JUST ONE OF THE BOYS

Sinopse: Bella está morrendo para entrar no mundo musical, mas é frustrada em cada tentativa. Quando a boy band 5Point abre as audições, essa poderia ser sua grande chance. É claro que, primeiro, ela tem que convencê-los de que é um menino... E esconder sua grande paixão pelo vocalista dos sonhos.

Disclaimer: A história pertence a TKegl, Twilight e os personagens a Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução.


Capítulo 14 – Leve A Dor Embora

(Tradução: Bruna Gabriele)

~ Bella ~

Deixei o quarto de Edward nas primeiras horas da manhã, sabendo que eu precisava arrumar as malas e estar no meu quarto quando o ônibus da turnê chegasse. Então, foi com olhos sonolentos e passos lentos que eu segui o carregador até o elevador quando era pouco depois das seis da manhã, carregando minha mochila sobre o meu ombro. Eu resmunguei para Emmett quando ele se juntou a mim, e ele socou meu ombro de brincadeira.

"O que foi, Mini B?" Ele perguntou. "Você parece uma merda."

"Obrigado." Eu resmunguei, deslizando meus óculos de sol sobre os meus olhos.

"Não dormiu bem?" Ele enfiou a mão no bolso e pegou um Mentos, jogando dois na boca e mastigando ruidosamente.

Eu o encarei, decidindo tentar a tática de Edward. "Columbo de novo, hein?"

Emmett apenas riu. "Bem, você pode sempre dormir no ônibus".

"Você acha?" Eu perguntei. "Eu nunca estive em um ônibus de turnê antes. Eu pensei que seria barulhento."

"Nah." Emmett respondeu, mastigando outro Mentos. "É como um hotel sobre rodas, cara. Você vai amar."

Eu não amei.

Não é que o ônibus não fosse luxuoso, porque definitivamente era. Dois sofás de couro bege ladeando uma grande TV de tela plana com um sistema completo de som na frente do ônibus. Atrás disso, uma reluzente cozinha completa com duas minigeladeiras, balcões de granito e utensílios de aço inoxidável ocupavam ao longo de uma parede, em frente a um banheiro bastante impressionante. Uma fileira de beliches ocupava ambos os lados do estreito corredor depois da cozinha, levando até uma sala menor, arrumada com uma segunda TV de tela plana, vídeo games, um leitor de Blu-Ray e ainda um outro sistema de som.

Então, sim. O ônibus era incrível.

Mas eu o estava compartilhando com quatro rapazes barulhentos e fedidos. Por uma semana inteira.

Não me interpretem mal. Eu amava a banda… cada um em seu próprio quarto. Onde eu não tivesse que cheirar suas meias sujas e encontrar suas roupas íntimas descartadas no chão, e descobrir os presentes que eles deixavam sem dar descarga no banheiro.

Sim. Eu sei. Nojento.

E eu tinha que agradecer a Edward por isso, aparentemente. A turnê pela costa foi ideia dele. Ele sugeriu a Marty que seria bom para a banda voltar a ter contato com suas raízes. Reproduzir alguns mergulhos ao longo do caminho conforme nós dirigíamos para Seattle… lugares pequenos com divulgação mínima...e sem a 4-Square.

Edward tinha sido muito inflexível sobre essa parte. Eu estava realmente feliz por isso, porém. A única coisa que teria feito a viagem ainda mais infernal seria ter J.J. ao redor.

Marty, é claro, foi voando para Seattle. Ele provavelmente estava descansando em alguma piscina, enquanto eu me sentava esmagada entre Jasper e Jake, assistindo-os jogando Call of Duty. A equipe de filmagem estava capturando tudo para um documentário da MTV… ou Rockumentario. Eles ainda chamam assim? Eu não tinha certeza. De qualquer forma, as câmeras nos seguiam todos os dias, então eu tinha que estar "ligada" 24 horas por dia, sete dias por semana. Sem tempo para Bella. Sem tempo para Edward. Sem pausa da minha estúpida atadura Ace, exceto tarde da noite escondida em meu beliche minúsculo com a cortina fechada.

E, em cima de tudo isso, minha menstruação começou.

Sim. Tente esconder isso em um ônibus cheio de homens!

Alice me trouxe suprimentos – graças a Deus, já que eu não podia simplesmente entrar em uma farmácia para comprar absorventes e Midol estes dias – e eu os mantinha escondidos perto de mim em todos os momentos na minha mochila. Minha mochila Secreta da Bella, onde eu guardava todas as coisas que eu nunca poderia deixar ninguém ver.

Como absorventes… e pílulas anticoncepcionais... (eu não sei quem estava mais animado sobre isso, eu, ou Edward)... e meu RG verdadeiro – apenas no caso de eu morrer, ou algo assim. Achei que, se a verdade viesse à tona depois que eu estivesse morta, realmente não importaria quem descobriu.

Minha mochila de Bella estava ficando muito cheia ultimamente, com a adição da minha lingerie sexy e os saltos altos que Edward amava. E agora eu mantinha um pequeno cadeado nela depois que Jasper a pegou um dia, procurando um isqueiro.

Essa foi por pouco. Eu tinha certeza que minha gritaria sobre ele precisar "ficar de fora da minha merda, e por que ele não parava de fumar, de qualquer maneira, porque é muito ruim para a sua saúde" provavelmente o assustou pelo resto da vida. Edward apenas sorriu e acendeu seu próprio cigarro, entregando seu isqueiro para Jasper sem uma palavra.

Então, Jasper basicamente pensava que eu era louca. E muito contra cigarro.

Pelo menos isso o manteve longe da minha mochila. E agora ela nunca, nunca ficava fora da minha vista.

Nunca.

Eu não tinha certeza do que aconteceria na próxima vez que tivéssemos que pegar um avião para algum lugar, no entanto. Os agentes do aeroporto me barrariam por causa de um par de sapatos de salto alto?

Poderia ser um problema. Eu poderia ter que deixá-los para trás quando fôssemos embora de Seattle.

Edward ficaria devastado.

Olhei para ele no outro sofá, recostado e dedilhando uma música em um violão. Ele estava irritado também, e ele não podia culpar seu humor na TPM.

Bem, nem eu... pelo menos não oficialmente.

Não. Edward apenas tinha um bom e velho caso de bolas azuis. E ele não estava nem um pouco feliz com isso também.

Ele bateu um acorde desafinado. "Quanto tempo vamos ficar nesta porra de ônibus?" Ele rosnou.

"Isto foi ideia sua, em primeiro lugar." Eu respondi irritada.

Edward apenas me encarou em resposta. Levantei-me e peguei o violão dele, dedilhando alguns acordes aleatórios enquanto sentava na extremidade oposta do sofá. Seus olhos estreitaram enquanto eu cantarolava uma melodia que vinha me assombrando desde que chegamos no ônibus.

"O que é isso?" Edward perguntou.

Eu dei de ombros, cantando alguns versos.

The walls are closing in on me
The pain's too much to bear
Like knives buried inside of me
Lost in dark despair
The blackness falling down on me
So dark, I cannot see
No sunshine at the break of day
Just take the pain away
Just take the pain away

As paredes estão se fechando em mim
A dor é demais para suportar
Como facas enterradas dentro de mim
Perdido em um desespero sombrio
A escuridão caindo sobre mim
Tão escuro, eu não posso ver
Nenhum sol no fim do dia
Apenas leve a dor embora
Apenas leve a dor embora

Eu errei um acorde e bati meus dedos contra as cordas, entregando o violão de volta para Edward. Ele piscou para mim em surpresa e eu me virei para ver Jake e Jasper usando a mesma expressão.

"Uau." Jasper disse. "Isso foi… intenso." Ele limpou sua garganta. "Talvez um pouco emocional para uma boy band?" Ele parecia com um pouco de medo de mim, por algum motivo.

"Não que seja ruim." Jake interveio. "Apenas um pouco... sombrio".

Eu dei de ombros. "Não é tudo sobre chiclete pop e ooh, ooh, baby." Eu sabia que estava sendo uma puta, mas eu simplesmente não conseguia parar.

"Não." Edward disse suavemente enquanto os caras voltavam para o seu jogo. "É uma boa música. Talvez possamos apenas alegrá-la um pouco?" Eu sabia que ele estava tentando me apaziguar, o que foi incrivelmente irritante.

Aqui está o problema. E eu acho que a maioria das mulheres me apoiaria nisso. Na maior parte, nós sabemos quando nossos hormônios estão nos fazendo agir de forma irracional.

Nós simplesmente não damos a mínima.

"Alegrá-la?" Eu repeti, não fazendo nenhum movimento para esconder minha irritação. "Esqueça. Prefiro vendê-la para alguém que possa apreciar a ironia poética".

"Ironia?" Edward levantou uma sobrancelha.

Eu não tinha nada. Não foi irônico. Era uma canção sobre a minha menstruação. Tanto faz.

Então, eu fiz a única coisa que podia.

Eu blefei.

"Se você não pode ver, eu não posso fodidamente explicar para você," Eu disse arrogantemente. "Talvez Alanis Morisette ficaria interessada."

A sobrancelha dele levantou impossivelmente mais alto, e eu suspirei.

"Desculpe." Eu murmurei, sem animo e irritadiça.

"Relaxem, rapazes." Jake disse, seus polegares trabalhando no controle de modo selvagem. Ele olhou para cima quando o cinegrafista e o produtor da MTV vieram pelo corredor, aparentemente terminando de filmar Emmett e Mikey assistindo Se beber Não Case 2... de novo.

Eu tinha certeza de que teria algumas cenas cintilantes. Sim. Eu fico sarcástica quando estou com cólicas. Culpe-me.

A distração fez Jake morrer, e Emmett gritou de alegria. Jake jogou o controle em uma pequena mesa. "Parece que estamos parando." Ele disse, olhando pela janela. "Onde nós estamos, afinal?" Ele gritou para o motorista.

"Red Bluff." Ele respondeu, estacionando. "Nós estamos parando apenas para abastecer, então vamos em direção a Eureka para o show de hoje à noite".

Na noite anterior, nós tocamos na Blue Lamp em Sacramento, e então fomos para o norte depois de um rápido desvio em Burlingame para visitar o Museu Pez*.

*O Museu Pez Memorabília de Burlingame, localizado em Burlingame, Califórnia, abriu em 1995 e é dirigido por Gary e Nancy Doss, que estiveram coletando distribuidores do doce Pez por mais de uma década. O museu afirma ter um exemplar de cada distribuidor de Pez já vendido. O casal Doss inicialmente administrava uma loja de informática e exibiam alguns dos seus distribuidores na loja, quando descobriram que os clientes estavam mais interessados nos distribuidores do que nos computadores.

Jasper tinha uma obsessão com Pez*. Eu não entendia isso, mas ele era como uma criança em uma loja de doces. Literalmente.

*Pez: é o nome da marca de um doce austríaco e seu recipiente mecânico de bolso.

Foi meio divertido. Eles abriram o lugar tarde para nós, portanto, nós eramos os únicos lá, e depois disso, todos nós nos abastecemos com doce e fomos embora com overdose de açúcar. Acho que Jasper poderia estar alto de outra maneira também. Ele comeu mais Pez do que o resto de nós.

Terça-feira à noite significou tocar no Pearl Lounge em Eureka. Nós continuamos nosso caminho pela costa antes de virarmos para o interior e tocar em um pequeno bar chamado Diablo, em Eugene, no Oregon... em seguida, para o Thirsty Lion em Portland na noite de quinta-feira.

Ou talvez o Thirsty Lion fosse em Eugene e o Diablo em Portland. Eu estava tendo dificuldade em acompanhar.

"Você vem, B?" Jake perguntou, parando ao lado da porta do ônibus.

"Sim." Peguei minha bolsa, seguindo-o para fora no calor sufocante.

Entramos na pequena loja de conveniência – mais para fugir da temperatura de quase 40 graus do que qualquer outra coisa. O ônibus estava totalmente abastecido com lanches e bebidas. Eu decidi que seria um bom momento para discretamente cuidar de alguns negócios, porém, então eu sai e virei em torno do canto para o banheiro quando ninguém estava olhando.

Eu sei que é nojento, mas tentar esconder sua menstruação faz você ficar paranoica. Você enrola as coisas duas vezes, três vezes e enfia tudo para o fundo da lata de lixo… e você procura por qualquer oportunidade para se livrar das provas.

Como banheiros de postos de gasolina.

Eu rapidamente fiz o que tinha vindo fazer, lavei minhas mãos e bloqueei minha mochila de forma segura, fazendo o meu melhor para não tocar nas paredes. Agarrando uma toalha de papel, eu abri a porta...

... apenas para ser empurrada rapidamente de volta para dentro.

"Edward?" Eu tentei recuperar minha respiração, segurando minha mochila contra o meu peito enquanto Edward trancava a porta atrás de nós. "Você me assustou completamente".

"Nós não temos muito tempo." Ele sussurrou, cobrindo meu rosto em suas mãos e inclinando-se para me beijar. "Deus, eu senti sua falta".

Eu ri. "Nós estivemos juntos a cada minuto."

Ele me beijou novamente. "Você sabe o que eu quero dizer".

"Sim." Eu levantei nas pontas dos meus pés, uma mão automaticamente derivando para o cabelo dele.

Edward envolveu seus braços em torno da minha cintura, em seguida, olhou para baixo, franzindo a testa para a minha bolsa entre nós. "Você pode colocar essa coisa para baixo?" Ele perguntou.

"Neste chão?" Eu fiz uma careta. "É nojento".

Ele a tirou de mim, colocando sobre o ombro e me puxando para perto. "Esté me deixando louco," ele disse entre beijos molhados, "saber que você está dormindo tão perto, mas eu não posso tocá-la".

"É só por uma semana... mais três dias, na verdade".

"Muito tempo." Ele rosnou, suas mãos deslizando para a minha bunda e pressionando-me contra ele firmemente antes de levantar uma coxa sobre o seu quadril. Ele empurrou contra mim lentamente, beijando profundamente... seduzindo-me com o seu toque... seu gosto... seu cheiro. Sua outra mão deslizou sob a minha camisa, acariciando a minha pele, e minha cabeça caiu para trás e ele lambeu e chupou meu pescoço.

E, claro, meu abdômen escolheu esse momento para começar com cólicas, lembrando-me que semana era essa – e fazendo-me me preocupar se meu absorvente estava no lugar, e se era realmente tão "super" como a caixa proclamou.

Ugh.

"Edward..." Eu gemi. "Nós não podemos..."

"Por que não?"

"Você sabe por quê".

Ele gemeu, respirando pesadamente, sua testa na minha, antes de recuar. Eu me senti culpada, por algum motivo. Culpada que meu útero estúpido escolheu esse momento para ser o empata foda da minha vida amorosa.

Porque se não fosse pela minha menstruação... e o fato de que o resto da nossa banda estava provavelmente esperando do outro lado daquela porta... eu totalmente me aproveitaria de E.C. Mazen em um banheiro sujo de posto de gasolina.

Eu desci tão baixo.

Olhei para o chão, meio considerando cair de joelhos para pelo menos cuidar das coisas para Edward.

Mas... ecaaa... o que era aquela coisa molhada?

Não. Eu simplesmente não conseguiria fazer isso. Eu suspirei. Os ombros de Edward caíram. Evidentemente, ele sabia o que eu estava pensando. Acho que os caras tinham uma especie de sexto sentido, ou algo assim, quando o assunto era boquete.

Ele se inclinou para me beijar mais uma vez. "Eu sairei primeiro." Ele disse calmamente. "Vejo você no ônibus".

Eu o observei, abatido e com tesão, e senti uma pontada de tristeza. Então, exatamente assim, uma cólica me atingiu e a tristeza se transformou em irritação.

Quem sabia por quê? Simplesmente aconteceu.

Então, eu peguei um par de Midol da minha mochila, engolindo-os sem água porque não havia nenhuma maneira que eu colocaria minha boca perto da torneira desse banheiro, e saí do banheiro úmido, entrecerrando os olhos sob o sol brilhante.

Eu virei a esquina, apenas para ser recebida por um som familiar de uma câmera zumbindo. Levantei a cabeça para encontrar uma SUV preta estacionada do outro lado da rua, uma lente grande apontada na minha direção.

Cabeça abaixada, corri para o ônibus, subindo a bordo, sem fôlego.

"É o Espasmo?" Eu perguntei, encontrando os outros já esperando.

"Sim." Jasper respondeu, olhando para fora pela janela fumê e jogando um Pez em sua boca, de um dispensador do Incrível Hulk. "Parece que ele decidiu ficar com a gente por um tempo. Espero que você não estivesse fazendo nada constrangedor, B." Ele sorriu, mastigando seu doce.

Eu forcei uma risada e me impedi de olhar para Edward em pânico. Espasmo tinha visto Edward saindo do banheiro... logo antes de eu sair do banheiro? Do ângulo dele, ele poderia ter nos visto apenas virando a esquina. Então, não havia nenhuma maneira que ele pudesse saber com certeza que nós dois estávamos no banheiro, certo? E mesmo se ele achasse que estávamos, talvez estivéssemos apenas fumando... ou compartilhando um mictório... ou usando cocaína...

Ok, eu estava sendo otimista.

"Isso é uma coisa normal?" Eu perguntei casualmente. "Ele nos seguindo assim? Ele não fica apenas em L.A.?"

Emmett deu de ombros. "Eu já o vi em Nova York algumas vezes." Ele disse, agarrando o dispenser do Pez de Jasper e jogando alguns em sua boca. "Mas ele não costuma viajar com a gente. É um pouco estranho".

Estranho.

Estranho tipo ele-suspeita-de-algo? Ou estranho tipo ele-não-tem-nada-melhor-para-fazer-porque-nenhuma-celebridade-interresante-vai-sair-da-reabilitação-essa-semana?

Meu celular vibrou no meu bolso, e eu olhei para ele, tentando esconder minha surpresa que a mensagem veio de Edward. Ele estava encolhido com seu laptop, fingindo prestar atenção nele, mas eu percebi que ele tinha seu próprio telefone escondido em seu colo.

Precisamos ser mais cuidadosos.

Eu não respondi. Eu apenas assenti levemente e coloquei o telefone de volta no meu bolso, pegando um controle e desafiando Emmett para uma partida de Call of Duty.

~ E.C. ~

Espasmo aparecendo na porra de Red Bluff na Califórnia me deixou nervoso. O que me deixou ainda mais nervoso foi o fato de que ele estava aparentemente nos seguindo desde que saímos de LA, e nenhum de nós tinha notado.

Mais de 24 horas onde pensávamos que ninguém estava olhando. Perguntei-me o quanto ele tinha visto através das enormes lentes daquela câmara.

Tinha sido um eufemismo enorme quando eu mandei uma mensagem para Bella dizendo que precisávamos ser mais cuidadosos. Com Espasmo observando, não podíamos nos dar ao luxo de cometer erros.

Como sair de um banheiro juntos.

O que eu estava pensando?

Obviamente, eu não estava. Foi tudo o Pequeno Ed. O sacana assumia nos momentos mais inconvenientes, eu juro.

Não foi só ele, no entanto. Eu realmente sentia falta de apenas conversar com Bella – ela e eu – sem os outros ao nosso redor. Eu sentia falta de tocá-la... segurar sua mão... beijá-la.

Eu não mentirei. Eu sentia falta do sexo também. Muito.

Eu sentia falta de tudo. E cada hora na porra do ônibus era como sal na ferida.

Eu era um maricas.

Os dias seguintes foram um inferno. Bem, isso pode ser um pouco de exagero. Nós passamos horas no ônibus, fizemos alguns passeios, tocamos em shows todas as noites e observamos o Oceano Pacífico passar enquanto voávamos pela costa em direção a Seattle. Eu usei a porra do vestido da Ginger Spice novamente no show em Portland – para Tanya Duas Caras, nada mais. Os caras acharam isso histérico. A multidão amou. Bella e eu inventamos uma história sobre nós apostando em um jogo de Palavras com Amigos. Claro, isso significava que nós dois tivemos que baixar o aplicativo... e então todos queriam jogar conosco.

Eu fodidamente odiava esse jogo.

Mas no geral a turnê era meio que... relaxante, por falta de uma palavra melhor. Teria realmente sido ótima se eu não tivesse que ficar longe de Bella. Nós simplesmente não podíamos mais arriscar quaisquer encontros clandestinos. Espasmo parecia estar em cada esquina – ele dirigia atrás do ônibus, parando quando parávamos, ficando ao redor nos lugares durante os ensaios e nos bastidores durante os shows. Ele dormia em seu carro e estava simplesmente em todos os lugares – e se eu não o via, isso me deixava ainda mais paranoico. Eu meio que temia que ele sairia do banheiro do ônibus a qualquer momento.

Eu simplesmente não podia entender por que.

Por que ele estava tão persistente? O que ele estava esperando conseguir?

Eu poderia dizer que Bella estava tão impaciente quanto eu. Até mesmo Jake parecia sentir isso, dizendo para nós dois "ficarmos calmos" em um sussurro abafado quando ambos nos assustamos como loucos quando ele entrou no camarim em Portland.

"Está quase acabando." Ele disse, mantendo o olho na porta por causa de Jasper e Emmett. "Será melhor assim que chegarmos a Seattle. Espasmo ficará entediado e irá embora".

Eu esperava que ele estivesse certo.

Ele não estava.

Chegamos em Seattle na sexta-feira à tarde para encontrar uma multidão reunida e gritando em frente ao Hotel W, assim como os fotógrafos habituais e meios de comunicação locais. Espasmo pareceu irritado quando a polícia o impediu de nos seguir para a porta, em vez disso, mandando-o se juntar aos outros fotógrafos de tabloides na rua.

Eu posso ter sorrido para isso.

Claro, nós devíamos ao cara depois da coisa toda com Jake e Mikey, mas ele estava realmente começando a me dar nos nervos. Eu suspirei quando vi Butch e Brick esperando na calçada, percebendo que isso não seria uma visita discreta. Eu meio que tinha esperança que poderíamos passar por Seattle despercebidos, e talvez eu pudesse ir verificar o EMP* – mas assim que entramos no saguão, eu sabia o que era todo o alvoroço.

*EMP Museum: é um museu dedicado à história e exploração da música popular, ficção científica e cultura popular localizado em Seattle.

"Ei, rapazes, bem-vindos à Cidade Esmeralda." Marty disse enquanto vinha em nossa direção, passando a mão sobre seu cabelo liso e seu bigode se contraindo. "Como foi a turnê?"

"Merda, Marty." Eu grunhi, ignorando a pergunta. "O que há com toda a mídia aqui? Eu pensei que teríamos uma noite de folga".

Marty apenas encolheu os ombros, mas não me olhou nos olhos. "Não olhe para mim. Alguém deve ter vazado isso".

Ele era tão cheio de merda. Eu sabia que Marty alertou a imprensa. Eu só não sabia se ele fez isso para promover a banda - "Mídia significa dinheiro, E.C."... quantas vezes eu tinha ouvido isso? - ou se ele ainda estava se vingando de nós sobre toda a coisa de Jake saindo do armário.

"Vamos lá, pessoal, eu mostrarei suas acomodações a vocês e os deixarei por dentro da programação para amanhã." Ele disse, nos levando para os elevadores.

E foi aí que tudo ficou muito mais brilhante, como se o sol tivesse finalmente saído de trás das nuvens.

Metaforicamente falando, é claro. Nós estávamos em Seattle, afinal.

Conforme entramos no elevador, Marty nos disse, "A equipe está no 22 e 23. Eu estou no 24 com a equipe de segurança e... Emmett, Jasper, Jake e Mikey – vocês estão no 25. Billy e E.C. - vocês estão no 26. Nós alugamos os andares para que vocês não sejam perturbados, e ambos os andares são acessíveis apenas com um desses." Ele entregou a cada um de nós uma chave dourada.

Demorou um pouco para assimilar, as palavras rondando em torno da minha cabeça como peças de um quebra-cabeça que eu tinha que montar.

Marty e seguranças no 24.

Jasper, Jake, Mikey e Emmett no 25.

Billy e E.C. no 26.

Billy... Bella.

E eu.

No 26.

Sozinhos.

E quando as peças finalmente se encaixaram, eu tive que resistir à tentação de sair em uma dança feliz no meio do elevador. Bella e eu estaríamos sozinhos. Nós teríamos um andar inteiro do hotel para nós, protegidos por uma chave mágica que ninguém mais tinha.

Fodidamente o céu.

Tinha sido uma longa semana, mas finalmente uma luz no fim do túnel... um pote de ouro no final do arco-íris... o fio de prata pendurado nas nuvens acima.

Eu faria sexo.

Muito sexo.

Finalmente.

Pelo menos eu esperava que sim. Eu arrisquei um rápido olhar de esguelha para Bella, imaginando se o seu visitante mensal havia deixado o prédio. Fazia cinco dias. Cinco longos dias. Isso foi o suficiente, certo?

Quer dizer, a menos que ela tivesse algum tipo de condição médica que fizesse isso durar mais tempo.

Porcaria. E se durasse tipo uma semana e meia?

Eu não sabia se poderia sobreviver.

Claro, mesmo se ela não estivesse completamente... pronta... não significava que não poderíamos fazer nada, certo?

Minha mente imediatamente explodiu em uma versão colorida do que ela tinha feito com sua língua no meu quarto de hotel com Emmett do lado de fora da porta. Eu rapidamente mudei minha posição, usando minha mochila para esconder a reação do Pequeno Ed à memória tão vívida.

Talvez ela fizesse isso de novo. Seria rude pedir?

Corri uma mão pelo meu cabelo, olhando para os números mudando lentamente no elevador e ignorando a tagarelice de Marty sobre os ensaios, checagem de som e entrevistas antes de ele sair no 24º andar. Butch e Brick, aparentemente, nos escoltariam até nossos quartos. Eu não me importava, no entanto, enquanto planejava minha estratégia.

Porcaria. Eu era um idiota por pensar assim?

Eu nunca estive nessa situação antes – onde eu estava realmente nervoso sobre se eu estava ou não fazendo a coisa certa. Quero dizer, Deus sabe, eu amaria se Bella entrasse no meu quarto e ficasse de joelhos.

Meus próprios joelhos se dobraram um pouco com o pensamento.

Mas – eu balancei a cabeça para apagar a visão – mas... isso era mais do que apenas se masturbar. Quero dizer, eu não queria foder as coisas com Bella por ser um homem das cavernas estúpido e exigindo um boquete. Ela significava mais para mim do que isso.

Mesmo assim...

Eu realmente queria um boquete.

Talvez eu pudesse ser sutil sobre isso.

Ah... desculpe, como isso saiu? Não... não, você não tem que... sério, eu estou bem... de verdade.

Bem, se você realmente quer...

Ei, isso poderia acontecer.

"O que é isso?" Bella perguntou, e eu percebi que não era a Bella da minha fantasia, mas aquela de pé do outro lado do elevador. Eu pisquei, percebendo que todo mundo estava olhando para a grade no teto... um pequeno espaço ao longo de um canto fez Butch e Brick nos empurrarem para trás enquanto eles giraram a chave no elevador, parando-o abruptamente.

"Quem está lá em cima?" Butch grunhiu, puxando uma arma do coldre em seu ombro e apontando para o espaço ameaçador.

"Isso é realmente necessário?" Eu sussurrei. Butch me encarou e eu rapidamente dei um passo para trás.

Negócio sério, aparentemente.

Brick deu a volta para o outro lado do elevador, acenando uma vez para Butch. Butch colocou sua arma no coldre, juntando os dedos para dar impulso para Brick. Ele conseguiu subir e se equilibrar nos suportes, trazendo-o perto o suficiente para olhar através da grade. Conectando um dedo através da abertura, ele deu um puxão rápido, saltando para o chão e apontando a arma para a abertura ao lado de Butch conforme ela pendurou aberta.

"Merda!" Bella engasgou. Todos olhamos para ela, e ela deu de ombros.

Era o que todos estávamos pensando.

A grade guinchou levemente enquanto pendia do teto, e todos nós olhamos para dentro da abertura para o buraco negro e cabos grossos.

"Bem, isso foi emocionante." Jasper disse com um suspiro.

"Shhh..." Butch levantou um dedo, fazendo um gesto com a mão para Brick, como fazem nos filmes de exército. Eles se posicionaram estrategicamente entre nós e a abertura antes de Butch gritar em voz alta.

"Nós sabemos que você está aí em cima! Apareça antes de começarmos a atirar!" Eu fiquei boquiaberto para eles, perguntando-me se eles realmente atirariam para cima em um poço de elevador, mas Butch apenas revirou seus olhos. Se isso significava que sim, ou não, eu não tinha certeza.

Um farfalhar suave derivou de cima de nós.

"Eu contarei até três." Butch disse, fazendo um show barulhento de desbloquear sua arma. "Um..."

Você poderia ter ouvido um alfinete cair.

"Dois..."

"Ok, ok! Eu vou descer. Não atire!" Uma voz guinchou nervosamente, e levou apenas um momento para eu reconhecer.

"De jeito nenhum." Emmett gemeu.

"Não pode ser." Jake acrescentou.

"O quê?" Bella perguntou, confusão evidente em seu rosto. "O que está acontecendo?"

Com um suspiro pesado, Butch e Brick guardaram suas armas.

"Desça, Ângela." Butch disse cansado.

O rosto dela espiou sobre a borda da abertura e ela olhou em volta timidamente.

"Cubra seus ouvidos." Eu disse para Bella.

"Por quê?"

"Confie em mim." E antes de eu terminar as palavras, um grito estridente rasgou através do elevador.

"AIMEUDEUS É A 5Point, EU AMO TANTO TODOS. VOCÊS SABEM QUE EU SOU A MAIOR FÃ DE VOCÊS E AIMEUDEUS, É BILLY!" Bella estremeceu enquanto Ângela continuou sem tomar fôlego, baixando-se sobre a borda da abertura para os braços à espera de Brick. "VOCÊ NÃO ME CONHECEU, MAS EU SOU UMA GRANDE FÃ. A MAIOR, SÉRIO. EU TENHO TODOS OS SEUS ALBUNS E, AIMEUDEUS VOCÊ É AINDA MAIS BONITO PESSOALMENTE!" Ela começou a respirar pesadamente, ofegando por ar.

"Lá vem." Eu murmurei.

"O quê?" Bella perguntou.

"Eu não posso...eu não consigo..." Ângela ofegou, seus olhos rolando para trás em sua cabeça.

E ela desmaiou.

Brick revirou os olhos e ajustou o jeito estranho que ele a estava segurando, cuidadosamente embalando-a contra o seu peito.

"O que aconteceu?" Bella se inclinou para frente, querendo ajudar, mas ainda um pouco atordoada com tudo. Eu não poderia culpá-la, na verdade. Ângela tinha esse efeito nas pessoas.

"Ela ficará bem." Jasper disse para ela. "Basta dar-lhe um segundo. Isso acontece o tempo todo".

"Sério?"

"Claro." Emmett disse com um sorriso, inclinando-se contra a parede do elevador. "Você não lembra quando contamos a você sobre ela?" Diante do olhar vazio de Bella, ele continuou. "Billy, conheça a Spiderfan".

"Ohhh." Bella finalmente disse com um aceno de cabeça antes de se virar para olhar Ângela ainda desacordada. "Ela é menor do que eu esperava".

"Não deixe o tamanho dela enganar você." Brick resmungou. "Ela é uma tonelada de problemas espremidos em um pequeno pacote".

"Eu não posso acreditar que ela subiu no poço do elevador." Bella olhou para cima pela abertura para os cabos em movimento. "Isso parece muito perigoso".

"Perigo é o nome do meio da Spiderfan." Jake disse com um sorriso, antes das portas do elevador se abrirem.

~ Bella ~

Marty e os seguranças nos escoltaram para os nossos respectivos andares antes de voltarem para seus próprios quartos, com a promessa de nos encontrarmos para o jantar.

"Nós temos segurança extra chegando amanhã." Marty nos assegurou enquanto segurava a porta do elevador aberta e subia suas calças. "Vocês não terão que lidar com violações como esta novamente. Não se preocupem." Ele encarou Butch e Brick, como se os culpando pela capacidade de Ângela acessar o elevador. Eles o ignoraram.

Eu tentei não sorrir. Ângela realmente não parecia ser uma prioridade, Código Vermelho. Eu tinha certeza que estávamos seguros.

"Sem problemas." Edward disse. Ele parecia distraído, seus dedos batendo nervosamente em suas pernas. "Nos vemos no jantar".

Ângela gemeu levemente, começando a se agitar nos braços de Brick.

"O que acontecerá com ela?" Eu perguntei, um pouco preocupada – e por alguma razão um pouco protetora da nosso fã indiscutivelmente louca.

"Vamos apenas levá-la para fora e deixá-la ir." Brick me assegurou. "Nós diremos a ela para não tentar de novo, ou nós teremos que chamar a polícia".

"Como se isso fosse impedi-la." Butch disse com um meio sorriso e aceno de cabeça enquanto as portas do elevador se fechavam. Eu tinha a sensação de que, apesar do seu comportamento rude, ambos os seguranças tinham um ponto fraco pela Spiderfan.

Talvez fosse respeito pela característica ninja dela – sua persistência eterna e inabalável dedicação para ficar perto de nós. Eu tinha acabado de conhecê-la e já podia ver que ela era quase como uma parte da grande louca família 5Point.

De repente, eu fui arrancada dos meus pensamentos – literalmente arrancada – quando Edward agarrou minha mão e arrastou-me pelo corredor.

"Edward?" Eu pulei, tentando acompanhá-lo. "O que está acontecendo?"

"Eu seria sutil." Ele murmurou para si mesmo, parando em frente ao seu quarto e se atrapalhando com a chave. "Foda-se a sutileza".

"Sutil sobre o quê?" Eu perguntei, um pouco sem fôlego. "O que está acontecendo?"

A fechadura da porta clicou e, com uma exalação vitoriosa, ele se virou para mim, olhando-me sombriamente por um momento. "Eu preciso de você." Ele disse calmamente.

Eu pisquei, sem ter certeza do que ele queria dizer. Ele estava tão sério... tão intenso. "Tudo bem... eu estou aqui." Eu respondi, mais do que um pouco cautelosa.

Seus olhos fecharam firmemente por um minuto enquanto ele respirava fundo, em seguida, ele deu um passo para mais perto, inclinando-se até seu cheiro me rodear, deixando-me um pouco tonta. Seus lábios roçaram os meus e ele estendeu a mão, seus dedos segurando em torno dos meus quadris firmemente.

Oh.

Oh.

Deus, eu era lenta às vezes.

"Eu preciso de você... agora." Ele quase rosnou.

Eu derreti. Eu adorava quando ele rosnava.

"Então," Edward continuou hesitantemente, dando meio passo para trás, "se você não quiser... se você não puder…" Ele corou, e eu sabia que estávamos na terra sem homem falando sobre o periodo menstrual de uma garota.

Não era um lugar bonito, e o pobre Edward não podia sequer me olhar nos olhos. Nós ficamos nus juntos mais vezes do que eu poderia contar, mas um lembrete de que eu tinha um útero, aparentemente, era a epítome do constrangimento.

Não que eu pudesse culpá-lo. Não era algo que eu particularmente quisesse discutir com ele também.

Então, eu fiz isso rápido. Passei meus braços em volta do seu pescoço e o beijei suavemente. "Eu estou bem." Eu disse.

O canto da boca de Edward curvou para cima. "É?"

Eu o beijei de novo, murmurando "mmmhmmm" contra a sua boca.

Ele se afastou somente para me puxar para dentro do quarto e bater a porta. "Graças a Deus." Ele gemeu, exatamente antes de segurar minha nuca, torcendo meu cabelo entre seus dedos e beijando-me profundamente. Minhas mãos, presas entre os nossos corpos, flexionaram contra o seu peito enquanto eu tentava me aproximar mais dele... ainda mais perto.

Tinha sido uma longa semana para mim também.

Edward arrancou minha camisa, puxando-a sobre a minha cabeça antes de fazer o mesmo com a sua e estendendo-se para o meu jeans com uma mão, minha bandaem Ace com a outra.

"Está com pressa?" Eu perguntei, uma risada morrendo em meus lábios quando seus longos dedos encontraram um seio, apertando suavemente.

Ele resmungou algo que soou como, "Você não tem ideia," pouco antes de abaixar sua boca para o meu mamilo e chupar profundamente. Nós tropeçamos para a cama, caindo nela com pouca atenção para outra coisa que não ficar com pele contra pele o mais rápido possível. Enrolados um no outro, nós gozamos em um coro de gemidos e suspiros... beijos e gemidos... apertos firmes e carícias suaves. E horas depois, exaustos, saciados e de banho tomado, nós nos aconchegamos juntos no elevador, dedos acariciando sob camisetas largas, lábios contra bochechas... pescoços... orelhas.

"Talvez pudéssemos apenas pedir serviço de quarto." Edward sugeriu. Mas nós dois sabíamos que não poderíamos levantar essa suspeita.

Diantt do som indicando que tínhamos chegado ao saguão, nós nos separamos com relutância, olhos trancados e com anseio.

Anseio. Sim, estávamos ansiando. Se eu fosse alguém nos observando, eu provavelmente ficaria um pouco enjoada.

Caminhamos através do saguão a uma distância respeitável um do outro, mas eu ainda sentia a força elétrica do corpo de Edward – e eu tive que me concentrar para não derivar em direção a ele e me envolver em seu calor mais uma vez.

Eu realmente queria. Eu estava viciada, e cada vez que eu tinha que deixá-lo era como passar por abstinência tudo de novo.

Patética. Apaixonada. Excitada.

Eu mencionei patética?

Ignorei a conversação em torno de mim durante o jantar, empurrando minha comida em volta do meu prato com indiferença. Uma colisão contra o meu pé me fez pular e meus olhos levantaram para encontrar Edward do outro lado da mesa. Ele sorriu, me fazendo sorrir.

"O que há de errado com você, B?" Jasper perguntou ao meu lado. "Você está doente?"

Eu dei de ombros. "Nah. Estou bem. Apenas cansado, eu acho".

"Eu pensei que você tinha acabado de tirar uma soneca".

"Acho que não foi longa o suficiente".

"Huh." Ele disse. Olhei para cima da minha batata cozida pulverizada para encontrá-lo me estudando atentamente. "Se você diz".

Estava na ponta da minha língua perguntar o que ele quis dizer com isso, mas na verdade, eu não tinha certeza se queria saber. Então, em vez disso, eu colei um sorriso no meu rosto e perguntei, "Você viu Espasmo por aí?"

Jasper balançou a cabeça, mas seus olhos derivaram lentamente para Edward antes de responder. "Não desde que chegamos aqui. Ele está lá na frente com os outros paparazzi, eu tenho certeza".

"Você já se acostumaram com isso? As câmeras sempre por perto, eu quero dizer?"

Jasper deu de ombros. "Você aprende a ignorá-las, eu acho. Mas você está sempre em alerta em público. Isso simplesmente se torna uma segunda natureza".

Eu fiz uma careta. Eu não acho que gostei do som disso.

Emmett se inclinou sobre a mesa. "Apenas sorria e acene, B. Isso é tudo que você tem que lembrar." Ele fez uma pausa, considerando. "Bem, isso e não cutucar o seu nariz".

"Ou pegar sua virilha." Jasper acrescentou.

"Ou pegar na virilha de outra pessoa." Jake disse com um olhar aguçado na direção de Emmett.

"Oh, Deus, que pesadelo." Marty murmurou. Mikey ignorou a conversa, focando em seu frango grelhado e legumes.

"O quê?" Emmett disse defensivamente. "Foi um acidente!"

"Sim, certo." Jake balançou a cabeça. "Você acidentalmente pegou no pau de outro cara?"

"Bem, eu com certeza não fiz isso de propósito!"

"Essa foto acabou no The Post." Jasper me disse. "Qual foi a manchete mesmo?"

"Eu acredito que foi E-Dog, Seu Cachorro!" Edward interrompeu. "Ou talvez essa foi no The Sun".

"Não." Jake corrigiu, "No The Sun foi McCarty Segura um Punhado".

"Ah, mas na The Enquirer foi melhor." Jasper disse através de uma risada. "Lembram?"

Todos eles sorriram. "Esquisito da 5Point Apalpa o Vocalista da 4-Square." Eles citaram em uníssono.

Eu fiquei boquiaberta. "Você apalpou J.J. Johnson?"

Emmett cruzou os braços sobre o peito, irritado. "Foi um acidente!"

"Você apalpou J.J. Johnson." Eu repeti, ainda incapaz de acreditar.

"Ele tropeçou!" Emmett exclamou. "E ele caiu na minha mão!"

"Claro." Edward disse, ofegante através da sua risada. "Continue dizendo isso para você mesmo".

"Você apertou?" Eu perguntei, incapaz de não provocar Emmett um pouco.

"O quê?"

"Quando ele caiu em sua mão." Eu esclareci, lutando contra o meu sorriso. "Você apertou?"

"Vá se foder".

"Levarei isso como um sim".

Jake e Jasper uivaram. Edward parecia que estava tendo dificuldade para respirar. Até mesmo Marty riu um pouco.

"Foi um reflexo!" Emmett gritou sobre as risadas.

"Desculpe, mas isso não é reflexo." Mikey disse calmamente. "Aprenda com quem sabe".

Nós todos olhamos para Mikey, que olhou de volta sério por um momento antes de abrir um sorriso. "O quê? Vocês são os únicos que podem dar merda para as pessoas por aqui?"

Todo mundo riu e Marty murmurou algo sobre ser o diretor de um grupo de alunos da primeira série, antes de levantar a voz para ser ouvido acima das nossas gargalhadas.

"Vamos apenas ter certeza que não tenha mais oportunidades de fotos para estes idiotas." Ele disse. "Nós finalmente nos recuperamos do… incidente... de São Francisco." Ele disse, olhando brevemente para Jake e Mikey. "Nós não precisamos de mais nenhuma polêmica, ok? Vamos manter tudo simples. Algumas entrevistas, muitos sorrisos e acenos." Ele apontou para Emmett. "Nada de pegar em virilhas, ou tropeços bêbados, ou fãs menores de idade em quartos de hotel".

"Sim-ples." Ele repetiu, enfatizando o sinônimo para enfatizar seu ponto. "Amanhã é o nosso último show americano antes de irmos para a Europa. Vamos fazê-lo ser lembrado, ok?"

Todos levantaram seus copos para brindar esse pensamento, e enquanto eu bebia minha Coca-Cola, eu encontrei os olhos questionadores de Edward.

Eu desviei o olhar rapidamente, dolorosamente consciente de que alguém estava sempre observando.


Mais um ótimo capítulo de JOotB. Coitado do nosso casal bonito que passou dias naquele ônibus sem poder se tocar e ainda com a Bella nos seus dias em vermelho. Será que o Espasmo desconfia de alguma coisa com a relação a Bella/Billy? E a Angela, gente eu morro de rir com ela, ela é muito engraçada lol E finalmente os dois tiveram seu bom momento no hotel. O que posso dizer a vocês... a fic está chegando NAQUELE ponto, vocês devem imaginar qual. Tem mais 2 capítulos + Epílogo + 2 Outtakes. Uffa...

Comentem please! Espero voltar rapidinho

Beijos

xx