N/A : Esse capitulo no final tem um pequeno spoof do filme Enrolados (Tangled)

Capitulo Dois – O Dia da rainha desaparecida

A resposta de Amelia naquela noite foi que ela estava muito mal. Toda noite pouco antes da meia noite a ninfa vinha visitar Amelia e lhe perguntava como estava, a menina tinha o habito de lhe dizer o contrario, se estava feliz lhe dizia que estava triste, e se estava triste lhe dizia que estava feliz, se a ninfa havia reparado nesse pequeno habito nunca lhe disse, John supunha que ela também não havia reparado em nenhuma das mudanças no quarto de Amelia, de como a cama de madeira agora tinha em sua borda um cordão de miçangas coloridas, e se viesse a prestar mais atenção acharia uma pilha de livros empilhada debaixo de um pano velho, e avia outros itens mais práticos como fogo mágico e utensílios domésticos variados como uma frigideira e uma escova de cabelo, John lhe dizia que ela tinha que treinar com essas coisas para quando eles fugissem . E o motivo de Amelia ter dito que estava muito mal era por tamanha que era a sua excitação de saber que no dia seguinte haveria muito mais a esconder ,era o seu oitavo aniversário e por isso John iria até a cidade lhe trazer algo de presente.

John amava a floresta e amava a cidade ,para ele tudo era como a incrível magia da vida se apresentando diante de seus olhos. Mas vivia com a impressão de que não pertencia a nenhum dos dois e o contrario também valia, nenhum dos lugares pertencia a si, ele não tinha nada como um lar, a única coisa que pertencia a si era ele próprio e o seu desejo de ver muito mais, isso porque a ninfa fizera o acordo com o mercador por nada, o menino e agora rapaz não pertencia ao mercador para ser dado, era seu pai não seu dono. Mas isso infelizmente não mudava muita coisa, isso porque mesmo que praticamente não sentisse amor ou respeito nem por seu pai ou pela ninfa se fugisse isso significaria deixar Amelia sozinha, então se contentava com imaginar incríveis aventuras, conta-las para Amelia e quando a ninfa se embebedava com ambrosia ao ponto de desmaiar ia até a cidade, a viagem do centro da floresta era longa portanto nunca conseguia ficar na cidade por muito tempo, ele conseguia dinheiro trocando coisas que achara com a bruxa que vive as margens da floresta e sabe de tudo o tempo todo segundo ela própria.

Ele deveria ir no mercado achar algo para Amelia e ir embora o mais rápido possível , mas havia pessoas nas ruas do reino, isso é mais pessoas do que o normal, elas estavam usando mascaras, brincando e rindo e bebendo, diziam o nome Donna sem parar, John não tinha idéia de quem ela era mas já sentia uma enorme simpatia por tal pessoa, ele gostava do barulho e gostava das pessoas, e como aprendera também gostava de daiquiris de banana e de olhar para garotas loiras mais do que qualquer outras, embora não se saísse tão bem quando se tratava de falar com elas, ele viu um dos rapazes locais flertando e tentou imita-lo com aquela garota com mascara de borboleta ao redor dos olhos chamada Reinette, e embora tenha falhado na tentativa de tentar imitar o rapaz mesmo assim a conquistou, mas quando estava prestes a beijá-la ela fugiu, assim como a maioria dos outros começaram também quando os guardas palacianos apareceram ,havia algo na situação que o havia deixado um pouco em choque isso até outra garota com uma mascara de lobo pegar sua mão e lhe dizer uma palavra : "Corra" ele a pegou de volta e só soltaram quando estavam há muitas ruas de distância da praça principal.

"O que aconteceu ?" ele perguntou.

"Os guardas, disseram que iam nos atacar como fizeram ano passado" ela disse tirando a mascara ,revelando longos cabelos loiros e um sorriso que fez com que ele perdesse a fala por um momento.

"O que ? Porque ?"

"Você não é daqui é ?"

"Sim, quase, é complicado. E você não respondeu a minha pergunta"

"Hoje é o aniversário da rainha desaparecida, desde seu nascimento o seu avô o falecido rei Wilf da essa grande festa no dia e todo o povo sai as ruas para comemorar, nada de trabalho ou qualquer outra atividade, e o usurpador proibiu a festa, qualquer um que for visto lá vai para a prisão, por isso as mascaras, por isso eu te puxei pra longe"

"Obrigado"

"Eu tenho que ir, você consegue ir embora daqui ?"

"Sim, eu acho que sim"

Ela já estava quase desaparecendo da rua quando lhe ocorreu perguntar :

"Qual o seu nome !"

"Rose. Rose Tyler"

"Rose Tyler eu te devo um favor"

"Pode deixar que um dia eu cobro" ela disse antes de desaparecer da sua vista, e ele desejou que um dia a reencontrasse de novo para retribuir o favor, ou simplesmente por encontra-la, qualquer coisa.

E no exato momento em que desejou isso Amelia ouviu uma batida na porta de seu quarto na torre, "Finalmente" ela pensou, John da deveria estar lá a horas, algumas maças foram deixadas em sua janela pelos pássaros da floresta, mas não era sobre alimentação, era sobre passar o dia de seu nascimento sozinha. Não sabia porque John estava batendo na porta, mas não importava tanto assim.

"Entra !" ela disse imaginando o que John trouxera para ela.

Não havia qualquer presente. Não havia sequer qualquer John.

Rory entrou sem ter certeza de que era o certo a se fazer, suas mãos tremiam ainda mais do que quando decidira primeiramente a entrar na torre e tremiam ainda mais quando viu a menina mais adorável que seus olhos já tinham pousado prestes a lhe atacar com uma frigideira.

Obrigada por ler, reviews são sempre apreciadas.