Nadja's diary: A new day has come

Década de 1900, 25 de Março.

Música: Bleeding Love-Leona Lewis

Fechada para o amor

Eu não precisava da dor

Uma ou duas vezes foi suficiente

E foi tudo em vão

O tempo começa a passar

Antes que você perceba que você está esfriando

Querido Diário, hoje eu completei 15 anos! Mamãe e Albert entraram em meu quarto logo que eu acordei, e me abraçaram, me desejando um Feliz aniversario.

Albert-Te desejo muito sucesso Nadja!

Nadja-Obrigada!

Colette-Que você continue essa menina, agora moça, doce e cheia de vida que você sempre foi.

Nadja-Obrigada mamãe!

Colette-Nadja, nós temos algo para você.

Ela estava com uma caixinha cor-de-rosa forrada de cetim por dentro e eu olhei curiosa. Então Albert tirara um saquinho do bolso de dentro, tirara um pequeno diamante cor-de-rosa.

Colette-Esse diamante representa seu 15º ano de vida.

E então mamãe abrira a caixinha onde havia mais 14 diamantes cor-de-rosa e Albert colocara o novo.

Nadja-Nossa mamãe, que lindos.

Albert-Sua mãe a cada ano que passa, acrescenta um diamante na caixinha.

Eu me emocionei e os abracei, enquanto mamãe deixava a caixinha em cima da minha mesa de cabeceira. Após nós três tomarmos café da manhã juntos, eu e minha mãe voltamos para meu quarto, para começar a se preparar para ir a mansão Preminger, onde iríamos nos arrumar para o baile.

Colette-O Oscar pedira para avisar que ira na frente, mas te encontrara no Baile, afinal ele vai descer com você, filha.

Nadja-Ok.

Desde o dia em que nos declaramos, parecia que minha mãe e Hilda já sabiam de algo. Quando fomos ate elas, contar que estávamos juntos, as duas sorriram.

Flaskback

Após a chuva passar, eu e Oscar nos preparamos para irmos ate minha casa, falar com nossa família sobre estarmos apaixonados. Eu estava com medo de que eles não aceitassem pois eu sabia que a nobreza sempre tinha casamentos arranjados. Oscar segurara minha mão o percurso todo, ate ele estacionar o carro em frente a mansão Walltimüller.

Mas alguma coisa aconteceu

Pela primeira vez com você

Meu coração derreteu pelo chão

Achei alguma coisa verdadeira

E todo mundo está olhando

Achando que estou ficando louca

Oscar-Vai dar tudo certo, nós vamos ficar juntos.

Eu olhei para ele, me sentindo tranqüila com suas palavras e sorri.

Nadja-Eu sei que vai.

Então o mordomo abrira a porta e nós fomos ate a sala principal, onde meu avo, tia Hilda, mamãe e Albert estavam sentados, conversando. Meus olhos se arregalaram ao ver o vovô, ia ser difícil.

Colette-Nadja filha, eu fiquei preocupada com você!

Nadja-Desculpe mamãe.

Hilda olhara para seu filho e sorrira.

Hilda-Filho, você parece bem melhor.

Oscar-E estou mamãe.

Ele então respirara fundo antes de continuar.

Oscar-Mamae, Sr. Walltimülle e Srs. Premingers, eu gostaria de lhes dizer algo.

Agora todos na sala olhavam para Oscar, mamãe e Hilda sorriam por algum motivo e meu avô estava sério.

Oscar-Sr. Duque Preminger, o senhor vem me dizendo a dois anos que eu deveria escolher uma moça para ficar ao meu lado, pois já estava na hora. E eu já a escolhi.

Meu avô nos fitava seriamente e Oscar se virara para sua mãe e para a minha sorrindo.

Oscar-Eu já a escolhi. Eu estou apaixonada pela Srta. Nadja Preminger e gostaria que vocês nos permitissem namorar.

Colette-Oscar querido, eu e sua mãe já sabíamos de tudo. É claro que eu permito que você namore com minha filha.

Hilda-Filho, eu fico tão feliz por você ter encontrado alguém que ame.

Albert-Cuide bem dela, eu sei que você é um rapaz bom.

Minha mãe e Albert o cumprimentavam e afinal minha mãe sempre gostara dele e tia Hilda me abraçava. Nós sorrimos pois a maioria já havia dado seu voto. Nós nos viramos para meu avo. O Duque se levantara seriamente e caminhara ate a janela e eu senti que ele não iria permitir que ficássemos juntos. Eu então me aproximei dele.

Oscar-Duque?

Nadja-Vovô, me escute, eu amo o Oscar, por favor, deixe-nos ficarmos juntos!

Mas eu não me importo com o que dizem

Eu estou apaixonada por você

Eles tentam me afastar

Mas eles não sabem a verdade

Meu coração está danificado pela veia

Que eu continuo fechando

Earl-E adiantaria eu negar? Você é igualzinha sua mãe, quando pões algo na cabeça, não há nada que a faça mudar de idéia. Eu vou deixar-los, afinal você é minha neta e eu gosto do Oscar, ele é de uma boa família.

Nadja-Vovô...

Eu lhe abracei e ele parecia meio surpreso, mas me abraçara rapidamente, afinal ele não era de demonstrar sentimentos, depois se virando para Oscar e apertando sua mão.

Oscar-Obrigado Duque.

Earl-Parabens Oscar e Nadja. Nos vemos no baile.

E então ele fora embora. Minha mãe pedira para as empregadas servirem o jantar e nós todos jantamos juntos, conversando. À noite eu e minha mãe ficamos conversando, enquanto eu lhe contava como tudo tinha acontecido.

Fim do Flashback

Eu e minha mãe então saímos com Albert para a mansão Preminger, que já estava toda arrumada para o baile e eu e minha mãe nos dirigimos para um dos quartos onde estava tia Hilda e... Vovó, Sylvia e Rita.

Nadja-Pessoal!

Eu as abracei feliz.

Vovo-Ola querida, sua mãe convidara a tropa Dandelion para seu aniversario.

Eu me separei do abraço e me virei para minha mãe.

Nadja-Obrigada mamãe.

Colette-De nada filha.

Sylvia-O George e os rapazes viram só na hora do baile.

O quarto em que estávamos tinha uma enorme penteadeira cheia de maquiagens e outros acessórios e em cima de uma poltrona estava uma sacola grande, com um vestido dentro. Hilda e mamãe me levaram ate ele, e me mostraram a sacola.

Colette-É o seu vestido querida.

Hilda-Afinal não se faz 15 anos todos os dias. Tenho certeza que o Oscar vai ficar encantado.

Eu corei, enquanto abria o feixe da sacola e prendia a respiração. Era um vestido branco com a estampa de rosas cor-de-rosa, lindo, com um par de luvas brancas de seda.

Nadja-Ele é lindo!

Colette-A vovó Anna que deu a idéia do tecido.

Anna-Flores são românticas e representam à juventude querida.

Eu sorri.

Nadja-Obrigada gente!

Alguém batera na porta e Hilda a abrira.

Hilda-Ola filho, eu pensei que você fosse vir só mais tarde.

Oscar entrara no quarto de se arrumar sorrindo, ao cumprimentar sua mãe, a minha e as outras.

Oscar-Vim rapidamente, tenho alguns compromissos com o Duque.

Ele então se aproximara de mim, que estava sentada em uma poltrona de frente para a penteadeira. Eu me levantei e ele beijara a minha mão, já que estávamos cercados de gente ali.

Nadja-Olá Oscar.

Oscar-Feliz aniversario Nadja.

Ele então me entregara uma caixinha e eu a peguei, abrindo e sorri. Dentro da caixinha estava um par de brincos de diamantes cor de rosas, pequenos. Eu então o abracei e ele beijou o topo de minha cabeça, com um sorriso gentil.

Você me corta e eu

Continuo sangrando

Continuo, continuo sangrando de amor

Eu continuo sangrando

Eu continuo, continuo sangrando de amor

Continuo sangrando

Continuo, continuo sangrando de amor

Você me corta

Nadja-Obrigada Oscar, são lindos.

Oscar-Te vejo de noite Nadja.

Ele se despedira de nós e saíra, enquanto todas sorriam ao ver meu presente.

Sylvia-Agora vamos começar a te arrumar Nadja.

Eu voltei a me sentar na poltrona enquanto todas se mexiam, para me maquiar e pentear meus cabelos. Eu aproveitei e contei tudo para Sylvia, sobre eu e Oscar. Sylvie me maquiava, enquanto minha mãe arrumava meus cabelos. A vovó Anna e tia Hilda conferiam o vestido, enquanto Rita brincava de boneca ali no quarto. Após algum tempo, eu estava pronta, maquiada, penteada e com o novo vestido. Ao me olhar no espelho, sorri. Estava com uma maquiagem leve e meus cabelos estavam presos em um coque elegante, com uma tiara em cima. Eu usava os brincos que havia ganhando e o anel do meu broche sobre as luvas. Todas terminaram de se arrumar e então George, Abel, Kennousuke e Thomas entraram no quarto, elegantes com ternos. Eu quase não os reconheci.

George-Nadjaaa minha garota, feliz aniversario!

Ele e os outros puxaram um coro de feliz aniversario para mim. A noite já havia caído e todos já haviam descido para o salão, com exceção de mim e minha mãe. Nós esperamos dar 19hs para, de mãos dadas, se dirigirmos a escadaria. Lá do alto, dava para ver muita gente, mulheres com seus vestidos bufantes e luvas e os homens com paletós. Reconheci alguns deles, O Duque Harcourt e sua irmã Emma Queensbury e seu marido, Francis estava junto e sorrira para mim, Mary Anne Hamilton, que estava ao lado de Francis, Leonard Cardinale com suas amigas e agora, sua esposa Julieta, Tierry Ristchild, que sorriram para mim, Antonio Fabian, e muitos outros provavelmente conhecidos dos Premingers. O salão estava todo enfeitado, com vários cetins rosa entre as colunas, vários garçons passavam com bandejas de champagne e petiscos e uma orquestra tocava uma musica suave e todos dançavam e conversavam. Meu avo, que estava conversando com um amigo, parara ao nos ver e fizera um sinal para a orquestra dar uma pausa.

Earl-Gostaria de anunciar a chegada de minha filha Colette Preminger e de minha neta, Srta. Nadja Preminger, que hoje completa 15 anos.

Todos aplaudiram enquanto nós descíamos as escadas e no final, Oscar e Albert nos esperavam. Albert estendera a mão para minha mãe e os dois se dirigiram para uma parte do salão, enquanto Oscar estendia a sua mãe sorrindo e eu a aceitava, enquanto ele me conduzia para o meio do salão. Todos formavam um circulo ao nosso redor, nos dando espaço.

Tentando o máximo não ouvir

Mas eles falam muito alto

Os seus barulhos irritantes enchem meus ouvidos

Tentam me encher de dúvidas

Embora eu saiba que o objetivo

É evitar que eu me apaixone

Oscar sussurrando-Voce esta linda Nadja.

Eu corei, mas sorri. Oscar usava um terno preto e luvas brancas.

Nadja-Obrigada, você também esta.

Ele beijara minha mãe e meu avo anunciara:

Earl-E agora a valsa da aniversariante com o Sr. Oscar Colorado.

A orquestra começara a tocar Waltz 5 e nós começamos a valsar, girando pelo salão, enquanto os outros nos elogiavam ao nos observar. Oscar tinha uma mão em minha cintura e a outra segurando minha mão enquanto eu estava com a outra mão em seu ombro. Nós olhávamos um para o outro sorrindo felizes e ele sussurrara:

Oscar-Feliz aniversario, de novo...

Nadja-Obrigada. Eu te amo Oscar.

Oscar-Eu também te amo, Nadja.

Os outros casais começaram a valsar também e Leonard, que valsava com Julieta ao nosso lado, dissera:

Leonard-Feliz aniversario, meu botão de rosa.

Eu ri.

Nadja-Obrigada, mas eu já disse que não sou seu botão de rosas.

Julieta-Feliz aniversario Nadja.

Nadja-Obrigada Julieta.

Enquanto girávamos pelo salão, encontrei varias outras pessoas, e fiquei feliz ao ver Christian Strand, Harvey Livingston e John Wittard.

Chris e John-Feliz aniversario Nadja!

Harvey-Feliz aniversario Nadja, sua mãe fez questão de nos procurar e mandar um convite. A propósito, vou fazer a matéria do seu aniversario.

Eu sorri para eles, agradecendo. Eu e Oscar fizemos uma reverencia e então trocamos de par e eu dancei com Harvey, enquanto Oscar dançava com uma outra moça. Pude ver de longe, Kennousuke e Tj Livingston disputando quem iria valsar primeiro com Rita, que ria. Sylvia e Thomas dançavam juntos e eram observados por Antonio, George estava se servindo de alguns doces e Abel valsava com a vovó, que se divertia e havia sido abordada por varias mulheres nobres, encomendando seus chapéus. Minha mãe terminara de valsar com Albert e Oscar valsava com ela. Tia Hilda valsava com o Duque Harcourt. Eu dancei com meu avô, com o George, que era bastante extravagante na pista e com o Abel. Francis, que havia terminado de valsar com Mary Anne, se aproximara de mim, que agora terminara de valsar com Leonard estendera a mão.

Mas nada é melhor que a agitação

Da sensação que vem com seu abraço

E nesse mundo de solidão

Eu vejo o seu rosto

Entretanto, todos ao meu redor

Acham que eu estou ficando louca

Talvez, talvez

Francis-Me concede essa dança?

Eu sorri, fazendo uma reverencia a Leonard e estendendo a mão para Francis. Nós começamos a valsar e me lembrei da primeira vez que dançamos juntos.

Francis-O Oscar me parece muito gentil e cuidadoso.

Eu sorri para ele.

Nadja-E ele é. Mas e você, como esta?

Ele me parecia bem, sorrindo e eu fiquei feliz com isso.

Francis-Cuidando dos negócios da família, e resolvi sair com a Mary Anne.

Eu sorri, lembrando que há algum tempo atrás isso me deixaria louca, mas hoje me deixa feliz, vendo que ele seguia em frente e afinal, alem de amigos de infância, ela sempre gostara dele. Nós continuamos a valsar mais um pouco e quando terminamos, ele me dera um beijo delicado na bochecha e fora ate Mary Anne, valsar com a garota. Eu aceitei um doce que um dos garçons oferecera, quando alguém tocara no meu ombro delicadamente e eu me virei, meus olhos se arregalando. Era um rapaz loiro, de paletó preto e uma pequena mascara preta com detalhes vermelhos.

Nadja sussurrando-Keith, você veio!

Eu o abracei com saudades, enquanto ele dava um leve sorriso e retribuía o abraço.

Keith-Senti saudades.

Nadja-Eu também.

Ele estendera a mão para mim e eu aceitei, enquanto dançávamos perto da janela grande.

Nadja-Como você esta?

Keith-Estou bem, viajando de país em país, ajudando as pessoas. Mas e você?

Nadja-E-eu estou bem.

Mas eu não me importo com o que dizem

Eu estou apaixonada por você

Eles tentam me afastar

Mas eles não sabem a verdade

Meu coração está danificado pela veia

Que eu continuo fechando

Ele sorriu.

Keith-Não precisa ter vergonha ou se preocupar, eu e o Francis já conversamos.

Nadja-Ah...

Keith-Eu gosto de você Nadja, mas se o Oscar te faz feliz, eu fico feliz com isso. Mas eu vou estar sempre por perto, te protegendo.

Eu sorri emocionada e o abracei.

Nadja-Obrigada Keith...

Keith-E feliz aniversario Nadja, agora preciso ir.

Ele beijara minha testa, antes de sumir. Oscar então se aproximara sorrindo e segurara minha mão.

Oscar-Voce esta bem?

Najda-Estou sim, agora tudo está.

Dois garçons traziam um carrinho ate o centro do salão, onde as pessoas abriam espaço. Em cima do carrinho estava um enorme bolo de varias camadas com uma vela rosa de 15 anos. Um dos garçons me entregara uma faca, enquanto minha mãe, Albert e meu avo ficavam ao meu lado e todos no salão cantavam parabéns. Harvey tirava algumas fotos, enquanto eu cortava o bolo e entregava a primeira fatia a minha mãe e para os mas próximos. Os garçons levaram o bolo para um canto, onde iriam distribuir-lo entre os convidados. Todos no salão após se servirem de bolo, voltavam a dançar e a conversar. Eu e Oscar sorrimos e saímos pela sacada, em direção aos jardins iluminados pela luz da lua e cheios de rosas. Oscar tocara meu brinco sorrindo, antes de me beijar e começarmos a valsar ali no jardim, rindo. Aquele fora um dos meus melhores aniversários. Amanhã eu estava partindo com a Compania Dandelion, mas estava tudo bem. Não importava a distancia de Oscar ou de minha família, estaríamos sempre juntos, eu os amava, ainda nos veríamos. Era um novo dia chegando.

Você me corta e eu

Continuo sangrando

Continuo, continuo sangrando de amor

Eu continuo sangrando

Eu continuo, continuo sangrando de amor

Continuo sangrando

Continuo, continuo sangrando de amor

Você me corta

Fim