele. Mas, dessa vez era diferente. Sentia-se diferente.

Desde a madrugada de ontem quando se ausentou das gravações por conta de uma distensão na coxa, ficara em casa sob os cuidados de Jared. O moreno jamais o deixaria sozinho principalmente quando seu amado não estava bem. A recíproca era verdadeira.

E, sentado naquela cadeira, apenas observando ao longe, o loiro só conseguia pensar em uma coisa: no que faria com o homem que amava quando chegassem em casa. Ah! Bendita hora em que resolvera assistir ao inspirador filme Instinto Selvagem. Não via a hora de encarnar A Sharon Stone em uma versão masculina e Jared seria seu Michael Douglas. Mas, ele seria o completo dominador e não daria chance para o moreno.

Flash back on...

Meia noite e meia. A insônia o acompanhava enquanto Jared dormia profundamente ao seu lado. Sorria observando-o, pois mesmo o seu amor tendo adquirido formas mais avantajadas, ainda continuava sendo o garoto que conhecera há seis anos.

Não ia acordá-lo porque ele passara o dia e a tarde lhe devotando cuidados e como sempre muito carinho. Jared era assim, carinhoso por natureza.

Infelizmente consigo era diferente, pois enquanto o amante repousava embalado em um sono profundo e acolhedor, há quase duas horas tentava dormir e o sono não vinha. Resolveu levantar.

Foi em direção a TV intencionando desligá-la. Não estava a fim de assistir ao jornal local, aliás, não estava com humor para saber sobre notícia nenhuma.

No entanto, ao desligar o aparelho e voltar para a cama, seus olhos pousaram sobre o amontoado de DVDS ao lado da cômoda e um em especial um lhe chamou atenção: "Instinto Selvagem".

Assistira a esse filme cinco anos antes dele e Jared se conhecerem, mas não custava nada repetir a dose. O que tinha a perder? O sono? Não mesmo. Já o tinha perdido.

Então os segundos passavam, arrastavam os minutos e finalmente quase duas horas depois o filme terminou. Jensen arfava. Durante o filme imaginava cada detalhe entre o casal principal, sendo protagonizado por ele e seu amor. A atriz sharon Stone interpretara com maestria ao lado de Michael Douglas as cenas de sexo caliente em um balé erótico causando inveja a qualquer ator pornô, em sua humilde opinião.

O ritmo, a química e o desenrolar dos corpos durante a cena em que a atriz utilizou um picador de gelo, aquecia-lhe as partes íntimas e uma vontade excruciante gritava dentro de si: queria possuir o moreno agora mesmo inspirando-se no filme que acabara de assistir.

– Meu Deus! Estou pirando?

Sim, foi o que pensou completamente assustado com seu louco desejo. O mesmo filme que assistira antes não conseguia vê-lo mais com os mesmos olhos. Talvez porque no passado não encontrara o amor, talvez porque antes não tinha o encaixe perfeito sob as cobertas quando transava com alguém, talvez exatamente por esse último motivo: antes de Jared não fazia amor, fazia sexo, sentia apenas tesão, desejo, pele.

Depois do filme resolveu ir tomar uma ducha fria. O mais novo precisava descansar e ele também. A hora avançava cada vez mais e as gravações começariam cedo. Foi para o banheiro disposto a tomar um bom banho gelado. Porém, mesmo após o banho, com pijama trocado e acomodado na grande cama macia, o sono não veio e Jensen viu o amanhecer chegar e junto com ele as mesmas ideias relacionadas ao seu amor circulavam em sua mente.

Flash back off...

– Muito bem pessoal! Ficou ótimo! Padalecki, você tem dez minutos para descansar.

Jared simplesmente buscou Jensen e o avistou mais afastado, sentado e olhando-o. Parecia muito concentrado. Aproximou-se sorrindo. Queria conversar, saber como o outro estava. Era sua maneira ideal para relaxar.

– Oi, amor! Você está melhor?

A voz do mais novo o tirou de seus pensamentos pecaminosos e ao perceber a presença do amado e "objeto" de desejo desde a madrugada de ontem, sorriu malicioso não escondendo o brilho luxurioso do seu olhar.

– Muito melhor. Agora que você apareceu. – Respondeu depois de um longo suspiro olhando o outro de cima a baixo.

Jared deu de ombros achando que se tratava de uma brincadeira e sentou em sua cadeira ao lado do loiro.

– Sabe, Jen, estou tão cansado! Preciso muito de uma boa ducha e uma boa noite de sono para relaxar.

Ackles se inclinou e colando os lábios no ouvido do outro, sussurrou enquanto sua mão direita apertava a coxa esquerda de Padalecki.

– Não se preocupe, baby! Você vai relaxar, e muito! Espere até chegar em casa.

Jared gargalhou. Achava que se tratava de uma brincadeira. Durante todo o dia notou os olhares do outro sobre seu corpo. Nada demais, pensava. Afinal, amavam-se e estavam juntos sob a faixada de seus casamentos. Eram um casal. É normal que sempre se olhem e sempre se busquem. No entanto, quando seu sorriso cessou e olhou novamente para o mais velho, viu que ele não sorria, pelo contrário: tinha uma expressão concentrada e apertava cada vez mais a pegada em sua coxa.

– Jen-Jen... Você está bem? – Repetiu a pergunta visivelmente perturbado com o jeito estranho de Ackles. Olhava-o sem entender a estranheza dele.

– Eu já lhe disse! Estou muito melhor agora que você apareceu.

– PADALECKI, DE VOLTA A SUA MARCA! VAMOS GRAVAR.

O grito do diretor o fez quebrar o contato visual com o amado. Antes de levantar deu um beijo leve nele e falou:

– À noite conversamos, ok? Depois volto para saber como você está. – E foi. Jensen se sentira vitorioso com a falta de jeito de Jared. E decidido, não esperaria que ele terminasse as duas cenas daquele dia. Já havia encerrado sua participação nas gravações daquele fim de tarde. Ia para casa e com a ajuda de Cliff ia por em prática o seu plano.

– Amor! Você não sabe o que te espera.

Três horas depois...

Jared procurara em vários lugares do set de gravações, olhara em vários Trailers, perguntou a várias pessoas e ninguém sabia para onde Jensen Ackles havia ido. E, para piorar sua preocupação, seu motorista também tinha saído e não atendia ao telefone. Há quinze minutos as gravações daquele dia se encerraram e nenhum sinal dos dois.

– Perfeito! Fui abandonado pelo meu cônjuge e meu motorista.

Um barulho de buzina chamou sua atenção e ao olhar para trás Cliff acabara de chegar e já o esperava fora do carro.

– Cliff? O que aconteceu? Você levou o Jen para casa? – Perguntou antes de entrar no carro, cuja porta o motorista segurava.

– Sim, senhor Padalecki. O senhor Ackles não estava bem e não pude avisá-lo. Não quis atrapalhá-lo a pedido dele.

– O que ele tem? Como ele está? Por que você não...

– Calma, senhor! Ele está bem e o está esperando no apartamento de vocês. – O homem respondeu pacientemente cortando a enxurrada de perguntas do mais novo.

– Cliff, acelere! Preciso saber como o Jen está.

O homem obedeceu e seguiu viagem. O moreno nem se quer imaginava que o homem era cúmplice de Jensen no que o aguardava em casa.

Quarenta e cinco minutos depois...

Ao abrir a porta do apartamento, Jared parou o observou. Notou que ele estava iluminado apenas por pequenas luzes vermelhas em formato de rosa. Havia uma substituindo a lâmpada convencional do abajur e outra no teto acima das escadas que levavam aos quartos.

Havia também um tapete vermelho liso e macio na porta de entrada à madeira próxima ao primeiro degrau. Hipnotizado pela beleza contida ali, avançou mais alguns passos assustando-se quando a porta fechou com um baque.

– Jen está a fim de brincar! – Pensou antes de seguir caminho em direção às escadas.

– Mas, o que é isso?

Uma corda lilás trançada com flores da mesma cor desceu a sua frente pegando o jovem desprevenido. Tinha um pequeno cartão na mesma tonalidade das flores e da corda. Pegou-o e leu.

"Boa noite, querido! Essa é uma noite especial. Por quê? Porque você é especial para mim. Antes de subir os degraus e ir para o corredor, deixe sua jaqueta jogada ao chão. Apenas ela. Eu o aguardo ansioso".

Ah! Esse loiro! Padalecki sorriu após ler o cartão e fez como lhe foi pedido. Retirou a jaqueta e caminhou sem pressa subindo lentamente a escada, aguardando o que viria dessa vez.

Quando subiu metade dos degraus, outra corda caiu a sua frente. Ela era verde com pequenas trepadeiras trançadas harmoniosamente, formando um belo cacho reluzente. Havia outro bilhete. O jovem o pegou e leu ainda mais curioso.

"Você está indo bem, meu amor! Essa é uma noite de magnetismo e sedução. Por quê? Porque só você me seduz com esse seu jeitinho único. Antes de ir para o corredor e seguir para o nosso quarto, retire a camisa. Você não perde por esperar!

Jared estava mais que amando aquela brincadeira e pensava consigo em como Ackles era envolvente. Sempre o reteve de todas as formas possíveis. Sempre o amou de uma maneira verdadeira e única. Também amava-o assim.

Após retirar a camisa deixando o peito desnudo, continuou o percurso aguardando a próxima carta. Venceu o lance de escadas e andou pelo corredor escuro parando antes de abrir a porta do quarto de casal para apanhar uma pequena cesta de vime posta na porta. Ela tinha sua alça trançada com fita e flores azul-claro pontuada por um cartão no meio de um cacho. Abriu-o.

"Você está quase em meus braços, meu querido! Falta pouco! Está ansioso? Eu estou. Ansioso por você! Por quê? Porque farei maravilhas com você. Retire o cinto, o sapato, e as meias antes de entrar no quarto. Você não vai se arrepender".

E mais uma vez fez o que lhe foi pedido. Seu corpo já mostrava sinais de excitação. Um volume considerável se formava em suas calças. Sabia que se amariam. Sentia isso. Porém, não imaginava o que o outro estava aprontando.

Ao abrir a porta notou que o quarto estava iluminado apenas por uma luz vermelha no abajur de um dos criados-mudos. A mesma cor usada na sala de estar. Avistou antes de fechar a porta outra cestinha de vime. Tinha a alça trançada com brilhantes fitas vermelhas e adornada por delicadas e perfumadas rosas da mesma cor. Ao centro, outro cartão.

"Venha para mim, amado! Finalmente eu te farei relaxar. Sei como você está precisando e também sei o que nós dois estamos precisando. Simplesmente porque te amo. Retire a calça jeans e o relógio e entre apenas de boxer! Aguardo-o do outro lado da porta do banheiro.

E, ao retirar a peça de roupa e o acessório restante, Jared seguiu caminho ao banheiro e abrindo a porta devagar se deparou com a deliciosa visão de "seu Jen" dentro de uma banheira cheia de espumas, sentado com os braços no encosto da cerâmica próximo a uma garrafa de champanhe em um pequeno balde cheio de gelo em um pequeno banquinho branco, próximo a pia. Ele sorriu e disse compassadamente:

– Boa noite, Pada! A brincadeira vai começar!


Boa noite!

Faz tempo que não escrevo uma one-shot. Espero que gostem e comentem. Não preciso dizer a importãncia dos rewies, preciso?

Amanhã vou postar o segundo e último capítulo desta fic e mais um capítulo de Almas acorrentadas. Segunda-feira postarei Sweet August.

Beijos!