PDV - Hermione

E lá estava eu, saindo de novo com raiva da aula de Poções. Era tanta injustiça comigo. Prof. Snape era injusto comigo. Malfoy, apesar de tantos nascidos trouxas na escola, parecia achar mais interessante implicar comigo. Senti algumas lágrimas se formando em meus olhos. E ELA! Só de pensar naquela garota, senti uma onda de fúria me invadindo. Na tentativa de parar de tremer, fechei o punho com tanta força que cheguei a sentir um pouco de sangue escorrendo e uma marca de unha que ficaria por um bom tempo. Argh, como ela podia ser tão irritante? Parecia simplesmente ignorar Harry e Rony, "Rivais" de seu namorado escroto. Não, ela queria a sua própria rival, alguem que ela odiasse como ninguem. E TINHA que ser eu. "Bom, se é isso o que ela quer, é isso que ela vai ter."

Despertando do blábláblá em minha mente, fui me olhar no espelho do banheiro em que eu estava chorando escondida. Me arrumei e sequei os olhos. A proxima aula seria Trato das Criaturas Mágicas, com a Sonserina. Estava determinada a não deixar a Parkinson me vencer. Afinal, aquilo nao passava de uma disputa para ver quem aguenta mais. Abri a porta e me surpreendi.

-Indo a algum lugar, Granger? - a Parkinson perguntou com o sorriso sarcástico no rosto, que eu tanto odiava. Ela devia ter me seguido quando saí das masmorras e ficou lá, me esperando..

-Só para a nossa proxima aula, Parkinson - Destaquei o nome dela com um tom de voz que a enlouquecia de ódio. Mas se ela ficou irritada, foi só por um segundo, logo o olhar sarcástico dela voltou e ela sorriu falsamente.- Vamos juntas?

-Claro - foi só o que ela respondeu, parecia que a minha pergunta a havia deixado um pouco surpresa.

Caminhamos em silêncio até as portas que levavam para fora do castelo. O estranho era que nenhuma das duas parecia quebrar o silêncio com alfinetadas uma na outra. Foi só quando abrimos as portas lentamente e por ela passamos, que Parkinson abriu a boca.

-Então Granger, animada para a aula com seu amiguinho Hagrid?

-Muito mesmo, e você? - nao consegui segurar o desprezo na frase.

-Lógico né, se ele me atacar eu sei que você vai me proteger.- Cerrei os dentes e respirei fundo. Ela olhava pelo canto de olho pra mim, com um olhar esperançoso.

-É, ia mesmo - consegui dizer, revirando os olhos para ela. Ela riu. O som foi como.. bom, nao sei explicar, mas foi estranho. A minha reaçao á sua risada me assustou, e me deixou com mais raiva ainda.

Finalmente, íamos chegando à cabana do Hagrid, eu com os livros abraçados no corpo. Ela os jogava para cima, fazia brincadeiras só para me provocar. Provavelmente ela achava(e com toda a razao) que cada mísero movimento me dava vontade de socá-la. Parecia extremamente infantil. Me deu vontade de fazer o mesmo, de nao precisar ser sempre a CDF certinha. Ignorei.

Fomos as primeiras a chegar, o que nos deu tempo de trocar olhares de raiva e poucas palavras. Era agradável.

-Onde você estava, Mione? - Rony e Harry tinham chegado, sentaram-se ao meu lado e eu nao gostei disso. Não sabia o porque. Só nao queria que eles grudassem em mim de novo. Ultimamente tudo o que eles faziam me irritava. - Eu e Harry te procuramos mas nao vimos você.

-Eu vim direto para cá - estava mentindo, mas eu nao me importava mais em mentir para eles.

-A tá. É que eu pensei que você estava mal, saiu tão brava da aula.. - Harry falou.

-Não, eu tô bem, eu tô ótima. - Forçei um sorriso para eles e virei o rosto. Fiquei surpresa por meus olhos terem caído automaticamente em cima dos da Parkinson, que olhava pra mim com uma expressão divertida. Ela riu. De novo. Eu revirei os olhos.

Depois disso, quase não falei mais com os garotos. Nem com ninguém. Na hora do jantar, fiquei muito calada. Mas comi bastante. Acho que até demais. Me senti igual ao Ronald quando engoli minha 3ª coxa de frango. Mas me sentia observada, e desconfortável. Olhei para frente, e de novo encontrei ela com o olhar imediatamente. Ela olhava para mim discretamente enquanto comia e conversava com Malfoy. Ele ria e colocava os braços em volta dela. Um calor passou pelo meu corpo e senti meu rosto esquentando. Desviei o olhar. Não me importava com Malfoy nem com ela. A odiava.

Não odiava? Sim, tenho certeza que sim.

Levantei e fui para o dormitório das garotas sem avisar ninguém. Estava cansada, e adormeci quase imediatamente. Talvez tudo passasse no dia seguinte.

Talvez.