Disclaimer: Está fanfic pertence a SarahCullen17 e os personagens são Stephenie Meyer. A mim Lary Reeden só cabe a tradução para o português. Mazinha Martins é minha beta.


Capítulo Um: "Pergunta"

POV Bella

Acordei com um vazio na cama, algo que não acontece muitas vezes hoje em dia. Um pouco confusa, forcei meus olhos sonolentos a enfrentarem a luz do sol e fiz uma varredura do quarto procurando meu companheiro de quarto.

Ele não estava lá.

"Edward?" Chamei, caindo de costas na cama e protegendo os olhos da luz brilhante, com um travesseiro. "Edward?"

"Estou aqui, amor", ele disse, e eu senti a pressão de seu corpo enquanto ele engatinhava no colchão enorme. Ele levantou o travesseiro do meu rosto e beijou meus lábios rapidamente. "Pique-esconde".

Eu ri. "Bom dia", eu disse, rolando em cima dele. "Onde você estava?"

"Conversando com Esme no telefone", ele deu de ombros, tomando o meu rosto em suas mãos. "Ela quer que a gente vá para jantar esta noite."

"Isso soa bem," Eu balancei a cabeça. "Teremos leão de montanha ou alce?"

Ele revirou os olhos. "Você provavelmente terá tilápia ou algo nesse sentido. Nós não vamos comer nada. "

"Eu sei", eu gemi. "Essa foi minha tentativa de piada."

Ele sorriu. "Como é que você parece tão bonita sem maquiagem sobre a cama?" Seus dedos teceram suavemente meu cabelo. Ele foi cortado bem curto e eu odiava o pouquinho de cabelo que tinha crescido de volta depois da quimioterapia. Mas, como Alice apontava todos os dias, ele está cada vez mais comprido.

E, claro, eu adorava ter Edward correndo os dedos por ele, não importa quão curto estava.

Dei de ombros. "Você esteve me massageando", eu disse.

Ele riu e puxou meu rosto junto do seu, para que pudesse mover seus lábios contra os meu. Um minuto depois, ele parou. Meus lábios fizeram um beicinho automaticamente.

"Não me dê esse olhar feio", ele me repreendeu. "Eu parei por uma razão."

"Ah?" Me sentei com as pernas uma de cada lado dele e passei os dedos em seu peito, nu e frio. Era o máximo que eu tinha visto dele.

"Sim", ele balançou a cabeça. "Eu meio que tenho uma pergunta."

Olhei para ele com desconfiança. "Eu não vou te deixar comprar um carro novo. "

Ele suspirou. "Não é isso, amor. Você pode fechar seus olhos?"

"Por quê?" Perguntei estupidamente. Eu odiava surpresas.

"Porque eu tenho uma surpresa para você e eu quero que seja isso: uma surpresa."

"Tudo bem", eu amuei, cobrindo os olhos com as palmas das mãos.

Eu estava distraída quando senti sua mão gelada tocar minha perna e movê-la. Eu usava shorts de pijama e um top de ginástica. Ele esfregou delicadamente minha coxa quando ele puxou algo do bolso. Um segundo depois, ele bateu na minha perna. "Tudo bem. Pronto."

"Posso realmente olhar agora?" Eu perguntei sarcasticamente.

"Sim. Não é difícil."

Eu ri e removi as minhas mãos dos meus olhos, mas mantive meus olhos fechados. "Se isso custou muito dinheiro, eu vou ficar com raiva de você, de verdade."

"Não custa nada, meu amor. Abra seus olhos."

Eu abri, e congelei.

Encravado entre o polegar e o indicador estava um anel de diamante brilhante. Cobri minha boca com as mãos e olhei para seu rosto, ele parecia exuberante e inequivocamente feliz. Havia também uma outra coisa em seus olhos que eu não reconheci. O que é isso?

E então a realização me bateu.

Esperança.

"Isabella Marie Swan?" ele murmurou baixinho. "Eu te amo mais do que a vida, você é minha vida. Então você quer passar o resto da sua vida comigo como minha esposa? Como a Sra. Bella Cullen? "

Eu não disse nada, congelada em estado de choque.

Ele tentou suprimir a sua risada, mas falhou miseravelmente. O sorriso torto que eu mais amava escapou junto com uma risada. "Eu acho que eu estou te perguntando... se você quer se casar comigo?"

E, de repente, o mundo fazia sentido. Eu tinha vinte e quatro anos, e estava na cama com o homem que eu amava, e ele estava praticamente implorando para eu passar o resto da minha vida com ele. O casamento de repente fez sentido.

E assim eu assenti. "Sim", eu respirei. "Sim, eu quero!"

Choque dominou seu rosto. "Obrigado", ele suspirou. Em velocidade desumana, ele pegou minha mão esquerda e deslizou o anel no dedo apropriado. Nem mesmo me incomodando em admirar o anel certamente, bonito, eu me deitei em cima dele e beijei sua boca aberta.

"Eu te amo", ele sussurrou em meu beijo.

"Eu também te amo", eu sussurrei de volta depois me afastei.

Ele sorriu, irradiando alegria e pura presunção. "Minha noiva", ele se gabou, tomando minha mão para beijá-la.

Eu gemi. "Eu estou tão velha."

Ele riu. "O que fez você dizer sim?"

Dei de ombros. "Eu não quero discutir. E há algo sobre o nome de Bella Cullen."

Ele balançou a cabeça. "Eu gosto dele, também."

"Eu espero que você goste", sorri. "Você vai ouvi-lo por um tempo muito longo."

"Bom", ele respirou. "Estou tão pronto para isso."

Eu sorri e o beijei novamente. Ele passou o braço em volta da minha cintura e nos rolou de lado. Rindo, ele começou a acariciar meu pescoço com seus lábios. Curiosa, eu olhei para o meu novo anel.

Era bonito e caro, mas simples. Parecia uma antiguidade. "Sério", eu disse. "Quanto foi isso?"

"Nada", disse ele. "Eu herdei isso da minha mãe. Você gostou?"

Era lindo e único, assim como Edward. "Eu amo isso", disse a ele. "É lindo."

"Assim como você."

Eu ri sarcasticamente, quando pensei em como ele tinha acabado de me comparar a algo que me lembrava dele. De alguma forma, isso não se encaixava. Eu não era nada parecida com essa criatura que se parecia com um Deus Grego e que agora estava beijando a minha clavícula.

"Deus, isso é tão bom", eu respirei quando senti sua língua lamber minha clavícula. Porém, eu fiquei um pouco amargurada. Nós estávamos "juntos novamente" fazia um ano, e não tinha feito sexo. No entanto, ele insistia em me provocar, andando sem camisa e usando sua língua na minha pele. Não que eu estivesse reclamando, era ótimo.

Mas eu estava tão cansada de ser provocada.

"Mmm", ele disse. "Eu acho que você sabe que terá uma jantar de noivado esta noite."

"O quê?" Eu perguntei. "Jantar?"

Ele riu. "Sim. Alice vem planejando isso desde que ela espreitou o primeiro indício de minhas intenções."

"Ótimooo", eu suspirei dramaticamente. "Eu não acho que tenha escolha."

"Não, você não tem", ele disse com confiança. "Se acostume. Você está prestes a ser uma Cullen, também."

"Eu amo o som disto," eu disse a ele, pegando sua mão na minha para que eu pudesse enlaçar meus dedos nos dele. "Nós não temos que sair da cama até de tarde, não é?"

Ele riu. "Eu acho que posso suportar um dia na cama, me aconchegando ao seu lado. Deus abençoe cobertores elétricos."

"Concordo," Eu balancei a cabeça, deslizando ainda mais sobre o pano quente. Sabendo que eu estava ficando ainda mais quente, ele me puxou para perto e beijou a minha boca.

"Estou muito feliz", ele me disse um minuto depois.

"Eu também", admiti. "Ainda que eu esteja preocupada com o jantar."

"Sra. Bella Cullen", ele murmurou, beijando meu pescoço e intencionalmente ignorando o meu comentário.

"Sr. Edward Cullen", eu acrescentei.

"Isabella Swan Cullen..." Seus lábios traçaram uma linha no meu rosto. "Eu te amo".

Eu ri quando seus lábios frios fizeram cócegas em várias partes do meu rosto. "Eu também te amo." Na hora que seus lábios pararam debaixo da minha mandíbula, eu disse: "Você acha que podemos ignorar a festa hoje à noite, sem ferir os sentimentos da Esme? Eu não tenho medo da Alice, mas eu não quero ser rude com Esme."

Ele suspirou e colocou sua boca em meu ouvido. "Bella?" ele sussurrou.

"Sim?"

"Cale a boca e me deixe te beijar."

E então sua boca esmagou a minha.


N/T - Voltamos. Como já disse antes os capítulos são maiores, portanto a frequencia de posts não será a mesma de Second Chances.

Não sei ainda se todas as lacunas de SC serão preenchidas, espero que sim.

Obrigado a todos que também estão me acompanhando nesta sequencia.

Mais uma vez obrigado Mazinha Martins por corrigir meus erros.

Se você é um leitor novo, leia a fic Second Chances antes. Essa fic é muito fofa. Espero que continuem gostando. 3

Comentem por favor.

Beiinhos e até o próximo.