JUST ONE OF THE BOYS

Sinopse: Bella está morrendo para entrar no mundo musical, mas é frustrada em cada tentativa. Quando a boy band 5Point abre as audições, essa poderia ser sua grande chance. É claro que, primeiro, ela tem que convencê-los de que é um menino... E esconder sua grande paixão pelo vocalista dos sonhos.

Disclaimer: A história pertence a TKegl, Twilight e os personagens a Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução.


Capítulo 15 – Até Mais, Adeus – Parte 1

(Tradução: Ju Martinhão)

~ E.C. ~

Sábado de manhã amanheceu brilhante e bem cedo. Na verdade, amanheceu praticamente na mesma hora de sempre, mas parecia mais cedo porque tínhamos que nos preparar para uma entrevista no início da manhã... e eu passei a melhor parte da noite no quarto de Bella... e em Bella... e, basicamente, todo sobre Bella.

Era fodidamente o céu.

Após a semana de privação, eu não conseguia o suficiente dela. E ter um andar inteiro do hotel para nós, sem medo da descoberta... sem preocupação com fotógrafos ou os outros caras descobrindo o nosso segredo?

Era... bem, a única palavra que eu poderia encontrar para isso era exuberante.

Após o jantar, nós tínhamos conseguido manter isso calmo... casual... rindo com os caras sobre as bebidas por um par de horas antes de fazer o nosso caminho para cima... primeiro ela, depois eu. A conversa sobre os paparazzi pesou muito na minha mente, e eu não pude deixar de pensar que, talvez, os caras estivessem começando a perceber as coisas também – especialmente Jasper. Seus olhos pareciam sempre estar tanto em Bella como em mim - como se ele estivesse tentando descobrir um enigma - como se algo não somasse.

Isso me preocupava muito.

Evidentemente, isso preocupava Bella também, porque nós dois saímos do nosso caminho para não olhar um para o outro... para não estar perto o suficiente para tocar o outro... para não falar um com o outro mais do que o absolutamente necessário. Eu sentia uma enorme necessidade de protegê-la, e eu até flertei um pouco com a garçonete, apenas para despistar Jasper. Ele finalmente pareceu relaxar um pouco em direção ao final da noite, então talvez nós tivéssemos conseguido aliviar qualquer curiosidade da parte dele.

Ou talvez ele estivesse apenas bêbado depois de uma meia dúzia de Jack e Coca-Cola e o que quer que ele tivesse fumado no banheiro masculino. Eu não podia ter certeza, mas qualquer explicação nos deu um alívio, então eu estava grato.

Bella, no entanto, parecia um pouco irritada. Eu a peguei atirando-me olhares sujos algumas vezes, e quando cheguei ao meu quarto e ela não estava esperando por mim, eu comecei a me preocupar. Fiz o meu caminho para o quarto dela, apenas para ser saudado por braços cruzados e lábios franzidos. Quando estendi a mão para ela, ela recuou abruptamente.

"O que há de errado?"

"Nada".

Sim. Eu sabia melhor do que isso.

"Vamos." Eu sorri de forma encorajadora, ligando o charme. "Por que você está brava comigo?"

"Eu não estou brava." Ela se virou para entrar no quarto, fazendo o seu caminho para a geladeira por uma garrafa de água. "Eu estou apenas cansada. Foi um longo dia." Ela tomou um gole da garrafa e respirou fundo, fechando os olhos antes de virar de volta para mim, seus olhos suavizando. "Sério, eu estou bem. Sinto muito".

"Não se desculpe." Eu disse a ela, caminhando para sentar no balcão e puxá-la entre os meus joelhos. "Só me diga o que é".

Ela encolheu os ombros. "É estúpido".

"Não, não é".

"Meio que é." Ela corou, seus lábios curvando-se ligeiramente em um sorriso envergonhado. Eu rocei meus dedos sobre sua bochecha rosada, esperando.

"É apenas... Jane." Ela abaixou a cabeça, brincando com a tampa da sua garrafa de água.

"Quem?"

"Jane." Ela repetiu. "Você sabe, do restaurante?"

Eu olhei para ela, confuso.

"Nossa garçonete?" Ela arregalou os olhos para mim. "'Oh, E.C., você é tãããão engraçado... Ah, seu cabelo é simplesmente incrível... Ah, eu simplesmente amo como você canta Caramelo...'." Ela imitou com uma voz chorosa.

Eu fiquei boquiaberto para ela. "Você não pode estar falando sério".

"Você pareceu gostar dela".

Eu lutei contra um sorriso. Ela estava com ciúmes. Talvez isso me fizesse um idiota, mas eu meio que gostei disso... um pouco.

Ainda assim, eu tentei tranquilizá-la.

"Eu não gostei dela".

"Ela ficava tocando em você." Ela murmurou, como se não tivesse me ouvido. "E você continuou sorrindo para ela".

"Eu sorri para todo mundo".

Ela me encarou e eu ergui minhas mãos defensivamente. "Sério, B, eu estava apenas sendo simpático. E eu estava tentando manter a nossa pequena charada, sabe? Eu estava preocupado que Jasper pudesse desconfiar de nós".

Ela ofegou com isso, todos os pensamentos de Jane esquecidos. "Você acha?"

Eu dei de ombros. "Não tenho certeza. Ele ficou olhando para mim de forma engraçada – para nós, na verdade. Eu estava apenas tentando ter certeza de que ele não tivesse nada para ver." Bella mordeu o lábio, sua testa enrugando de preocupação. Estendi a mão para ela e, desta vez, ela me deixou envolver meus braços em torno da sua cintura.

"Eu acho que está tudo bem." Eu disse. "Ele pareceu voltar ao normal até o final da noite".

"Então... é por isso que você estava flertando com Jane?" Ela perguntou em voz baixa.

Eu ri levemente. "Sim. Essa é a única razão... eu juro." Baixei minha cabeça para roçar meus lábios nos dela levemente. "Eu não acredito que você está com ciúmes".

"Eu não estou com ciúmes".

Eu levantei uma sobrancelha, cético.

Ela revirou os olhos. "Bem, está bem... talvez um pouco." Eu considerei provocá-la um pouco mais, mas, naquele momento, ela passou suas palmas lentamente pelas minhas coxas, inclinando-se para a frente e inclinando sua cabeça para trás convidativamente. Todos os pensamentos de Jane e Jasper - e qualquer coisa fora de nós dois em nossa pequena bolha no 26° andar - fugiram da minha mente e eu a beijei profundamente, gemendo quando sua língua varreu em minha boca. Eu a levantei em cima do balcão, suas coxas escarranchando as minhas enquanto ela puxava minha camisa sobre a minha cabeça.

"Bella... eu..." Eu olhei em seus olhos - vidrados e necessitados - e, nesse momento, eu quase disse a ela.

Eu te amo.

Mas, no último segundo, as palavras de Alice voltaram para mim e eu mordi minha língua. Domingo à noite seria a hora... no Space Needle ao pôr do sol. Seria perfeito... especial.

Não no balcão da cozinha, quando eu estava duro como uma rocha e segurando seus quadris enquanto ela se esfregava em mim.

"O quê?" Ela perguntou, sua voz um pouco áspera e rouca.

Assim, em vez de desnudar a minha alma, eu atirei para ela um sorriso insolente e disse, "Eu não acho que nós dormiremos muito esta noite".

E ela sorriu de volta para mim, puxando os botões do meu jeans em um movimento fluido, enquanto sua outra mão deslizava para dentro, segurando-me firmemente.

"Estou contando com isso." Ela disse.

Nós finalmente caímos no sono – enroscados nos lençóis e um no outro - em algum momento depois das duas da manhã. E quando a minha chamada de despertar veio às 06hs, nós dois gememos e brevemente consideramos as consequências se ficássemos na cama.

Optamos, em vez disso, por um banho rápido. Bem, começou como um banho rápido, mas rapidamente se transformou em beijos ensaboados e Bella encostada nos azulejos enquanto eu a tomava por trás.

Ei. Ela começou isso.

Realmente.

Mais ou menos.

Enfim, Bella finalmente saiu para descer e eu esperei uns bons 15 minutos antes de ir para o saguão. Marty estava irritado, batendo seu relógio naquele gesto universal de "Você está atrasado".

Eu tinha alguns gestos próprios que considerei, mas eu estava em tão bom humor depois da minha noite incrível que eu apenas deixei de lado.

A entrevista com a afiliada local da ABC foi estabelecida para às 08hs no 5 Point Café, onde nós fomos descobertos, e enquanto o carro seguia as faixas do monotrilho para Belltown, descobri que eu não era o único que se estendia para olhar pelas janelas. Nós não tínhamos voltado por cerca de um ano, mas quando o familiar copo de martini de neon apareceu, eu achei que nós todos sorrimos um pouco mais.

"Parece exatamente o mesmo." Jasper disse. "Bem, exceto pelos lugares ao ar livre." Algumas mesas foram estabelecidas do lado de fora da porta da frente, uma grade de metal separando a área da calçada. Notavelmente, as calçadas estavam quase vazias, com exceção de algumas poucas pessoas andando - e, definitivamente, não esperando por uma boy band aparecer.

"Você não vazou isso?" Perguntei para Marty.

Ele deu de ombros. "Achei que vocês poderiam usar uma pequena pausa da gritaria".

O cheiro de café e bacon nos envolveu quando fizemos o nosso caminho para o restaurante, e meu estômago roncou em apreciação. As mesas no interior tinham sido encurraladas em um lado do café - e eu podia ver algumas mesas reservadas para nós, a câmera de TV já estabelecida enquanto a repórter que faria a entrevista verificava seu cabelo em um espelho de mão. Butch e Brick ficaram de lado, evidentemente preparados para derrubar o vovô e a vovó no canto se eles decidissem nos pedir um autógrafo.

De verdade.

Os proprietários do café, Dave e Mandy, saíram da cozinha e correram diretamente para nós com sorrisos enormes, oferecendo qualquer coisa no cardápio. Isso me fez sentir meio que uma merda, na verdade. Nós devíamos muito a eles. Se eles não tivessem nos dado uma chance - deixando um monte de babacas jovens que não sabiam o que estavam fazendo usar o palco nas noites de sexta-feira – nós nunca teríamos chegado onde estávamos agora. Nós sempre tentamos agradecê-los, mas eles nunca ouviam. Eles apenas diziam que viram o talento desde o primeiro dia e depois nos pediam para autografar alguma coisa para pendurar em suas paredes.

Nós sempre autografávamos, é claro. Então teríamos um dos seus incríveis hambúrgueres, ou uma tigela daquele incrível mac and cheese com bacon, e ríamos sobre os velhos tempos, bebendo jarras de cerveja gelada até as primeiras horas da manhã.

Bons tempos.

Como era cedo, e a repórter - Margo... alguma coisa - queria que a entrevista tivesse uma sensação agradável, aconchegante, nós pedimos o café da manhã. Tomando café e mastigando ovos e bacon e os mais incríveis biscoitos e molho de carne, nós respondemos as perguntas usuais sobre como começamos... sobre Billy se juntando ao grupo... sobre a turnê... sobre como nos damos bem.

Nós somos realmente mais como irmãos.

Claro, nós brigamos, mas nós trabalhamos isso. Eu amo esses caras.

Não, nós nunca deixamos uma garota entre nós.

Isso quase ficou preso na minha garganta, para ser honesto.

Após a entrevista, nós demos alguns autógrafos e tiramos algumas fotos - incluindo uma com a vovó e vovô, que aparentemente tinham uma neta que era uma grande fã - antes de ir para o Key Arena para o ensaio. Espasmo estava esperando por nós do outro lado da rua - como ele conseguia sua informação, eu não sabia. Ele daria à CIA um funcionamento para o seu dinheiro, eu juro. Ele nos seguiu para o Seattle Center, e eu olhei ansiosamente para as curvas coloridas do IMP quando nos aproximamos da entrada do palco na arena. Eu podia ouvir Espasmo tirando fotos enquanto entrávamos, e perguntei-me o que no mundo ele achava tão interessante.

Eu descartei isso. O que seja.

A porra da 4-Square estava lá – certamente não sentimos falta deles durante a última semana – então nós ensaiamos uma canção com eles antes de eles nos deixaram abençoadamente sozinhos. Mikey fez algumas mudanças para a coreografia para o primeiro número, para funcionar melhor com as tirolesas – e a instalação na Arena era um pouco diferente dos nossos outros shows, então tivemos que fazer alguns ajustes – mas, no geral, o ensaio foi bem. Estávamos exaustos e suados no momento em que fizemos os ajustes finais para a nossa final, Até mais, Adeus.

"Ok, então E.C., no primeiro verso, eu quero que você venha para cá." Mikey disse, levando-me ao longo da borda da frente do palco para um ponto à direita do centro, enquanto ele cantarolava a letra junto comigo sob sua respiração.

It's been fun girl, but it's time to go
Cuz I can't take your lying anymore – no!

Tem sido divertido, garota, mas é hora de ir
Porque eu não posso mais aceitar suas mentiras – não!

"Jogue a mão para cá." Ele dirigiu. Eu assenti, imitando sua ação enquanto continuamos.

I stuck around – long as I could
But the fact remains you ain't no good

Eu fico por perto – tanto quando posso
Mas o fato é que você não é boa

"Em seguida, dê um giro aqui, e o restante dos passos permanece o mesmo".

"Entendi." Eu vi Bella saindo do canto do meu olho. Ela parecia estar... se movendo de um lado a outro com movimentos curtos e irregulares.

"B?" Mikey olhou para ela. Quando se tratava dos seus movimentos, ele era todo negócios. "O que você está fazendo?"

"Desculpe." Ela disse mansamente. "Eu... uh... tenho uma cãibra." Seu rosto ficou vermelho e, quando Mikey se virou, ela enviou um olhar de pânico em minha direção. Sem saber o que estava acontecendo, e o que no mundo ela queria que eu fizesse sobre isso, eu me virei de volta para Mikey, mantendo-a na minha visão periférica. Ele virou-se para Jazz, e eu vi Bella agitando uma perna ligeiramente, deslocando seus quadris.

"Jazz." Mikey continuou, acenando com a mão para Jasper, "Faça o movimento de chute para lá no segundo verso." Nós todos cantamos baixinho quando Jasper tentou os passos.

Say what you want, I was always true
I never did what you did to you

Diga o que quiser, eu sempre fui verdadeiro
Eu nunca fiz o que você fez para você

Bella perdeu um movimento e eu jurei que a vi estender a mão entre as suas pernas. O que diabos havia de errado com ela?

Forgive and forget? Tried that before
But now I'm heading out the door

Perdoar e esquecer? Já tentei isso antes
Mas agora eu estou saindo pela porta

Mikey bateu palmas. "Um pouco mais para a esquerda." Ele dirigiu. Jasper mudou de posição e Mikey assentiu. "E agora, todos vocês devem estar na posição para o refrão." Bella se contorceu novamente e Mikey olhou para ela com irritação. "Outra cãibra?"

Ela encolheu os ombros. Então eu vi. Uma protuberância reveladora na metade da sua coxa. Levei um momento para identificar a fonte.

Merda. Seu pau tinha escapado e estava flutuando pela sua perna. Ela engoliu em seco, cobrindo o caroço sem jeito com a mão. Isso não era bom.

"Hum." Eu disse hesitantemente, tentando não notar Bella tentando deslizar sorrateiramente seu pau de volta para cima. Felizmente, todo mundo estava observando Mikey. "Podemos fazer uma pausa de cinco minutos?" Eu perguntei. "Eu tenho que fazer xixi." Eu saltei de um pé para outro para tentar enfatizar o ponto.

"Não." Mikey disse firmemente. "Não até que passemos por isso. Prontos para tentar?" Sem esperar por uma resposta, ele gritou, "Música!"

Corremos através dos versos, seguindo as ordens de Mikey ao pé da letra e - como ele prometeu – nós terminamos exatamente onde precisávamos estar para o refrão. Infelizmente, o pau de Bella acabou em algum lugar em torno do seu tornozelo, segurado no local apenas pelos Nikes de cano alto que ela usava abertos sobre a bainha da sua calça jeans.

Eu mantive meus olhos no bojo traidor enquanto trabalhávamos através do refrão.

E, exatamente quando demos o salto final, o pau de borracha saltou para fora do sapato de Bella, rolando pelo chão para aterrissar aos meus pés. Bella ofegou, congelando no lugar por um momento petrificado antes de cair em um monte.

"Merda!" Ela exclamou. "Acho que torci meu tornozelo!"

Todos os caras correram para o lado dela, e eu estava exatamente com eles, até que ela me olhou incisivamente, e eu percebi que sua lesão era uma fachada para que eu pudesse pegar o pau.

Levei um segundo para reconhecer o ridículo da situação antes de rapidamente pegar o pau e colocá-lo no meu bolso. Olhei brevemente para baixo, mais do que um pouco satisfeito ao notar que o meu era maior.

Ei, eu sou um cara.

O que seja.

Juntei-me aos outros de joelhos em torno de Bella enquanto Mikey cutucava seu tornozelo, torcendo-o levemente para que ele pudesse remover seu sapato.

"Você sabe. Acho que está tudo bem." Bella disse finalmente, uma vez que ela percebeu que o pau tinha desaparecido.

"Tem certeza?" Mikey perguntou, ainda não soltando o pé dela.

"Sim. Eu estou bem." Ela cuidadosamente extraiu seu pé com meia, deslizando-o em seu Nike antes de se levantar. "Eu acho que só pisei errado".

"Você tem que tomar cuidado com isso." Mikey avisou. "A última coisa que precisamos é de um de vocês de muletas para a turnê européia".

"Sim. Eu sei. Desculpe. Eu serei mais cuidadoso." Bella evitou meus olhos, puxando sua camisa para baixo para cobrir a falta do apêndice masculino.

Uma comoção fora do palco começou e todos nós nos viramos rapidamente para ver o que estava acontecendo. Butch, Brick e um punhado de assistentes de palco estavam parados em torno de uma grande caixa de equipamentos. Ambos os seguranças tinham suas armas em punho, mas as mantiveram vagamente aos seus lados.

"O que é isso?" Bella me perguntou em voz baixa.

"Eu não tenho certeza".

De repente, um dos assistentes de palco abriu o topo da caixa. Quando nada aconteceu, todos eles olharam para dentro, apenas para pular para trás quando uma pequena morena surgiu de pé dentro da caixa.

"OHMEUDEUS, É A 5 POINT! EU SEI QUE NÃO DEVERIA ESTAR AQUI, MAS EU SIMPLESMENTE TINHA QUE VER VOCÊS!" Ângela escalou a grade, só para ser parada fora do palco por Butch.

"Merda." Eu murmurei.

"Como ela continua fazendo isso?" Bella balançou a cabeça com espanto. Ângela simplesmente continuou com aquela voz gritante que eu juro que é um decibel aquém do que apenas os cães podem ouvir.

"EU FIQUEI NA FILA POR DEZ HORAS PARA COMPRAR INGRESSOS PARA O SHOW, MAS QUANDO CHEGUEI À JANELA, ELES DISSERAM QUE OS INGRESSOS HAVIAM ACABADO, E EU DISSE, 'COMO OS INGRESSOS PODEM TER ACABADO?' PORQUE EU ERA A PRIMEIRA NA FILA, SABE? MAS ELES APENAS DISSERAM QUE TINHA ACABADO E EU TIVE QUE SAIR. MAS EU NÃO POSSO PERDER O SHOW PORQUE EU SOU A MAIOR FÃ DE VOCÊS, CERTO?" Ela começou a soluçar quando Butch virou-se para levá-la para fora da arena.

Emmett se virou para mim. "Sério, cara? Eles realmente a colocaram na lista negra?"

Eu dei de ombros, procurando Marty para obter algumas respostas, mas ele não estava à vista.

"Isso é péssimo." Jasper disse calmamente. "Quero dizer, ela é um pouco louca, claro, mas ela é inofensiva. E ela está certa. Provavelmente ela é a nossa maior fã".

"Isso é muito triste." Bella acrescentou, observando como Ângela se agarrava à camisa de Butch, as lágrimas escorrendo pelo seu rosto.

"Ah, foda-se." Eu murmurei. "Butch! Espere aí!"

Ele parou, virando-se, um pequeno sorriso puxando no canto dos seus lábios. O filho da puta totalmente sabia o que estava por vir.

"Sim?" Ele perguntou rispidamente.

Eu esfreguei minha nuca, inalando profundamente. "Dê a ela alguns passes de bastidores* para hoje à noite, ok?"

*Passes de bastidores: é um passe de empregado que permite o acesso apenas para funcionários em um local de show.

A cabeça de Ângela atirou para cima. "Sério?"

"Você tem certeza disso?" Butch perguntou, forçando seus lábios em uma careta. "Esta garota é problema".

"Não!" Ângela gritou, contorcendo-se fora do alcance de Butch. "Eu juro. Eu serei boa. Eu só quero ver o show." Seus olhos corriam entre todos nós, seus dedos apertando e desapertando nervosamente.

"Está bem." Eu disse finalmente. "Nós a veremos hoje à noite, Ângela".

"SÉRIO?" Ela gritou, pulando para cima e para baixo. "OHMEUDEUS! EU NÃO POSSO ACREDITAR NISSO, RAPAZES, VOCÊS SÃO OS MELHORES! MINHA AMIGA LISA NÃO VAI ACREDITAR QUE EU TENHO PASSES DE BASTIDORES. ELA VAI ABSOLUTAMENTE MORRER!"

Ela ainda estava gritando quando Butch a escoltou para fora e teve a certeza de que a porta estivesse firmemente trancada atrás dela.

~ Bella ~

Eu amava Seattle.

Bem, na verdade, eu não tinha visto muito da Cidade Esmeralda. Só o 5-Point Café... e a Key Arena... e o quarto de hotel de Edward.

Oh, sim. Eu realmente amei o quarto de hotel de Edward. E, no momento em que terminamos os ensaios, e algumas entrevistas rápidas, estávamos ansiosos para voltar a ele.

"Quanto tempo nós temos?" Perguntei preguiçosamente enquanto afundávamos em sua monstruosa banheira, cercados pelas bolhas de aroma de maçã verde. Relaxei contra o peito de Edward enquanto ele varria meu cabelo molhado do meu pescoço para que pudesse beijá-lo.

"Cerca de uma hora." Ele murmurou. "A passagem de som é às 17hs".

Eu suspirei, fechando meus olhos e tentando esquecer o fiasco no ensaio anterior.

Eu perdi meu pau. Que pesadelo.

Se não fosse pelo meu raciocínio rápido e reflexos ainda mais rápidos de Edward, tudo teria explodido diretamente em nossas caras. Eu não podia acreditar que conseguimos escapar disso praticamente ilesos. Edward deslizou o pau na minha mão enquanto a Spiderfan estava fazendo seu caminho para fora, e eu escorreguei para o banheiro para substituí-lo com ninguém mais sábio.

A propósito, eu agora usava o cinto e fita adesiva.

Muita fita adesiva.

E removedor de fita adesiva. Obrigada, Trixie.

"Você está bem?" Edward perguntou, seus dedos deslizando pelos meus braços molhados lentamente e voltando para baixo novamente para enlaçar com os meus.

"Apenas pensando sobre a Europa." Eu respondi, balançando nossas mãos unidas através da água. "Eu espero não ter nenhum problema com o meu passaporte." O amigo misterioso de Alice, que forneceu minha identidade, também conseguiu forjar um passaporte falso para mim.

"Parece tão real quanto o meu." Edward me assegurou. "E, acredite em mim, quando estamos todos juntos, eles mal olham para essas coisas".

"Tem certeza?" Até agora, eu ainda tinha que violar a lei internacional. Eu tive uma breve visão de ser perseguida em Heathrow e jogada na Torre de Londres.

Pelo menos eles não decapitavam mais as pessoas. Certo?

Eu esfreguei meu pescoço distraidamente.

"Sim." Ele respondeu. "É tudo sala VIP e tratamento de primeira classe. Relaxe." Ele beijou meu ombro. "É isso que está incomodando você?"

"Eu não sei." Eu me movi na banheira, virando-me para encará-lo, nossa pele escorregadia quando eu montei nele, estabelecendo minha cabeça em seu ombro. "É só que tudo está ficando tão louco." Eu admiti finalmente. "Eu nunca antecipei como tudo... cada mentira... simplesmente se acumularia, sabe? E agora eu não vejo uma saída para isso".

Edward acariciou minhas costas suavemente, pressionando os lábios na minha testa, mas sem dizer nada. O que havia para dizer, na verdade? Eu estava certa. Não havia palavras de tranquilização... nada de chavões banais que tornariam tudo melhor. Então, em vez disso, ele apenas me segurou mais perto e eu me inclinei em sua força, seu calor.

"Eu estarei aqui." Ele disse calmamente. "Não importa o que aconteça".

Levantei minha cabeça para olhar em seus olhos e vi a promessa lá. Eu soube, naquele momento, que eu poderia contar com ele. Ele quis dizer o que disse. Quando esta farsa insana desabasse - como eu sabia que aconteceria eventualmente - Edward estaria lá para me pegar. Ele não sairia do meu lado.

"Obrigada." Eu sussurrei. Ele levantou a mão para cobrir meu rosto, as gotas de água retinindo levemente enquanto caíam dos seus dedos. Ele hesitou, como se fosse dizer algo mais, então ele apenas sorriu e me beijou suavemente.

Eu suspirei em sua boca, afundando no beijo... segurando em seus ombros e permitindo a ele que me consolasse... que se aterrasse em mim. Seus dedos deslizaram de volta ao meu cabelo emaranhado e molhado enquanto ele segurava minha cabeça, embalando-a suavemente enquanto mordiscava meus lábios... minha língua.

A gentileza me fez doer.

Minha pele aqueceu, mesmo na água resfriando da banheira, e Edward deslizou para a frente, incentivando-me a envolver minhas pernas em torno dele. Suas mãos deslizaram pelos meus lados sob a água até que ele levantou-me o suficiente para entrar em mim em um impulso lento, latejando.

"Bella." Ele gemeu, puxando-me para ainda mais perto, se isso fosse possível.

Nós agarramos um ao outro, mal nos movendo – não dispostos a deixar a água ficar entre nós. Lábios arrastando sobre pele, lambendo as gotas e mordiscando a carne macia até que os desejos dos nossos corpos assumiram. Em uníssono, nós cedemos à tentação - suspiros duros e pele deslizando... água ondulando em ondas crescentes até que espirrou para o lado da banheira, despercebida e ignorada.

Olhei para o rosto de Edward, hipnotizada pelo vinco em sua testa... as linhas duras do músculo tenso enquanto ele apertava sua mandíbula. A tensão em seu corpo refletia a minha, suas estocadas cada vez mais erráticas enquanto seu clímax se aproximava. Então, exatamente quando meus próprios nervos formigavam para a libertação, seus olhos abriram, travando com os meus.

"Bella..." Meu nome em um sussurro... uma oração... enquanto o seu caía dos meus lábios também, nossos corpos unidos na satisfação carnal enquanto nossos corações se uniam em algo semelhante a...

...amor.

Nós arquejamos juntos, congelados no momento de conclusão de segundos incontáveis, até que - lânguida e repleta - eu desmoronei contra ele, esfregando meu nariz contra o seu pescoço quando ele retomou suas lentas carícias nas minhas costas.

Sem mais palavras faladas, mas uma nova consciência crepitando entre nós. Este não era apenas algum caso de curta duração.

Era algo mais.

Era permanente.

~ 0 ~

Eu não tenho nenhuma ideia de quanto tempo nós ficamos aconchegados na banheira, mas, eventualmente, fizemos o nosso caminho para fora do nosso pequeno casulo. Eu tremia na água agora fria, e nós tomamos banho rapidamente para nos aquecer antes de nos vestir para voltar para a arena. Edward pediu alguns sanduíches pelo serviço de quarto, que nós comemos avidamente e, mais uma vez, eu fui para o saguão alguns minutos antes dele. Algumas dores de melancolia ecoavam dentro de mim, mas eu me sentia melhor... mais forte, depois do meu tempo com Edward.

Parei de me sentir como se pudesse conquistar o mundo, mas pelo menos eu não estaria enfrentando tudo sozinha.

Isso era algo, certo?

Quem eu estava enganando? Isso era tudo.

"Você está bem, B?" Jasper me olhou cuidadosamente enquanto fazíamos nosso caminho para a limusine. Eu vi a porta do elevador abrir pelo canto do meu olho, e Edward correu para nos alcançar, mas eu foquei em Jasper, em vez disso.

"Claro. Estou ótimo".

"Você parece... fora do ar... ultimamente." Ele disse, obviamente não convencido. "Você sabe que estamos todos aqui para você, se você quiser falar, sabe".

"É isso mesmo, B." Emmett disse com um sorriso, jogando o braço por cima dos meus ombros. "Nada que você não possa dizer para nós - lembre-se, nós somos como irmãos." Ele riu, citando o seu comentário favorito na entrevista.

"Sim, eu sei." Eu disse, balançando a cabeça e dando socos de brincadeira no estômago dele. "Os irmãos que eu nunca tive... e nunca quis".

Emmett agarrou seu peito em falsa dor, e Jasper riu. Eu deslizei para a limusine ao lado de Jake, que estava notavelmente em silêncio. Quando chegamos à arena, fui sair da limusine atrás de Emmett, Jasper e Edward, mas Jake agarrou meu braço.

"Espere um segundo." Ele disse calmamente. Nós esperamos um momento antes de seguir atrás dos outros caras em uma distância discreta.

"Eu acho que talvez vocês precisem esclarecer as coisas com os caras." Ele disse, seus olhos passando rapidamente para as costas deles enquanto ele falava.

Porcaria.

"Hum... eu não sei... eu não acho que estamos prontos para isso." Eu respondi sem convicção.

Jake assentiu, enfiando as mãos nos bolsos. "Eu sei que é difícil... acredite em mim, eu entendo isso." Ele riu sem graça. "Mas é pior se isso vier à tona e você não for aquele a dizer para eles".

Eu não sabia como responder a isso. Ele estava certo, pelo que ele sabia. Se Edward e eu realmente fôssemos um casal gay, seria uma boa ideia contar para os caras. A vida teria sido muito mais fácil.

Mas nós não éramos.

É claro, Jake não sabia disso.

Deus, minha vida era uma confusão.

Eu podia sentir os olhos de Jake em mim, e eu sabia que tinha que dizer alguma coisa, no entanto. Eu então optei pela única coisa que eu podia fazer.

Eu paralisei.

"É. Talvez você esteja certo." Eu disse. "Eu falarei com Edward sobre isso, ok?"

Jake assentiu. "É só que... eu já estive onde você está, você sabe?" Ele disse. "Eu sei como é difícil esconder quem você é... mentir para as pessoas que você ama. Eu só não quero ver vocês passando pelo que eu passei".

Eu pisquei, desejando que eu segurasse as lágrimas que de repente ameaçavam aparecer. Eu também lutei contra o impulso de abraçar Jake.

Forte.

Em vez disso, eu fiz uma coisa de cara, batendo nele com o meu ombro. "Eu sei." Eu disse com a voz áspera. "Obrigado, cara".

Jake balançou a cabeça novamente enquanto segurava a porta e nós entramos na penumbra fresca do Key Arena. Olhei para trás antes da porta ser fechada para encontrar Espasmo nos observando do outro lado da rua, sua câmera apontando em nossa direção.

Rapaz, aquele cara era assustador.

~ 0 ~

A passagem de som foi relativamente tranquila – nenhum paparazzi aparecendo... nenhuma fã louca pulando de trás de todos os cantos.

Ainda assim. Eu me recusei a baixar minha guarda.

Nós fomos ao camarim para nos preparar e, quando dobramos a esquina antes dos camarins, eu por acaso olhei para cima para encontrar Marty vindo em nossa direção do sentido oposto. Três homens atrás dele - dois que eu não conhecia... mas o terceiro enviou meu coração até a sola dos meus tênis Nike.

Merda.

Porcaria.

Puta merda.

Era o meu pai.

Felizmente, ele não tinha me visto ainda, e eu dei um passo para o lado na sombra de Emmett enquanto tentava pensar no que fazer.

Meu pai.

Aqui.

Meu pai.

Um olhar para mim e tudo estaria acabado. Não havia nenhuma maneira que eu fosse capaz de convencê-lo de que eu não era sua filha quando ele me visse de perto. E Charlie não era de ocultar suas reações. Policial ou não, suas emoções estavam sempre evidentes em seu rosto.

Dei um passo um pouco mais perto, batendo nas costas de Emmett enquanto eu esquadrinhava a área por algum lugar para me esconder.

"O que diabos você está fazendo, B?" Ele murmurou por cima do seu ombro.

Eu não respondi, porque finalmente avistei a minha salvação - um corredor estreito para a direita a poucos metros à nossa frente. Julguei a distância para Marty e seu grupo. Eu poderia chegar até lá antes que meu pai me visse?

Eu tinha que fazer isso.

Meus olhos dispararam para a frente e para trás do corredor escuro para Charlie, conversando e rindo com um homem mais velho ao lado dele. Ele ainda tinha que olhar para nós, e nós ainda estávamos um pouco escondidos nas sombras. Eu abaixei atrás de Edward quando nos aproximamos de uma luz brilhante em cima, sabendo que tínhamos de atravessar o círculo de iluminação antes que eu pudesse abaixar no corredor.

Edward olhou para mim com curiosidade.

Eu murmurei "Meu pai", lentamente, meus olhos apontando na direção de Charlie enquanto os de Edward se arregalavam.

"Merda." Ele murmurou.

"Sim".

Ele deu um passo um pouco mais para perto de Emmett, criando uma barreira para me proteger, sob o pretexto de perguntar a ele algo sobre a nova coreografia. A cada passo, meu coração acelerava um pouco mais... minha respiração acelerada enquanto eu lutava contra o desejo de virar e correr para o outro lado.

Sim. Como se isso não chamasse a atenção.

Então, em vez disso, eu caminhei na sombra de Edward e Emmett, esperando minha hora até o corredor finalmente... abençoadamente... aparecer diante de mim. Corri para ele, percebendo rapidamente que era mais uma alcova do que um corredor quando eu bati em uma porta escondida sob a entrada em arco. Rezando sob a minha respiração, eu girei a maçaneta, quase desmoronando em alívio quando abriu facilmente. Eu tropecei na escuridão além, silenciosamente fechando a porta e pressionando meu ouvido a ela. Eu só podia ouvir resmungos baixos, mas as vozes se moveram e logo estavam mais claras - e vindo de uma direção diferente.

Confusa, eu finalmente dei uma olhada ao redor da sala onde eu estava escondida, percebendo uma pia... uma cortina de chuveiro.

Eu estava em um banheiro?

As vozes ficaram mais altas e notei uma luz vindo debaixo de uma porta do outro lado do cômodo.

Porcaria. Eu estava no banheiro do camarim.

Quem no mundo já ouviu falar de um banheiro com duas entradas? Isso certamente era um risco de segurança.

Eu poderia precisar discutir isso com Butch... ou Brick.

Andei nas pontas dos pés através do banheiro escuro, parando no meu caminho quando ouvi meu nome.

"Onde está Billy, afinal?" Marty perguntou.

Foi Edward quem respondeu. "Ele disse algo sobre sair para fazer um telefonema".

"Ele disse?" Emmett perguntou. "Ele estava bem atrás de mim até um minuto atrás. Ele simplesmente desapareceu".

Eu quase poderia imaginar Edward dando de ombros. "Não sei o que te dizer, cara".

"Isso não importa." Marty disse. "Eu só queria apresentar vocês para a segurança adicional para esta noite. Estes são Jason, Mark... e Charlie".

Um coro de saudações murmurou através da porta, e eu percebi que os caras estavam apertando as mãos. Eu pensei ter ouvido Edward dizer, "Prazer em conhecê-lo, senhor", mas eu poderia ter me enganado.

Isso teria sido um pouco estranho.

Então eu ouvi um som que enviou uma onda de pânico através de mim: a maçaneta girando.

Por que eu não tranquei a porta?

Claro, por que a porta do banheiro estaria trancada?

Como eu poderia explicar por que eu estava escondida no banheiro?

Merda.

Merda. Merda. Merda!

Com velocidade sobre-humana, eu pulei para o chuveiro, puxando a cortina fechada e rezando para que, quem quer que estivesse chegando, não quisesse tomar um banho. Forcei minha respiração a acalmar quando a luz acendeu, apoiando-me contra o azulejo, para que a minha silhueta não aparecesse através do plástico semi-transparente.

Meus olhos arregalaram com a sombra que passou, meio que esperando alguém puxar a cortina, enquanto a música wheek wheek wheek de Psicose gritava através do cômodo.

Então eu ouvi a voz dele... cantarolando Caramelo enquanto levantava a tampa do vaso sanitário. Eu dei uma espiada por trás da cortina.

"Edward?"

Ele saltou, espalhando xixi na parede enquanto um grito de menina irrompia dos seus lábios.

"Jesus! Você me assustou completamente!" Ele gritou, antes de perceber que ele não deveria estar gritando.

Alguém bateu na porta. "E?" Jasper. "Você está bem?"

"Uh... sim." Ele rapidamente abotoou sua calça jeans, estremecendo para mim antes de pegar papel higiênico para limpar sua bagunça. "Porra." Ele murmurou baixinho antes de gritar, "Eu apenas... pensei ter visto um..." Seus olhos corriam em volta, procurando por algo que o teria feito gritar. "Rato?"

"Rato?" Eu murmurei de volta para ele, lutando contra uma risadinha. Ele deu de ombros em resposta. Não era como se eu tivesse alguma ideia melhor.

"Você está com medo de ratos, E?" Jasper riu. "Precisa que alguém entre e cuide disso para você, amigo?"

Edward limpou sua garganta. "Não. Eu estou bem. Alarme falso. Não era um rato... apenas um..." Ele fez uma careta para mim e eu apenas levantei minhas mãos em derrota. Eu não tinha ideia do que ele poderia ter visto que parecesse um rato... mas não era.

Exatamente como eu sempre digo – quando se trata de mentirar, melhor manter isso simples.

Edward passou a mão sobre a sua boca, um olhar de pânico em seu rosto. "Uma... pilha... de... cabelo!" Ele exclamou finalmente. Eu fiz uma careta, enojada.

"O quê?" Jasper gritou através da porta.

"Você sabe." Edward disse, dando a descarga no vaso sanitário e acenando para eu voltar para trás da cortina quando ele abriu a porta. "Algum idiota limpou sua escova de cabelo, ou algo assim, e deixou o cabelo no chão. Fodidamente nojento".

"Nojento, cara!" Jasper respondeu, virando-se. "Marty, cara. Você precisa falar com esses caras sobre a equipe de limpeza".

"Não é grande coisa." Edward disse rapidamente. "Eu me livrei disso." Eu podia vê-lo encostado no batente da porta através de uma fenda na cortina. "É melhor nós nos prepararmos para o show".

Marty pareceu aceitar a dica. "Sim, E.C. está certo. Eu só queria que vocês conhecessem esses caras. Vocês provavelmente os verão por aí hoje à noite, e vocês não devem ter nenhuma visita surpresa de fãs loucas." Ele acrescentou.

Presumi que eles finalmente deixaram o camarim, porque Edward disse aos outros caras que ele estaria fora em um minuto e fechou a porta, só para puxar a cortina do chuveiro.

"Ele se foi. Está seguro".

"Merda." Eu sussurrei quando saí do chuveiro. "O que diabos eu farei?"

"Eu não sei." Edward andava de um lado a outro no cômodo. "Nós apenas temos que tomar cuidado com ele. Manter você fora de vista".

"Como é que eu farei isso enquanto eu estou no palco?" O pânico chutou novamente, e meu coração martelava no meu peito. "Ele vai me ver e todo o inferno vai se libertar!"

"Apenas... apenas acalme-se um segundo." Ele esfregou meus braços suavemente. "Deixe-me pensar".

"Ei, E!" Emmett bateu na porta. "Quanto tempo você vai ficar aí, cara? Eu tenho que mijar!"

"Só um segundo!" Edward gritou de volta antes de se inclinar para sussurrar no meu ouvido. "Volte para o corredor e entre no camarim. Basta manter seus olhos abertos".

Eu assenti, piscando contra as lágrimas frustradas. Edward segurou meu rosto, beijando-me suavemente. "Eu pensarei em alguma coisa. Não se preocupe, ok?" Com outro beijo, ele me conduziu em direção à porta do corredor rapidamente, enquanto Emmett batia novamente.

"Vá se foder, Emmett! Eu disse, dê-me um segundo!" Eu o ouvi gritar quando fechou a porta.

Eu fui nas pontas dos pés em direção ao arco que conduzia ao salão principal, olhando rapidamente em uma direção, depois na outra. Não vendo nenhum sinal de Charlie, corri para a porta do camarim, só liberando minha respiração reprimida uma vez que eu estava lá dentro.

"B! Está tudo bem?" Jasper perguntou quando fiz o meu caminho para o cabideiro de roupas.

"Tudo bem?" Eu ecoei, minha voz chiando. "Sim. Claro, está tudo bem. Por que não estaria tudo bem?" Eu divaguei, deslizando cabides tremulamente para o lado.

Acalme-se, Bella.

"Okaaaayyy." Ele respondeu. "Edward disse que você teve que fazer um telefonema. Achei que algo pudesse estar errado".

"Oh, não." Eu respondi, tentando soar casual. "Não foi nada demais. Só tive que verificar... uma coisa." Acenei uma mão com desdém.

Jasper me olhou com curiosidade. Eu rapidamente me afastei do seu olhar, só para encontrar Jake olhando para mim da mesma forma. Edward estava fazendo o seu melhor para parecer que estava ignorando a conversa, embora eu soubesse melhor.

"O quê?" Perguntei defensivamente, recostando-me contra a parede com os braços cruzados sobre o meu peito.

"B." Jasper disse calmamente, "Você está usando drogas?"

Minha boca escancarou, exatamente quando Emmett saiu do banheiro. "Quem está usando drogas?" Ele perguntou.

"Ninguém!" Eu gritei. "Quero dizer. Não, eu não estou usando drogas!"

Jasper levantou as mãos, balançando a cabeça com pena. "Eu não estou julgando, B. Quero dizer, eu tenho sido conhecido por usar um pouco de maconha de vez em quando..." Jake bufou com o eufemismo, mas Jasper estava em um rolo. "Mas você não quer se meter em coisas mais fortes, Billy".

"Eu não estou!" Eu ofeguei, completamente aturdida. "Eu juro!"

"Bem, então, por que todo esse segredo?" Ele pressionou. "Sair correndo para fazer ligações? Todo se esgueirando e escondendo coisas? Eu sei. Eu tenho um sexto sentido sobre esse tipo de merda".

"B não está usando drogas." Emmett disse, jogando-se no sofá. Ele se virou para mim, seu olhos estreitando. "Está?"

"Não!" Aos olhos silenciosos olhando-me com cuidado, eu insisti. "Eu não estou!"

Minha negação ecoou na sala para uma batida, seguida apenas pelos sons da minha respiração aumentada, e a dobra tranquila das pernas de Emmett se movendo no sofá de couro.

Como no mundo eu sairia dessa? E por que Edward não estava me ajudando? Eu lutei contra a vontade de atirar-lhe um olhar condenatório, em vez disso virando meus olhos suplicantes sobre Jake... depois Emmett... e finalmente Jasper.

Por que eles não acreditavam em mim?

Umm... talvez porque eu fosse uma grande e gorda mentirosa?

Então, exatamente quando eu pensei que não poderia ficar pior, Jasper começou a rir... seguido rapidamente pelos outros.

"O quê?" Eu balancei a cabeça levemente, confusa.

"Merda, B, você é muito fácil." Jasper disse, inclinando-se para trás na cadeira e balançando sua cabeleira desgrenhada. "'Eu não estou! Eu juro!'" Ele imitou, segurando as mãos para cima defensivamente.

"Sério." Emmett cruzou os braços atrás da sua cabeça, ainda sorrindo. "Relaxe, Billy. Estamos apenas brincando com você".

"Temos apenas passado cada hora juntos por uma semana." Jake acrescentou, voltando-se para o espelho para arrumar seu cabelo. "Eu acho que nós todos saberíamos se você estivesse dando um tapa".

"Dando um tapa?" Edward cruzou a sala em minha direção, batendo no meu ombro, mas discretamente deixando seus dedos trilharem para a minha nuca suavemente. "Merda, Jake. Será que alguém mais ainda diz 'dar um tapa'?"

Jake encolheu os ombros. "Tanto faz".

Finalmente recuperada, eu olhei para todos eles - Edward incluído. "Vocês são idiotas".

Jasper ainda estava rindo. "Você acabou de perceber isso?"

Eu balancei minha cabeça, finalmente quebrando um sorriso. "Eu sempre suspeitei. Finalmente acabei de ter a confirmação".

A risada começou de novo e eu levei minhas roupas para o banheiro para me trocar.

~ E.C. ~

Seattle estava se transformando em um fodido pesadelo. Quero dizer, entre a loucura da Spiderfan e Espasmo espreitando em cada esquina, era ruim o suficiente. Mas, então, o pai de Bella tinha que aparecer - como parte da nossa equipe de segurança?

O destino estava realmente fora para nos pegar.

Então, exatamente quando as coisas estavam completamente tensas e estressantes, Jasper teve que pular com toda a sua coisa de Você está usando drogas?. Sim, eu sabia que ele estava brincando com B. Apenas não houve nenhuma maneira para que ela soubesse disso. Eu só tinha a esperança de que ela pudesse cuidar de si mesma, até que ele a deixasse entrar na brincadeira.

Babaca.

Eu sabia que ela estava brava comigo, é claro. Mas o que eu poderia fazer? Para ser honesto, eu estava um pouco absorvido no plano todo de Mantenha O Pai de Bella Longe de Bella Para Que Ele Não A Reconheça.

Se houvesse um plano desse tipo, quero dizer.

Ainda estava trabalhando nisso.

Então, eu realmente não estava no meu jogo com a coisa toda de drogas. Enfim, tudo foi esclarecido, e Bella parecia estar bem.

Bem, além de estar irritada comigo, é isso. O que eu odiava. Era por isso que eu a segui nos bastidores, enquanto a 4-Square estava fazendo sua apresentação de abertura. Eu finalmente me aproximei de Marty e sugeri que um dos caras novos da segurança fosse colocado na patrulha da Spiderfan. Levou uma pequena dica sutil, mas ele finalmente colocou o pai de Bella no trabalho.

Não era perfeito, mas pelo menos nós saberíamos onde ele estava. Eu poderia ver a parte de trás da cabeça dele na extremidade do palco, perto de onde Ângela estava pulando e gritando. Se havia uma coisa que eu sabia do que Bella me disse, era que ele levava seu trabalho a sério. Ele estaria observando Ângela de perto, o que significava que seria menos provável de ele estar assistindo ao palco.

Esperemos.

A música bateu e as luzes piscando mal penetraram a área atrás das cortinas grossas que corriam ao longo de cada lado do palco. J.J. estava cantando sua mais nova música, e eu finalmente avistei Bella de pé nas sombras, seus dedos tamborilando nervosamente contra as suas pernas enquanto ela examinava a área.

"Você está bem?" Eu perguntei, aproximando-me dela e inclinando para que ela pudesse me ouvir sobre a música.

Ela assentiu. "Só de olho, sabe?"

"Bem, eu falei com Marty e seu pai está em serviço com a Spiderfan." Eu disse. "Pelo menos será mais fácil para manter um olho nele - e manter você longe dele".

Ela assentiu. "Obrigada." Ela não me olhava nos olhos, e eu sabia que ela ainda estava brava comigo. Peguei sua mão, puxando-a para a escuridão atrás de um grande armário.

"B, eu sinto muito sobre mais cedo." Eu disse a ela. "Eu sei que você está chateada que eu não saltei sobre a coisa das drogas. Eu simplesmente sabia que Jasper estava brincando, então eu pensei que seria melhor não fazer um grande negócio disto, sabe?"

"Você sabia que ele estava brincando?"

"Claro." Eu dei de ombros. "Eu conheço Jasper desde sempre. Eu sabia que você não estava em nenhum problema real".

"Você poderia ter me avisado." Ela disse, irritada.

"Como?" Eu perguntei. Ela bufou, não pronta para esquecer isso. "Código secreto?" Eu empurrei. "Sinais de fumaça?" Seus lábios se curvaram, e eu sabia que ela estava amolecendo. Estendi minha mão para envolver meus dedos ao redor da sua cintura, olhando por cima do meu ombro e nos movendo ainda mais na escuridão. "Eu sei. Eu poderia ter batucado isso em código Morse com meus dedos." Eu esfreguei uma mão pelas suas costas, batendo ao longo da sua coluna vertebral. Ela estremeceu.

"O que é isso, feitiço?" Ela perguntou sem fôlego.

"Vê?" Eu disse, minha boca pairando sobre a dela. "Como eu poderia avisá-la se você nem conhece o código Morse?" Deslizei minha mão sob a sua camisa, batendo contra a sua pele nua.

"Você conhece?" Ela perguntou, lambendo seus lábios. Sua língua roçou meu lábio inferior... mal... mas foi o suficiente para me distrair.

"Eu o quê?"

Ela sorriu, inclinando-se para mim. "Conhece o código Morse?"

Eu sorri, meus dedos deslizando sob sua bandagem Ace, trilhando facilmente ao longo da borda... derivando em torno da pele macia sob seu peito. "Cada escoteiro aprende o código Morse".

Bella choramingou quando eu trabalhei um dedo para cima para provocar seu mamilo. "Você não é escoteiro".

"Malditamente certa." Eu murmurei, exatamente antes de puxá-la para perto e beijá-la.

Tudo ao nosso redor – as letras de J.J., o baixo batendo, os fãs gritando... até mesmo o pai de Bella parado do outro lado do palco - desapareceu, e eu me afoguei na sensação dos lábios de Bella sob os meus... sua pele macia contra os meus dedos. Eu torci minha mão, até que ela pousou plana contra o seu peito, apertando suavemente sob o elástico apertado da sua bandagem. Minha outra mão derivou para a sua bunda, trabalhando naquela carne também, e Bella envolveu seus braços ao redor do meu pescoço, inclinando a cabeça para trás quando o nosso beijo se aprofundou.

Eu nos movi levemente, levantando sua perna ao redor do meu quadril e usando a parede atrás dela para me dar a alavancagem que eu precisava para esfregar minha ereção contra ela asperamente.

Bella gemeu. Ela gostava disso. Porra, eu também

Eu arranquei a bandagem, empurrando-a em cima dos seus seios para que eu pudesse tocá-los livremente sob a sua camisa solta. Sua cabeça caiu para trás contra a parede, batendo um pouco quando ela se arqueou para encontrar minha mão... para encontrar meus quadris.

Recusando-se a deixá-la escapar da minha boca, eu me inclinei para chupar seu pescoço, mordiscando a ligeira ascensão da sua clavícula... lambendo o vão macio na base da sua garganta. Abandonando seus seios pelo momento, agarrei sua bunda com as duas mãos, envolvendo suas pernas em volta de mim enquanto eu empurrava contra ela, esfregando meu pau contra ela. Ela agarrou meus ombros, mordendo seu lábio para impedir os gritos, seus olhos fechados apertados no que eu poderia agora reconhecer como um clímax se aproximando.

"Sim." Eu gemi, acelerando o ritmo.

"Oh, Deus..."

"Agora... merda..."

"Edward!"

"Que porra é essa?"

Ok. Isso não era Bella. E não era eu. Eu congelei, assim como os olhos de Bella se abriram. Ela engoliu em seco, seus olhos arregalados e assustado quando suas pernas deslizaram lentamente para o chão e ela finalmente focou em alguém por cima do meu ombro. Virei minha cabeça para seguir o seu olhar.

Emmett.

E Jasper.

E Jake e Mikey.

Fôda-Me.

Eu protegi Bella da vista deles, rapidamente ajustando sua bandagem antes de me virar. Eles olharam para mim... então para Bella... o silêncio pesado entre nós.

Bem, exceto por J.J. cantando Square Peg, Round Hole no topo dos seus pulmões... e as meninas gritando... e alguém gritando em um fone de ouvido nos bastidores para que alguém "fodidamente conserte o holofote número três".

Finalmente, Jasper apontou um dedo. "Eu sabia!" Eu olhei para Bella, só para vê-la piscar para mim uma vez antes de voltar para Jasper.

"Você sabia?" Ela gritou.

"Todo se esgueirando, agindo de forma estranha." Ele disse, balançando o dedo acusatório. "Eu sabia que havia algo com vocês dois!"

"Há quanto tempo isso está acontecendo?" Emmett interrompeu. "Porra, todo mundo nessa banda é gay?" Ele deslizou um olhar de esguelha para Jasper, que apenas revirou os olhos.

Gay.

Eles não viram tudo. Eles achavam que nós éramos gays.

"Eu não posso acreditar que você escondeu isso de nós." Jasper continuou. "Depois de toda a merda com Jake e Mikey? Como você pôde fodidamente fazer isso, Edward? Como você pôde fazer isso conosco? Com a banda? Comigo? Seu idiota do caralho-" Seu rosto ficou vermelho quando sua voz ficou mais alta. Ele estava irritado.

Compreensivelmente.

"Agora, vá com calma." Jake se aproximou, pressionando levemente a mão sobre o peito de Jasper. "Não vamos dizer algo que vamos nos arrepender".

Jasper pegou o comportamento calmo de Jake, o entendimento sendo imediato. "Você sabia." Ele disse. "Você sabia, não é?" O olhar de Jake caiu quando Mikey foi para o lado dele.

"Não era da minha conta dizer qualquer coisa." Ele disse calmamente.

"Não, não era." O olhar zangado de Jasper focou em mim novamente. "Era da sua. Você deveria ter nos contado, Edward. Eu posso entender Billy. Ele não nos conhece por tanto tempo, mas você? Você deveria ter nos contado".

"Então, vocês..." Emmett acenou com a mão entre nós. "Vocês... uh ... você sabe, vocês estão juntos juntos?" Ele bateu seus punhos juntos duas vezes.

"Jesus." Jake murmurou, balançando a cabeça.

"O quê?" Ele perguntou. "Só estou tentando obter uma imagem clara do que está acontecendo, sabe?"

"Eu acho que a imagem é muito clara." Jasper grunhiu. "Eles estavam praticamente fodendo contra a parede".

"Ei!" Eu avisei. "Cuidado".

"Foda-se, Edward." Jasper empurrou meu ombro. Dei um passo para trás para recuperar o equilíbrio, lutando contra o desejo de revidar. Felizmente, Jake e Emmett se colocaram entre nós.

"Não faça isso, cara." Emmett disse. "Eu acho que todos nós só precisamos acalmar um pouco".

Bella deu um passo adiante. "Nós queríamos dizer. Nós estávamos apenas tentando... proteger vocês".

"Proteger-nos?" Jasper jogou as mãos no ar. "Proteger-nos de quê?"

"Não é o que você pensa." Ela disse, e eu percebi o que ela faria. Ela queria dizer a eles a verdade.

"Ah, sim, famosas últimas palavras." Jasper murmurou.

"B?" Eu questionei baixinho. "Você tem certeza?"

Ela assentiu. "Realmente." Ela disse. "Apenas nos deixe explicar, por favor?"

"Caras?" Jack, o gerente de palco, interrompeu. Na onda de olhares em sua direção, ele ergueu as mãos defensivamente. "Desculpe... mas vocês entrarão em cinco minutos. Vocês precisam ficar em posição para sua entrada".

"Porra!" Eu agarrei meu cabelo em frustração.

"Isto não acabou." Jasper sibilou quando corremos pelo corredor lateral para a escada que conduzia para nossas plataformas de tirolesa.

"Nós explicaremos tudo." Bella assegurou. "Depois do show... só, nos dê uma chance, ok?"

Jasper não disse nada, mas acenou com a cabeça bruscamente, subindo depois de Jake. Bella e eu seguimos, e nós estávamos estranhamente quietos enquanto ajustávamos nossos arreios e esperávamos pela introdução.

Nenhum salto, ou alongamento, ou provocação um com o outro. Apenas... silêncio.

Então, Emmett quebrou o silêncio, pigarreando.

"Então... quando vocês... você sabe..." Ele acenou com a mão novamente. "Quem é o cara?"

Jake gemeu, e eu pensei ter ouvido Bella dar uma risadinha.

"Sério?" Eu perguntei.

"O quê? Estou apenas curioso".

"Vá se foder, Emmett." Ele riu, e eu pude apenas perceber os cantos dos lábios de Jasper elevando-se muito levemente.

Comecei a ter esperança de que talvez tudo ficasse bem.


Só eu me acabo rindo com a Angela? Ela é muito engraçada com os ataques dela lol O cerco está fechando pra Bella e pro Edward. Charlie resolve ir ao show e agora todos pegaram os dois no maior amasso... agora, será que a Bella vai contar que é uma mulher? Jasper parece ter ficado chateado por não falarem pra ele o que estava acontecendo, e não tiro a razão dele, afinal era pra eles serem como irmãos.

Os últimos 2 capítulos foram o que menos tiveram reviews na fic, ela está quase acabando e os capítulos são bem grandes e difíceis... não custa nada dar uma comentada ;)

Prometo voltar antes de 15 dias

Beijos

xx