Está fic se chama Eu estou noivo de Bella Swan em português e é o par correspondente pov Edward da fanfiction My Fiacé Is edward Cullen ou Meu noivo é Edward Cullen.


Está fanfic pertence a Amoet e os personagens são Stephenie Meyer. A mim Lary Reeden só cabe a tradução para o português.


POR FAVOR LEIAM A NOTA NO FIM DO CAPÍTULO!

EU ESTOU NOIVO DE BELLA SWAN


Capítulo 1 - O Começo

Tradutora ~ Bee Masen

Bip.

Bip.

Bip.

Eu suspirei e corri minhas mãos pelo meu cabelo bagunçado conforme meu Pager desligava.

'Mais um dia, mais pacientes', eu mentalmente grunhi.

Parei em minha cadeira e vesti meu jaleco branco. Eu tenho trabalhado nesse hospital já há um ano. Isso não fora planejado porque a única razão para eu estar trabalhando nesse hospital, cheio de enfermeiras oferecidas e doutoras que flertavam era uma garota.

Sim, uma garota.

Ela é minha amiga de infância, Isabella Swan, mas prefere ser chamada de Bella, conforme recordo. Ela era linda, com a pele pálida, rosto com formato de coração, dois acolhedores olhos e um lindo cabelo cor de mogno. Meu coração deu uma pequena cambalhota quando eu pintei seu rosto lindo na minha mente. Eu era apaixonado por Bella desde que eu estava com seis anos de idade. Não fora amor à primeira vista, embora; porque eu lembrei da garotinha loira,Rosalie Hale,sempre me seguindo,como um cachorrinho perdido naquela época.

Bella não tinha tido qualquer interesse em mim naquela ocasião – eu poderia dizer – a propósito, ela mal falava comigo. Ela me chamou a atenção quando defendera Alice Brandon de Jasper Whitlock. Eu sabia que Jasper tinha uma queda por Alice, mas ele nunca teve coragem de dizer a ela, em vez disso fazia algumas coisas estúpidas pra ter a atenção dela.

Jasper arruinara o vestido de Alice e a fizera chorar. Bella ficara na frente de sua amiga e gritara com Jasper pra que ele deixasse Alice em paz. Ela me chocou, porque Jasper era mais alto do que ela, mas ela ainda defendeu Alice. Naquele tempo, eu pude ver o coração verdadeiro de Bella. Como ela cuidava de quem ela amava e como faria qualquer coisa para fazer todo mundo feliz. Eu descobri, então, que ela possuía alguma espécie de aura que atraía as pessoas, incluindo eu.

Balancei minha cabeça e saí da sala dos funcionários. Eu corri até Irina McCoy, uma das enfermeiras que tinham uma queda por mim, ela sorriu docemente conforme eu retornava o sorriso. Sempre, desde que eu tenho trabalhado aqui, muitas mulheres me chamaram pra sair – e quando eu digo "muitas", eu realmente quero dizer MUITAS – mas eu recusei a todas elas. Não havia nenhuma que seguraria meu interesse senão Bella. Isso era um pouco estranho, embora. Eu poderia ter qualquer garota que eu quisesse com uma palavra, mas a garota que eu queria nunca quis olhar pra mim.

Franzi a testa conforme lembrava da época em que ainda estava no colegial, a época em que Bella se mudou de volta pra Forks depois de ter vivido com sua mãe em Fênix. Bella se mudou da grande cidade ensolarada para a pequena cidade chuvosa depois que seus pais se divorciaram.

Eu não era um galinha, mas tinha uma memória ruim do colegial. Eu ficara com várias garotas, apesar de nunca ir mais longe do estágio físico. Isso porque eu aprendi com Tyler Crowley, um dos meus amigos, que Bella gostava do tipo "pegador bad boy" e bom beijador. Eu pretendia fazer meu movimento desde seu primeiro dia na escola, mas sempre havia me acovardado quando chegava a hora de chamá-la pra sair. Eu só conseguia manter Bella longe de tornar-se alvo de Tyler. Parecia que ela só me via como amigo. Isso foi o motivo de eu começar a sair com garotas pra saber algumas coisas sobre elas, então eu poderia usar meu conhecimento sobre as mulheres para convidar Bella pra um encontro. Mas, infelizmente, quanto mais garotas eu ficava, mais Bella se tornava distante. Eu me perguntava naquele tempo se Bella gostava de garotos normais.

Depois de estar certo que Bella gostava desse tipo de cara, eu me transformei em um 'galinha'. Ela sempre me via com outras garotas e sempre se afastava de mim. Ela não sabia o quão doloroso isso foi pra mim naquela época, em que eu beijava outras meninas, mas meu coração só pertencia a ela.

Eu nunca mais tinha visto Bella novamente depois da formatura. Por trás do meu comportamento descolado, eu havia sentido muito sua falta. Durante aquela época, mantive contato com Charlie para saber como ia a vida dela, e também... Segui-la. Eu fui pra Harvard e estudei medicina. Sempre fora meu sonho ajudar as pessoas. Esperançosamente eu poderia me tornar um pediatra algum dia.

O pai de Bella me disse que ela fora pra Dartmouth estudar Literatura inglesa. Isso não me surpreendeu. Bella sempre amou ler e ela era fantástica quando começava a contar histórias e identificava personagens.

Eu amei cada momento nas aulas de inglês porque eu podia ver e admirar Bella e olhar seu debate com nosso professor ou com outros estudantes.

Meu telefone vibrou no meu bolso e interrompeu meu sonho. Eu o puxei. Olhei para o número. Era meu pai.

Abri o celular.

"Oi, pai."

"Filho, como você está?"

"Hum, estou a caminho da emergência agora."

"Oh", ele hesitou. "Você está ocupado?" Meu pai era um doutor também. Ele trabalhava no hospital local de Forks, enquanto minha mãe trabalhava como arquiteta 'free-lancer'.

"Não, de modo algum. O que há de errado?"

"Eu só gostaria de informá-lo sobre... uh... A reunião do colegial de Forks."

Eu congelei em meus pés. "Dizer o quê?"

"A escola de Forks vai dar uma reunião essa semana."

Eu pisquei diversas vezes. Uma reunião? Depois de todos esses anos? Meu corpo imediatamente passou pro modo 'excitado'. Isso significava que eu teria uma chance de conhecer Bella, bem, na verdade ela teria uma chance de conhecer meu verdadeiro eu.

"Edward?"

A voz do meu pai me trouxe de volta à realidade.

"Uh, sim, pai. Eu ouvi você."

Ouvi meu pai suspirar. "Só ligue pra ela, filho. Quanto mais você vai esperar? Você trabalha aí com o intuito de segui-la, lembra?"

Eu apertei a ponte do meu nariz. "Eu sei, pai. Isso só... Isso não é fácil. Nós não nos vemos há sete anos e eu tinha uma má reputação no colégio. Aposto que sou a última pessoa que ela quer ver."

"Você não saberá se não tentar, Edward. Eu tenho que ir agora. Me ligue de novo,certo?"

Concordei carrancudo. "Okay."

Apertei o botão de desligar e desliguei meu celular. Continuei a andar pra emergência pra ver meu paciente. Ela tinha nove anos de idade; ela cortara seu tornozelo em uma pedra afiada tentando pegar seu amigo. Eu quase sorri pra mim mesmo quando lembrei de Bella,tentando me pegar quando éramos pequenos. O corte não era profundo e eu prescrevi um medicamento pra ela, ignorando sua tonta mãe. O doutor Gerandy, um dos meus colegas, brincava comigo que esse hospital sempre estava cheio de pacientes ansiosas pra me ver.

Eu rolei meus olhos.

Voltei para a sala de funcionários e afundei em uma das cadeiras. Eu suspirei e pensei sobre o que meu pai dissera. Ele estava certo, depois de tudo. Eu trabalhava aqui com a intenção de seguir Bella. Mas, ei, talvez essa fosse a hora perfeita pra conhecer Bella e seus pais ou talvez eu pudesse arranjar uma pequena reunião com ela e alguns de nossos amigos de infância. Minha mente rodopiava em idéias, mas eu sabia que precisava ter Bella de boa vontade. Eu afundei de volta na minha cadeira. Eu não queria parecer um perseguidor, porque eu estava trabalhando aqui só pra segui-la. Isso não foi planejado, sério. Eu somente quis encontrá-la depois da minha formatura na faculdade. Eu liguei pro pai dela e ele me informara que Bella já havia se mudado pra Seattle a trabalho. Ele me dera o endereço do escritório de Bella. Eu dirigi pra Seattle e fiquei em um hotel. Procurei pelo escritório de Bella e fui a um café pra tomar algo depois de ter encontrado seu trabalho.

Foi quando eu a vi pela primeira vez depois de sete anos.

Tudo pareceu parar.

Tudo era nada.

Exceto por ela.

Ela sentou no canto do café, lendo um livro. Um copo de café em frente a ela. Seu longo cabelo cor de mogno caía por trás de seus ombros e ela sustentava um cotovelo na mesa, sua cabeça em sua mão.

Ela estava mais bonita do que da última vez que eu me lembrava.

Meu coração vazio de repente sentiu-se preenchido de novo.

Eu não entrei no café, entretanto, só fiquei a olhando do lado de fora.

Foi naquele momento que eu decidi me mudar pra Seattle e esse foi o motivo de eu terminar nesse hospital. Isso foi há quase um ano e eu não tinha feito nenhum contato com ela ainda. Eu poderia pedir o número dela pro pai dela, mas eu queria agir como um homem nessa hora. Eu queria pedir seu número por mim mesmo.

Tomei uma respiração profunda e peguei meu celular. Eu o liguei com uma determinação de fazer uma chamada. Chamou umas quatro vezes antes de uma voz áspera cumprimentar do outro lado da linha.

"Charlie Swan."

Eu sorri. "Bom dia, Charlie. É Edward Cullen. Posso dar uma palavrinha com você?"

"Oh, ei, Edward. Como você vai, meu jovem?"

Dei uma risada leve. "Estou bem, obrigada. E você? Prendendo muitos caras malvados ultimamente?"

Ele aspirou. "Só um par de adolescentes bêbados, o de sempre. Então, qual é o assunto?"

Olhei pro teto branco. "Você ouviu sobre a reunião do colegial de Forks?"

Charlie riu. "Ah, sim. A reunião. Claro. O que é?"

"Eu estava me perguntando, você contou a Bella sobre isso?"

Ele parou.

E eu também.

"Você já ligou pra ela?" Ele me perguntou.

Eu sorri um sorriso impiedoso. Eu sabia! Ele não contou a Bella. "Não ainda. Eu tinha um plano de visitá-la em seu escritório amanhã." Espera um minuto! Eu disse isso? Eu olhei pra grade de empregados na parede. Droga! Eu tinha que ficar o dia inteiro na emergência, mas notei que o doutor Gerandy estava tirando seu dia de folga amanhã. Talvez eu pudesse trocar meu horário com ele.

"Hum... Então, você vai vê-la amanhã?"

Eu suspirei. "Sim", Respondi em uma voz corajosa.

"Incluindo o noivado?"

Oh, eu esqueci essa parte. Bem, antes de Bella sair de Forks, eu pedi a ela. Eu fora sério naquela época e Bella dissera sim, mas eu sabia que ela não queria dizer isso. Eu tinha certeza que ela nem mesmo sabia nada sobre casamento. Então, eu fizera um movimento pra falar com Charlie para perguntar se ele abençoava o casamento com Bella quando ela tivesse vinte e cinco anos. E agora, nós dois tínhamos vinte e quatro.

Isso era certo!

Eu estava noivo de Bella desde que eu tinha seis anos de idade.

Me chame de masoquista ou qualquer coisa,mas eu realmente amava aquela garota. Durante nossos anos separados, eu sempre perguntava a Charlie sobre Bella. Quanto mais eu sabia sobre ela por todos esses anos me faziam perceber que Bella era única pra mim. Ela tinha sempre recebido excelentes notas e meu coração crescia em orgulho. Eu sabia que ela era inteligente e Dartmouth não tiraria isso da minha Bella.

Limpei minha garganta. "Vou deixar isso pra você, Charlie."

Ele suspirou. "Tudo bem. Vou ligar pra mãe dela. Deixe que ela fale com Bella."

Eu exalei, sentindo o alívio me oprimindo. "Obrigado, Charlie."

"Sem problemas, filho. Me diga se você vier pra reunião."

Eu sorri. "Eu vou, Charlie. Obrigada."

Minha ligação para Charlie confirmou uma coisa sobre meu relacionamento. Eu estava noivo de Bella Swan.


N/T ~ Para aquelas que pediram aqui está o POV Edward de My Fiancé.

Vou postar um capítulo por semana, a aquelas que já leram no perfil da Bee. Não posso fazer nada, além de pedir para que tenham paciência.

A fic é um pouco repetitiva, caso você tenha lido My Fiancé Is Edward Cullen - mas algumas cenas são inéditas e é bom ver o ponto de vista do Edward.

O capítulo está sem betar. Vou fazer isso quando estiver com tempo. Já que minha prioridade no momento é terminar a fic Wide Awake.

Beijos comentem ;)