Capítulo 3 - Game over!

- Jensen! Você enlouqueceu?

Jared perguntou um pouco assustado, mas não negava que sentia-se bastante excitado com a ideia de estar indefeso e a disposição daquele loiro insaciável.

- É claro que eu enlouqueci! Devia está completamente louco por não ter tido antes a ideia de "torturá-lo" na cama! - À medida que falava caminhava em direção ao outro sem tirar os olhos dele.

- Jen! Vamos com calma! Eu...

- Shhh! Silêncio, meu querido! Eu só quero ouvir sua voz quando estiver gritando de prazer.

Falou compassado enquanto subia sorrateiramente na cama e inclinava-se em direção ao amante.

Clic!

O barulho do metal ecoou pelo quarto. Jensen tomou um pulso de cada vez de Jared e contornou as algemas, deixando-o preso com as mãos para frente. Em seguida, deitou os braços dele para trás enroscando a algema em um feixe de ferro fixado no encosto do móvel apenas para a ocasião. Depois, fechou-o com uma pequena chave prateada.

Padalecki olhava apreensivo para o amante. Estava deitado sobre a cama, com os braços esticados e relaxados sobre o colchão macio. Mas, a maneira que fora imobilizado deixava apenas um pequeno espaço entre seus braços, o suficiente para não incomodá-lo ou dificultar sua respiração.

Ackles deslizou a pequena chave pelo peito do moreno lhe causando arrepios. Guardou-a dentro do criado mudo, levantando apenas para trazer os utensílios necessários àquela brincadeira.

- Já volto! Vou apenas pegar o arsenal para torturá-lo. – Falou com um sorriso safado.

Voltou ao banheiro e pegou o balde com gelo e champanhe e o picador. Pegou também um vidro com chocolate líquido que guardara na parte interna do espelho e o lubrificante deixado ao lado da banheira.

- Lindo! Você é uma visão mais que perfeita, meu Pada!

Falou encostado à porta do banheiro segurando os objetos enquanto seus olhos observavam o corpo do amado na penumbra perdendo-se no aglomerado de músculo naquele homem tão seu.

O loiro ao aproximar-se deixou os utensílios sobre o criado mudo. Pegou o picador de gelo e o vidro com chocolate líquido. Subiu na cama e sentou sobre os quadris de Jared que estava completamente duro só em imaginar o que o amado faria com ele submisso daquele jeito.

- Vejo que você está bem animadinho, não é? Não se preocupe! Vou aliviá-lo.

Sua voz era um sussurro descompassado e quando o vento frio da noite atravessou a janela, o ambiente ganhou um tom ainda mais sensual, mas não tanto quanto aquele loiro apimentado.

Lentamente, Jensen desenroscou o vidro, mergulhou o picador de gelo no chocolate líquido e cremoso deslizando pelo tórax do moreno em uma trilha começando por cada um dos mamilos, descendo pelo abdômen definido, chegando finalmente ao membro ereto no qual despejou uma quantidade generosa da substância.

- Adoro chocolate! Quero saber o gosto dele misturado ao seu!

Falou próximo ao ouvido do cônjuge. Depois, desceu beijando-o na bochecha direita, os lábios, o pescoço e finalmente chegando aos mamilos. Lambeu o esquerdo vagarosamente, retirando o chocolate e fez o mesmo com o direito. Padalecki arfava e gemia sentindo como se a língua do amante queimasse a sua pele.

- Hum! Uma delícia! Quero mais!

Depositou mais chocolate, mas dessa vez em um mamilo por vez. Começou pelo esquerdo enquanto o direito era pressionado pelos dedos habilidosos do loiro.

- AH! AH!

- Música para os meus ouvidos. – Comentou depois de afastar seus lábios gulosos do mamilo mordiscado voltando à sua importante tarefa.

- JEN! AH!

Sim, gritava, pois sentia muito prazer. Seu membro a algum tempo rígido, clamava por alívio. No entanto, ele não vinha. Jensen empenhava-se cada vez mais em sugar os mamilos de Jared. Sugava, lambia e mordia de leve mudando de um para o outro alternando também a pressão com os dedos. Realmente havia empenho em sua tortura ao mais novo.

- Grita, amor! Grita mais!

- Por... Por favor! Jen! Preciso... De alívio. AH!

Misturava o som dos seus gritos aos sons de seus ofegos. Ah! Como amava aquele homem! O que ele fazia com seu corpo ensandecia sua mente. Não havia dor, violência ou brutalidade. Pelo contrário. Era torturado por prazer, carinho e gentileza, tanta, que o moreno já nem tinha seus olhos abertos. Suas vistas desfocadas não lhe permitiam enxergar o foco das coisas, o frio que outrora lhe arrepiava a pele jazia sob a quentura que o envolvia.

- Eu te amo tanto, Pada! Tanto!

Declarou-se e no mesmo momento em que segurara firme a cintura do outro e descera sua língua sobre o abdômen forte lambendo o chocolate espalhado, chegando ao baixo ventre e encontrando o membro ereto repleto da substância caramelada.

- Vou te aliviar, meu amor!

Abocanhou o membro de Jared o máximo que pode ouvindo um grito ecoar pelo quarto.

- AH!

Segurou-o pelos quadris e iniciou uma sucessão de movimentos apenas com os lábios. Sugava, ia e vinha, lambia, roçava os dentes na glande... Uma loucura! O mais novo nem tinha noção dos sons que saiam de sua boca e Jensen tão pouco se preocupava se alguém os escutava.

- VAI! RÁPIDO!

Coitado de Padalecki! O amante ora diminuía a velocidade, ora aumentava instigando-o cada vez mais ao prazer. Não podia nem mesmo inclinar os quadris para frente, pois Ackles o prendia à cama mantendo firme a pegada em seus quadris. Movia minimante os braços, queria poder envolvê-los no pescoço dele e puxá-lo mais para si. No entanto, tudo o que podia fazer era gritar e manter os olhos fechados em uma van tentativa de relaxar.

- Eu... Eu vou... Vou...

Jensen sabia o que ele queria dizer. Aumentou a pressão sentindo o gosto do pré-gozo. Afastou os lábios e segurou o membro pela base. Manipulava-o ajudando padalecki a gozar pela terceira vez.

- JEN! - Relaxou completamente ao gritar o nome do loiro finalizando o gozo.

O moreno respirava descompassado e abria os olhos lentamente. Encarou um par de olhos verde-esmeralda quando suas vistas finalmente encontraram foco.

- Nunca pensei em uma noite como essa! - Falou devagar encarando-o.

- Meu Jay, ainda não é game over!

- O quê?

Jared estava saciado, feliz e exausto. Muuuuuuuito exausto.

- Você acha que eu posso ficar assim? - Jensen apontou para seu membro ereto e pulsante - Não acha que é justo que eu seja aliviado? - Sua pergunta era completamente maliciosa.

- Mas Jen...

Os lábios do mais novo foram tomados por um beijo calmo, intenso e molhado. Beijava-o enquanto pegava o vidro com lubrificante que trouxera do banheiro. Distraia-o enquanto seus dedos eram devidamente lambuzados.

- Hummm! - O outro gemeu quando sentiu um dedo intruso novamente inserido em sua entrada.

- Ah! Tão apertadinho! E só para mim! – Falou entre os beijos.

Com um pouco mais de movimentos, inseriu o segundo dedo. O jovem não sentia tanto o incômodo inicial devido a ter sido possuído na banheira. O terceiro dedo foi adicionado. Doeu um pouco e o moreno se remexeu desconfortável.

- Calma! Calma! Vai melhorar!

Olhava para o rosto dele enquanto lhe sussurrava palavras de conforto. Perdeu-se em sua contemplação. Seu amado respirava pela boca e emitia sons descompassados, os olhos novamente fechados, a cabeça inclinava para trás e sua expressão de prazer pontuava ainda mais as bochechas de vermelho e a longa e lisa cabeleira molhada de suor. Observava-o e mantinha constante os movimentos com os três dedos. Adorava o prazer que sabia causar nele. Enlouquecia com sua entrega.

- Agora vai ficar melhor, baby!

Como o feixe estava anexado ao metal vasado do encosto da cama, os braços algemados de Jared podiam ser movimentados para as laterais. Foi o que Jensen fez.

Virou o moreno para o lado esquerdo deixando-o de costas para si. Depois, com o braço direito abraçou-o pela cintura por baixo do corpo e com o braço esquerdo ergueu uma das pernas dele tendo assim o angulo certo para a sua entrada. Penetrou-o devagar.

- Jen!

Gemeu quando sentiu o membro do mais velho penetrá-lo novamente.

- Ah, Jay! Que delícia é amar você!

Começou a estocá-lo. Inicialmente ia devagar, com carinho, mas depois aumentou a velocidade e o ritmo, estocando-o com força, erguendo cada vez mais a perna que segurava, indo cada vez mais forte, mais fundo e para "incendiar" ainda mais seus corpos, soltou a perna de Jared pondo a mão no balde com o champanhe. Pegou uma pedra grande de gelo alisando lentamente o sexo do mais novo que se encontrava rígido.

- JEN!

Gritou, era muita tortura para seu corpo. Fora chupado, mordiscado e possuído. Gozara quatro vezes e gozaria a quinta.

- AH! AH!

Sua garganta doía de tanto que gritava e Jensen estava em estado de alfa. Aquele homem grande, sex e tão amado estava a mais de duas horas sob seu domínio, sendo vítimas de seus instintos selvagens, instintos esses que explodiam mais e mais dentro de si porque aquele que ele possuía era o homem que amava e talvez por isso perdeu o controle da situação e acabou "torturando-o" mais do que gostaria.

- Calma, amor! O gelo já está derretendo.

Em menos de um minuto não havia mais gelo, apenas um lado do lençol molhado. Ackles então retirou-se do moreno apenas para virá-lo novamente para si, segurou as coxas dele expondo sua entrada e voltou a penetrá-lo. Ambos estavam próximos a chegar ao ápice, sabiam.

Retirou os braços dele do feixe de metal e abaixou para abraçar Jared e erguê-lo lentamente. Cruzou os braços dele em seu pescoço. Assim, teve o moreno sentado sobre o colo algemado com os braços em seu pescoço. Segurou-o pela cintura e continuou a estocá-lo como antes.

- Agora, sim! Você vai gozar junto comigo!

Sim! A pedra de gelo em seu membro apressara seu êxtase.

- Jen! Jen! Jen! – Suspirava as palavras do amante incapaz de gritar devido ao cansaço e ardência em sua garganta.

Explodiram juntos em um gozo forte, avassalador.

- Eu te amo tanto, Ackles!

O mais novo falou com os olhos serrados, porém olhando fixamente para o outro antes de apagar e cair em um sono profundo.

Jensen segurava-o pelas costas vendo a cabeça dele pendendo para trás. Deitou-o novamente retirando os braços dele de seu pescoço. Abriu as algemas e libertou-o.

- Meu amor! Você está bem?

Preocupado, tocou a testa dele com a mão. Não havia sinais de febre. Olhou cada parte do seu corpo. Não havia sangramento ou machucado. Não o ferira. Apenas o amou de uma maneira louca e infame levando o homem amado à exaustão.

- Meu gigante amado! Meu Pada!

Levantou, foi ao closet e pegou um lençol cobrindo a parte molhada pelo gelo derretido. Depois, pegou uma boxer, o pijama dele e o vestiu. Fechou as janelas do quarto e acomodou os objetos usados na pequena mesa no meio do quarto e após vestir-se, observou as horas no relógio de pulso: passava das dez da noite.

- Boa noite, meu amor! Não esqueça o quanto eu te amo!

E deitou, envolvendo o corpo do mais novo sobre o seu e cobrindo os dois. Apagou a luz vermelha do abajur e adormeceu ao lado do amado deixando o champanhe esquecido sobre a mesinha e a conversa que teria com ele para o dia seguinte.

No dia seguinte...

Sentiu a claridade sob o seu rosto suspirando profundamente. Lembrou da noite passada e da surpresa que lhe fora reservada. Sorriu antes mesmo de abrir os olhos.

Ao tentar girar o corpo sentiu um incômodo em uma parte específica do seu corpo. Desistiu de levantar.

"Jen, definitivamente você ficou louco"

Pensou relembrando as cenas da louca noite de amor que tivera.

- Que bom que acordou, amor! – Jensen falou carinhoso fechando as cortinas para esconder o excesso de claridade sentando-se depois ao lado do outro.

Jared abriu os olhos lentamente e fitou o rosto do loiro sorrindo.

- O que deu em você, hein? Pode me explicar o que foi aquilo ontem à noite?

Ackles fingiu-se de indignado.

- Você não gostou da minha surpresa? Magoei!

O moreno gargalhou. Tentou levantar e se acomodar ao encosto da cama sozinho, mas precisou ser ajudado pelo amado que em seguida lhe explicou detalhadamente a origem de sua "brincadeira".

- Até o Cliff está metido nisso? Jen, Jen... Você sabe mesmo como armar uma surpresa. – comentou após ouvir as explicações do outro.

Estava feliz, embora surpreso quando soube que a pedido de Jensen, Cliff fora o responsável pela trilha de bilhetes até o momento da brincadeira.

- Só me diga que gostou! – Havia uma súplica no olhar do mais velho.

Jared o puxou para mais perto de si e apoiando a cabeça em seu ombro, comentou carinhosamente:

- eu te amo! E, o que você fez foi diferente, mas não menos especial.

Ackles o apertou mais em seus braços transpassando todo seus sentimentos, sua devoção quando o mais novo se afastou comentando assustado:

- Jen! Passa de uma da tarde! As gravações, O diretor...

- Calma, amado! Eu pensei em tudo. Antes das seis da manhã liguei para o diretor e disse que você acordou ardendo em febre e com enxaqueca e não havia a menor chance de que eu fosse. Afinal, todos sabem que preciso cuidar do meu amor principalmente quando está doente. – Beijou levemente os lábios do cônjuge.

- Você pensa mesmo em tudo, amor! – Abraçou-o e permaneceram assim por longos minutos.

A tarde seguiu e a noite chegou e entre conversar, músicas românticas e risadas brincalhonas, os dois desfrutaram da companhia um do outro.

A brincadeira tinha acabado. Mas, ela foi apenas uma demonstração do grande sentimento que esses homens alimentavam um pelo outro; carinho, companheirismo, amizade e principalmente... Amor!

FIM!


Boa noite!

Desculpem-me pela demora, mas a culpa foi da inspiração.
Prometo responder a todos os rewies amanhã. Não me abandonem.
Sexta-feira sairá mais um capítulo da fic Almas acorrentadas e segunda-feira de Sweet august.

Beijos!


Respondendo aos rewies:

Sol Padackles - Que bom que gostou, Sol! Espero que tenha gostado da cena na banheira, pois é aprimeira vez que escrevo cenas provocantes e apimentadas, já que sou adebta ao estilo romântico, mas confesso que foi bom escrever uma cena de amor diferente. Beijos!

Cassammy - Hello, Casammy! Hope you enjoyed, since the intention was to create a well-stirred Jensen and "falling" upon your beloved.
Kisses, my friend!

Victória winchester, Pérola fics, wingradle e Totosay de cueca, obrigada pelos seus rewies inspiradores e cheios de elogios. Espero que a Ana Ackles tenha gostado do presente. Foi feito com muito carinho.

Beijos e mais uma vez obrigada a todos que me apoiaram em mais uma fic.