Era uma vez

Capitulo 1 - A Filha da ninfa

Na antiga floresta que os anciões avisavam para os mais jovens nunca entrarem viviam duas ninfas irmãs há muito tempo lá aprisionadas chamadas Rani e Romana. Um dia três viajantes entraram na floresta a procura das ninfas, um deles um proeminente mercador da cidade ao arredor da parte sul da floresta, seu filho mais velho de sete anos de idade e seu humilde carregador de malas. O mercador encontrou Rani a ninfa mais velha e a ela pediu poder e riqueza que superariam em mil vezes a sua atual ,ela disso que isso poderia ser arranjado em troca de seu primogênito, o menino que trazia consigo e a promessa de que quando estivesse no poder ninguém mais viesse a floresta , o mercador hesitou mas acabou aceitando. O carregador de malas ficou esperando do lado de fora da torre da ninfa mais velha e lá conheceu Romana a ninfa mais nova, ela perguntou a ele o que queria e ele disse que apenas uma noite agradável sem seu mestre gritando ordens em seu ouvido, ela disse que isso poderia ser arranjado em troca de um beijo de pura afeição em seus lábios , o carregador de malas aceitou sem sequer hesitar. E pela manhã dois viajantes saíram da floresta.

Nove messes depois a segunda ninfa deu a luz a uma bela menininha de cabelos vermelhos chamada Amelia e pousou seus lábios em sua testa colocando o beijo de pura afeição que o pai da menina lhe dera e com sua magia de ninfa o transformou em uma benção, lhe traria proteção pela primeira parte de sua vida e que na segunda parte, quando a menina completasse dezoito anos um grande poder nela surgiria. A ninfa mais velha ficou com raiva e inveja da ninfa mais nova por esta ter conseguido uma criança própria sem precisar usar grande parte de sua magia para fazê-lo, assim aproveitou a distração da outra ninfa encantada por sua filha e jogou uma rocha em sua cabeça a matando instantaneamente. Mas quando aquela que era agora a única ninfa da floresta tentou matar Amelia não conseguiu ,quando jogou uma pedra na cabeça da menina essa se dissolveu no ar , no dia seguinte ao derramar o veneno de uma cobra em seus lábios esse se transformou em leite, no terceiro dia a jogou no rio que cortava o centro da floresta apenas para encontra-la algumas horas depois flutuando em cima de um galho com o máximo de dano físico sendo as pequenas pétalas de flores da primavera grudadas em seus cabelos vermelhos.

Por messes e messes a ninfa tentou a cada dia matar a menina de uma maneira diferente, a de seu segundo aniversário se parabenizou por ser particularmente cruel e mesmo que não fosse bem sucedida viria a trazer sofrimento a Amelia, a trancou no quarto mais alto da torre e lá pos um feitiço para que quando tentasse sair uma parede invisivel se ergueria , e a deixou para morrer de fome, mas no dia seguinte descobriu que as arvores ao redor da torre haviam crescido e se retorcido da noite para o dia para trazer belas frutas até a sua janela e com os pássaros cortando e servindo em seus lábios , a ninfa cortou tais arvores e descobriu que se servisse comida, mesmo que não das melhores as arvores e os pássaros não se comportavam dessa maneira ,naquele dia ela finalmente percebeu que não conseguiria matar Amelia até o seu décimo oitavo aniversário mas pelo menos poderia tornar a sua vida o pior possível ,por isso ao invés das frutas frescas mandou o menino servir a Amelia um prato de farinha com água duas vezes por dia. O nome do menino era John Smith embora a ninfa não tenha se preocupado em aprender isso, apenas se referia a ele como "você aí" ou simplesmente "menino", John tentou lhe dizer seu nome algumas vezes mas a ninfa disse que não via porque aprender uma informação tão inútil quanto aquela. "John" foi a primeira palavra que Amelia aprendera e depois muitas outras porque o que a ninfa não previu é que tal ordem não contribuiria para a infelicidade de Amelia, na verdade o contrario, já que a comida insossa vinha acompanhada de um amigo e das estórias fantásticas que ele lhe contava.

Obrigada por ler, reviews são sempre apreciadas. Capitulo dois em breve.