Uma fanfic Naruto.

Classificação etária M.

Não contém spoilers/ UA.

Shipper: Sasuke & Sakura

Gênero: Romance/Drama

Disclaimer: O Naruto não é meu.

Autora: Lovemedeadly.

Tradutora: K. Hime.

Dedicatoria Para Soll

Do original de mesmo título

Sinopse: 15 anos se passaram desde a partida de Sasuke. Certo dia, o moço encontra uma mulher que lhe dá uma pedra misteriosa que tem o poder de lhe mostrar a vida que poderia ter tido se tivesse feito as 'escolhas certas'... S&S.

Nota: Lembro que esta fanfic é M-rated, por temas maduros.


.

What Could Have Been

Capítulo XIV

Time is running out

O tempo está se esgotando ...


Os dias pareciam passar rapidamente. O aniversário de seu filho se aproximava e Sakura estava tentando manter Choji longe do caminho de comer tudo o que a kunoichi tirarava da grelha de pedra.

Temari e Shikamaru chegaram e puseram-se a socializar com os demais. Podia-se sentir uma tensão entre Ino e Shikamaru também. Kakashi e Gai tomavam saquê, Shino de pé ao lado de Kiba com Akumaru a tiracolo, entretendo algumas crianças num passeio sobre o cão e havia vários outras pessoas que realmente nem sabia quem eram. Pôs-se a observar Naruto com as outras crianças, lançando kunais aos alvos. O loiro mantinha o controle para ter certeza de que ninguém iria sair machucado.

Akira correu até Sasuke. "Pai, é hora de abrir os presentes?" os olhos mostravam expectativa, quase que implorando.

"Pergunte a sua mãe, foi ela que planejou tudo isso." Akira apenas sorriu e correu para a mãe.

"Ele já tem oito anos. O tempo parece passar tão rápido. Parece que foi ontem que Sakura descobriu que estava grávida dele." Naruto suspirou e virou-se para seus próprios filhos, "A mesma coisa com o meu, eu não quero que eles cresçam tão rápido. Em breve estarão fora em missões e arriscando suas vidas e vamos estar em casa nos preocupando com eles. Eu não gosto disso. "

"Você se preocupa demais, Naruto. Tem que treiná-los. Eles vão se sair bem." Sasuke disse. Ele não iria admitir que estava tão preocupado quanto Naruto sobre o crescimento precoce dos filhos.

"Sasuke, venha, estamos nos preparando para abrir os presentes." ouviu a esposa chamar-lhe. Todas as crianças, quando a ouviram, correram em direção ao som de sua voz. Sakura queria dexar o presente que compraram para ser aberto por ultimo, então pos-se a entregarar filho os demais presentes.

Sasuke fitou a quantidade de presentes e ficou espantado com a forma como seu filho era sociável. Na sua idade, ele permanecia geralmente sozinho, realmente não tinha amigos.


"Agora é a hora de abrir o nosso presente." Sakura disse animadamente, fitando Sasuke.

Ele se abaixou e tirou de debaixo da mesa uma caixa de madeira com um laço vermelho que a encobria e colocou-a na frente do filho. "Aqui está, Akira".

Os olhos do filho iluminaram-se ao reconhecer a caixa como sendo uma semelhante à que o pai guardava suas armas brancas, com a única diferença, havia o seu nome esculpido na madeira em vez do de Sasuke. Akira arrancou o laço com verocidade e destravou a tranca da caixa para abri-la. Seu sorriso cresceu ao encontro do conteúdo da mesma. Ele agarrou uma das kunai pela alça e puxou-a para fora. Todas as crianças fitavam em admiração para a superfície lisa e brilhante.

Akira voltou-se para o pai com um sorriso enorme no rosto, "São como as suas."

Sasuke colocou a mão na cabeça de seu filho: "Sim, mas estas aqui são suas."

Sakura abraçou o menino e lhe deu um beijo casto na bochecha, "Feliz aniversário, Akira".

- o -


Sasuke a fitou e ficou abalado com a quantidade de cor que havia ido embora.

Havia menos de um quarto da superficie que ainda se mantinha vermelha. Ele segurou firmemente a pedra e fechou os olhos. O tempo estava se esgotando. E ainda não tinha encontrado nada de novo que pudesse ajudá-lo a manter esta vida. A velha não viera vê-lo desde a última visita na sala de registro. Ele precisava falar com ela, tinha de fazer um novo apelo.

Ele estava deitado no sofá da sala e fitou o teto, esperando por um sinal dos céus sobre o que tinha que fazer. Os olhos fechados suavemente, as mãos cobrindo a face, silenciosamente desejando que todos os seus problemas simplesmente desaparecessem.

"Sasuke". Uma doce voz o chamou.

"Sim Sakura?" respondeu sem mover uma polegada. De repente, sentiu o corpo feminino pressionar-se contra si e teve a sensação de que ela o necessitava. Ele moveu a mão da própria face e abriu os olhos para fitar-lhe. "O que está planejando?"

Ela sorriu. "Vamos sair".

"Sair?"

"Sim, quando foi a última vez que saímos só nós dois?" inclinou-se e sorriu: "Um bom piquenique na floresta ou uma viagem até a montanha para observar o horizonte. O que acha?"

Ele colocou as mãos sobre os quadris femininos, "Claro, porque não".

Ela sorriu novamente e deu-lhe um beijo nos lábios, que só serviu para eviar-lhe uma corrente de excitação através de seu corpo. Ele não iria afastá-la hoje, iria conceder-lhe o encontro. Ele só tinha algumas semanas, na melhor das hipóteses, com ela e queria fazê-la feliz.


Sakura deixou-a agarrar-lhe o braço, enquanto caminhavam pela rua, a cesta de comida que havia preparado a tiracolo. Escolhera o campo florido - de cerejeiras. Ele tinha visto essas árvores centenas de vezes, mas quando a viu sorrir sob as flores de cerejeira, não podia imaginar nada mais belo.

"Sasuke, por aqui. Este é o local perfeito. Lembra-se daqui?" estava embaixo de uma árvore, com os olhos lançados para cima com uma mão no tronco. Virou-se para ele e sorriu suavemente em sua direção.

Assim que a viu, debaixo da árvore, ele foi levado de volta para algo que tinha visto antes, quando chegou pela primeira nesta realidade. Um dos primeiros flashbacks que tivera. Do beijo debaixo da árvore de flor de cerejeira após o festival. Lembrou-se de seu quimono e de trazê-la para mais perto. Foi sob essa árvore que compartilharam alguns beijos há muitos anos.

Ele depositou a cesta no chão e ficou bem na frente dela, a mão deslizando pela dela, a que jazia sobre a superficie da árvore. Se inclinou para a frente, colando os lábios nos dela, a outra mão na cintura feminina: "Claro. Você estava linda naquele quimono."

Ela murmurou contra seus lábios, "Você realmente lembra. Estou impressionada." E retribuiu o beijo.

Os dedos masculinos traçaram a madeira "E o escrito na árvore que você insistiu em fazer."


Ambos se voltaram para a árvore, as mãos ligeiramente mostravam as alianças de casamento.

O símbolo da família Uchiha e a flor de cerejeira jaziam sob suas mãos. Este tinha sido o momento decisivo para eles, o momento em que começaram a ser vistos como como um casal.

Sasuke revivia tais lembranças como se as tivesse realmente vivido e que nesta vida ele tinha, mas lembrou imediatamente que esta não era a sua vida. Ele logo iria embora e deixaria tudo o que sempre quis para trás.

Puseram a toalha no chão e se sentaram-se com as costas apoiadas contra a árvore, o corpo feminino enroscado contra o dele. Sua mão acariciava-lhe as costas enquanto os dedos traçaram padrões em seu peito forte.

"Sasuke?"

"Huh?"

"Quando éramos mais jovens, eu sempre costumava pensar sobre como a vida teria sido diferente para nós, se não tivéssemos um ao outro e isso me deixava triste. Agora não posso imaginar a vida sem você." a voz suave: "Eu quero que saiba o quão grata sou que tenha ficado comigo e me aturado ao longo dos anos mesmo nos momentos em que eu era irritante." Ela riu à última palavra antes de falar novamente, "eu te amo." a voz saíra murmurada contra seu peito.

Ele podia sentir as batidas do coração dela e uma angústia desesperada abateu-lhe.

Sasuke queria dizer a ela que tudo ficaria bem, que nunca iria abandoná-la, mas não podia.

Tudo o que podia fazer era pousar um beijo para o topo da sua cabeça e dizer: "Eu também te amo."

(6 to go)


Hmmm.

Parece que o Uchiha ta com serios problemas.

Ele nao tem nenhuma pista de como ficar nessa realidade e a velha da pedra magica nao tem mais dado as caras.

Sera que o Sasuke vai conseguir ficar?

O que vcs acham?

Deixem um comment ai embaixo com seus pensamentos ;D

Nos vemos,

bjitos

Hime.