N/A : Se passa durante o episódio 5x17

Simples

Chegava até a assustá-la como a sua decisão de no final daquele dia estar ali na frente daquele apartamento no Brooklyn parecia a coisa mais simples do mundo , como pela primeira vez nos últimos quatro anos nada em suas ações era a respeito de Chuck , ela não estava ali para puni-lo por algo que ele tinha feito para a irritar ou para ganhar um dos joguinhos deles, não pelo que ele quer ou pelo que ela acha que ele quer, pela primeira vez o motivo deles não estarem juntos não era Chuck mas sim ela, ela queria algo diferente, alguém diferente.

Blair ainda não tinha certeza de como aquilo que ela e Dan tinham havia acontecido. Talvez tenha começado naquele dia há cinco anos atrás quando ele ainda a via como a Queen B o epitome de tudo que ele detestava no Upper East side e ela via como o forasteiro do Brooklyn que não tinha lugar nenhum no mundo dela, mas mesmo assim ele se sentou no corredor ao lado dela e falou sobre como tinha sido sua mãe ter ido embora. Talvez tenha sido quando ele disse que ela merecia ficar com alguém que a fizesse feliz . Talvez tenha sido quando eles começaram a ver filmes juntos por coincidência e por estarem sozinhos na cidade durante o feriado e gostarem de cinema francês e exibições de arte, ou quando continuaram a fazer essas coisas mesmo após todos os seus amigos voltarem para a cidade e o feriado ter acabado. Talvez tenha sido porque simplesmente assistir filmes com Dan Humphrey e conversar com ele pelo telefone a deixava mais feliz e centrada do que qualquer outra coisa. Talvez quando eles se beijaram , ou talvez tenha sido quando ela disse que tal beijo não significou nada como eles passaram as semanas apenas falando e falando sobre o quão insignificante tinha sido. Talvez foi quando notou que era dele o rosto que mais queria ver após ter tido um dia ruim e era para ele que mais sentia vontade de ligar quando tinha boas noticias. Talvez tenha sido quando ela descobriu que ele escreveu um livro sobre ela. Talvez tenha sido quando ele disse que não importa quem ela fosse, o que ela fizesse ou o que acontecesse ela o teria, e por ela não ter nenhuma dúvida de que ele estava falando a verdade. Talvez fosse tudo isso junto.

Chuck ama a parte dela que gostava de manipular e fazer joguinhos psicológicos com os outros, Louis amava a garota que ela aparenta ser, a perfeita princesa de Manhattan. Dan a ama, não uma parte ou uma imagem, ela completamente, ele a conhece a cinco anos e viu o pior e o melhor dela, na maior parte do tempo ele sequer gostava dela mas quando ele começou a conhece-la de verdade ele se apaixonou, por ela mesmo não por uma fantasia ou idealização , ela com suas inseguranças, seus esquemas e seus sonhos, ele a amava sendo boa, sendo má, sendo insegura, sendo confiante, sendo feliz, sendo triste, sendo louca, sendo tola, sendo romântica, sendo bela, sendo Blair.

Ela já tivera romances com rapazes que tinham impérios e títulos de realeza mas era aquele garoto do Brooklyn que ela nunca esperou se importar e quem dirá amar que era o mais próximo do príncipe encantado que ela sempre havia desejado. Dan era a pessoa que ela amava como melhor amigo e como aquele por quem ela estava apaixonada , ela podia ter amor e felicidade e o tipo de romance que livros eram escritos a respeito, era o apartamento de Dan que ela estava prestes a entrar, era Dan que ela tinha escolhido porque Dan era a pessoa que a fazia feliz. Algumas coisas eram simples assim.

Obrigada por ler, reviews são sempre apreciadas.