Charles abotoava a camisa azul em frente ao grande espelho oval enquanto Erik lia o jornal, recostado à cabeceira da cama.

"Hum...", fez Charles, deixando o colarinho desabotoado e chamando a atenção do namorado.

"Que foi?", perguntou o alemão, tomando um gole de chá quente.

"Terei que comprar quilos de maquiagem para esconder essas marcas.", e apontou para o próprio pescoço, onde se viam inúmeros vergões em diversos tons de vermelho. Erik ergueu as sobrancelhas, quase impressionado. "Vou praticamente virar uma garota adolescente." Vendo que o namorado não parecia tão interessado, Charles resolveu provocá-lo com um comentário polêmico. "Você ficaria bonito vestido de mulher, sabe, Magnus. Um vestido azul de miçangas brilhantes, talvez ruiva, com um corte chanel, tomando um appletini."

Aquilo pareceu chocar Erik, que fitou Charles com surpresa e arregalou os olhos verdes.

"Você gostaria que eu me vestisse de mulher?", indagou, pousando o jornal fechado na cama. Charles ficou ainda mais chocado, e se aproximou de Erik tentando não rir de sua inocência. "Vou registrar isso." Charles sentou-se no colo do namorado, sentado com uma perna da cada lado.

"Não! Eu estou brincando, Magnus! Você é o homem mais bonito que eu já conheci! Não tem necessidade disso.", explicou o telepata, acariciando os cabelos de Lehnsherr, acarinhando as linhas másculas do rosto bonito.

"Sério?...", perguntou Erik, abraçando o outro pela cintura e descansando suas mãos ali. "E quem é o segundo?"

Charles pareceu considerar um pouco, e voltou seu olhar para o namorado, claramente brincando.

"...seu irmão gêmeo." E riu. Erik adorava aquele sotaque e ajeitou-se na cama, segurando o corpo de Charles com delicadeza. "E quanto ao seu homem número um?"

"O seu irmão gêmeo.", brincou o alemão com um sorriso brincando em seus lábios. Os dois se seguravam para não quebrar o clima do flerte.

"Ah é? E qual é o nome dele?", riu Charles.

"Hum... Wesley.", inventou Erik, fingindo seriedade.

"Wesley?", exclamou o telepata, incrédulo.

"É... entre vocês dois, ele é o bad boy. Está sempre xingando, se exercitando, talvez ele até ande armado. Nós transamos, ele dá tapas na minha cara, só sexo selvagem."

"Okay... Sabe, eu até sairia com o seu irmão gêmeo." Charles achou intrigante continuar o flerte. Queria ver até onde Erik iria com a brincadeira.

"Como ele é?"

"Ele trabalha numa firma... é persuasivo, engraçado, misterioso, um pouco safado... Eu gosto."

"Ah é?"

"É."

"Pois então eu acho que você devia ficar comigo, porque eu já sou tudo isso. E além de tudo, eu sou eu. E tenho um pênis invejável." explicou Erik, orgulhoso, jogando charme.

"Eu não acredito que você está com ciúmes do seu próprio irmão gêmeo imaginário!"

"Esse sou eu, querido, você que escolheu."

"Tenha certeza que eu escolhi.", disse Charles, beijando Erik em seguida.

x

N/A: Óbvias referências aos "irmãos gêmeos" de Erik e Charles, Brandon ("Shame") e Wesley ("Wanted").