JUST ONE OF THE BOYS

Título: Just One of the Boys/Apenas um dos Garotos
Autora:
TKegl
Tradutoras:
LeiliPattz, Bruna & Ju Martinhão
Beta:
Ju Martinhão
Shipper:
Bella/Edward
Gênero:
Romance, Humor
Censura:
M
Sinopse
: Bella está morrendo para entrar no mundo musical, mas é frustrada em cada tentativa. Quando a boy band 5Point abre as audições, essa poderia ser sua grande chance. É claro que, primeiro, ela tem que convencê-los de que é um menino... E esconder sua grande paixão pelo vocalista dos sonhos.

Disclaimer: A história pertence a TKegl, Twilight e os personagens a Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução.


Capítulo 1 – Território Desconhecido

(Tradução: LeiliPattz)

~ E.C. ~

"Eu não posso acreditar que temos que fazer essa merda." Murmurei, puxando um cigarro do meu bolso, então o colocando de volta quando Marty, nosso empresário, lançou-me um olhar do outro lado da sala.

Ele não gostava que eu fumasse em público. Arruinava a imagem saudável que tínhamos trabalhado tão duro para promover.

"Relaxe, Ed... basta ir com o fluxo." Jasper era sempre aquele indo com o fluxo. Ele deslizou para baixo da linha de cadeiras de teatro, abrindo espaço para mim. "Não será tão ruim." Ele estendeu seu frasco de prata, baixo o suficiente para que o banco de trás escondesse de Marty, e o balançou ligeiramente. "Você quer?"

Eu sorri e puxei a tampa do meu copo de Coca-Cola para que ele pudesse adicionar um pouco de Jack*. Coloquei a tampa de volta, usando o canudo para mexer antes de tomar um gole.

*Jack Daniel's: é um whisky.

Assenti para Emmett e Jake enquanto eles tomavam seus assentos do outro lado de Jasper e virei o meu olhar para o palco enquanto bebia meu Jack e Coca. "Por que essa demora?" Perguntei para Jazz. "Eu tenho coisas para fazer. Eu não quero ficar amarrado durante todo o dia assistindo um monte de eu-quero-ser o Timberlake".

Jasper apenas deu de ombros. Isso era muito do seu método preferido de comunicação. Suspirei e olhei para onde Marty estava discutindo algo com o nosso coreógrafo, Mike Newton – ou Mikey Pops, como ele preferia ser chamado. Ele gostava de fingir que era um gângster – mesmo que ele fosse mais branco do que qualquer um de nós e tivesse um rosto como a porra de um bebê.

No entanto eu realmente não podia criticá-lo. Todos nós tínhamos apelidos. Eu tinha ido do simples e velho Edward Masen para E.C. Mazen (Marty achava que o Z soava melhor). Jasper tornou-se Jazz, ou Jazzy. Emmett era E-Dog (eu achava esse fodidamente estúpido). Jake era "Whispers"* por causa da sua voz baixa e calma, e Ben... bem, Ben era apenas Ben. O que não importa mais, de qualquer maneira, porque ele estava fora do grupo.

*Whispers: significa sussurro, murmúrio, cochicho.

Juntos nós somos a 5Point, uma boy band de sucesso – apesar de, pessoalmente, eu odiar essa frase. Eu tenho 23 fodidos anos, pelo amor de Cristo.

Quanto ao nome, era uma provação de si mesmo – nós tentamos variações sobre nossas iniciais no início, mas EEJJB realmente não encantaria qualquer coisa – e E2J2B soava como um problema de matemática. Ben sugeriu usar as últimas letras do nosso nome, tipo como NSYNC. BCZTN simplesmente pareceu estúpido, e KNKYY escrevia "bizarro"* – não era exatamente a mensagem que estávamos tentando transmitir.

* KNKYY forma a palavra Kinky, que significa bizarro.

Então, ao invés disso, nós nos tornamos 5Point, tanto porque há cinco de nós... e como uma homenagem ao Five Point Café em Seattle, onde fizemos nossos primeiros shows. Eu não odeio isso. Eu não o amo, mas eu não odeio.

Marty apressou animadamente. "Temos mais de 500 inscritos do lado de fora." Ele disse, passando a mão sobre seu cabelo preto alisado para trás. Seus anéis brilhavam nas luzes do teto e seu bigode contraiu. Marty Mickelson parecia mais uma lontra do que qualquer outra coisa, mas o cara conhecia o seu negócio. Ele havia lançado seis grupos nos últimos dez anos – e todos tinham discos de platina e Grammys em seus mantos.

Bem, nós não tínhamos um Grammy ainda, mas Marty disse que nosso momento estava chegando.

Tomei um gole da minha bebida. "Diga-me novamente por que nós estamos fazendo audições abertas." Eu disse irritado. "Por que não podemos simplesmente conseguir alguém da gravadora? Eu sei que eles tinham pelo menos meia dúzia de caras que poderiam substituir Ben sem nenhum problema".

Marty revirou seus olhos, exasperado. "O que eu tenho que fazer para vocês, meninos, compreenderem a importância da publicidade!" Ele exclamou. "As audições abertas são a chave... temos a MTV lá fora... CBS, NBC... Entertainment Fodido Tonight! Você não pode comprar esse tipo de imprensa! E Deus sabe que depois do fiasco de Cheney nós precisamos fazer um pequeno controle de dano".

Ben Cheney foi um problema. Um pouco de sal demais na receita de Marty para a boy band perfeita.

Isso mesmo, ele tinha uma receita. Soava estúpida, mas os resultados falavam por si.

Cinco caras. Eu, eu sou "O Destruidor de Corações". Quero dizer, eu não acho que realmente sou algo especial, mas é o que Marty me fez. Eu faço todas as entrevistas e digo coisas como "Eu gosto de caminhadas na praia" e "Eu ainda estou procurando alguém especial", e as meninas comem isso, ou assim me disseram.

Emmett, com sua enorme forma e covinhas, é "O Grande Irmão". Ele é grande, mas não ameaçador. O cara com quem todo mundo quer sair e jogar Xbox.

Jazz é "O Bad Boy". Você sabe, tatuagens e piercings e destruindo quartos de hotel. Na realidade, Jasper é provavelmente o cara mais legal que você já teve a esperança de conhecer, mas ele tem um controle sobre a imagem. Ele até cortou seu cabelo em um Moicano, muito para a irritação de Marty. O cabelo de Jasper era amado por muitos, fazendo fãs desmaiarem. Houve até uma porra de site dedicado a se manter a par de como ele estava usando seus cachos fodidamente loiros até o ombro em determinado dia.

OMG! Jazz tem o seu cabelo em um rabo de cavalo hoje. *baque*

Marty achou que as meninas odiariam o Moicano. Ele estava enganado. Quando isso chegou às fãs, Jazz não poderia ter feito nada de errado.

Você viu que Jazz atirou um sofá pela janela do Ritz? Wee! Ele é tão bonito! Eu quero lamber seu Moicano!

Jake "Whispers" Black era "O Sensível"... voz suave, doce e inocente com o seu eu-nunca-bebi-ou-fumei-na-minha-vida-nem-mesmo-no-colégio-atrás-do-ginásio-quando-todo-mundo-fazia-isso (embora ele tenha totalmente feito). Com a constituição de um defensor, ele trabalhava religiosamente, mas era capaz de corar na hora quando as meninas gritavam com ele para tirar sua camisa. Ele era o cara que as mães queriam que suas filhas levassem para casa. Embora eu tivesse uma suspeita de que ele preferia ser levado para casa por um filho, se você sabe o que quero dizer.

O que levou a Ben Cheney, "O Fofo"... cara de bebê e capaz de atingir as notas mais altas, ele completava o nosso grupo perfeitamente. Até que ele fez 18 anos, sua voz mudou e seu vício em Big Macs o pegou. Ele ganhou 18 quilos e seu rosto estourou em espinhas como um louco. Marty ficou irritado, mas o enviou para um acampamento de gordos e um dermatologista.

Em seguida Ben foi pego na cama com a filha de 14 anos do dermatologista.

Sim. Não tão fofo.

Então Ben estava fora e ficamos sem um "Fofo". E Marty teve a ideia insana de realizar audições abertas para uma substituição.

Eu observei quando ele tomou um assento um par de filas para baixo ao lado de alguns dos representantes da gravadora. Eles tinham uma mesa na frente deles para que pudessem tomar notas, mas estávamos lá apenas para decoração. Dava credibilidade que os membros do grupo fossem nas audições, mas nós sabíamos que a escolha não era realmente nossa.

Apoiei meu Nike roxo no assento em frente a mim. Eu amava meus Nikes. Uma coisa boa sobre fazer entrevistas é que você pode dizer coisas como, "Eu amo meu Nike", e no dia seguinte você tem uma caixa enorme deles em cada cor.

Eu não sou orgulhoso disso. Mas eu não vou enviá-los de volta. Isso seria simplesmente louco pra caralho.

Peguei outra bebida, sacudindo o gelo no meu copo quando o primeiro grupo de rapazes entrou no palco. Marty deu uma olhada e gritou.

"Os números 3, 7, 28, 42, e 14, por favor, um passo a frente!" Observei que todos os números que ele chamou estavam presos em caras menores... obviamente jovens... de aparência inocente. Marty já os estava abatendo com base no fator fofo.

"Se eu chamar o seu nome, você está na próxima rodada e vamos vê-lo depois do almoço. Se eu não chamei o seu nome, obrigado por ter vindo, mas você não é o que estamos procurando hoje." Ele disse alto, mas seus olhos estavam focados em sua prancheta.

Um coro de gemidos irrompeu dos caras que tinham sido cortados sem sequer uma chance de cantar. Eu não poderia dizer que os culpava.

"Isso é besteira!" Um rapaz alto e desengonçado com rastafári e um piercing na sobrancelha e no lábio deu um passo à frente. Obviamente Bad Boy. "Vocês são idiotas!" Ele gritou. "Viemos por todo o caminho até aqui e vocês nem sequer nos dão uma chance de se apresentar?" Ele inclinou-se e tirou um belo tênis Converse. "5Point é um bando de impostores de merda mesmo!" Ele jogou seu sapato para nós. Ele bateu no ombro de Marty e caiu entre Jazz e eu no chão.

"Fodam-se todos vocês!" Ele gritou, enquanto o segurança o agarrava pelos braços e o levava mancando para fora do palco.

Jazz puxou seu frasco novamente. "Acho que vamos precisar mais disso." Ele disse com um sorriso.

Eu ri, abrindo meu copo para outro respingo. "Continue despejando".

~ Bella ~

Meus seios estão doendo. Quero dizer, eles realmente, realmente estão doendo. Você pensaria que, já que a princípio eles não são tão grandes, amarrá-los com uma bandagem elástica não seria nenhum problema. No entanto, eu deveria saber melhor. Quero dizer, no final do dia não havia nada melhor do que tirar o seu sutiã, certo? É como um suspiro de alívio, ou algo assim. E um sutiã não era nada comparado com uma bandagem elástica grudada firmemente em torno do seu peito.

A peruca era outro problema. Ela coçava e minha cabeça estava tão quente que tudo que eu conseguia pensar era tirar a peruca e mergulhar minha cabeça em um balde de água fria. Eu não queria usar uma peruca. Eu queria apenas ir em frente e cortar meu cabelo, mas Alice tinha me convencido contra isso.

Ela achava que essa coisa toda era louca mesmo.

"Uma boy band, Bella?" Ela vociferou quando eu lhe disse sobre o meu plano. "Você está louca? Você não pode participar da audição para uma boy band!"

"Por que não?" Perguntei teimosamente.

Alice revirou os olhos. "Pequena obviedade, hum... você não tem um requisito fundamental." Ela acenou com a mão para a minha virilha.

Eu olhei para ela. "Eu acho que isso é machista." Respondi, cruzando os braços sobre o meu peito. "Se eu puder cantar e dançar melhor do que qualquer um, por que não posso estar no grupo?"

Alice riu sem graça. "Eles nunca vão deixar que você sequer faça a audição!"

Eu sorri. "Eles vão se não perceberem que eu sou uma menina".

Então meu plano foi idealizado. Uma peruca, um par de calças de brim folgadas, e um par de metros de bandagem elástica mais tarde, eu estava parada na fila do Teatro Majestic para as audições abertas para o 5Point.

Loucura? Talvez.

Mas eu queria entrar no negócio da música e, até agora, eu tinha sido frustrada em cada tentativa. Minha voz era muito rouca. Minha aparência era muito simples. Eu não era sexy o suficiente, ou feminina o suficiente, ou doce o suficiente. Meu estilo era muito entediante... ou infantil... ou sem interesse.

Deus, eu parecia um livro do Dr. Seuss*.

*Dr. Seuss: escritor e humorista americando; conhecido pelas obras como "Horton choca um ovo" e "Como Grinch roubou o Natal".

Então, quando eu vi o anúncio para as audições, eu pensei, "Que diabos? Vou fazer uma tentativa." O pior que poderia acontecer é outro não, certo?

Bem, o pior que poderia acontecer seria a minha bandagem elástica romper e meus seios pularem para todo o lugar.

Na verdade, eles provavelmente não pulariam... apenas meio que apontariam.

Como eu disse, eles não eram assim tão grandes.

A fila era longa. O sol estava quente. E os caras ao meu redor cheiravam a uma mistura de meias velhas e peixes mortos. Alguns de nós ficaram acampados por alguns dias, então isso era de se esperar, eu acho. No meio da manhã, eu fiz meu caminho até a frente da fila, só para ver um cara com rastafári sendo levado pela segurança.

"Porra de 5Point!" Ele gritou. "Idiotas impostores do caralho, não reconheceriam um talento nem se batesse na porra da boca!"

Notei que ele estava usando apenas um sapato.

Estranho.

Segui meu grupo para o teatro e parei com eles nos bastidores enquanto esperávamos a nossa vez. Meu número – 212 – preso na minha camisa e eu estendi a mão para alisá-lo – sub-repticiamente massageando meus seios doloridos. Eu me inclinei para dar um duplo nó nos meus Nikes vermelho e amarelo. A última coisa que eu queria fazer era tropeçar nos meus cadarços.

"Ok..." Um cara com uma prancheta nos abordou distraidamente. "Você vão entrar no palco... duas filas... não empurrem... não falem." Ele desfiou. "Não importa quem está onde... apenas certifiquem-se que seus números estejam claramente visíveis".

Eu poderia perceber as vozes vindo do auditório, mas não o que estava sendo dito. Alguns dos caras no palco pulavam de emoção, dando sinais de positivo e socos no ar... o resto parecia abatido enquanto caminhava para fora do palco no lado oposto.

"Certo... vocês entram." O Homem da Prancheta nos disse, acenando com a mão para indicar que deveríamos entrar no palco. Nós nos alinhamos e eu me vi perto do meio na fileira da frente. Eu apertei meus olhos para as luzes do palco, depois quando meus olhos ajustaram, vi a meia dúzia de pessoas sentadas nos bancos na metade do auditório.

Oh. Uau. Lá estava ele.

E.C. Mazen.

Engoli em seco, minha boca de repente estava seca. Eu sabia que a banda estaria lá para as audições, mas eu realmente não tinha sido preparada para vê-lo em pessoa. Quero dizer, eu não era como uma fã nem nada, mas E.C. Mazen não era uma pessoa comum. Ele era lindo... talentoso... absolutamente perfeito. Eu passava horas o ouvindo cantarolar I Don't Wanna Lose Ya e I Need to Have Ya e Don't Leave Me Baby, I Want Ya e sua voz de veludo apenas me rodeava, puxando-me para perto.

Sério. O homem era um gênio.

Eu não tinha ideia de como colocaria uma única palavra para fora, quanto mais uma canção.

Felizmente, eu tinha um pouco de prorrogação.

"Números 56, 103, 33 e 212, por favor, um passo a frente." Um cara de aparência nojenta que eu reconheci como o agente do 5Point chamou.

Eu dei um passo à frente. Isso era bom? Ou ruim?

"Se eu chamei o seu nome, você está na próxima rodada e vamos vê-lo depois do almoço. Se eu não chamei o seu nome, obrigado por ter vindo, mas você não é o que estamos procurando hoje." Ele continuou em uma voz entediada.

Eu tinha passado... seios intactos.

Até agora, tudo bem.

~ E.C. ~

Eu estava muito fodidamente bêbado no momento em que a segunda rodada de audições começou. Jazz e eu tínhamos sugado o último Jack, então tivemos algumas cervejas com o almoço.

Tudo bem, talvez não apenas algumas.

Jazz recarregou seu frasco antes de voltarmos para o auditório e nós dois nos sentamos em nossos lugares rindo discretamente enquanto esperávamos a merda começar de novo. A seguir viriam os cantores. Precisávamos de alguém que pudesse atingir as notas altas de Ben... nesse aspecto ele nos deixou alguns sapatos muito grandes para preencher. Aqueles que conseguissem passar para a próxima rodada, então aprenderiam algumas coreografias de Mikey – provavelmente algo do nosso clipe mais recente. Se tudo corresse bem, teríamos o quinto membro da 5Point assinado dentro de 24 horas.

"Então, o que você acha?" Emmett entrou e encostou-se contra o encosto da fila em frente a nós. "Alguma boa perspectiva?"

Dei de ombros. "Eles todos parecem iguais para mim. Tenho que ver se algum deles pode cantar".

Emmett riu. "Inferno, isso nem sequer importa mais. Podemos usar o Auto Tune no filho da puta. Eu só não quero que seja algum imbecil".

Eu balancei minha cabeça. "Emmett, precisamos de alguém que pode realmente cantar." Auto-Tune era muito legal e bom, mas eu não queria o 5Point contando com a tecnologia de correção de voz. O que éramos? A porra do Backstreet Boys?

"E dançar." Jake acrescentou calmamente, tomando um assento ao lado de Jazz. "Eu sou aquele que tem que estar ao lado dele... e eu não quero algum..." Ele se inclinou, baixando a voz para um sussurro – ele sempre sussurrava quando xingava. "... cabeça de merda pisando no meu pé".

"Bem, seja o que for." Emmett disse agradavelmente, antes de bater meus pés fora do encosto para que ele pudesse sentar-se na minha frente. "Nós só precisamos de alguém em breve para que possamos começar os ensaios. Temos apenas um mês antes da turnê começar, e quem quer que seja escolhido precisa acompanhar essa velocidade".

Ninguém respondeu a isso porque realmente não havia qualquer necessidade. Todos nós sabíamos que o tempo era curto. O que significava que não importa quem Marty e os outros escolham, nós teríamos que fazê-lo funcionar.

Mesmo que ele fosse um imbecil.

"Ok, vamos começar." Marty chamou. "Número 28?"

Um garoto alto e loiro com umas calças largas e uma camisa vermelha de botão apareceu no palco.

"Yo." Ele disse ao microfone.

Sério?

Marty limpou sua garganta. "Qual é o seu nome garoto?"

O garoto inclinou seu ombro mais para baixo e acenou com as mãos. "Yo, Mickey-Dee".

Marty se engasgou com uma risada. "Como o conjunto de fast-food?"

"O que seja." O garoto olhou para o lado como se estivesse entediado com a conversa.

"Ok, Mickey." Marty continuou. "O que você vai cantar para nós hoje?"

Ele agarrou o microfone e falou diretamente nele. "Baby, Please".

A música começou e o garoto fechou os olhos.

You're standin' there all pretty in pink
Blinkin' those baby blues
Don't know what I'm supposed to think
But what have I got to lose?
You've got me on my knees
Don't be a tease...
Baby, please

Você está esperando lá toda linda em pink
Piscando seus olhos azuis bebê
Não sei o que eu devo pensar
Mas o que eu tenho a perder?
Você me tem de joelhos
Não seja uma provocadora...
Baby, por favor

O garoto era bom... a maioria deles era. E cada um deles fodidamente cantou Baby, Please. Não foi uma grande surpresa, já que era um dos nossos maiores hits e uma das poucas canções que Ben cantava. Mas, Jesus, depois da 14ª audição eu estava ficando mais do que um pouco enjoado disso.

"Próximo!" Marty gritou.

Eu bocejei. Minha bebedeira estava começando a se desgastar, então eu murmurei para Jazz dar-me uma dose do seu frasco. Tomei um grande gole e voltei os olhos para o palco para encontrar um cara baixinho parado ao microfone. Ele usava roupas largas, mas Nikes legais - vermelho com uma faixa amarela. Eu não tinha um par desses e fiz uma anotação mental para pedir algum.

"Nome?" Marty perguntou.

"Ummm... Billy... Billy Swan." Disse o garoto. Ele era de boa apar6encia, eu acho. Meio magro e seu cabelo era meio estranho, mas as meninas podem ir por isso. Ele parecia nervoso e meio que se contorcia ao redor do palco.

"Ok, Billy, e o que você vai cantar para nós?" Marty perguntou, abafando um bocejo.

"Uncharted Territory".

Sentei-me um pouco mais ereto. Não só porque alguém finalmente escolheu uma música que não era Baby, Please, mas porque Uncharted Territory era uma porra de canção difícil de cantar. Ben só conseguia atingir as notas altas na metade do tempo, e acho que ele tinha a mão no bolso apertando suas bolas para fazer isso.

Billy passou a mão pelo cabelo estranho e começou a cantar.

E ele era fodidamente incrível.

Sua voz era um pouco rouca, mas ainda pura e limpa... e ele bateu as notas mais altas melhor do que Ben fazia. Eu dei uma olhada para Jazz, mas ele estava assistindo com espanto, sua boca um pouco aberta.

and every time you let me touch you
Where I wanna touch you
Everywhere I wanna touch you
It's like I've found my way through
Uncharted territory

e cada vez que você me deixa tocá-la
Onde eu quero tocá-la
Todo lugar onde eu quero tocá-la
É como se eu encontrasse meu caminho através de
Território desconhecido

E eu serei amaldiçoado se esse garoto não fez uma corrida berrante na última palavra subindo até uma nota tão alta que eu pensei que ele quebraria a porra das janelas.

Se o garoto pudesse dançar, acho que ele estava dentro.

~ Bella ~

Eu estava prestes a mijar nas minhas calças.

Achei que eu tinha controle sobre meu nervosismo, mas quando eu saí para aquele palco e vi E.C. Mazen me olhando com aqueles olhos verdes intensos, eu realmente pensei que faria xixi nas calças.

Eu sabia que eram muitos Red Bulls, combinado com o fato de que eu não podia exatamente entrar em um banheiro feminino. Como ir ao banheiro dos homens? Eu fiquei tão desesperada que abri a porta, mas eu tomei uma baforada e imaginei que simplesmente seguraria.

Provavelmente um erro, mas, homem, isso era nojento.

Eu sabia todas as músicas do 5Point de coração, como qualquer boa fã deveria saber. Eu estive levando Alice à loucura, cantando junto com o meu iPod, tentando aprender todas as partes de Ben Cheney. Eu planejei a cantar Baby, Please, mas enquanto eu estava esperando nos bastidores, ouvi todo mundo cantar essa mesma canção. Então aproveitei a oportunidade e passei para Uncharted Territory, esperando que eu pudesse fazer isso.

Eu devo ter feito tudo certo, porque me disseram para voltar às duas para aprender a coreografia. Corri pelos bastidores e tive uma chance no banheiro feminino, examinando a área rapidamente antes de entrar.

A dança me preocupava um pouco. Não porque eu não podia dançar – porque eu poderia totalmente – mas porque eu tinha que dançar como um cara. Mais uma vez, eu tinha praticado como uma louca, assistindo os clipes e memorizando os passos, mas eu não tinha certeza se eu poderia retirar Bobby Brown (antes Whitney), ou se ele sairia mais como Beyonce.

Eu furtivamente examinei a minha bunda no espelho enquanto lavava minhas mãos.

Nope. Nada de Beyonce. Mas você entendeu a ideia.

Eu espreitei para fora da porta do banheiro e rapidamente saí, andando pelo corredor, olhando para trás para certificar de que não estava sendo observada. Eu virei em uma esquina...

... e bati diretamente no peito impressionante de E.C. Mazen.

Deus, mate-me agora, por favor.

"Merda!" Exclamei, antes de perceber que eu tinha falado na minha voz normal. Deixei cair alguns tons. "Eu... uh... desculpe, cara." Eu o soquei no ombro e limpei meu lábio superior. "Não vi você".

Devo tê-lo socado mais forte do que eu pensava porque ele esfregou seu ombro distraidamente. "Não tem problema... é Billy, certo?" Ele perguntou.

Ele sabia o meu nome. Bem, não realmente o meu nome, mas o nome que eu estava usando em vez do meu nome.

Uau.

Eu mentalmente me sacudi. Eu tinha que acabar com esta paixão se eu tinha alguma esperança de avançar nas audições. Eu tinha certeza que tropeçaria em meus pés porque eu estava dando olhares intensos para o vocalista não conseguindo ir mais além.

Limpei a garganta. "Sim, isso mesmo. Você é E. C. Mazen." Eu tentei... realmente tentei não deixar a minha voz quebrar quando eu disse o nome dele. Acho que eu quase consegui.

Ele não percebeu, ou pelo menos fingiu que não. Ele estendeu sua mão e eu olhei para ela fixamente por um momento antes de perceber que ele queria apertar a minha. Peguei sua mão e tentei não saltar com o choque elétrico que senti da sua palma.

"Whoa." Ele disse, puxando sua mão. "Você esteve esfregando os pés no tapete, ou algo assim?" Ele riu, sacudindo sua mão um pouco.

Forcei uma gargalhada. "Acho que apenas tenho uma personalidade elétrica!"

Sério, Bella? Isso é o melhor que você consegue dizer?

Idiota!

E.C. sorriu com indulgência e foi continuar seu caminho. "Bem, vou vê-lo nas audições de dança, certo?"

"Sim... certo... até lá então." Eu disse sem muita convicção.

Ele deu alguns passos para longe mim, então se virou. "Você realmente pode cantar." Ele disse. "Você meio que me surpreendeu, cara".

Meus olhos arregalaram. "Sério?"

Ele assentiu. "Sério. Mas posso oferecer-lhe um conselho, porém?"

"Claro... sim... é claro." Eu gaguejei.

"Bem, a banda passou por essa merda ultimamente, você sabe, com Ben e tudo." Ele começou.

Eu tinha ouvido os rumores. Todos tinham ouvido os rumores. Eu não sabia onde E.C. queria chegar, no entanto.

"Então." Ele continuou desconfortavelmente, "A banda realmente não pode mais ter má fama na mídia".

Eu assenti, confusa.

"Eu só estou dizendo... se você quer estar na banda, você pode querer ficar fora do banheiro das meninas." Ele disse, dando de ombros.

Oh. Meu. Fodido. Deus.

Meu rosto ardeu. Meu coração disparou. Meu estômago caiu. Minha voz desapareceu.

"Ok." Eu chiei.

E E.C. Mazen virou e foi embora sem dizer mais nada.

~ E.C. ~

Estávamos reduzidos a dez caras para as audições de dança. Marty os tinha dividido em grupos de cinco para aprender a coreografia e, em geral, eles foram muito bem. Dois deles eram bons, mas nem de perto o suficiente. O resto parecia que qualquer um deles faria.

"Faria" não era o que Marty queria ter, no entanto. Ele tinha alguns critérios seletos que, aparentemente, apenas ele e os representantes que selecionavam estavam a par. Então, por volta das quatro horas, ele reduziu de dez para três: Joey Johnson, BJ Loving (um nome que eu sabia que Marty mudaria se ele estivesse no grupo), e Billy Swan.

Swan era a minha preferência pessoal. Eu não sabia nada sobre ele, mas havia algo que me dizia que ele era especial.

Senti-me um pouco mal chegando nele sobre o banheiro feminino. Quero dizer, ele era apenas um garoto e tenho certeza que ele estava apenas curioso, mas, inferno era para o seu próprio bem. Se Marty o pegasse fazendo essa merda, não havia nenhuma maneira que ele teria uma chance. Marty não estava tomando mais riscos de merdas que fossem preocupantes.

O material de bad boy era de Jazz... o resto de nós tinha uma imagem a defender.

Depois de uma pausa para o lanche, Marty tinha todos nós no palco. Ele queria que cada um dos rapazes executasse uma música com o grupo para que ele pudesse ver como todos nós interagíamos. Depois disso, ele disse que ele iria... quero dizer, que nós tomaríamos a decisão.

Os possíveis substitutos tinham todos aprendido bem as partes de Ben e a coreografia de Don't Leave Me Baby, I Want Ya, então tomamos os nossos lugares e passamos a música um par de vezes com cada um deles. Vi imediatamente que Joey não daria certo. Ele parecia mais focado em pegar os holofotes para si do que em trabalhar como parte de uma equipe. Era uma espécie de dúvida entre BJ e Billy, pelo que eu poderia dizer. Embora, na minha opinião, Billy tinha as melhores mandíbulas para cantar.

Marty os dispensou, dizendo-lhes para esperar nos bastidores enquanto nós conferíamos isso. Eles se afastaram nervosamente e eu percebi Billy fazendo alguma coisa estranha com seu cabelo. Ele tinha suas mãos no topo da sua cabeça, quase como se estivesse segurando-o para baixo.

Estranho.

Dei de ombros e deixei-me cair na primeira fila com os outros caras e esperamos pelo veredicto de Marty. Eu poderia dizer que ele já fez sua decisão.

"B.J." Ele afirmou categoricamente.

Eu suspirei. "Billy é melhor".

"B.J. tem melhor aparência." Marty argumentou.

"Billy pode cantar".

"B.J. pode cantar".

"Não como Billy".

"Essa é a sua opinião".

"Isso é um fato".

Jazz limpou a garganta. "Uh... Marty?"

Marty olhou para ele com irritação. "O quê?"

Jazz moveu-se desconfortavelmente. "Eu meio que vi B.J. recebendo um... bem... um B.J.* no beco durante a pausa para o lanche".

*B.J.: Blowjob, que na tradução significa boquete.

Marty o fitou por apenas um momento antes de golpear sua prancheta no palco.

"Ok." Ele disse, "Será Billy".

~ Bella ~

Eu consegui.

Eu fodidamente consegui.

Eu estava dentro. Eu era o quinto membro da 5Point.

Eu não pude acreditar quando Marty – o meu novo agente, muito obrigada - disse-me que eles tinham me escolhido entre os outros dois outros caras. Eu assinei alguns papéis e me disseram para ir aos ensaios dois dias depois em um estúdio no centro da cidade.

Entrei no beco e soltei um grito. E não um grito gutural masculino, mas um grito feminino do tipo oh-meu-Deus-eu-não-posso-acreditar-nisso. Felizmente, o beco estava vazio naquele momento particular.

Claro, a primeira pessoa para quem liguei foi Alice. E a primeira coisa na minha lista de coisas a fazer era cortar o cabelo.

Eu lutei com a estúpida peruca através de toda audição, e não havia nenhuma maneira que eu seria capaz de lidar com isso depois que começássemos a ensaiar para a turnê.

A Turnê.

Quarenta e duas cidades em três meses... em todo o mundo.

Eu não podia acreditar nisso.

"Tem certeza que você quer passar por isso?" Alice perguntou, segurando a tesoura pronta acima da minha cabeça. Olhei para o meu longo cabelo castanho mais uma vez, dizendo adeus, e me preparei.

"Nada de arrependimentos agora." Eu respondi, fechando meus olhos. Eu os mantive fechados o tempo todo.

Depois de um tempo, o pentear e cortar pararam. "Tudo feito." Alice disse brilhantemente, e eu abri os olhos lentamente.

"Como está?" Perguntei timidamente.

"Vá para o banheiro e veja por si mesma." Alice disse com um sorriso presunçoso.

Ele realmente estava muito bom. Não muito curto, e Alice tinha dado estilo com algum gel, então parecia desgrenhado e com aspecto natural. Havia apenas dois problemas.

Um. Não parecia nada com a peruca que eu tinha usado para as audições.

Dois. Era exatamente como o cabelo de E.C. Mazen.

A cor era diferente, claro. O meu era simplesmente castanho. O dele era essa mistura louca de cobre, bronze e ouro. Mas o estilo era o mesmo.

Ele pensaria que eu era algum tipo de louca eu-quero-ser E.C.

Fantástico. Como se ele já não achasse que eu era uma aberração com todo o choque elétrico/encontro do banheiro.

"Bem." Alice saltou com entusiasmo para a porta do banheiro. "O que você achou?"

Dei uma olhada na sua expressão ansiosa e disse a única coisa que eu podia.

"Isso é perfeito".

~ xxxx ~

Eu estava nervosa como o inferno quando apareci no estúdio para o nosso primeiro ensaio, mas na verdade as coisas foram mais suaves do que eu poderia ter esperado. Todos os meus deveres de casa foram feitos e eu sabia muito bem todos os movimentos – e as letras – para as músicas do último álbum. Depois de uma semana, eu estava me sentindo muito mais confortável, tanto com a coreografia como com os outros membros da banda.

Jazz não era nem de perto tão rebelde como a Internet nos queria fazer acreditar. Ele era realmente muito agradável e, durante os ensaios, ele era calmamente focado. Emmett (eu soube que ele realmente odiava o nome E-Dog) era divertido e simpático, sempre disposto a me dar o que ele chamava de "apontadores de bocetas". Na verdade, todos eles falavam sobre bocetas – um monte.

Bem, exceto Jake. Ele ria com as piadas, mas eu tinha uma sensação de que ele não era tão interessado em bocetas. Mais de uma vez eu o peguei olhando ansiosamente para Mikey, o coreógrafo. Eu e ele parecíamos ter uma compreensão silenciosa, no entanto. Acho que ele me pegou dando um olhar igualmente ansioso para E.C. (que eu por sinal descobri que preferia ser chamado de Edward). Jake apenas pegou meu olhar e acenou secamente antes de se virar.

Ele pensava que eu era gay.

Perfeito.

Bem, poderia ter sido pior. Pelo menos ele não achava que eu era uma menina. Era isso que era tão estranho. Nenhum deles parecia sequer suspeitar que eu era qualquer coisa além do que eles esperavam que eu fosse: um rapaz de 18 anos de idade. Minha idade era um caso. Eu tive que mentir porque eu definitivamente não poderia ter preenchido o suficiente para parecer com a minha verdadeira idade, 21 anos, mas eu não podia dizer que tinha menos de 18 porque então eu precisaria de um pai para assinar todos os papéis. Alice tinha um amigo de um amigo que me forneceu uma identidade falsa e Cartão de Segurança Social (eu não perguntei). Para ser honesta, fingir ser um cara era muito mais complicado do que eu pensei que seria, mas para minha surpresa, eu parecia estar conseguindo isso.

Exceto quando se tratava de Edward. Ele nunca disse nada, mas de vez em quando eu o pegava olhando para mim de uma forma estranha e eu estava preocupada que ele suspeitasse de alguma coisa. Eu meio que esperava que ele me desse um tempo duro sobre o meu cabelo, mas ele apenas olhou para ele, sorriu e não disse nada.

Talvez ele achasse que isso era um elogio.

Eu me mudei para a casa que Marty tinha alugado para o grupo em Hollywood Hills. Era enorme e linda e tão além de qualquer coisa que eu já vi, quanto mais vivi. O quintal tinha uma piscina infinita e uma banheira de água quente e a vista das luzes da cidade à noite era incrível. Eu tinha um quarto só para mim que era maior do que o meu antigo apartamento, com um banheiro adjacente que me fez lembrar de Richard Gere em Uma Linda Mulher.

Eu realmente queria que Alice pudesse vê-lo. Talvez eu pudesse trazê-la aqui, dizendo que ela era minha prima, ou algo assim.

Eu realmente não tinha previsto todos os problemas que poderiam surgir por ter que ser um cara 24 horas por dia. Bem, eu tinha o meu quarto só para mim à noite, então eu podia relaxar (Leia-se: esfregar meus seios doloridos), mas o resto do tempo, era bandagem elástica e coceira. Eu tinha que me observar constantemente para certificar que eu mantivesse a minha postura correta, a minha voz baixa, e não dissesse nada para dar alguma dica sobre mim.

Para ser honesta, isso era meio cansativo. E eu escorreguei mais de uma vez.

O pior foi cerca de uma semana depois que me mudei. Os caras todos tinham saído e eu tinha a casa só para mim, ou assim pensava eu. Removi minha bandagem e deliciosamente relaxei, então fui tomar um banho no meu banheiro anexo. Quando saí, eu estava cansada e relaxada. Coloquei minha cueca boxer para dormir – que são surpreendentemente confortáveis, por sinal - e uma grande camiseta e estava prestes a deitar na cama quando minha porta se abriu.

Eu me virei, segurando meus braços sobre meu peito em reflexo.

"Merda!" Edward estava parado ali, parecendo exatamente tão surpreso quanto eu. Ele segurava um taco de baseball na mão e estava respirando pesadamente.

"Billy... cara. Desculpe por te assustar. Eu pensei que você fosse com os outros." Ele disse, baixando o bastão até que batesse no chão. "Ouvi barulhos aqui e pensei que alguém tinha invadido".

Tentei relaxar os braços sobre o meu peito sem revelar nada. Foi difícil, porque Edward não estava usando uma camisa... e vamos apenas dizer que os meus mamilos estavam definitivamente interessados em seus mamilos.

"Sem problema." Respondi. "Eu não sabia que você estava aqui também".

"Sim." Ele passou a mão pelos cabelos. "Eu realmente não me sinto bem para festa hoje à noite, sabe? Estou cansado".

Eu assenti com a cabeça uma vez, tentando ser casual. "Sim".

"Ok, entã." Edward disse, "Acho que te vejo depois".

Eu assenti e virei para pegar o meu edredom, estendendo para o outro lado da cama para pegar o travesseiro extra. Mas quando eu me virei, Edward ainda estava lá, encostado contra o batente da minha porta. Ele tinha um olhar estranho no rosto. Sua mandíbula estava apertada. Seu rosto estava vermelho. E ele parecia perdido em pensamentos.

"Edward? Você está bem?" Eu perguntei, segurando o travesseiro contra o meu peito.

Ele engoliu em seco e balançou a cabeça ligeiramente. "Sim." Ele disse com uma voz grave. "Sim, tudo bem. Eu só parei por um segundo." Ele disse, mas não encontrou meus olhos.

"Vejo você depois." Ele disse, virando-se rapidamente para ir até o final do corredor.

"Nos vemos." Eu disse atrás dele.

Eu fui extremamente cuidadosa em deixar a porta do meu quarto destrancada depois disso. Ainda assim, de vez em quando eu ficava tão relaxada que eu esquecia disso quando entrava, ou ria quando Emmett fazia uma piada de boceta, e eu recebia olhares curiosos de Edward ou Jake.

Em uma noite de sexta-feira após um dia especialmente longo dos ensaios, chegamos em casa exaustos, mas muito ligados para dormir. Tínhamos cerca de uma semana antes da data que a turnê começaria e nós estávamos todos animados. Eu estava mais do que um pouco nervosa, é claro. Não tanto pela performance como pela semana de imprensa que teríamos antes da turnê. Marty tinha ajeitado uma conferência de imprensa quando eu fui escolhido para entrar na banda, mas eu não tinha que realmente dizer alguma coisa. Com a rodada de entrevistas e aparições que ele tinha planejado, eu sabia que teria de responder algumas perguntas.

Eu não estava realmente ansiosa para isso.

Então, quando Jazz sugeriu que todos nos sentássemos ao redor da piscina e tomássemos uma bebida, em vez de fugir e dizer que eu estava cansada, como eu costumava fazer, sentei-me e o deixei servir-me um Jack e Coca-cola

Alguns, na verdade.

Eu estava me sentindo um pouco tonta – o que não era uma coisa tão boa quando você estava tentando esconder o fato de que você tinha seios e uma vagina – quando Emmett decidiu chamar algumas meninas que conheceram em um bar na noite anterior e convidá-las para se juntar a nós.

É claro, as meninas logo aceitaram – eu só tive tempo para mais um Jack e Coca-Cola enquanto estávamos esperando. Uma garota alta e linda que se chamava Rose sentou no colo de Emmett, e as outras três, Jessica, Lauren, e – esqueci o nome da outra... algo começando com um M – sentaram-se nas cadeiras extras do gramado. Jessica se aproximou e tentou falar comigo.

Isso meio que me assustou, na verdade. Ela lambeu seus lábios e empurrou seus peitos para fora (eu tive pouco de inveja disso, para ser honesta) e disse que eu era bonito e tentou tocar no meu cabelo.

Eeeewwwww.

Felizmente Jake veio ao meu socorro, levando Jessica até o bar para lhe dar alguma bebida.

Acho que ele imaginou que gays tinham que ficar juntos.

Eu me levantei, planejando ir ao banheiro, e oscilei um pouco quando fiquei em pé. Debrucei-me na parede das portas francesas, tentando clarear minha cabeça.

Então eu vi Edward.

Ele estava parado do outro lado da piscina conversando com... M... que seja... e ele estava sorrindo e rindo e tão incrivelmente lindo e brilhante e lambível.

Isso estava me matando.

Edward olhou para cima e pegou meu olhar. Ele pareceu surpreso por um momento, então a coisa mais estranha aconteceu.

Seus olhos escureceram... e seus lábios se separaram... e minha cueca boxer ficou imediatamente úmida.

Eu me virei e praticamente corri para o banheiro.

~ E.C. ~

Eu estava com problemas.

Problemas fodidamente profundos.

Quero dizer, eu era tudo sobre isso quando Marty colocou Billy na banda. Ele podia cantar e dançar e parecia ser um cara decente, deixando de lado a coisa toda do banheiro feminino. Billy se encaixava bem com o grupo. Inferno, ele sabia a coreografia melhor do que Ben, e Deus sabe que ele tinha uma voz melhor. Ele arrumou seu cabelo estranho. Ele era muito quieto. Lavava sua própria roupa e não deixava as coisas pela casa.

Eu deveria ter ficado feliz.

Em vez disso, eu estava... bem, eu não diria miserável.

Mais como fodidamente entrado em pânico.

Começou pouco depois de Billy começar os ensaios. Mikey estava trabalhando com Emmett, Jake e Jazz em algumas coreografias quando eles não estavam cantando, então eu estava ajudando Billy com alguns passos. De repente, eu simplesmente tive essa sensação... estranha.

Como se meu estômago fizesse essa coisa de cambalhota.

Eu não sabia o que fazer com isso. No início pensei que eu poderia ter uma úlcera ou algo assim. Eu realmente fui ao médico, mas ele disse que úlcera era mais como uma queimação, não como cambalhotas.

Eu me senti como um idiota, mas como diabos eu deveria saber disso?

Comecei a ter essa sensação mais e mais vezes... quando estávamos ensaiando... quando estávamos conversando em casa... mesmo quando estávamos nadando na piscina.

Era realmente as cambalhotas então.

O pior foi quando eu o peguei se preparando para dormir. Eu pensei que ele tinha saído com o resto dos caras, e quando ouvi um barulho em seu quarto, peguei meu taco pensando que talvez uma fã louca tivesse entrado na casa.

Eu abri a sua porta, e Billy se virou, surpreso. Eu me senti um idiota.

Mas foi o que aconteceu depois que realmente me preocupou.

Billy virou-se, obviamente pensando que eu tinha saído, e ele se inclinou sobre a sua cama, sua camiseta subindo um pouco quando ele estendeu para o travesseiro.

E eu não consegui desviar o olhar.

Eu estava olhando para a sua bunda. Eu estava olhando para a bunda de um cara.

E não era só o meu estômago dando cambalhotas de novo... mas eu estava sentindo um certo aperto revelador na minha calça que não deixava dúvidas quanto ao que eu estava sentindo.

Eu estava ficando excitado.

Por um cara.

Ele virou e perguntou-me se eu estava bem e eu simplesmente saí de lá o mais rápido que pude. Dizer que eu estava apavorado era o mínimo.

Quero dizer, não era como se eu fosse um homofóbico, nem nada. Eu não tinha problema com as pessoas sendo gay. Afinal, eu tinha 99% de certeza que Jake era gay e ele era um dos meus amigos mais próximos.

É só que eu nunca pensei que eu poderia ser gay.

Toda a minha vida eu estive cercado por garotas. Eu realmente não entendia, mas eu nunca tinha tido um problema obtendo encontros nem nada. Quando entrei no 5Point, ficou ainda mais fácil. Quero dizer, as meninas estavam saindo da toca depois disso... para todos nós, não só comigo.

Agora, eu não estou dizendo que eu era algum tipo de demônio de boceta nem nada. Eu não dormia com todas as tietes que apareciam. Mas eu não era exatamente um santo também. E todas as minhas parceiras sexuais tinham uma coisa em comum.

Uma vagina.

Então, quando eu me encontrei ostentando uma ereção com a visão da bunda de Billy vestida-com-boxer, eu estava, em uma palavra, confuso.

E quando deitei na minha cama e descobri que a ereção tinha ganhado força, era ainda mais preocupante.

Especialmente quando eu continuei imaginando a bunda de Billy... e suas pernas... e seu sorriso.

Porra.

Eu finalmente cedi e decidi tentar uma ducha fria, mas não pareceu funcionar muito bem. Olhei para baixo e o Pequeno Ed simplesmente olhava de volta para mim acusadoramente.

Você sabe o que quer, ele zombou.

Não, eu não sei.

Sim... sim, você sabe. Eu juro que o meu pequeno pau sorriu um pouco. Bem, não pequeno. Você sabe o que quero dizer.

Então, sem alívio à vista, eu o esfreguei... e fingi que não estava pensando em Billy o tempo todo.

Isso tornou-se um padrão. Eu estava vivendo um segredo e não sabia quanto tempo eu poderia mantê-lo.

Nós ensaiamos juntos... eu ia para casa e me masturbava.

Nós íamos a um bar... eu ia para casa e me masturbava.

Nós nos sentávamos ao redor da piscina... eu ia até o banheiro e me masturbava.

Você pegou a ideia.

E o tempo todo eu estava lutando contra a ideia do que eu obviamente era.

Gay.

Então, a noite da festa na piscina aconteceu. Bem, não era realmente uma festa na piscina, tanto quanto uma noite quando estávamos entediados, bêbados, e Emmett chamava algumas tietes e as convidava para vir em casa. As meninas eram bonitas o suficiente, eu acho. Emmett tinham imediatamente reclamado direitos sobre a que chamava Rose. Ela era exatamente o tipo dele – alta, corpo... mal-humorada.

As outras três estavam risonhas e muito bêbadas quando chegaram. Notei a que chamava Jessica flertando com Billy e senti um calor estranho no meu estômago. Demorou um minuto para reconhecer isso.

Ciúme.

Ele a evitou, no entanto, e eu não pude lutar contra o sorriso enquanto ela foi até o bar com Jake.

"Olá." Uma das meninas se aproximou de mim. Eu não conseguia lembrar o nome dela, mas ela era bonita, com cabelo curto – meio vermelho com algumas mechas loiras – e um sorriso amigável. Ela estava usando uma camiseta branca com uma foto de alguns personagens de desenhos animados nela. Eu não queria olhar mais de perto porque ela acharia que eu estava verificando seus seios. Eles eram belos seios, eu acho. Minha mãe simplesmente me criou como um cavalheiro. Eu não olhava para peitos até que eu fosse convidado.

Veja, eu estava pensando em peitos. Isso não era uma prova de que eu não era gay?

"Oi." Eu sorri para a garota, tentando limpar meus pensamentos confusos. Com o canto do meu olho eu vi Billy se levantar da cadeira e meio que cambalear até a porta. Ele estava bastante bêbado e sua bunda ficava incrível naquele jeans.

Ok... um outro ponto para gay, eu acho.

"... você acha?" A garota da camiseta me fez uma pergunta, mas eu não tinha realmente escutado.

"Desculpe, o quê?" Eu perguntei, sorrindo e dando o meu charme em força total. Eu não queria ferir os sentimentos dela.

Ela corou. "Eu estava apenas pensando se você poderia nos dar ingressos para a noite de abertura".

"Oh." Eu assenti, tomando um gole da minha cerveja. "Claro... claro... sem problema".

Virei então e vi Billy encostado na parede, me observando. Não... não, ele não estava apenas me observando. Seus olhos estavam quentes... realmente escaldantes... escuros, um líquido quente jorrando em ondas das suas profundezas castanhas.

Luxúria.

Fôda-me.

Billy me queria. Senti o familiar aperto em meu jeans e sabia que não podia mais negar a verdade.

Eu o queria também.

Mas exatamente quando cheguei à essa conclusão, Billy virou-se e tropeçou para dentro da casa.

~ Bella ~

Merda! Merda! Merda! Merda! Merda! Merda!

Merda!

O que diabos eu estava pensando? Eu sabia melhor do que beber em torno dele. Eu sabia que me faria complacente e tornaria mais fácil para eu estragar tudo.

Deus, eu estava tão certa.

Edward me pegou olhando para ele. Ele me viu praticamente o fodendo com os olhos ali mesmo no pátio. Ele sabia como eu me sentia sobre dele. O que eu faria?

Corri para meu banheiro e bati e tranquei a porta, virando para afundar no chão com as costas contra ela. Obriguei-me a tomar várias respirações profundas.

Eu tinha que pensar com clareza.

O que era muito difícil quando você tinha cinco ou seis Jack e Coca-cola nadando através da sua corrente sanguínea.

Ou sete.

Ou talvez oito.

Esfreguei as costas das minhas mãos sobre meus olhos. Tudo bem. Talvez isso não fosse tão ruim. Então, Edward sabia que eu estava atraída por ele. Então ele pensaria que eu era gay. Jake era gay e não havia qualquer problema. Talvez tudo ficasse bem.

Claro. Poderíamos trabalhar através disso. Se ele dissesse alguma coisa, eu simplesmente diria a ele que eu estava no armário e que estava arrependido e que isso não aconteceria novamente.

Sim. Isso poderia funcionar.

Eu quase me convenci disso quando alguém bateu na porta do meu banheiro.

"Billy? É Edward." Ele chamou através da porta.

Eu mencionei: Merda!

Eu congelei, esperando que talvez se ele não me ouvisse no interior ele fosse embora.

"Eu sei que você está aí." Ele disse. "Deixe-me entrar, ok? Eu realmente acho que precisamos conversar".

Eu me levantei devagar, imaginando que era melhor acabar com isso, afinal. Ele diria, "Obrigado, mas, não, obrigado, cara." Eu diria, "Está tudo bem". Nós bateríamos os punhos, ou daríamos tapinhas nos ombros, e talvez pudéssemos ir além disso.

Abri a porta do banheiro e deixei Edward entrar. Ele encontrou meus olhos só por um segundo antes de eles caírem ao chão.

Ótimo. Isso seria estranho.

Eu amava a estranheza.

"Olhe, Edward..." Eu comecei.

"Só... espere..." Ele interrompeu, correndo as mãos pelos seus cabelos em agitação. "Tem sido difícil para eu chegar aqui. Quero dizer, eu tenho lutado contra isso por semana e eu acabei de meio que fodidamente entender alguma merda agora e se eu não disser isso logo, eu poderia perder minha cabeça, então você pode apenas me deixar dizer o que eu tenho para dizer?"

Uau. Isso era um monte de palavras em uma frase.

"Ok." Eu disse lentamente, imaginando onde ele estava indo com isso.

"Eu só..." Ele começou a andar no banheiro de um lado a outro, "Eu simplesmente não conseguia entender o que estava acontecendo, sabe?"

Eu realmente não sabia, mas eu não queria interromper.

"Quero dizer, com as cambalhotas e a úlcera..." Ele continuou, quase como se estivesse falando para si mesmo, "Bem, não era realmente uma úlcera, depois de tudo, mas acho que realmente, no fundo, eu sabia que... eu só não queria aceitar isso. Eu estava tão confuso e não sabia por que estava me sentindo assim... e então eu vi você lá no pátio..." Ele olhou para mim então e eu estava chocada com o olhar intenso em seus olhos.

O que no mundo estava acontecendo?

"Edward, do que você está falando?"

Suas mãos estavam de volta em seu cabelo. "Eu não sei o que estou dizendo." Ele gemeu. "Eu só sei... eu quero... eu preciso.."

E num piscar de olhos eu estava contra a porta e a boca de Edward estava na minha – quente e áspera e exigente. Suas mãos agarrando meus ombros, puxando-me para longe da porta e contra o seu peito. O beijo não foi suave... mas eu descobri que não o queria suave. Eu ofeguei e sua língua mergulhou, deslizando contra a minha... então ele a chupou e meus joelhos fraquejaram.

Ele era implacável.

As mãos de Edward se moveram em torno das minhas costas, pressionando-me mais firmemente contra ele, enquanto ele continuou seu ataque na minha boca. Eu estava queimando... perdida em um frenesi de luxúria e querer irracional. Suas mãos deslizaram para agarrar minha bunda com firmeza e eu gemi alto... o som ecoado por Edward um momento depois.

Seus lábios caíram para o meu pescoço, sua barba por fazer arranhando a minha pele deliciosamente enquanto ele puxava meus quadris contra os seus. Eu podia sentir sua ereção dura contra o meu estômago e ele começou a empurrar-se contra mim inconscientemente. O movimento combinado fez uma onda de calor e umidade correr para o meu centro e eu não pude evitar empurrar de volta contra ele, contorcendo-me contra a sua dureza em uma busca desesperada por atrito.

Então ele parou. Exatamente assim ele parou, congelado no meio do impulso e com sua língua ainda no meu pescoço. Seus quadris avançaram mais uma vez hesitantemente e uma lâmpada clicou sobre a minha cabeça cheia de luxúria.

Ele percebeu que algo estava faltando.

A mão direita de Edward deixou a minha bunda e varreu lentamente ao redor para o meu jeans.

"Edward, eu..." Mas eu não terminei. Era tarde demais. Ele sabia.

Sua mão mergulhou entre as minhas pernas e pressionou levemente. Apesar da minha vergonha, eu não pude reter um gemido baixo e arqueei para a frente um pouco na sua mão.

Seus olhos encontraram os meus, mas ele não moveu sua mão.

"Não é Billy, não é?" Ele perguntou calmamente.

Engoli em seco. "Bella".

Ele assentiu. "Bella." Ele repetiu.

~ E.C. ~

Billy era uma menina.

Ele enganou todos nós. Ele era a porra de uma menina.

Eu sabia que deveria estar irritado... e, no fundo, eu provavelmente estava. E em algum momento no futuro, Billy – quero dizer, Bella – e eu teríamos que falar sobre todas as mentiras e o que diabos isso poderia significar para a banda, sem falar para nós dois.

Mas naquele momento apenas um pensamento passou pela minha cabeça. Bem, na verdade, dois.

Eu não sou gay.

E

Deus, ela era realmente boa.

Então, em vez de gritar com ela, ou empurrá-la para fora do caminho com raiva e sair do quarto, eu coloquei de lado todas as merdas que eu deveria estar sentindo.

E eu a beijei novamente.


Fic nova! Como vocês podem perceber o capítulo é enoooooorme e todos os capítulos dessa fic são assim, então ela será postada +/- de 15 em 15 dias.

Eu amo essa fic, a Bella correndo atrás do que quer mesmo que seja de uma maneira não tão correta, e o melhor o Edward ja descobre logo quem ela é de verdade, e vai claro, ajudá-la no seu plano tanto quanto puder.

Essa fic é muito divertida, me arranca boas risadas, e espero que vocês gostem.

Comentem please!

Eu estarei postando as minhas outras fanfics com o tempo, estou tendo muitos problemas com internet e com o meu computador... o que está atrasando meus planos

Beijos

xx